“Buscai o Reino de Deus”

O Livro de Mórmon: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 1999


Objetivo

Ajudar os alunos a sentirem maior desejo de magnificar seus chamados, ser castos e convidar o próximo a vir a Cristo.

Preparação

  1. 1.

    Leia e pondere as escrituras a seguir e ore a respeito delas:

    1. a.

      Jacó 1. Jacó magnifica o chamado que recebeu do Senhor e prega o arrependimento ao povo.

    2. b.

      Jacó 2–3. Jacó faz advertências contra o amor às riquezas, o orgulho e a falta de castidade. Promete aos puros de coração que Deus os consolará em suas aflições caso se voltem para Ele, recebam Sua palavra e orem com fé.

    3. c.

      Jacó 4. Jacó testifica da expiação de Jesus Cristo. Admoesta as pessoas a não “[olharem] para além do marco”.

  2. 2.

    Se o vídeo Family Home Evening Video Supplement 2 (53277 059) estiver à disposição, prepare-se para passar “Repentance: It’s Never Too Late”, um trecho de seis minutos.

  3. 3.

    Se for utilizar a atividade motivadora, traga uma lente de aumento para a sala de aula (ou desenhe-a no quadro-negro antes do início da aula).

Sugestões para a Apresentação da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, use a atividade a seguir ou uma de sua própria escolha para dar início à aula.

Mostre a lente de aumento (ou desenhe-a no quadro-negro antes da aula).

magnifying glass

• Para que serve uma lente de aumento? O que significa “aumentar” ou “magnificar”? (Ampliar, tornar maior, fazer com que algo seja considerado com maior estima ou respeito.) O que significa “magnificar” um chamado na Igreja?

Peça a um aluno que leia Jacó 1:17–19 em voz alta. Peça aos outros alunos que identifiquem trechos que descrevem como Jacó magnificou o chamado que recebeu do Senhor. Escreva as respostas deles no quadro-negro, que podem estar contidas nas frases abaixo:

  1. a.

    Recebeu sua missão do Senhor. (Jacó 1:17)

  2. b.

    Fora consagrado, ou seja, designado. (Jacó 1:18)

  3. c.

    Assumiu responsabilidades. (Jacó 1:19)

  4. d.

    Ensinou a palavra de Deus com diligência. (Jacó 1:19)

  5. e.

    Trabalhou com toda a sua força. (Jacó 1:19)

Ressalte que Néfi, ao aproximar-se do fim de sua vida mortal, passou a seus irmãos mais novos, Jacó e José, a responsabilidade de cuidar do bem-estar espiritual dos nefitas. Jacó sentiu o peso de seu chamado e lamentou o crescente orgulho que levou seu povo a tornar-se ganancioso e imoral. Ele exortou-os veementemente a arrependerem-se e a reconciliarem-se com Deus por meio da expiação. Peça aos alunos que pensem em seus chamados na Igreja e como podem magnificá-los.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Em espírito de oração, escolha as passagens das escrituras, perguntas e outros tópicos da lição que melhor venham a atender às necessidades dos alunos. Discuta como as escrituras escolhidas podem aplicar-se à vida prática e incentive os alunos a relatar experiências relacionadas aos princípios contidos nas escrituras.

1. Jacó magnifica o chamado que recebeu do Senhor.

Discuta Jacó 1. Peça aos alunos que leiam alguns versículos em voz alta. Explique-lhes que Jacó era filho de Leí e Saria e nascera no deserto. Ele viu o Salvador em sua juventude e foi ordenado ao sacerdócio. (2 Néfi 2:4; 6:2; 11:3) A ele foi conferida a responsabilidade pelas placas menores e pela sucessão de Néfi no ministério.

• Ao entregar as placas menores a Jacó, Néfi deu-lhe também algumas orientações específicas. O que Néfi instruiu Jacó a registrar nessas placas? (Ver Jacó 1:1–4.) Por que era importante registrar e preservar essas informações? (Ver Jacó 1:5–8.) O que esses versículos nos ensinam sobre as coisas que devemos registrar a respeito de nossa vida?

• Jacó escreveu que seu povo “amava Néfi profundamente” (Jacó 1:10) Por que eles tinham esse grande amor por Néfi? (Ver Jacó 1:10.) O que vocês sentem pelas pessoas que trabalham para servi-los?

• O que Jacó quis dizer quando afirmou que, antes de ensinar seu povo, “[tinha] primeiramente recebido essa missão do Senhor”? (Jacó 1:17–18) De que forma recebemos nossa missão do Senhor? (Sendo chamados e designados.) Como podemos saber o que o Senhor espera de nós em nossos chamados?

• O que Jacó disse que aconteceria se ele e José não ensinassem o povo com diligência? (Ver Jacó 11:19.) Por que é tão importante que magnifiquemos nossos chamados? (Caso não tenha utilizado a atividade motivadora, discuta em alguns minutos o que significa magnificar um chamado.)

