“Eternamente Devedores a Vosso Pai Celestial”

O Livro de Mórmon: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 1999


Objetivo

Aumentar a compreensão dos alunos de que são devedores a Deus e incentivá-los a “[despojar-se] do homem natural (…) pela expiação de Cristo, o Senhor”. (Mosias 3:19)

Preparação

  1. 1.

    Leia e pondere as escrituras a seguir e ore a respeito delas:

    1. a.

      Mosias 1. O rei Benjamim ensina a seus filhos sobre a importância das verdades contidas nas placas de latão. Escolhe seu filho Mosias para sucedê-lo como rei e orienta-o para reunir o povo.

    2. b.

      Mosias 2. O rei Benjamim ensina a seu povo que quando estiverem a serviço do próximo, estarão a serviço de Deus. Lembra-os de que eles são “eternamente devedores a [seu] Pai Celestial, e que [devem] entregar-lhe tudo o que [têm] e [são]”.

    3. c.

      Mosias 3. O rei Benjamim repete as profecias de um anjo sobre Jesus Cristo e Sua expiação.

  2. 2.

    Se os materiais a seguir estiverem à disposição, prepare-se para utilizá-los durante a aula:

    1. a.

      A gravura Rei Benjamim (62298 059; Pacote de Gravuras do Evangelho 307).

    2. b.

      “Tornar-se Filhos de Cristo”, um segmento de onze minutos da fita Apresentações de Vídeo do Livro de Mórmon. (53911 059).

Sugestões para a Apresentação da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, use a atividade a seguir ou outra de sua própria escolha para dar início à aula.

Peça aos alunos que olhem para a gravura da capa do manual de lições. Chame atenção para o fato de que a capa do guia de estudo do aluno tem a mesma gravura. Em seguida, dê as seguintes informações:

  1. a.

    Há 238 capítulos no Livro de Mórmon.

  2. b.

    Somente 50 (cerca de 21%) desses capítulos contêm relatos de eventos que ocorreram após o nascimento de Jesus.

  3. c.

    Apenas 18 (cerca de 8%) desses capítulos contêm relatos da visita de Jesus ao povo nefita.

Peça aos alunos que pensem por alguns momentos antes de responder à seguinte pergunta:

• Por que vocês acham que essa gravura foi escolhida como símbolo de nosso estudo do Livro de Mórmon?

Peça a um aluno que leia Mosias 3:13 em voz alta. Ressalte que Jesus Cristo é a figura central do Livro de Mórmon. Sua expiação aplica-se às pessoas que viveram antes de Seu ministério mortal, assim como a nós, hoje em dia. Explique-lhes que o foco da lição de hoje e da próxima semana são as palavras do rei Benjamim, um profeta e líder político que ajudou seu povo a exercer fé em Jesus Cristo centenas de anos antes de Seu ministério mortal e Sua expiação.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Em espírito de oração, escolha as passagens das escrituras, perguntas e outros tópicos da lição que melhor venham a atender às necessidades dos alunos. Ao preparar a aula, certifique-se de deixar tempo suficiente para o estudo de Mosias 3, que contém ensinamentos inspirados sobre a expiação de Jesus Cristo.

1. O rei Benjamim ensina seus filhos e pede a Mosias que reúna o povo.

Discuta Mosias 1. Peça aos alunos que leiam alguns versículos em voz alta.

• No livro de Mosias, o primeiro relato sobre Benjamim não fala de seu reinado, mas sobre seus ensinamentos como pai. (Mosias 1:2–8) O que isso nos ensina sobre o rei Benjamim? O que os pais podem aprender com esse exemplo?

• O que o rei Benjamim ensinou a seus filhos? (Ver Mosias 1:2–7.) Observe que a palavra mistérios dos versículos 3 e 5 se refere a verdades espirituais que são conhecidas apenas por revelação.) Qual era a diferença entre os nefitas, que estudavam as escrituras, e os lamanitas, que não o faziam? (Ver Mosias 1:5.) Como vocês vêem essa diferença refletida na sociedade moderna? Como os pais podem ajudar os filhos a desenvolver amor pelas escrituras?

• O rei Benjamim “encarregou [Mosias] dos registros que estavam gravados nas placas de latão”. (Mosias 1:16) O Senhor ordenou aos profetas, videntes e reveladores de hoje que cuidem para que as escrituras sejam “preservadas em segurança”. (D&C 42:56) Por que é importante que as escrituras sejam “preservadas em segurança”? (Ver Mosias 1:3–5.)

• Por que o rei Benjamim pediu a seu filho Mosias que reunisse o povo? (Ver Mosias 1:10–12. Observe que o nome a que o rei Benjamim se referiu era o nome de Cristo. Quase no fim de seu discurso, o rei Benjamim ensinou seu povo a tomar sobre si o nome de Cristo. Esse ensinamento será estudado na lição 16.)

2. O rei Benjamim ensina ao povo que eles são eternamente devedores a Deus.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 2.

