“Ninguém Poderia Salvá-los, Exceto o Senhor”

O Livro de Mórmon: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 1999


Objetivo

Incentivar os alunos a renovar sua determinação de honrar seus convênios batismais e confiar no Senhor.

Preparação

  1. 1.

    Leia e pondere as escrituras a seguir e ore a respeito delas:

    1. a.

      Mosias 18. Alma ensina o convênio batismal, batiza um grupo de pessoas e estabelece a Igreja entre o povo.

    2. b.

      Mosias 19. O rei Noé trai seu povo e sofre a morte pelo fogo. Lími, filho de Noé, torna-se o rei.

    3. c.

      Mosias 20–22. O povo de Lími é escravizado pelos lamanitas. Depois de tentarem livrar-se do cativeiro, arrependem-se e voltam-se para o Senhor. Por fim, o Senhor livra-os da escravidão.

    4. d.

      Mosias 23–24. O povo de Alma é levado cativo pelos lamanitas. Amulon, que fora um dos sacerdotes de Noé, é seu rei. Eles voltam-se para o Senhor e Ele torna seus fardos leves e liberta-os da escravidão.

  2. 2.

    Leitura suplementar: Guia para Estudo das Escrituras, “Batismo”, pp. 26–28.

  3. 3.

    Se for utilizar a atividade motivadora, traga para a sala de aula a gravura Alma Batiza nas Águas de Mórmon. (62332 059; Pacote de Gravuras do Evangelho 309) Você pode usar também essa gravura no decorrer da aula.

Sugestões para a Apresentação da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, utilize a atividade a seguir ou uma de sua própria escolha para dar início à aula.

Pergunte aos alunos:

• Quais são alguns dos lugares mais belos que vocês já viram? O que torna esses lugares tão bonitos para vocês?

Mostre a gravura de Alma batizando nas águas de Mórmon.

• O que tornou esse local belo para o povo de Alma? (Peça a um aluno que leia Mosias 18:30 em voz alta. Peça a um ou dois alunos que expressem seus sentimentos sobre um lugar de significado espiritual para eles.)

Diga que nesta lição vocês vão estudar um convênio que o povo de Alma fez nas “paragens de Mórmon”.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Em espírito de oração, escolha as passagens das escrituras, as perguntas e outros tópicos da lição que melhor venham a atender às necessidades dos alunos. Discuta como as escrituras selecionadas podem aplicar-se à vida prática. Incentive os alunos a relatar experiências relacionadas com os princípios contidos nas escrituras.

1. Alma ensina o convênio batismal e batiza muitas pessoas.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 18. Lembre aos alunos que Alma, um dos sacerdotes do rei Noé, acreditou nos ensinamentos de Abinádi. Ele fugiu dos servos de Noé e escondeu-se no deserto, onde escreveu “todas as palavras que Abinádi dissera”. (Mosias 17:2–4) Em seguida, ele “arrependeuse de seus pecados (…) e começou a ensinar as palavras de Abinádi”. (Mosias 18:1–3) As pessoas que creram em Alma foram ouvi-lo em um lugar chamado Mórmon. (Mosias 18:4–6)

• O que Alma ensinou nas “paragens de Mórmon”? (Ver Mosias 18:7.) O que o povo desejou depois que Alma os ensinou? (Ver Mosias 18:8) Qual é o significado de “entrar no rebanho de Deus e ser chamados seu povo”? (Ver Mosias 18:16–17; ver também Hebreus 8:10; Alma 5:60.)

• O que as pessoas estavam dispostas a fazer como membros do “rebanho de Deus”? (Peça aos alunos que leiam Mosias 18:8–9 para encontrar as respostas para essa pergunta. Resuma as respostas no quadro-negro. Em seguida, discuta-as conforme a orientação que está abaixo.)

  1. a.

    “Carregar os fardos uns dos outros” (Mosias 18:8) Como podemos “carregar os fardos uns dos outros”? Como carregar os fardos uns dos outros pode tornar esses fardos leves? Como vocês já foram abençoados porque outras pessoas ajudaram vocês a carregar seus fardos?

  2. b.

    “Chorar com os que choram”. (Mosias 18:9) Por que é importante “chorar com os que choram”?