• Quais são alguns exemplos que vocês já viram de pessoas magnificando seus chamados? Como podemos magnificar nossos chamados? (Ver D&C 58:26–28.) Como vocês já foram abençoados ao darem o melhor de si em seus chamados?

2. Jacó faz advertências contra o amor às riquezas, o orgulho e a falta de castidade.

Discuta Jacó 2–3. Peça aos alunos que leiam alguns versículos.

• Ao começar a ensinar o povo de Néfi, Jacó disse que se sentia “curvado sob o peso de um desejo e ansiedade muito maiores” do que já sentira antes. (Jacó 2:3) Por que a alma de Jacó estava “entristecida”? (Ver Jacó 2:5–9; ver também Jacó 1:15–16.) Por que vocês acham que Jacó descreveu o pecado nos termos que utilizou em Jacó 2:5?

• Como a busca de riquezas materiais se tornou uma pedra de tropeço para os nefitas nos dias de Jacó? (Ver Jacó 2:12–16.) Como a abundância de riquezas materiais pode levar ao orgulho? Quais são as formas adequadas de se utilizar as riquezas? Que conselho Jacó nos deu para ajudar-nos a evitar o mau uso das riquezas? (Ver Jacó 2:17–21.)

O Presidente Spencer W. Kimball ensinou:

“A posse de riquezas não se constitui necessariamente em pecado. Porém, ele pode surgir na aquisição e uso da fortuna. (…) ‘Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.’ (I Timóteo 6:10–11)

A história do Livro de Mórmon revela eloqüentemente os efeitos corrosivos da paixão pelas riquezas. (…) Se tivessem usado as riquezas que adquiriram para propósitos bons e nobres, poderiam ter desfrutado uma prosperidade contínua. Entretanto, não se mostraram capazes de ser por um longo período ao mesmo tempo ricos e justos”. (O Milagre do Perdão [1999], p. 48)

• Depois de advertir as pessoas do orgulho e do amor às riquezas, Jacó chamou-as ao arrependimento devido a seu comportamento imoral. Que tipo de racionalização os nefitas utilizavam para justificar seu comportamento imoral? (Ver Jacó 2:23–24.) Como muitas pessoas hoje em dia tentam dar desculpas para quebrar a lei da castidade?

• Por que é importante ser moralmente puro? (Ver Jacó 2:27–29; ver também Êxodo 20:14; I Coríntios 6:18–20.) Como a imoralidade sexual pode afetar a família e os amigos do pecador e a sociedade como um todo? (Ver Jacó 2:31–35; 3:10.) Que conselho e consolo Jacó deu a quem já sofreu devido à imoralidade de outras pessoas? (Ver Jacó 3:1–2.)

• O que uma pessoa precisa fazer para receber o perdão depois de quebrar a lei da castidade?

O Presidente Ezra Taft Benson sugeriu cinco passos para que alguém seja perdoado desse pecado. (“The Law of Chastity”, Brigham Young University 1987–1988 Devotional and Fireside Speeches [1988], pp. 53–54) Discuta esses passos com os alunos:

“1. Fujam imediatamente de qualquer situação que os induza ou venha a induzi-los ao pecado.

2. Roguem ao Senhor que lhes conceda forças para resistir.

3. Permitam que seus líderes do sacerdócio os ajudem a resolver a transgressão e a voltar a uma comunhão mais próxima com o Senhor.

4. Bebam da fonte divina [as escrituras e as palavras dos profetas] e preencham sua vida com fontes positivas de poder.

5. Lembrem-se de que por meio do arrependimento adequado, vocês podem tornar-se limpos novamente.”

• De acordo com Jacó, como os lamanitas foram abençoados por serem castos? (Ver Jacó 3:5–7.) Quais são as bênçãos da pureza moral?

3. Jacó testifica da expiação de Jesus Cristo.

Leia e discuta alguns versículos de Jacó 4. Se for utilizar a apresentação de vídeo “Repentance: It’s Never Too Late”, passe-a agora.

• Depois de chamar seu povo ao arrependimento, Jacó terminou seu discurso testificando da esperança do perdão por meio da expiação. Como as escrituras e os profetas nos ajudam a adquirir um testemunho da expiação? (Ver Jacó 4:4–6.) Como podemos adquirir a esperança em Cristo de que Jacó falou? (Ver Jacó 4:10–12.)

• Na sua opinião, o que significa dizer que os judeus “[olhavam] para além do marco”? (Ver Jacó 4:14. Os judeus deleitavam-se em tentar interpretar os difíceis textos das escrituras, mas sem fé nem o auxílio do Espírito Santo, não conseguiam compreendê-los. Eles desprezavam as “palavras claras” das escrituras e buscavam a salvação usando outros artifícios e meios que não Jesus Cristo.)

• De que forma, em nosso dia-a-dia, nós às vezes “[olhamos] para além do marco”? Como podemos ser mais diligentes em lembrar-nos da importância do Salvador em nossa vida?