• Como o povo se organizou quando chegou ao templo para ouvir o rei Benjamim? (Ver Mosias 2:5–6; ver também a primeira sugestão didática adicional.) O que o rei Benjamim fez quando percebeu que nem todas as pessoas conseguiriam ouvir suas palavras? (Ver Mosias 2:7–8. Se for utilizar a gravura do rei Benjamim, mostre-a agora.) Como esse agrupamento se assemelha às conferências gerais de hoje?

• O rei Benjamim disse ao povo que não pedira que se reunissem para ouvir levianamente suas palavras. (Mosias 2:9; observe que ouvir algo levianamente é dar-lhe pouca importância.) O que ele aconselhou o povo a fazer ao ouvir seus ensinamentos? (Ver Mosias 2:9.) O que significa abrir os ouvidos, o coração e a mente para os ensinamentos dos profetas vivos?

• O que chama sua atenção no modo de reinar de Benjamim? (Ver Mosias 2:10–16.) Que efeito a liderança do rei Benjamim teve sobre seu povo? (Ver Mosias 1:1; 6:7.)

• O que o rei Benjamim ensinou sobre o serviço? (Ver Mosias 2:17–19.) Como nosso serviço ao próximo demonstra nossa gratidão a Deus? Que tipo de serviço inspira as pessoas a “agradecer a [seu] Rei celestial”? (Alguns exemplos estão em Mosias 18:8–10; D&C 18:10–16.)

• Peça a um aluno que leia Mosias 2:20–21 em voz alta. O que significa ser um servo inútil? Por que para Deus somos servos inúteis mesmo quando O louvamos e servimos com toda a alma? (Ver Mosias 2:22–25; ver também a citação abaixo e a segunda sugestão didática.) O que isso nos ensina sobre o amor que o Pai Celestial tem por nós?

O Presidente Joseph Fielding Smith disse: “Acham que seria possível para qualquer um de nós, por mais que nos esforçássemos, (…) retribuir ao Pai Celestial e a Jesus Cristo as bênçãos que Deles recebemos? O grande amor e as bênçãos Dele decorrentes, oferecidas a nós por meio da crucificação, sofrimento e ressurreição de Jesus Cristo, estão além de nossa compreensão mortal. Nunca poderíamos retribuir”. (Conference Report, abril de 1966, p. 102 ou Improvement Era, junho de 1966, p. 538)

• Como servos inúteis, somos “eternamente devedores a [nosso] Pai Celestial, e (…) [devemos] entregar-lhe tudo o que [temos] e [somos]”. (Mosias 2:34) Como podemos fazer isso? (Ver Mosias 2:17, 22; 4:10.) O que o Pai Celestial nos concede quando Lhe entregamos “tudo o que [temos] e [somos]”? (Ver Mosias 2:22, 41; ver também D&C 84:38.)

• Quais serão as conseqüências se nos recusarmos a obedecer aos mandamentos depois de os termos conhecido? (Ver Mosias 2:36–39.) Segundo o rei Benjamim, qual é a causa do tormento que muitas vezes é comparado a um lago de fogo? (Ver Mosias 2:38; ver também Mosias 3:23–27.)

3. O rei Benjamim repete as profecias de um anjo sobre Jesus Cristo e Sua expiação.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 3. Explique-lhes que antes de dirigir-se ao povo, o rei Benjamim fora visitado por um anjo que veio “anunciar (…) boas novas de grande alegria”. (Mosias 3:1–4) Mosias 3 contém a mensagem do anjo.

• Peça a um aluno que leia Mosias 3:5–10 em voz alta. Por que Jesus sofreu tentações, dores, fome, sede e cansaço? (Ver Alma 7:11–12.) Por que Ele sofreu angústia pelas iniqüidades do povo? (Ver a citação abaixo para encontrar as respostas dessa pergunta e das três perguntas a seguir.) Por que é importante saber que Ele era Filho de Deus e Maria? Por que Ele deu a vida? De que forma esta mensagem é de “grande alegria”? (Mosias 3:3)

O Élder Robert D. Hales afirmou: “O que devemos lembrar a respeito do Salvador é que Ele e somente Ele tinha o poder de dar a Sua vida e tomá-la novamente. Ele herdara de Sua mãe mortal, Maria, a capacidade de morrer, e a capacidade de vencer a morte, de Seu Pai imortal. Nosso Salvador, Jesus Cristo, foi voluntária e deliberadamente ao encontro da morte, tendo dito a Seus discípulos que isso iria acontecer. “Por quê?”, podemos perguntar. A resposta é: Para conceder a imortalidade a toda a humanidade e a promessa da vida eterna àqueles que cressem Nele (ver João 3:15), para dar Sua própria vida em resgate de outros (ver Mateus 20:28), vencer o poder de Satanás e possibilitar o perdão dos pecados. Sem a expiação de Jesus, haveria uma barreira intransponível entre Deus e os homens e mulheres mortais. Quando compreendemos a expiação, lembramo-nos Dele com assombro e gratidão”. (A Liahona, janeiro de 1998, p. 30)

• De acordo com o anjo, quem receberá a salvação por meio da expiação de Jesus Cristo? (Ver a lista abaixo.) Como isso demonstra o poder da expiação de garantir que “recaia um julgamento justo sobre os filhos dos homens”? (Mosias 3:10)

  1. a.

