O Plano de Salvação

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a compreenderem a magnitude do plano de salvação e incentivá-los a viver de acordo com o que souberem a respeito do plano.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude as escrituras desta lição.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Caso pretenda utilizar a atividade motivadora, consiga uma figura, como por exemplo uma foto tirada de uma revista, corte alguns pedacinhos da figura, de modo que, olhando os pedacinhos, não seja possível aos alunos descobrir o que ela retrata.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja adequado e utilize esta atividade, ou outra de sua preferência no início da aula.

Mostre os pedacinhos da figura que levar para sala de aula, mas não mostre a figura. (Ver “Preparação”, item 3.) Diga aos alunos que esses pedacinhos fazem parte de uma figura maior. Peça-lhes que rapidamente tentem adivinhar o que a figura retrata. Depois, mostre-a, colocando os pedacinhos no lugar.

Observe que, apesar de os pedacinhos serem importantes, têm pouca importância quando não estão inseridos no contexto geral da gravura. Diga que as experiências por que passamos, as decisões que tomamos e as verdades que aprendemos são semelhantes a pedacinhos de uma figura grande. Não têm tanta importância, a menos que estejam no contexto maior: o plano de salvação. Conhecer o plano de salvação pode ajudar-nos a tomar decisões justas, ter alegria na mortalidade e a prepararmo-nos para a vida eterna. Esta lição trata do plano de salvação.

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Incentive-os a contarem experiências relacionadas aos princípios das escrituras.

1. O plano de salvação é “um dos melhores dons do céu à humanidade”.

Escreva no quadro-negro O Plano de ______________________ do Pai.

Peça aos alunos que completem a frase. Incentive-os a lembrarem-se do maior número de respostas das escrituras que puderem. Anote as respostas no quadro- negro. Depois de um ou dois minutos, mencione qualquer das seguintes respostas que eles não tenham citado:

  • Salvação (Alma 24:14; 42:5; Moisés 6:62)

  • Felicidade (Alma 42:8, 16)

  • Redenção (Jacó 6:8; Alma 12:25–33)

  • Restauração (Alma 41:2)

  • Misericórdia (Alma 42:15, 31)

• O que essas palavras ensinam a respeito do Plano do Pai Celestial?

• O profeta Alma referiu-se ao Plano do Pai Celestial como sendo o “grande plano de felicidade”. (Alma 42:8) De que forma o plano de salvação pode darnos felicidade?

• O Profeta Joseph Smith ensinou: “O grande plano de salvação é algo que deveria ocupar-nos totalmente e ser estimado como um dos melhores dons do céu à humanidade”. [Ensinamentos do Profeta Joseph Smith. Joseph Fielding Smith (org.), s/d, p. 66.] O que podemos fazer para “ocupar-nos totalmente” do plano de salvação?

Diga que esta lição é um panorama geral do plano de salvação e mostra como um princípio do evangelho está ligado aos outros, formando um plano grandioso.

2. A Vida Pré-mortal

Diga que podemos dividir o plano de salvação em três partes: a vida pré-mortal, a vida mortal e a vida após a morte.

Escreva Vida Pré-mortal no quadro-negro. Diga que uma bênção importante da Restauração foi o aumento de nosso conhecimento acerca da vida pré-mortal. Esse conhecimento ajuda-nos a compreender o propósito da vida e o nosso papel no plano de salvação de Deus. Enquanto os alunos estiverem discutindo as perguntas abaixo, peça-lhes que leiam as passagens de escritura sugeridas.

• Somos filhos de Deus e vivemos numa existência pré-mortal em que éramos Seus filhos espirituais. (D&C 76:24; 93:29) Como o conhecimento de que vocês são filhos de Deus os influencia?

• Antes da criação do mundo, o Pai Celestial convocou um conselho no céu e apresentou o plano de salvação a todos os Seus filhos espirituais. Citem alguns dos elementos que o Pai Celestial apresentou no mundo pré-mortal. (Ver 2 Néfi 2:24–26; Alma 34:8–9; Abraão 3:24–25. Algumas das respostas corretas são: A Expiação de Jesus Cristo, a Criação da Terra, a Queda, a época em que receberíamos um corpo mortal e seríamos provados na Terra e o arbítrio, ou a capacidade de escolher o bem ou o mal.)

• Qual foi a reação de Jeová, o Primogênito do Pai, ao plano de salvação? (Ver Moisés 4:2. Para demonstrar como o Salvador foi obediente à vontade do Pai, sugere-se que você leia D&C 19:16–19 e 76:40–42. Saliente que a Expiação de Jesus Cristo torna o plano de salvação possível. O Salvador é o elemento central do plano de Deus para a nossa salvação.)

