“(…) Oferecerás Teus Sacramentos no Meu Dia Santificado”

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a sentirem maior desejo de santificar o Dia do Senhor.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e outros materiais:

    1. a.

      Doutrina e Convênios 59 e as demais escrituras desta lição.

    2. b.

      Guia para Estudo das Escrituras: “Dia de Descanso”, pp. 57–58.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Caso a gravura “Jesus Orando no Getsêmani” [62175; ou Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 227] estiver disponível, prepare-se para utilizá-la durante a aula.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja mais adequado e utilize esta atividade ou outra de sua preferência para iniciar a aula.

• O que vocês sentem quando vão ao templo? (Caso os alunos ainda não tenham ido ao templo, pergunte-lhes o que acham que sentirão. Enquanto falam do assunto, compare o ambiente do templo com o do mundo.

• Leia D&C 109:13 com os alunos. O que faz com que o templo seja diferente dos outros lugares? (O Senhor santificou-o. Ele é a casa do Senhor.)

• Leia Gênesis 2:1–3 com os alunos. Diga que essa passagem fala de como foi instituído o Dia do Senhor. De acordo com ela, o que faz com que o Dia do Senhor seja diferente dos outros dias? (O Senhor santificou-o. Esse dia é do Senhor.)

Diga que esta lição trata do Dia do Senhor. Saliente que há muitos meios de iniciarmos cada Dia do Senhor com a mesma reverência com que entramos no templo. Podemo-nos lembrar de que o Senhor santificou esse dia e que temos o privilégio de adorá-Lo e servi-Lo em Seu dia.

Discussão e Aplicação

Esta lição contém mais materiais do que é possível ensinar em uma aula. Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos.

1. O Senhor Estabeleceu o Dia do Sábado

Diga que Deus estabeleceu um padrão para o Dia do Senhor na época da Criação. Depois de passar seis dias trabalhando, descansou no sétimo dia e santificou-o. (Gênesis 2:2–3) Desde o início dos tempos, Ele ordenou que Seus filhos santificassem o Dia do Senhor. (Guia para Estudo das Escrituras, “Dia de Descanso”, pp. 57–58)

• Leia Êxodo 20:8–11 e 31:13–17 com os alunos. Saliente que as escrituras repetem esse mandamento muitas vezes. (Ver o Guia para Estudo das Escrituras, “Dia de Descanso”, pp. 57–58.) Em sua opinião, por que o mandamento de santificar o Dia do Senhor tem sido considerado tão importante ao longo dos tempos?

Em nossa dispensação, o Senhor voltou a salientar a importância do Dia do Senhor. Por intermédio do Profeta Joseph Smith, o Senhor revelou que, nesse dia, deveríamos demonstrar a nossa devoção a Ele, indo à igreja, tomando o sacramento e descansando de nossos afazeres, (D&C 59:9–13)

2. Demonstrar a nossa devoção a Deus, adorando-O nas reuniões dominicais da Igreja.

• O Senhor disse: “(…) Irás à casa de oração (…) no meu dia santificado”. (D&C 59:9) Em sua opinião, por que é importante que nos reunamos para adorar a Deus no Dia do Senhor? Falem das bênçãos que têm recebido por freqüentarem as reuniões da Igreja aos domingos.

• O Presidente Gordon B. Hinckley disse que “todas as reuniões sacramentais deveriam ser banquetes espirituais” e “momentos de renovação espiritual”. (Teachings of Gordon B. Hinckley, 1997, pp. 563, 564.) Como podemos contribuir para que isso aconteça? O que podemos fazer para que a nossa presença nas reuniões de domingo sejam mais edificantes espiritualmente? (Algumas das respostas possíveis são: por meio de uma atitude de adoração, sendo pontuais, estudando com antecedência a designação de leitura referente a cada lição, sendo participativos, escutando atentamente, empenhando-nos em fortalecer os outros e abstendo-nos de fazer críticas aos oradores e professores.)