    As pessoas “que morreram sem conhecer a vontade de Deus acerca de si mesmos ou que pecaram por ignorância” (Mosias 3:11; observe que em Doutrina e Convênios 137:7–9 aprendemos que as pessoas que morreram sem o conhecimento do evangelho, mas que o teriam aceito de todo o coração, herdarão o reino celestial.)

  2. b.

    As pessoas com o conhecimento do evangelho que se arrependerem e exercerem fé em Jesus Cristo. (Mosias 3:12–13)

  3. c.

    As crianças que morrerem ainda na infância. (Mosias 3:16, 18, 21; ver também D&C 137:10.)

• Por que as criancinhas são “[inocentes] diante de Deus”? (Ver Mosias 3:16, 21; Morôni 8:12; D&C 29:46. Embora “pela natureza, elas [caiam]”, são “[inocentes] diante de Deus” porque “estão vivas em Cristo” por meio da expiação.)

• O anjo disse que o “homem natural é inimigo de Deus”. (Mosias 3:19) O que significa “homem natural”? (Ver Alma 42:6–10 e a citação abaixo.)

O Élder Bruce R. McConkie disse: “Após a queda de Adão, o homem tornou-se carnal, sensual e diabólico por natureza; tornou-se decaído. (…) Todas as pessoas da Terra responsáveis por seus atos herdam esse estado decaído, esse estado probatório, esse estado em que as coisas do mundo são desejáveis para a natureza carnal. Nesse estado, ‘o homem natural é inimigo de Deus’ até se submeter ao grande plano de redenção e nascer de novo em retidão. (Mosias 3:19) Assim, toda a humanidade permaneceria perdida e decaída para sempre se não fosse pela expiação de nosso Senhor. (Alma 42:4–14)” (Mormon Doctrine, 2ª edição [1966], pp. 267–268)

• Como podemos “[despojar-nos] do homem natural”? (Ver Mosias 3:19. Discuta as respostas que estão abaixo.)

  1. a.

    Cedendo ao “influxo do Espírito Santo”. Como isso nos ajuda a “[despojar-nos] do homem natural”? (Ver 2 Néfi 32:5; Mosias 5:2; 3 Néfi 28:11.)

  2. b.

    Tornando-nos “[santos] pela expiação de Cristo”. O que significa tornarse um verdadeiro santo? (Ressalte que a palavra santo implica santificação ou santidade. No Livro de Mórmon, a palavra é usada para referir-se aos membros fiéis da Igreja do Senhor. Veja, por exemplo, o uso da palavra santos em 1 Néfi 14:12 e 2 Néfi 9:18.) Como a expiação nos ajuda a tornarmo-nos verdadeiros santos?

  3. c.

    Tornando-nos “como uma criança”. Como podemos tornar-nos “vivos em Cristo”, assim como as criancinhas? (Ver Mosias 3:17–19, 21; ver também 2 Néfi 25:23–26; Morôni 8:10.)

Se for utilizar a apresentação de vídeo “Tornar-se Filhos de Cristo”, mostre-a agora.

• Onde o anjo disse que o conhecimento do Salvador se espalharia? (Ver Mosias 3:20.) Como essa profecia está-se cumprindo?

Conclusão

Se já não o tiver feito durante a aula, peça a um aluno que leia Mosias 3:19 em voz alta.

Conforme a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades ensinadas na aula.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a lição. Você pode utilizar uma ou mais dessas idéias como parte da aula.

1. “Armaram suas tendas ao redor do templo” (Mosias 2:6)

Quando as pessoas começaram a ouvir o rei Benjamim, “armaram suas tendas ao redor do templo, cada homem com a porta de sua tenda voltada para o templo”. (Mosias 2:6) Contraste essas pessoas com Ló, que “armou as suas tendas até Sodoma”. (Gênesis 13:12) Diga que, inicialmente, Ló morava só perto da cidade iníqua de Sodoma, mas depois passou a viver na própria cidade de Sodoma. (Gênesis 14:12)

• Quais são algumas coisas que fazemos que são equivalentes a armar nossas tendas perto de Sodoma? Que coisas fazemos que são equivalentes a armar nossas tendas na direção do templo? Como podemos apontar nosso lar para a direção do templo em vez de lugares mundanos?

2. “Eternamente devedores” (Mosias 2:34)

Desenhe uma balança no quadro-negro, como a que está abaixo:

scales

• Por que essa balança está desequilibrada?

Peça aos alunos que leiam Mosias 2:20–25 em voz alta. À medida que lerem, peça-lhes que procurem as ofertas que podemos fazer ao Senhor e as bênçãos que Ele nos concede. Do lado da balança chamado Nossas Ofertas, faça uma lista das nossas ofertas. Do lado em que há a inscrição Bênçãos de Deus, relacione as bênçãos de Deus. Ajude os alunos a perceber que sempre estaremos em dívida para com Deus.