  3. c.

    “Consolar os que necessitam de consolo”. (Mosias 18:9) Qual é a forma adequada de oferecermos consolo às pessoas?

  4. d.

    “Servir de testemunhas de Deus”. (Mosias 18:9) O que significa “servir de testemunhas de Deus em todos os momentos e em todas as coisas e em todos os lugares”? (Mosias 18:9)

• Depois que pregou ao povo, o que Alma os convidou a fazer? (Ver Mosias 18:10. Ele convidou-os a batizarem-se e a fazerem um convênio com o Senhor.) O que é um convênio?

O Presidente Joseph Fielding Smith ensinou: “Convênio é um contrato e um acordo entre pelo menos duas partes. No caso dos convênios do evangelho, as partes são o Senhor no céu e os homens na Terra. Os homens comprometem-se a guardar os mandamentos e o Senhor promete recompensá-los na mesma medida”. (Conference Report, outubro de 1970, p. 91; ou Improvement Era, dezembro de 1970, p. 26)

• Com relação a Mosias 18:8–13, o Presidente Marion G. Romney disse: “Não conheço nenhuma outra explicação melhor para o convênio batismal” (Conference Report, outubro de 1975, p. 109; ou Ensign, novembro de 1975, p. 73) Segundo Mosias 18:8–13, o que prometemos fazer por convênio ao nos batizarmos? (Ver também Morôni 6:2–3; D&C 20:37.) O que o Senhor promete fazer quando nos batizamos e guardamos nosso convênio batismal? (Ver Mosias 18:10, 12–13; ver também 2 Néfi 31:17.)

• Como as pessoas responderam ao convite que Alma lhes fez para serem batizados? (Ver Mosias 18:11. Se você for utilizar a gravura de Alma batizando, mostre-a agora.) O que podemos fazer para ajudar as pessoas a receber essa grande alegria? (Incentive os alunos a pensar em pessoas com quem poderiam falar sobre o evangelho.)

• Depois que as pessoas foram batizadas, Alma ordenou que “[tivessem] os corações entrelaçados em unidade e amor uns para com os outros”. (Mosias 18:21) O que podemos fazer em casa e em nossa ala ou ramo para seguir essa orientação? (Ver Mosias 18:19–21.)

2. O rei Noé trai seu povo e sofre a morte pelo fogo.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 19. Explique-lhes que algumas pessoas do povo do rei Noé começaram a insurgir-se contra ele. (Mosias 19:2–3) Uma dessas, Gideão, estava prestes a matar Noé quando viu um exército de lamanitas avançando rumo a sua terra. (Mosias 19:4–6)

• O que fez o rei Noé quando percebeu a chegada dos lamanitas? (Ver Mosias 19:7.) Qual foi a maior preocupação de Noé? (Ver Mosias 19:8.) Como isso se assemelha às pessoas de hoje que, assim como Noé, tentam afastar-nos do Senhor e Seus profetas?

• O que Abinádi tinha profetizado sobre a morte do rei Noé? (Ver Mosias 12:3.) Como essa profecia se cumpriu? (Ver Mosias 19:18–20. Ressalte que as pessoas que imputaram à vida de Noé o valor de “uma vestimenta numa fornalha de fogo” anteriormente estavam cegas à iniqüidade dele, conforme vemos em Mosias 11:29.)

3. O povo de Lími é castigado e por fim é libertado pelo Senhor.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 20–22. (Observe que esses capítulos contêm a história de quando Amon e seus irmãos encontraram o povo de Lími, conforme o estudado na lição 17.) Explique-lhes que depois da morte de Noé, seu filho Lími tornou-se o rei. Lími fez um juramento de que seu povo pagaria a metade de todos os seus bens ao rei dos lamanitas em troca da promessa de que os lamanitas não os matariam. (Mosias 19:25–26)

• Depois de dois anos de paz, os lamanitas atacaram o povo de Lími. (Mosias 20:7–10) Por que os lamanitas procuraram destruir o povo de Lími? (Ver Mosias 20:1–6.)