O Presidente Spencer W. Kimball, que foi o décimo segundo presidente da Igreja, disse: “Não freqüentamos as reuniões do Dia do Senhor como passatempo e nem com o único propósito de sermos ensinados. Fazemos isso para adorar o Senhor. Essa é uma responsabilidade individual e, independentemente do que estiver sendo dito de púlpito, caso queiramos adorar ao Senhor em espírito e verdade, podemos fazê-lo freqüentando as Suas reuniões, tomando o sacramento e admirando as belezas do evangelho. Quando em nossa opinião a reunião foi um fracasso, fomos nós que falhamos. Ninguém pode adorar por nós”. (“The Sabbath—A Delight”, Ensign, janeiro de 1978, pp. 4–5.)

• O que podemos fazer para nos prepararmos para as reuniões de domingo? Como os pais podem ajudar os filhos a tirarem maior proveito das reuniões de domingo? (Peça aos alunos que contem experiências relacionadas a essas perguntas.)

• De que forma a música pode contribuir para melhorar as nossas reuniões dominicais? (Ver Hinos, pp. ix–x.) Por que é importante que todos cantemos os hinos? (Ver D&C 25:12.) Falem das bênçãos que têm recebido por cantarem os hinos.

O Élder Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze demonstrou estar preocupado porque “um número cada vez maior de nossos líderes e membros não cantam os hinos com a congregação”. Depois ele aconselhou: “Devemos entoar os cânticos de Sião—Eles são parte essencial da nossa adoração”. (A Liahona, janeiro de 1992, p. 25.)

• O que podemos fazer para que as orações feitas em grupo com a congregação nas reuniões de domingo sejam significativas para nós?

• Por que a reverência é importante nas reuniões da Igreja?

O Élder Boyd K. Packer disse que deveríamos ser reverentes na capela para não perturbarmos “os que se esforçam por receber sutis comunicações espirituais”.

Ele também advertiu que a reverência não é equivalente ao “silêncio absoluto. Devemos ser tolerantes com as criancinhas, mesmo com o choro ocasional de uma delas quando é levada para fora”. (A Liahona, janeiro de 1992, p. 24.)

O Presidente Gordon B. Hinckley contou uma situação constrangedora que enfrentou quando era missionário:

“Realizávamos as nossas reuniões no (…) auditório da cidade (que alugáramos). O piso não era atapetado e (…) qualquer movimento nas cadeiras fazia barulho; mas isso não era o pior. O burburinho dos membros do ramo conversando era muito pior.

Um dia convidamos uma família que conhecêramos batendo em portas. Sendo missionários, ficamos à porta bastante ansiosos para recebê-los. No corredor reinava o espírito festivo de costume, com os membros conversando animadamente. Quando as pessoas que esperávamos entraram na sala, seguiram silenciosamente para as cadeiras, ajoelharam-se por uns instantes e fecharam os olhos em oração. Depois, sentaram-se reverentemente em meio à toda a agitação.

Sinceramente, fiquei envergonhado. Eles haviam comparecido ao que julgavam ser uma reunião de adoração e comportaram-se de acordo.

No final da reunião, saíram discretamente e, na próxima vez em que nos vimos, disseram-nos o quanto haviam ficado decepcionados com a experiência. Nunca esqueci disso.” (Teachings of Gordon B. Hinckley, p. 557.)

• O que podemos fazer para aumentar a reverência nas reuniões da Igreja?

3. Demonstrar devoção a Deus tomando o sacramento.

Mostre a gravura de Jesus orando no Getsêmani.

• O Senhor ordenou que tomássemos o sacramento no Dia Santificado. (D&C 59:9, 12) Por que é importante que tomemos o sacramento todas as semanas? (Ver D&C 59:9; 3 Néfi 18:6–7 e a próxima citação.)

