O Presidente Brigham Young Lidera os Membros da Igreja

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a compreenderem o processo de sucessão da liderança da Igreja e mostrar como Brigham Young começou a preparar os santos para a viagem para o oeste dos Estados Unidos.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e outros materiais:

    1. a.

      Doutrina e Convênios 107:22–24.

    2. b.

      Nosso Legado, páginas 66–71.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Peça a alguns alunos que se preparem para resumir as seguintes seções de Nosso Legado:

    1. a.

      “A Sucessão na Presidência”. (Páginas 66–67)

    2. b.

      “Os Preparativos para Deixar Nauvoo” e “As Dificuldades de uma Viagem Durante o Inverno”. (Páginas 69–71.)

  4. 4.

    Caso as seguintes gravuras estejam disponíveis, prepare-se para utilizar algumas delas durante a aula: “O Templo de Nauvoo” [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 501]; “O Êxodo de Nauvoo, Fevereiro-Maio de 1846” [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 410] e “O Êxodo de Nauvoo” [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 411].

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja mais adequado e utilize esta atividade ou outra de sua preferência para iniciar a aula.

Diga que com a morte do Profeta Joseph Smith, muitas pessoas predisseram a extinção da Igreja.

• O que essas pessoas não compreendiam quanto à liderança da Igreja?

Leia a seguinte declaração do Presidente Joseph Fielding Smith:

“Ninguém pode liderar essa Igreja por si mesmo. Ela é a Igreja do Senhor Jesus Cristo; Ele é o cabeça (…)

É Ele quem escolhe os homens e os chama para serem instrumentos em Suas mãos para a realização de Seus propósitos, e é Ele quem guia e dirige o trabalho que realizam. Os homens, porém, são meros instrumentos nas mãos do Senhor, e a honra e glória de tudo o que os Seus servos realizam é e deve ser atribuída a Ele eternamente.

Se esta fosse uma obra de homens, fracassaria, mas ela é a obra do Senhor, e Ele não falha.” [Conference Report (Relatório da Conferência Geral),abril de 1970, p.113; Improvement Era, junho de 1970, p. 26.]

Diga que logo após o martírio do Profeta Joseph Smith, Brigham Young tornouse o líder da Igreja por meio de um processo inspirado de sucessão que continua em vigor na Igreja atualmente. Esta aula trata do processo de sucessão à Presidência da Igreja e fala de como Brigham Young começou a preparar os membros da Igreja para a viagem rumo ao Vale do Lago Salgado, no oeste dos Estados Unidos.

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Incentive-os a contarem experiências relacionadas aos princípios das escrituras.

1. O Profeta Joseph Smith conferiu as chaves do reino aos Doze e ensinoulhes os princípios da sucessão à Presidência.

Diga que em Nauvoo, no inverno de 1843 a 1844, o Profeta Joseph Smith passou vários dias concedendo a investidura no templo aos Doze Apóstolos e ensinando-lhes suas responsabilidades. Ele disse aos Doze que temia que fosse morrer logo, sem ter concedido as chaves do reino a outras pessoas. Wilford Woodruff, que pertencia ao Quórum dos Doze na ocasião, lembrou as seguintes palavras do Profeta Joseph:

“Agora, irmãos, agradeço a Deus por ter vivido para ver o dia em que conseguiria conceder-lhes a investidura, e selo agora sobre a sua cabeça todos os poderes do Sacerdócio Aarônico e de Melquisedeque e do Apostolado, com todas as chaves e poderes que a eles pertençam, os quais Deus selou sobre mim; e agora, transfiro todo o trabalho, o fardo e o cuidado desta Igreja e Reino de Deus para os seus ombros e ordeno-lhes em nome do Senhor Jesus Cristo que se preparem para liderarem esta Igreja e o Reino de Deus diante do céu e da Terra e diante de Deus, dos anjos e dos homens.” [James R. Clark (org.) Messages of the First Presidency of the Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 1965–1975, 6 vol. 3:134.]

• Um princípio importante relacionado à sucessão à presidência está registrado em D&C 107:22–24. Leia esses versículos com os alunos. O que esses versículos ensinam a respeito da relação entre a Primeira Presidência e o Quórum dos Doze Apóstolos? (Diga que a Primeira Presidência e os Doze Apóstolos formam dois quóruns separados, iguais em autoridade e poder, mas que o chamado de presidir é da Primeira Presidência.)