• Quando perceberam que haviam julgado mal o povo de Lími, os lamanitas voltaram para sua terra em paz. (Mosias 20:17–26) Contudo, “passados muitos dias, os lamanitas começaram a irar-se novamente contra os nefitas”. (Mosias 21:2) O que os lamanitas fizeram com os nefitas em vez de quebrar a promessa de seu rei de que não os matariam? (Ver Mosias 21:3.)

• Como o cativeiro do povo de Lími cumpriu as profecias feitas por Abinádi? (Peça aos alunos que comparem Mosias 21:3–5, 14–15 com Mosias 11:20–25 e 12:2, 4–5.) Por que o povo de Lími foi escravizado? (Ver Mosias 7:25–32; 20:21. Eles haviam rejeitado os ensinamentos de Abinádi e suas advertências sobre as conseqüências de seus pecados.) Por que é importante lembrar que o pecado tem conseqüências?

• Depois de três tentativas frustradas de derrotar os lamanitas em combate, o que o povo de Lími acabou fazendo? (Ver Mosias 21:13–14.) Por que o Senhor demorou a ouvir suas lamentações? (Ver Mosias 21:15; ver também D&C 101:1–9.) Embora o Senhor não os tenha libertado imediatamente, o que Ele fez por eles? (Ver Mosias 21:15–16.) Como o Senhor às vezes permite que prosperemos “aos poucos”?

• Como o povo de Lími escapou dos lamanitas? (Ver Mosias 22:3–12.) Como eles foram recebidos pelo povo de Zaraenla? (Ver Mosias 22:13–14.)

4. O Senhor liberta o povo de Alma do cativeiro.

Leia e discuta alguns versículos de Mosias 23–24. Ajude os alunos a ver a diferença entre a maneira pela qual o Senhor abençoou o povo de Lími, que tentou três vezes libertar a si mesmo antes de recorrer a Ele, e a maneira pela qual Ele abençoou o povo de Alma, que se havia voltado para Ele completamente.

• Quando Alma e seu povo estavam nas paragens de Mórmon, o rei Noé “enviou seu exército para destruí-los”. (Mosias 18:33) O Senhor advertiu o povo de Alma e os fortaleceu para que pudessem escapar. (Mosias 18:34–35; 23:1–5) Em que aspecto isso diferiu da experiência do povo de Lími? (Ver Mosias 19:6. Observe que quando os lamanitas atacaram esse povo pela primeira vez, quando Noé ainda era seu rei, o povo não recebeu nenhuma advertência.)

• Qual foi a reação de Alma quando o povo lhe pediu que fosse o rei? (Ver Mosias 23:6–7.) Como Alma se dera conta do perigo de “[um] homem se [considerar] melhor que outro”? (Ver Mosias 23:8–14.) O que podemos aprender com Alma e seu povo que pode ajudar-nos a evitar esse erro? (Ver Mosias 23:15.)

• Com Alma como líder, o povo viveu em retidão e prosperou. (Mosias 23:15–20) Contudo, o Senhor permitiu que eles fossem escravizados por Amulon, que havia sido um dos sacerdotes do rei Noé. (Mosias 23:23–39) Como o cativeiro do povo de Alma cumpriu as profecias feitas por Abinádi? (Ver Mosias 12:2, 4–5.) De que forma nossas más escolhas trazem conseqüências cujos efeitos se sentem mesmo depois de sermos perdoados de nossos pecados?

O Élder Marvin J. Ashton disse: “A liberdade que temos de escolher nosso modo de proceder não nos libera das conseqüências de nossos atos. O amor de Deus por nós é constante e não vai diminuir, mas Ele não pode pouparnos dos resultados dolorosos resultantes de escolhas erradas”. (Conference Report, outubro de 1990, p. 24; Ensign, novembro de 1990, p. 20)

Ressalte que embora o Senhor não pudesse impedir que o povo de Alma sofresse as conseqüências de seus pecados passados, Ele os consolou e fortaleceu em suas aflições. O restante desta lição discute como Ele os libertou do cativeiro.

• Referindo-se ao cativeiro do povo de Alma, Mórmon disse: “O Senhor julgou conveniente castigar seu povo”. (Mosias 23:21) Por que o Senhor castiga Seu povo? (Ver Mosias 23:21; D&C 95:1–2.) Qual deve ser nossa reação quando o Senhor nos castiga? (Ver Mosias 23:22.)