O Élder Joseph B. Wirthlin, do Quórum dos Doze, disse: “As janelas têm de ser lavadas com freqüência para limpá-las da poeira e da sujeira. (…) Assim como as janelas terrenas precisam de limpeza completa e freqüente, também o precisam as janelas de nossa espiritualidade. (…) Ao tomarmos dignamente o sacramento para renovar os convênios batismais, clareamos nossa visão a respeito do eterno propósito da vida e das prioridades divinas. As orações sacramentais convidam à introspecção pessoal, ao arrependimento e a uma nova dedicação ao reafirmarmos nossa disposição de lembrar-nos de nosso Salvador Jesus Cristo”. (A Liahona, janeiro de 1996, p. 85.)

• Que bênçãos vocês receberam por tomarem o sacramento?

• Como nos podemos preparar para tomar o sacramento? Como os pais podem ajudar os filhos a se prepararem para essa ordenança? (Sugere-se que você discuta como ajudar os filhos de diferentes faixas etárias.) De que forma cantar o hino sacramental os ajuda a se prepararem? De que forma as orações sacramentais os ajudam a se prepararem? (Ver D&C 20:77, 79)

• Por que temos de estar dignos para tomarmos o sacramento? (Ver I Coríntios 11:28–29; 3 Néfi 18:29; Mórmon 9:29.)

• Como podemos fazer com que Jesus seja o centro de nossos pensamentos e esteja em nosso coração durante o sacramento?

• O que podemos fazer para que a ordenança do sacramento seja mais significativa para nós? (Saliente que essa ordenança não deve passar a ser mera rotina.) Como o sacramento reforça o nosso compromisso para com o Salvador nos outros dias da semana?

• No Dia do Senhor, além de tomarmos o sacramento, devemos oferecer os nossos próprios sacramentos e oblações ao Senhor. (D&C 59:9, 12) Isso quer dizer que devemos fazer ofertas ou sacrifícios que demonstrem nossa devoção a Ele. Que sacrifícios devemos fazer? (Ver D&C 59:8; nota de rodapé a de D&C 59:12; D&C 64:34; 97:8 e a próxima citação.)

O Élder M. Russell Ballard, do Quórum dos Doze, disse:

“Depois de Seu ministério mortal, (…) Jesus disse aos apóstolos nefitas que não mais aceitaria as ofertas queimadas, mas que os discípulos deveriam oferecer ‘um coração quebrantado e um espírito contrito’. (3 Néfi 9:19–20; ver também D&C 59:8, 12.) Em vez de exigir os nossos animais ou cereais, o Senhor agora deseja que abramos mão de tudo o que for impuro. Esse nível mais elevado da lei de sacrifício alcança o âmago da alma das pessoas. (…)

(…) Quando suplantamos os nossos próprios desejos egoístas, damos prioridade a Deus em nossa vida e fazemos o convênio de servi-Lo a qualquer custo, estamos vivendo a lei de sacrifício.” (“The Law of Sacrifice”, Ensign, outubro de 1998, pp. 10–11.)

4. Demonstrar devoção a Deus descansando de nossos labores.

• Em D&C 59:10, o Senhor revelou que deveríamos descansar de nossos labores em Seu dia. (Ver também o versículo 13.) O que é descansar de nossos labores?

• Como parte do descanso de nossos labores, devemos abster-nos de comprar e vender, ir a locais de entretenimento e de dedicarmo-nos a outros interesses do mundo no Dia do Senhor. [Ver Isaías 58:13, salientando as palavras “desviares (…) de fazeres a tua vontade” e “não seguindo os teus caminhos”.] Em sua opinião, que atividades parecem afastar o espírito do Dia do Senhor? Citem algumas preocupações com as coisas do mundo que costumam interferir com o Dia do Senhor. Como nos podemos livrar dessas preocupações?