• Por que é importante que compreendamos a relação que existe entre esses dois quóruns que presidem a Igreja?

O Presidente Harold B. Lee disse: “O Profeta Joseph Smith declarou que ‘quando não existe o presidente, a Primeira Presidência não existe’. Imediatamente depois da morte de um presidente, o próximo grupo na hierarquia, o Quórum dos Doze Apóstolos, passa a ser a autoridade presidente, e o Presidente dos Doze passa a ser o presidente interino da Igreja até que o Presidente da Igreja seja oficialmente ordenado a esse ofício e apoiado”. [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), abril de 1970, p.123; Improvement Era, junho de 1970, p. 28.]

Para mais informações a respeito do processo de sucessão, ver a segunda sugestão didática complementar.

2. Depois do martírio de Joseph Smith, os Doze passaram a presidir a Igreja até que Brigham Young fosse apoiado Presidente.

Diga que quando Joseph Smith morreu, a Primeira Presidência foi dissolvida e o Quórum dos Doze passou a ser a autoridade presidente da Igreja. Peça ao aluno designado que resuma a seção “A Sucessão na Presidência” de Nosso Legado, páginas 66–67.

• O que Sidney Rigdon não compreendia a respeito da liderança da Igreja? Qual foi a primeira resposta de Brigham Young à questão de quem deveria liderar a Igreja? (Ver Nosso Legado, página 66. Ele queria saber qual era a vontade do Senhor quanto a esse caso.) O que aprendemos com o exemplo de Brigham Young?

• Na sessão vespertina da reunião que tratou da liderança da Igreja, Brigham Young profetizou que as pessoas que não seguissem os Doze Apóstolos não seriam bem-sucedidas e que somente os apóstolos conseguiriam edificar o reino de Deus. (Nosso Legado, página 67.)De que forma os acontecimentos da história da Igreja no passado e em nossos dias comprovam a veracidade dessa afirmação?

President Brigham Young

Diga que ao término da reunião, os membros da Igreja votaram unanimemente apoiando os Doze Apóstolos como os líderes da Igreja. (Nosso Legado, página 67.) O Quórum dos Doze, tendo Brigham Young como seu presidente, presidiu a Igreja durante três anos e meio. No dia 27 de dezembro de 1847, a Primeira Presidência foi formalmente reorganizada, tendo Brigham Young como presidente.

3. Antes de abandonarem Nauvoo, os membros da Igreja receberam as ordenanças do templo.

Mostre a gravura do Templo de Nauvoo. Diga que enquanto se estavam preparando para abandonar Nauvoo, os membros da Igreja trabalharam arduamente para terminar o templo. Assim que ele ficou pronto, eles reuniramse em grandes números para receber as ordenanças do templo. As seguintes anotações no diário do Presidente Brigham Young indicam o quanto os santos estavam ansiosos para receber essas ordenanças:

“Esta manhã, havia uma multidão imensa na recepção, esperando para entrar. (…) Cento e vinte e uma pessoas receberam as ordenanças.” (History of the Church, 7:565)

“Tamanha tem sido a ansiedade dos santos em receber as ordenanças [do templo], e tamanha tem sido a nossa ansiedade em ministrá-las, que eu me entreguei totalmente à obra do Senhor dia e noite no templo, sem dormir mais que quatro horas, em média, por dia, e sem ir para casa mais do que uma vez por semana.

O Élder Heber C. Kimball e os outros Apóstolos estavam sempre presentes, mas devido à sua grande diligência, alguns tiveram de deixar o templo para descansar e recobrar a saúde.” (History of the Church, 7:567)

A perseguição aos membros da Igreja aumentou em janeiro de 1846. No início de fevereiro do mesmo ano, o Presidente Young anunciou que a realização de ordenanças no templo seria suspensa para que os santos abandonassem Nauvoo. Contudo, as pessoas que ainda não haviam recebido as ordenanças estavam relutantes em sair. O Presidente Young escreveu o seguinte no dia 3 de fevereiro de 1846:

“Apesar de eu haver anunciado que não mais ministraríamos as ordenanças, a Casa do Senhor esteve apinhada o dia todo, a ansiedade para recebê-las era tamanha que parecia que os irmãos fariam com que ficássemos ali e continuássemos as investiduras até que nosso caminho estivesse bloqueado e os nossos inimigos nos interceptassem. Mas eu informei aos irmãos que isso não era sábio, que construiríamos outros templos e que teríamos outras oportunidades de receber as bênçãos do Senhor, tão logo os santos estivessem preparados para recebê-las. Neste templo, já fomos grandemente recompensados, caso não recebamos nada mais. Informei também aos irmãos que eu pretendia preparar os meus carroções e partir. Afastei-me um pouco do templo, supondo que a multidão se dispersaria, mas quando retornei, encontrei a casa cheia a não poder mais.