• O que o povo de Alma fez quando Amulon ameaçou matá-los caso orassem? (Ver Mosias 24:10–12.) Como o Senhor respondeu a suas orações silenciosas? (Ver Mosias 24:13–16.) Como isso os ajudou a servirem de testemunhas do Senhor, como haviam prometido por convênio nas águas de Mórmon? (Ver Mosias 24:14.)

• Por que nossos fardos se tornam mais leves quando nos submetemos “de bom grado e com paciência a toda a vontade do Senhor”? (Mosias 24:15) De que forma o Senhor já fortaleceu vocês e ajudou-os a “carregar seus fardos com facilidade”? Como isso os ajudou a servir de testemunhas de Deus?

• Por que o Senhor abençoou o povo de Alma no cativeiro de forma mais rápida e abundante do que no caso do povo de Lími? (Compare Mosias 21:5–15 com Mosias 23:26–27; 24:10–16.) Como isso se aplica a nossa vida?

• Antes que o Senhor os libertasse, tanto o povo de Alma como o de Lími estavam sob o jugo de governantes iníquos. Alma observou que nos dias do rei Noé, o povo também havia sido amarrado “com os laços da iniqüidade”. (Mosias 23:12) De que forma a iniqüidade, ou o pecado, é um tipo de cativeiro? O que podemos aprender com o povo de Lími e de Alma sobre a libertação do jugo do pecado? (Ver Mosias 7:33; 21:14; 23:23; 29:18–20; ver também D&C 84:49–51. Somente o Senhor pode libertar-nos do cativeiro do pecado. Precisamos buscá-Lo por meio do arrependimento, da fé, da humildade, da obediência e da perseverança.)

Conclusão

Recapitule brevemente as promessas feitas pelo Senhor no convênio batismal. (Mosias 18:10, 13) Ressalte que se nos lembrarmos das bênçãos que o Senhor nos prometeu, não nos será difícil guardar o convênio de “servi-lo e guardar seus mandamentos”. (Mosias 18:10) Saliente que quando recebemos a ordenança do batismo e continuamos firmes no arrependimento, fé em Jesus Cristo, humildade e obediência, somos libertados do jugo do pecado e entramos no caminho que conduz à vida eterna. (2 Néfi 31:7–20)

Conforme a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades ensinadas na aula.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a lição. Você pode utilizar uma ou mais dessas idéias como parte da aula.

1. “Ambos, Alma e Helã, foram sepultados na água” (Mosias 18:14)

Utilize a declaração abaixo para explicar como Alma recebera autoridade para batizar e para mostrar que Alma não batizou a si mesmo quando batizou Helã:

O Presidente Joseph Fielding Smith ensinou: “Alma fora batizado e portava o sacerdócio antes da chegada de Abinádi, mas se envolvera com outros sacerdotes sob o reinado do iníquo rei Noé e, ao batizar Helã, sentiu necessidade de purificar-se e por isso sepultou-se na água como sinal de pleno arrependimento”. (Doutrinas de Salvação, comp. Bruce R. McConkie, 2º volume [1954–1956], p. 332)

2. Servir ao Senhor com humildade

• Antes de começar a batizar o povo, Alma orou: “Ó Senhor, derrama o teu Espírito sobre o teu servo, para que possa fazer este trabalho com santidade de coração!”. (Mosias 18:12) Como podemos ser abençoados ao realizarmos nosso serviço para o Senhor com esse espírito?

3. “[Observar] o dia do sábado, [e] o [santificar]” (Mosias 18:23)

• Por que é importante que observemos o Dia do Senhor? (Ver Mosias 18:23, 25.) Como vocês já se sentiram abençoados ao santificarem o Dia do Senhor? Quais são algumas coisas que vocês fazem para santificar esse dia?

4. Ajudar as pessoas em necessidade

• Que princípios Alma ensinou sobre partilhar os bens com os necessitados? (Ver Mosias 18:27–29.) Por que é importante que façamos doações tanto materiais como espirituais? Que bênçãos recebemos ao partilhar com generosidade e receber com humildade?