Os Reinos de Glória

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a considerarem atentamente a herança eterna que receberemos nos três reinos de glória e incentivá-los a viver de modo a herdarem a glória celestial e viverem em família na presença do Pai Celestial.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude Doutrina e Convênios 76; 131; 132:19–24; 137.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja adequado e utilize esta atividade, ou outra de sua preferência, no início da aula.

Recapitule brevemente a lição da semana anterior com os alunos. Certifique-se de que eles se lembrem das três etapas de nossa existência: a vida pré-mortal, a vida mortal e a vida após a morte.

Após essa breve recapitulação, diga que se não fossem as revelações contidas em D&C 76, 131 e 137 saberíamos bem pouco a respeito do que será de nós após a ressurreição. Depois, leia a seguinte declaração a respeito da visão registrada em D&C 76 feita pelo Presidente Wilford Woodruff, que foi o quarto Presidente da Igreja:

“Falarei somente da ‘Visão’, como sendo a revelação que lança mais luz, que é mais reveladora da verdade e de mais princípios do que qualquer outra revelação que se encontre em qualquer outro livro que já tenhamos lido. Ela mostra-nos claramente a nossa situação atual, nossas origens, o motivo de estarmos aqui e o lugar para onde estamos indo. Por intermédio dessa revelação, qualquer um pode saber qual será o seu papel e a sua situação.” [The Discourses of Wilford Woodruff, G. Homer Durham (org.), 1946, pp.47–48.)

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Certifique-se de deixar tempo suficiente perto do final da aula para que haja uma discussão significativa a respeito do reino celestial.

1. Os reinos de glória e “o testemunho de Jesus”

Ensine e comente D&C 76:11–24, 40–43, 119.

• Que situação fez com que a visão em D&C 76 acontecesse? (Ver D&C 76:11–19; ver também o cabeçalho de D&C 76. Observe que a gravura da página 114 mostra a sala em que o Profeta Joseph Smith e Sidney Rigdon tiveram a visão.)

Saliente que a visão inteira presta testemunho de Jesus Cristo e Sua infinita Expiação. Joseph Smith inicia e encerra a descrição do que viu com o testemunho do Salvador. Peça a um aluno que leia D&C 76:20–24 em voz alta e a outro que leia D&C 76:119. Sugere-se que você peça a alguns alunos que leiam D&C 76:40–43.

Doutrina e Convênios 76 mostra que o Pai Celestial preparou três reinos de glória nos quais a maioria das pessoas viverá após a ressurreição: o reino telestial, o terrestre e o celestial. Cada um herdará um reino de glória, dependendo de como tiver recebido o “testemunho de Jesus”. (D&C 76:51) Incentive os alunos a manterem isso em mente enquanto comentam essa revelação.

2. Perdição

Ensine e comente D&C 76:25–39, 44–49. Comece escrevendo Perdição no quadro- negro. Diga que a palavra perdição refere-se a um estado de perda e destruição, e não a um reino de glória. As pessoas que se encontrarem nesse estado serão chamadas de “filhas da perdição” porque escolheram seguir Satanás, que é chamado Perdição. (D&C 76:25–26, 31–32) Faça com que a discussão sobre esse assunto seja breve e evite as especulações de modo a deixar tempo suficiente para falar posteriormente do reino celestial. Fale apenas do que tiver sido ensinado nas escrituras ou pelos profetas dos últimos dias.

• Depois de rebelar-se no Conselho do Céu, Lúcifer foi expulso para a Terra. (Apocalipse 12:7–9; D&C 29:36–37; 76:25–28; Moisés 4:1–3.) O que ele passou a fazer depois de ter sido expulso? (Ver D&C 76:29 e Moisés 4:4.) O que podemos fazer para vencer a guerra contra Satanás em nossa vida? (Ver algumas respostas a essa pergunta em 1 Néfi 14:14; D&C 10:5 e 27:15–18.)

• O que o Senhor revelou acerca do sofrimento dos filhos de perdição? (Ver D&C 76:32–34, 36–38, 44–49.) Por que os filhos de perdição estão condenados a sofrer tanto? (Ver D&C 76:30–31, 35. Para uma explicação do que significa negar o Espírito Santo, ver a próxima citação.)

O Profeta Joseph Smith disse: “O que deve fazer o homem para cometer o pecado imperdoável? Tem que receber o Espírito Santo, ter os céus abertos a ele e conhecer Deus, e depois pecar contra ele. Depois de haver pecado contra o Espírito Santo, para ele não há mais arrependimento. Terá de dizer que o sol não brilha, enquanto o vê; terá de contestar Jesus Cristo, quando os céus lhe forem abertos, e negar o plano de salvação, com os olhos abertos para a realidade dele; e desse momento em diante, passa a ser um inimigo”. [Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, Joseph Fielding Smith (org.), s/d, pp. 349–350.]