Para concluir esta seção, peça a um aluno que leia Mosias 3:17 em voz alta.

Conclusão

Explique-lhes que os ensinamentos de Jacó nos ajudam a entender a importância de magnificar nossos chamados e evitar o orgulho e a imoralidade. Ao ressaltar a importância da expiação no fim de seu discurso, Jacó ensinou que precisamos confiar no Salvador.

Conforme a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades ensinadas na aula.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a lição. Você pode utilizar uma ou mais dessas idéias como parte da aula.

1. Jacó condena a prática não-autorizada do casamento plural

• Quem os nefitas deram como exemplo para justificar suas libertinagens? (Ver Jacó 2:23–24.) Por que Davi e Salomão foram exemplos indignos? (Ver D&C 132:38–39. O Senhor deu esposas e concubinas a Davi e Salomão, mas eles pecaram por casarem-se com várias outras mulheres fora do convênio.) Explique-lhes que, antigamente, concubina não era uma amante imoral, mas uma esposa legítima de posição social inferior. (Ver Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, 2ª edição, [1966], p. 154.)

• Que lei Jacó ensinou aos nefitas em relação ao casamento? (Ver Jacó 2:27–28.)

O Profeta Joseph Smith ensinou: “Sempre tenho dito que homem algum terá mais de uma esposa ao mesmo tempo, a menos que o Senhor ordene em contrário”. (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, sel. Joseph Fielding Smith [1976], p. 316)

Diga que o Senhor deu essa diretriz (ver D&C 132), mas posteriormente, quando a situação mudou, retirou Sua aprovação ao casamento plural . (Ver a Declaração Oficial — 1.) Ressalte que a lei atual do Senhor com respeito ao casamento é a mesma do tempo de Jacó.

2. Reconhecer e não praticar maus-tratos

Jacó repreendeu os homens nefitas pelo tratamento que dispensavam à sua esposa e aos filhos. (Ver Jacó 2:9, 31–32, 35.) Os líderes da Igreja da atualidade também têm feito advertências veementes contra os maus-tratos de qualquer natureza. A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze têm advertido que “as pessoas que violam os convênios da castidade, que maltratam o cônjuge ou os filhos, ou que deixam de cumprir suas responsabilidades familiares, deverão um dia responder perante Deus pelo cumprimento dessas obrigações”. (“A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, outubro de 1998, p. 24)

Podemos definir maus-tratos como tratar uma pessoa de forma aviltante ou ofensiva ou falar-lhe de modo a magoá-la seriamente. Se for adequado, discuta com os alunos as seguintes definições e instruções específicas:

Os maus-tratos às crianças ocorrem quando alguém em posição de confiança ou autoridade ameaça uma criança ou a agride emocional ou fisicamente. Inclui os maus-tratos físicos, a negligência, os maus-tratos emocionais e o abuso sexual.

Os maus-tratos ao cônjuge também podem ser físicos, emocionais ou sexuais. O abuso emocional pode consistir em insultos, palavras degradantes, domínio ou controle injusto, ameaças, isolamento, intimidação ou manipulação. Os maus-tratos físicos podem incluir a privação de necessidades e o uso de violência física como empurrões, enforcamento, arranhões, beliscões, cárcere privado e espancamento. O abuso sexual pode ser tanto emocional como físico e inclui assediar sexualmente, causar dor e usar de força e ameaças.

Os líderes do sacerdócio, os familiares e outras pessoas não devem medir esforços para evitar os maus-tratos e ajudar no processo de cura de suas vítimas. Os líderes e os familiares devem também tentar ajudar o opressor a arrepender-se; pode ser necessário um conselho disciplinar para que isso ocorra.

Se os alunos precisarem de mais informações sobre maus-tratos, podem pedir ao bispo exemplares de dois livretos produzidos pela Igreja, Como Prevenir e Agir em Casos de Abuso ou Maus-tratos de Crianças (35665 059) e Como Prevenir e Agir em Casos de Abuso ou Maus-tratos do Cônjuge (35869 059).

• O que podemos fazer para ajudar a reconhecer e não praticar maus-tratos? Como podemos ajudar as vítimas de maus-tratos?

3. Jacó adverte contra o preconceito racial

• Por que muitos nefitas desprezavam os lamanitas? (Ver Jacó 3:5, 9.) O que Jacó disse a respeito desse preconceito? (Ver Jacó 3:8–9.) Como o preconceito pode impedir que a Igreja cumpra sua missão divina?

O Presidente Howard W. Hunter declarou:

“O evangelho restaurado é uma mensagem de amor divino para todas as pessoas em todos os lugares e tem por base a convicção de que todos os seres humanos são filhos do mesmo Deus. (…)

(…) A validade e o poder de nossa fé não são limitados pela história, nacionalidade ou cultura. Não é propriedade privativa de nenhum povo e nenhuma época”. (Ensign, novembro de 1991, p. 19)