O Bispo Presidente, H. David Burton, disse: “Sei que, principalmente para os jovens, é difícil resolver guardar o Dia do Senhor, considerando-se que os times em que eles mais querem jogar sempre marcam partidas para os domingos. Sei muito bem que para muitos parece irrelevante parar numa loja de conveniência aos domingos e comprar uma coisinha ou outra de que precisam. Entretanto, também sei que se lembrar de santificar o Dia do Senhor é um dos mandamentos mais importantes que devemos guardar para nos prepararmos para escutar os sussurros do Espírito”. (A Liahona, janeiro de 1999, p. 10.)

• O descanso de nossos labores não implica em que devamos ficar ociosos. O que isso implica é que sigamos o exemplo do Salvador e “[façamos] o bem nos sábados”. (Mateus 12:12; ver também Lucas 13:10–17 e João 5:1–19.) Que atividades vocês consideram boas de serem realizadas do Dia do Senhor? (Anote as respostas no quadro-negro.) Como podemos aproveitar melhor o tempo de que dispomos para adorar a Deus individualmente no Dia do Senhor?

O Presidente Spencer W. Kimball ensinou: “O Dia do Senhor é um dia sagrado para fazermos coisas dignas e sagradas. É importante que nos abstenhamos do trabalho e dos divertimentos, mas isso não basta. O Dia do Senhor exige que tenhamos pensamentos e pratiquemos atos construtivos. As pessoas que ficarem à toa no Dia do Senhor o estarão quebrando. Para guardá-lo temos de ajoelhar-nos para orar, preparar aulas, estudar o evangelho, meditar, visitar quem esteja doente ou passando dificuldades, escrever cartas para os missionários, tirar uma soneca, ler materiais sadios e ir a todas as reuniões em que contam com a nossa presença nesse dia”. (Ensign, janeiro de 1978, p. 4.)

• Como podemos decidir quais são as atividades adequadas para o Dia do Senhor? (Algumas das respostas possíveis são: certificarmo-nos de que nossas atividades louvem a Deus, sejam edificantes espiritualmente, fortaleçam a fé e a família, que representem uma ajuda ou uma bênção para outras pessoas e que sejam diferentes das atividades cotidianas ligadas ao mundo.)

• Citem alguns meios de fortalecermos a família no Dia do Senhor. Como os pais podem ajudar os filhos a gostar do Dia do Senhor e santificá-lo? (Ver as próximas citações. Peça aos alunos que contem experiências que tiveram e que estejam relacionadas a essas questões. Desafie os alunos a escolher uma maneira específica que empregarão para fazer com que o Dia do Senhor seja mais significativo para a família.)

O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “Que os membros da Igreja estejam em casa ensinando a família, lendo as escrituras, fazendo coisas sadias e belas e comungando com o Senhor em Seu dia”. (“Excerpts from Recent Addresses of President Gordon B. Hinckley”, Ensign, julho de 1996, p. 73.)

O Presidente Hinckley deu também o seguinte conselho: “Bem, não quero ser fanático. Não quero que vocês tranquem os filhos em casa e passem a tarde inteira lendo a Bíblia para eles. Sejam sábios. Tenham cuidado; mas certifiquemse de fazer desse dia um dia em que se reúnam com a família e conversem sobre o que é sagrado e bom”. (Teachings of Gordon B. Hinckley, pp. 559–560.)

A Primeira Presidência deu este conselho na ocasião em que anunciou o horário conjunto de reuniões dominicais em 1980:

“Os membros e as famílias terão uma parcela maior da responsabilidade de guardar devidamente o Dia do Senhor. Haverá mais tempo para estudar as escrituras individualmente e para estudar o evangelho em família. (…)

Esperamos que este novo horário de reuniões e atividades resulte no aumento do crescimento espiritual dos membros da Igreja.” (Church News, 2 de fevereiro de 1980, p. 3.)

• O Dia do Senhor deve ser um dia de oração. (D&C 59:14) O que poderíamos fazer para nos dedicarmos mais à oração nesse dia? O que podemos fazer para que as nossas orações sejam mais significativas?