3. O reino telestial

Ensine e comente D&C 76:81–90, 98–106, 109–112. Comece escrevendo Reino Telestial no quadro-negro e desenhando uma estrela ao lado. Diga que o reino telestial é o menor grau de glória. O Senhor comparou a glória desse reino à das estrelas. (D&C 76:81, 98; ver também I Coríntios 15:40–41, inclusive a versão de I Coríntios 15:40 que se encontra nas Seleções da Tradução de Joseph Smith da Bíblia em Inglês, no Guia para Estudo das Escrituras.

• Quem herdará o reino telestial? (Ver D&C 76:81–83, 98–101, 103.)

• A que condições ou limitações as pessoas que forem para o reino telestial terão de se submeter? (Ver D&C 76:84–86, 102, 104–106, 112.)

Pode ser necessário que você explique que o “inferno” de que falam os versículos 84 e 106 é a prisão espiritual, que é um estado passageiro entre a morte e a ressurreição. Quem estiver na prisão e não aceitar o evangelho, no final, ressuscitará e herdará a glória telestial. Peça a um aluno que leia o versículo 85, a outro que leia o 106 e a outro que leia o primeiro parágrafo do verbete “inferno” no Guia para Estudo das Escrituras, p. 103.

4. O reino terrestre

Ensine e comente D&C 76:71–80, 91, 97. Comece escrevendo Reino Terrestre no quadro-negro e desenhe uma lua ao lado. Diga que o Senhor comparou a glória do reino terrestre à glória da lua. (D&C 76:78, 97; ver também I Coríntios 15:40–41.)

• Quem herdará o reino terrestre? (Ver D&C 76:71–75, 79. Para ajudar os alunos a compreenderem esses versículos, leia a próxima citação.)

O Élder Bruce R. McConkie, do Quórum dos Doze, explicou: “As pessoas destinadas a herdar o reino terrestre são: (1) as que morreram ‘sem lei’, os gentios e pagãos que não ouviram o evangelho nesta vida e que não o aceitariam de todo o coração se o ouvissem; (2) quem ouviu e rejeitou o evangelho nesta vida e, depois, o tenha aceitado no mundo espiritual; (3) ‘os homens honrados da Terra, que foram cegados pela astúcia dos homens’ e (4) os membros apáticos, desinteressados, da igreja verdadeira, que tenham testemunho, mas não sejam leais e fiéis em todas as coisas”. (A New Witness for the Articles of Faith, 1985, p. 146.)

• A que condições e limitações quem estiver no reino terrestre terá de se submeter? (Ver D&C 76:76–78.)

• Como podemos evitar ser “cegados pela astúcia dos homens”? (Ver algumas respostas a essa pergunta em Efésios 4:11–15; 1 Néfi 15:24; Helamã 5:12 e D&C 3:78; 21:4–6; 52:14–20.)

5. O reino celestial

Ensine e comente D&C 76:50–70, 92–96; 131:1–4; 132:19–24; 137. Comece escrevendo Reino Celestial no quadro-negro e desenhando um sol ao lado. Explique aos alunos que o reino celestial é o reino de maior glória. O Senhor comparou a glória desse reino à do Sol. (D&C 76:70, 78, 96; ver também I Coríntios 15:40–41.)

• Quem herdará o reino celestial? (Ver D&C 76:50–53, 68–69. Para ajudar os alunos a compreenderem o versículo 53, sugere-se que você explique-lhes que o Santo Espírito da Promessa é o Espírito Santo, que confirma que as ordenanças do sacerdócio que recebemos e os convênios que fizemos foram aceitos por Deus. Essa aprovação depende de nossa fidelidade.)

• Aproximadamente quatro anos depois de ter a visão que consta em D&C 76, Joseph Smith teve uma visão de seu irmão mais velho, Alvin, no reino celestial. (D&C 137:1–5) Alvin morrera em 1823, antes da restauração da Igreja. O que Joseph aprendeu ao ver Alvin no reino celestial? (Ver D&C 137:7–9.) O que mais o Profeta aprendeu a respeito dos herdeiros da glória celestial? (Ver D&C 137:10.) Em que essas verdades nos servem de consolo?

• Que bênçãos receberemos se herdarmos o reino celestial? (Ver D&C 76:54–67, 94–95.)

• Como o testemunho que temos de Jesus determina que reino herdaremos depois de nossa morte? [Ver D&C 76:31, 35 (perdição); D&C 76:82, 101 (telestial); D&C 76:79 (terrestre); D&C 76:51–53, 69; 121:29 (celestial).] O que é ser “[valente] no testemunho de Jesus”? (D&C 76:79)

Além de comentar as respostas dos alunos, sugere-se que você leia a seguinte citação do Élder Bruce R. McConkie:

“O que é ser valente no testemunho de Jesus?