Vendo a multidão e sabendo de sua ansiedade, pois estava sedenta e faminta da palavra, continuamos a trabalhar diligentemente na Casa do Senhor. Duzentas e noventa e cinco pessoas receberam as ordenanças.” (History of the Church 7:579)

• O que podemos aprender com a avidez dos santos em receber as ordenanças do templo? Em sua opinião, por que era tão importante que os membros da Igreja recebessem as ordenanças do templo antes de iniciarem a viagem e abandonarem Nauvoo? (Uma das respostas possíveis é que isso lhes daria mais conhecimento e força, o que os ajudaria a enfrentar as provações.) Falem de como o templo é uma fonte de força e orientação para vocês.

Diga que o trabalho realizado no templo continuou até o fim da semana e que, depois, ele foi fechado. Ao todo, cerca de 6.000 membros da Igreja receberam a investidura antes de iniciarem a viagem para o oeste.

4. Os membros da Igreja passaram por provações e testemunharam milagres no início da viagem para o oeste.

Mostre a gravura do êxodo de Nauvoo. Diga que alguns membros da Igreja começaram a sair de Nauvoo no dia 4 de fevereiro de 1846, Peça ao aluno designado que resuma as seções “Os Preparativos para Deixar Nauvoo” e “As Dificuldades de uma Viagem Durante o Inverno” de Nosso Legado, páginas 69–71.

Como os santos começaram a sair de Nauvoo no inverno e foram obrigados a tomar as providências apressadamente, a viagem foi muito difícil. Um acontecimento admirável ocorreu no início de fevereiro, em Sugar Creek, há aproximadamente sete milhas (aproximadamente 11 quilômetros) de Nauvoo, na margem do rio Mississipi que fica no Estado de Iowa. Na primeira noite de acampamento em Sugar Creek, nasceram nove bebês. Estava extremamente frio e os santos não tinham um abrigo adequado. Eliza R. Snow escreveu:

“As mães deram à luz os filhos nas mais diversas circunstâncias imagináveis, exceto nas que lhes eram familiares. Algumas deram à luz em barracas, outras em carroções; em meio à tempestades e nevascas. Fiquei sabendo de um parto que aconteceu sob o tosco teto de uma cabana, cujas paredes laterais eram formadas por cobertores amarrados a estacas fincadas no chão, com o telhado de casca de árvore e que deixava a chuva passar. Houve boas irmãs que ficaram segurando vasilhas para aparar a água que caía, para evitar que o recém-nascido e a mãe tomassem um banho de chuva. (…)

Não nos esqueçamos que as mães desses bebês nascidos no deserto não estavam (…) acostumadas a andar pela floresta e a enfrentar as tempestades. (…) A maioria nascera e fora criada nos estados do leste, lá abraçara o evangelho de Jesus e Seus apóstolos e, por causa de sua religião, juntaram-se aos santos, e em meio às dificuldades ajudara com sua fé, paciência e força a fazer com que Nauvoo se transformasse no que seu nome indicava: ‘a bela’. Ali, tinham uma bela casa, enfeitada com flores e guarnecida de árvores frutíferas escolhidas, que estavam começando a frutificar em abundância.

Foram essas casas (…) que haviam acabado de abandonar e, com o pouco de seus pertences que coubessem em um, dois e, em alguns casos, três carroções, haviam tomado o rumo do deserto.” (Edward W. Tullidge. The Women of Mormondom, 1877, pp. 307–308.)

• Falem do que os impressionou nos membros da Igreja dessa história.

Diga que em setembro de 1846, a maioria dos membros da Igreja havia abandonado Nauvoo e estava espalhada pelo Iowa, em vilas que prepararam para o inverno que se aproximava. As turbas, que estavam decididas a expulsar os membros da Igreja que ainda não houvessem partido de Nauvoo, saquearam as casas e os levaram para o rio. Algumas pessoas escaparam atravessando o rio, mas não conseguiram levar provisões e roupas. A turba espancou ou jogou no rio as pessoas que não conseguiram escapar.