• Quais são algumas das coisas que tornam difícil fazer com que o Dia do Senhor seja tão significativo quanto gostariam? O que estão fazendo para vencer essas dificuldades? De que forma o planejamento cuidadoso poderia ajudar a eliminá-las ou contorná-las?

5. O Senhor abençoa as pessoas que santificam o Seu dia.

• Leia D&C 59:9, 13, 15–17 com os alunos. Que bênçãos Deus promete a quem santificar o Dia do Senhor? (Anote as respostas no quadro-negro.)

• De que forma guardar o Dia do Senhor nos ajuda a ficar “limpos das manchas do mundo”? (D&C 59:9. Algumas das respostas possíveis são que nos ajuda a nos arrependermos, a renovar os convênios do batismo e a concentrar o pensamento em Deus e em assuntos de importância eterna, em vez de concentrarmo-nos nas coisas do mundo.)

• De que forma guardar o Dia do Senhor nos ajuda a receber a plenitude da alegria, que Ele prometeu em D&C 59:13? Falem de como guardar corretamente o Dia do Senhor os tem ajudado a se sentirem revigorados física e espiritualmente. Falem de como a observância desse dia os tem ajudado a ser mais produtivos nos outros dias da semana.

• O Senhor prometeu que quem guardasse o Dia do Senhor receberia “a plenitude da terra” e “as coisas boas (…) da terra”. (D&C 59:16–17; ver também Isaías 58:14.) Falem de como têm visto essa promessa ser cumprida.

• Citem algumas outras bênçãos que vocês e sua família têm recebido por santificarem o Dia do Senhor.

• O Senhor revelou que o Seu dia deveria ser um dia de “regozijo”. (D&C 59:14) Isaías disse que deveríamos “[chamar] ao sábado deleitoso”. (Isaías 58:13) Será que o Dia do Senhor já lhes pareceu mais como um dia de restrições do que de deleite? Como podemos fazer com que o Dia do Senhor seja de alegria e um deleite para nós? (Um modo é concentrar-nos no que deveríamos fazer, em vez de concentrar-nos no que não deveríamos.)

Conclusão

Incentive os alunos a avaliarem o que podem fazer para serem mais perfeitos em guardar o Dia do Senhor. Preste testemunho de que ao santificarem esse dia, o Senhor haverá de abençoá-los com mais força espiritual e alegria.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar uma das seguintes idéias, ou as duas, para complementar o plano de aula sugerido.

1. Sugestões para ajudar as pessoas que têm de trabalhar aos domingos

Diga que os membros da Igreja devem empenhar-se ao máximo para escolher um emprego em que não tenham de trabalhar aos domingos. Contudo, pode haver ocasiões em que o patrão exija que trabalhemos no domingo. Pergunte se algum aluno se lembra de uma ocasião em que isso aconteceu com ele mesmo ou com um membro da família. Falem a respeito de como manter ao máximo o Espírito do Senhor nessa situação. Sugira que os alunos falem ao patrão do desejo que têm de guardar o Dia do Senhor. [Caso esteja ensinando os jovens, ver o folheto Para o Vigor da Juventude, páginas 16–17. (34285 059)]

2. O Senhor abençoa-nos coletivamente quando santificamos o Seu dia

Quando santificamos o Dia do Senhor, Ele abençoa-nos individual e coletivamente. Por exemplo, é possível que Ele nos abençoe como Igreja ou como comunidade. Isso faz com que seja ainda mais importante que santifiquemos o Dia do Senhor.

• Peça a um aluno que leia na íntegra o terceiro parágrafo do verbete “dia de descanso” do Guia para Estudo das Escrituras. O que acontece quando nos descuidamos de guardar o Dia do Senhor? Falem de como a sua comunidade tem recebido as bênçãos advindas de guardar o Dia do Senhor ou de como tem sido privada dessas bênçãos.