• Lúcifer rebelou-se contra o plano de salvação, tentou destruir o nosso arbítrio e conquistar o poder do Pai Celestial. (Moisés 4:1, 3; D&C 29:36) Ele tornou-se Satanás e, juntamente com os seus seguidores, foi expulso da presença do Pai e perdeu a oportunidade de passar pela mortalidade. (D&C 29:36–38; 76:25–27; Moisés 4:4; Abraão 3:26) Por que é importante que saibamos da existência de Satanás e de seus seguidores?

• Qual foi a nossa reação ao plano de salvação? (Ver Jó 38:4–7. Diga que os profetas dos últimos dias ensinaram que o versículo 7 dessa passagem refere-se à alegria que sentimos ao aceitarmos o plano de salvação, na vida pré-mortal.)

Diga que no mundo pré-mortal, o Pai Celestial escolheu e preordenou espíritos nobres para promover a Sua obra na Terra. (D&C 138:55–56; Abraão 3:22–23; ver também Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 357.)

• De que forma o conhecimento da vida pré-mortal influencia nossas decisões diárias? Em que o conhecimento que temos de nossa vida pré-mortal pode nos ser útil nos momentos de provação?

3. A vida mortal

Saliente que, quando aceitamos o plano do Pai Celestial na vida pré-mortal, guardamos o nosso “primeiro estado”. Por causa de nossa fidelidade, recebemos a oportunidade de vir à Terra, que é o nosso “segundo estado”. (Abraão 3:26)

Escreva Vida Mortal no quadro-negro. Diga que devido à Queda de Adão e Eva, nosso estado na mortalidade é decaído. ( D&C 29:40) Estamos sujeitos à morte física bem como à espiritual, que é a exclusão da presença de Deus. (D&C 29:41–42; Alma 42:9, 14; mais adiante, a lição abordará a questão da morte física e da espiritual.) Aprendemos com as revelações modernas que a Queda foi um elemento necessário para o nosso progresso eterno. Eva falou das bênçãos provenientes da Queda: “Se não fosse por nossa transgressão, jamais teríamos tido semente e jamais teríamos conhecido o bem e o mal e a alegria de nossa redenção e a vida eterna que Deus concede a todos os obedientes”. (Moisés 5:11)

Enquanto os alunos discutem as seguintes perguntas, peça-lhes que leiam as passagens sugeridas das escrituras.

• Citem alguns dos propósitos da vida mortal. (Anote as respostas dos alunos no quadro-negro. Algumas das respostas possíveis estão relacionadas abaixo.)

  1. a.

    Receber um corpo físico. O Profeta Joseph Smith disse: “Viemos a este mundo com o objetivo de obter um corpo e (…) apresentá-lo puro diante de Deus no reino celestial”. [Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, Joseph Fielding Smith (org.), s/d, p. 176.]

  2. b.

    Provar a nossa fidelidade, obedecendo aos mandamentos de Deus. (Abraão 3:25–26) Isso inclui que nos arrependamos de nossos pecados e recebamos as ordenanças de salvação. (Alma 12:24; D&C 29:42–43; Regras de Fé 1:3)

  3. c.

    Viver em família e selar os filhos aos pais por intermédio das ordenanças do templo. (Moisés 2:28; D&C 93:40; 131:1–4; 138:48)

A Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos proclamou que “o casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus e que a família é essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos. (…) O plano divino de felicidade permite que os relacionamentos familiares sejam perpetuados além da morte. As ordenanças e os convênios sagrados dos templos santos permitem que as pessoas retornem à presença de Deus e que as famílias sejam unidas para sempre. (“A Família: Proclamação ao Mundo”, A Liahona, janeiro de 1996, p. 114.)

• Como o conhecimento dos objetivos da mortalidade influencia a sua vida? Como a compreensão desses objetivos afeta as decisões que vocês tomam?

• É permitido a Satanás que nos tente como parte de nossa vida mortal. (D&C 29:39) Por quê? (Ver D&C 29:39; ver também 2 Néfi 2:11–13.) Por que o arbítrio é importante no plano de salvação? (Ver D&C 58:27–28; 101:78; 2 Néfi 2:25–27.)

4. A vida após a morte

Saliente que nossa vida não termina com a morte física. Escreva A Vida Após a Morte no quadro-negro. Peça aos alunos que discutam as seguintes perguntas e que leiam as passagens de escritura sugeridas.

• Quando morrermos, nosso espírito entrará no mundo espiritual. (Ver Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, pp. 301) Como os nossos atos na mortalidade influenciarão nossa vida no mundo espiritual? (Ver Alma 34:34; 40:11–14.)