É ser intrépido e corajoso; empregar toda a nossa força, energia e habilidade na guerra contra o mundo; combater o bom combate da fé. (…) A mais importante pedra de esquina da bravura na causa da retidão é a obediência ao conjunto das leis do evangelho como um todo.

Ser valente no testemunho de Jesus é achegar-se a Cristo e ser aperfeiçoados Nele; é desviarmo-nos de toda iniqüidade e amar a Deus com todo o nosso poder, mente e força. (Ver Morôni 10:32.)

Ser valente no testemunho de Jesus é acreditar em Cristo e em Seu evangelho com convicção inabalável. É saber que a obra do Senhor na Terra é verdadeira e divina.

Isso, porém, não é tudo. [Ser valente no testemunho de Jesus] é mais do que acreditar e mais do que saber. Temos de agir em vez de apenas ouvir. É mais do que palavras; não é meramente confessar com os lábios a descendência divina do Salvador. É obediência, aceitação e retidão individual. (…)

Ser valente no testemunho de Jesus é ‘prosseguir com firmeza em Cristo, tendo um perfeito esplendor de esperança e amor a Deus e a todos os homens’. É perseverar ‘até o fim’. (2 Néfi 31:20) É viver nossa religião, praticar o que pregamos, guardar os mandamentos. É a manifestação da ‘religião pura’ na vida dos homens; é ‘visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações’ e ‘guardarse da corrupção do mundo’. (Tiago 1:27)

Ser valente no testemunho de Jesus é refrear as paixões, controlar os apetites e elevar-se acima do que for carnal e mau. É vencer o mundo como o fez o nosso modelo, aquele que foi o mais valente dos filhos de nosso Pai. É ser moralmente limpo, pagar os dízimos e as ofertas, guardar o Dia do Sábado, orar de todo o coração, sacrificar tudo o que tivermos no altar, caso nos seja pedido que o façamos.

Ser valente no testemunho de Jesus é estar do lado do Senhor em todas as questões. É votar como Ele o faria. É pensar o que Ele pensa, acreditar no que Ele acredita, dizer o que Ele diria e fazer o que Ele faria se estivesse na mesma situação. É pensar como Cristo e ser um com Ele, como Ele é um com o Pai.” [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), outubro de 1974, pp. 45–46; ou Ensign novembro de 1974, p. 35.]

• Onze anos depois da visão registrada em D&C 76, o Profeta Joseph ensinou que existem três graus de glória no reino celestial. (D&C 131:1) Quem será exaltado no mais elevado grau de glória do reino celestial? (Ver D&C 131:1–3; 132:19.)

• Que bênção estará ao alcance de quem for exaltado no mais elevado grau de glória do reino celestial? (Ver D&C 131:4; 132:19–20. Pode ser necessário que você explique aos alunos que as palavras “descendência” e “continuação das sementes para todo o sempre” significam que as pessoas que viverem de acordo com o convênio e forem exaltadas no mais elevado grau de glória do reino celestial terão filhos espirituais na eternidade.)

• O Presidente Joseph Fielding Smith, quando era do Quórum dos Doze, disse: “A seção 76 de Doutrina e Convênios (…) deveria ser vista como um tesouro por todos os membros da Igreja, como um legado de valor incalculável. Deveria fortalecer-lhes a fé e servir-lhes de incentivo para empenharem-se em alcançar a exaltação prometida a todos os que forem justos e fiéis”. (Church History and Modern Revelation, 1953, vol. 2, p. 1:279.) Como essa revelação pode fortalecer a nossa fé e nos inspirar a buscarmos a exaltação? Como podemos vencer o desânimo ao lutar pela glória celestial?

Conclusão

Saliente que as bênçãos grandiosas da exaltação no reino celestial estão ao alcance de todos. Todos podem tornar-se perfeitos por intermédio de Jesus Cristo e ser exaltados com a família no grau de glória mais elevado do reino celestial. A revelação contida em D&C 76 deveria servir-nos de incentivo para guardar os mandamentos e receber as ordenanças de salvação, de modo a conseguirmos alcançar essas bênçãos grandiosas.

Seguindo a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades abordadas em aula.

Sugestão Didática Complementar

Divida a classe em quatro grupos. Dê uma das escrituras abaixo a cada grupo. Dê tempo para os grupos lerem e discutirem as escrituras. Conforme surgirem momentos oportunos durante a aula, peça aos grupos que falem do que aprenderam com a escritura que receberam.

  • D&C 76:25–49 (perdição)

  • D&C 76:81–86, 88–90, 98–112 (glória telestial)

  • D&C 76:71–80, 87, 91, 97 (glória terrestre)

  • D&C 76:50–70, 92–96 (glória celestial)