Os campos de refugiados, cada um com cerca de 500 a 600 homens, mulheres e crianças desabrigados, cobriam cerca de três quilômetros das margens do rio. A maioria tinha apenas cobertores ou folhagens como abrigo e bem pouca comida. Muitos estavam doentes demais para viajar e alguns morreram. O Bispo Newel K. Whitney comprou um pouco de farinha de trigo e distribuiu da melhor maneira possível, mas isso não bastava para alimentar o povo. Então, o Senhor proveu o que necessitavam por meio de um milagre:

No dia 9 de outubro, quando a comida estava ainda mais escassa, vários bandos numerosos de codornas voaram para o acampamento e pousaram até em cima das mesas. Os santos famintos apanharam muitas delas, cozinharam-nas e comeram-nas. Para os fiéis, foi um sinal da misericórdia de Deus para com a Israel moderna, da mesma forma que um acontecimento semelhante o fora para a Israel antiga. (Ver B. H. Roberts, A Comprehensive History of the Church, 3:135–136.)

• Qual foi o milagre semelhante a esse que o Senhor fez pelos antigos israelitas? (Ver Êxodo 16:12–15.) Falem de como o Senhor lhes proporcionou o que precisavam em épocas de necessidade.

Conclusão

De acordo com a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades discutidas na lição.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar uma ou mais das seguintes idéias para complementar o plano de aula sugerido.

1. Mais informações quanto à sucessão à Presidência da Igreja

O processo de sucessão à Presidência da Igreja já ocorreu muitas vezes e, agora, segue o padrão delineado na página 191. Caso você ache que a descrição detalhada desse processo seria proveitosa para os alunos, recapitule as seguintes etapas com eles.

  1. 1.

    Um homem que tenha sido pré-ordenado para, um dia, vir a presidir a Igreja é chamado por inspiração para ser membro do Quórum dos Doze Apóstolos.

  2. 2.

    Ele é treinado para o seu futuro chamado por intermédio de sua proximidade com os membros do Quórum e da Primeira Presidência, e de suas designações. À medida em que os outros membros do quórum morrem, ele avança na hierarquia, até chegar a ser o Presidente do Quórum dos Doze. Nesse ponto, o único apóstolo mais antigo do que ele é o Presidente da Igreja.

  3. 3.

    Quando o Presidente da Igreja morre, a Primeira Presidência é dissolvida. Os conselheiros na Primeira Presidência voltam à posição que ocupavam no Quórum dos Doze (caso sejam membros do quórum). O Quórum dos Doze passa a ser o quórum presidente da Igreja. O Presidente dos Doze passa a ser a autoridade presidente da Igreja.

  4. 4.

    Os membros do Quórum dos Doze reúnem-se no templo em espírito de jejum e oração. Orientados por revelação, chegam a uma decisão unânime quanto à reorganização da Primeira Presidência. Em harmonia com essa decisão, apóiam o membro mais antigo do Quórum dos Doze como Presidente da Igreja e, depois, impõem as mãos sobre a sua cabeça para ordená-lo e designálo Presidente da Igreja.

  5. 5.

    O novo presidente escolhe dois homens (normalmente membros do Quórum dos Doze) para serem seus conselheiros.

  6. 6.

    São chamadas outras pessoas para completar o número de apóstolos que ficou faltando no Quórum dos Doze devido à reorganização da presidência.

2. A oposição do adversário à obra do templo

Em Nauvoo, os membros da Igreja enfrentaram muita oposição enquanto trabalhavam para terminar o templo. Falando das perseguições que os membros da Igreja enfrentaram todas as vezes que tentaram construir um templo, o Élder Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze, disse:

“Houve oposição aos santos porque o adversário temia o templo. Ele faria de tudo para impedir que eles o construíssem.” (The Holy Temple, 1980, p. 175.)

• Por que o adversário teme os templos e o trabalho a eles relacionado? O que podemos fazer para ficarmos mais decididos a freqüentar o templo a despeito das dificuldades que enfrentamos?

3. “Vinde, ó Santos”

Prepare tudo para que os membros da classe cantem “Vinde, ó Santos” (Hinos, nº 20); ou peça a um aluno, ou grupo de alunos, que se preparem para cantá-lo. Depois do hino, resuma os acontecimentos que inspiraram William Clayton a escrevê-lo. (Nosso Legado, página 71.).