• As pessoas que não receberem o evangelho na Terra terá a oportunidade de conhecê-lo no mundo espiritual. (D&C 137:7–9; 138:30–34.) O que podemos fazer para ajudá-las a receber todas as bênçãos do plano de salvação? (Ver D&C 128:6–8, 15. Uma das respostas corretas é que podemos fazer o trabalho de história da família e realizar as ordenanças do templo por elas.)

• Lembre aos alunos que a Queda trouxe a morte física e a espiritual ao mundo. Como seremos libertados da morte física? (Ver Alma 11:42; D&C 88:14–16; 93:33. Por intermédio da Expiação de Jesus Cristo, todos ressuscitarão, ou serão “[levantados] dessa morte física”. Nosso espírito voltará a unir-se ao corpo e será possível recebermos “a plenitude da alegria”.) Como é possível que sejamos libertados da morte espiritual? (Ver Alma 42:11–13, 15; Regras de Fé 1:3.)

Diga que depois que ressuscitarmos, voltaremos à presença de Deus para ser julgados segundo as nossas obras. (Alma 11:43–45; D&C 76:111) Herdaremos um lugar no reino celestial, no terrestre ou no telestial, dependendo de como tivermos recebido “o testemunho de Jesus”. (D&C 76:51; ver também os versículos 50, 79–82.) Um dos temas abordados na próxima lição é o dos três reinos de glória.

• De que forma o conhecimento da vida após a morte nos ajuda durante a mortalidade?

Conclusão

Peça a um aluno que leia a seguinte afirmação do Presidente Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze:

“O plano tem três partes. Vocês estão na segunda parte, a parte intermediária em que serão provados por meio das tentações, provações e, talvez, das tragédias. (…)

Lembrem-se disso! A frase ‘e viveram felizes para sempre’ nunca se encontra no segundo ato [de uma peça]. Encontra-se no terceiro, quando todos os mistérios são desvendados e tudo fica esclarecido. (…)

Enquanto a sua perspectiva da natureza eterna do [plano] não for ampla, conseguirão entender bem pouco das injustiças da vida. Umas pessoas nascem com tão pouco, outras com tanto! Umas nascem pobres, com deficiências, dores e sofrimentos. Há quem morra prematuramente, até crianças inocentes. Existem as forças brutais e implacáveis da natureza e a brutalidade entre os homens. Ultimamente estamos presenciando muito disso.

Não pensem que Deus causa essas coisas. Ele as permite para alcançar os Seus próprios desígnios. Quando conhecerem o plano e o propósito de tudo, até essas coisas passarão a ser prova do amor do Pai Celestial.” [The Play and the Plan, (transmissão via satélite de 7 de maio de 1995), pp. 1–2.]

Saliente que o conhecimento do plano de salvação nos ajuda a tomar decisões corretas, a ter alegria na mortalidade e a prepararmo-nos para a vida eterna. Fale do que sente a respeito do papel que Jesus Cristo desempenha no plano de salvação. Preste testemunho das verdades abordadas em aula, de acordo com o que o Espírito lhe inspirar.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar uma ou mais das seguintes idéias para complementar o plano de aula sugerido.

1. Vídeo “O Plano de Salvação”

Caso o vídeo Ensinamentos de Doutrina e Convênios e História da Igreja (5x933 059) esteja disponível, leve em consideração a idéia de exibir “O Plano de Salvação”, que é um segmento de quatro minutos. Considere a idéia de utilizar algumas ou todas as seguintes perguntas depois do vídeo:

• Como a nossa vida mortal se compara ao que aconteceu ao rapaz que se viu no palco em meio ao segundo ato?

• Como o que nos foi revelado a respeito do primeiro ato (a vida pré-mortal) nos ajuda no segundo (a mortalidade)? Como o que sabemos a respeito do terceiro ato (a vida após a morte) nos ajuda no segundo ato?

• Quando o rapaz se viu no palco, não sabia quem era o vilão nem quem era o herói. Que problemas podemos ter se não soubermos quem são os vilões e os heróis de nossa vida?

• O que o rapaz fez para se informar a respeito da peça? O que nos serve de “roteiro” na vida?

2. Conselho para os pais

Leia Alma 12:32 com os alunos. Antes da leitura, explique-lhes que a palavra lhes nesse versículo faz referência a Adão e Eva.

Saliente que Adão e Eva já sabiam do plano de redenção quando receberam os mandamentos. Depois, faça estas perguntas:

• Por que é útil que saibamos do plano de redenção ao recebermos os mandamentos? O que os pais poderiam fazer para utilizar esse padrão ao ensinar os filhos?