“Lembrem do Novo Convênio, Sim, o Livro de Mórmon”

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a reconhecerem a mão do Senhor no surgimento do Livro de Mórmon e incentivá-los a estudá-lo, seguir os seus ensinamentos e falar dele às outras pessoas.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e outros materiais:

    1. a.

      Joseph Smith—História 1:27–65; Doutrina e Convênios 3; 5; 10; 17; 20:5–15; 84:54–62.

    2. b.

      Nosso Legado, pp. 5–10.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Peça a um aluno que se prepare para contar resumidamente a história de quando Martin Harris perdeu as 116 páginas manuscritas. Peça-lhe que consulte o cabeçalho das seções 3 e 10 de Doutrina e Convênios e os três primeiros parágrafos da seção “A Tradução do Livro de Mórmon”, Nosso Legado, pp. 7–8.

  4. 4.

    Caso estas gravuras estejam disponíveis, prepare-se para utilizá-las na aula: “Morôni Aparece a Joseph Smith em Seu Quarto” [62492 059 ou Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 404] e “Joseph Recebe as Placas de Ouro” [62012 059 ou Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 406.]

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja mais adequado e utilize esta atividade ou outra de sua preferência para iniciar a aula.

Escreva as seguintes palavras no quadro-negro. Pergunte aos alunos se eles sabem o que elas significam.

foreign languages Book of Mormon

Diga que você escreveu as palavras “O Livro de Mórmon” em japonês, russo e coreano. Desde seu início humilde nesta dispensação, o Livro de Mórmon vem sendo uma bênção para milhões de pessoas em todo o mundo. Esta lição fala do milagre do Livro de Mórmon e da nossa responsabilidade de “inundar a Terra e a [nossa] própria vida com o Livro de Mórmon”. (A Liahona, julho de 1989, p. 3.)

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Sugere-se que você utilize duas aulas para dar esta lição.

1. A preparação de Joseph Smith para receber e traduzir o Livro de Mórmon

• Nos três anos que sucederam à Primeira Visão, Joseph Smith enfrentou “severa perseguição”, mas permaneceu firme em seu testemunho (Joseph Smith— História 1:27) Como podemos permanecer firmes em nosso testemunho mesmo que sejamos perseguidos?

• Quando Joseph estava com dezessete anos, Morôni apareceu a ele. (Se preciso, diga que Morôni foi o último profeta a escrever no Livro de Mórmon e que ele enterrou as placas de ouro por volta do ano de 421 d.C.) O que Joseph estava pedindo em oração na noite em que viu Morôni? (Ver Joseph Smith—História 1:28–29.) O que aprendemos com o exemplo de Joseph quando nos sentirmos “condenados por [nossas] fraquezas e imperfeições”? (Se for adequado, peça aos alunos que falem de alguma ocasião em que sentiram que decepcionaram o Senhor e em que a oração os tenha ajudado.)

Resuma Joseph Smith—História 1:30–59. Peça aos alunos que leiam determinados versículos em voz alta. No momento adequado, mostre a figura da aparição de Morôni a Joseph Smith e a gravura de Joseph recebendo as placas. Sugere-se que você utilize também o mapa 1, na página 274 deste manual e na página 29 do Guia de Estudo do Aluno.

• Quando Joseph Smith viu as placas de ouro pela primeira vez, não estava preparado para recebê-las e traduzi-las. De que forma o Senhor o preparou para receber e traduzir as placas? (Ver Joseph Smith—História 1:33–35, 42, 44–46, 53–54.) De que forma o Senhor os preparou (ou os está preparando agora) para cumprir suas responsabilidades? Como vocês podem preparar-se para cumprir suas futuras responsabilidades?

• Qual foi a reação do pai de Joseph quando o filho lhe falou da aparição de Morôni? (Ver Joseph Smith—História 1:50.) O que isso indica quanto à integridade e fidedignidade de Joseph? Por que é importante apoiar os membros da família no que eles fizerem para seguir ao Senhor? O que podemos fazer para dar mais apoio aos membros de nossa família e a outras pessoas no que estiverem fazendo para seguir o Senhor?

2. O milagre da preservação do Livro de Mórmon

Diga que Satanás tentou impedir a revelação do Livro de Mórmon. Ele incitou determinadas pessoas a tentarem roubar as placas de ouro, e Joseph Smith e sua família continuaram a ser perseguidos. (Joseph Smith—História 1:60–61) Entretanto, o Senhor frustrou todas as tentativas que Satanás fez de impedir o surgimento do Livro de Mórmon.

Um exemplo de como o Livro de Mórmon foi preservado miraculosamente foi a ocasião em que Martin Harris, que foi um dos escreventes de Joseph Smith, perdeu 116 páginas da tradução. Peça ao aluno designado que conte essa história resumidamente. (Ver “Preparação”, item 3.) Depois, ensine e discuta as seções 3 e 10 de Doutrina e Convênios, que foram reveladas depois de as páginas haverem sido extraviadas.

• Depois de extraviarem-se as 116 páginas do manuscrito, o Senhor castigou Joseph por temer mais aos homens do que a Deus, (D&C 3:7) e Joseph perdeu temporariamente o dom de traduzir. (D&C 3:14; 10:1–2) De que forma Joseph temeu aos homens mais do que a Deus? Como as nossas ações podem demonstrar que tememos mais aos homens do que a Deus? (Ver D&C 30:1–2. Um exemplo é quando cedemos à pressão do grupo e fazemos algo errado.) O que podemos fazer para sobrepujar o temor dos homens? (Para algumas respostas a essa pergunta, ver D&C 3:8; 10:5.)

• Como o amor que o Senhor tinha a Joseph Smith ficou claro depois do extravio das 116 páginas do manuscrito? (Ver D&C 3:8–10; 10:1–3.) Que experiências deixaram claro para vocês que, se fossem fiéis, Deus permaneceria com vocês “em todos os momentos de angústia”? (D&C 3:8) Que experiências deixaram claro para vocês que “Deus é misericordioso”? (D&C 3:10)

• O que as pessoas que roubaram as 116 páginas pretendiam fazer? (Ver D&C 10:10–19, 29–33. Se Joseph tivesse traduzido novamente o material perdido, elas teriam alterado o conteúdo do manuscrito. Teriam comparado o original alterado com a segunda tradução na tentativa de demonstrar que as duas versões eram contraditórias.

• O que o Senhor fizera séculos antes para frustrar os planos de quem roubou as páginas do manuscrito? (Ver D&C 10:38–39; ver também 1 Néfi 9:2–5 e Palavras de Mórmon 1:3–7. Ele previra a perda das páginas. Aproximadamente 2.400 anos antes, Ele inspirara Néfi, que estava escrevendo a história dos nefitas, a preparar um outro conjunto de registros. Esse conjunto continha a história do ministério aos nefitas da mesma época e era de maior valor doutrinário que o primeiro.)

• O que o Senhor disse ao Profeta que fizesse para arruinar os planos das pessoas que pegaram o manuscrito? (Ver D&C 10:40–45. Joseph traduzira as 116 páginas do registro histórico de Néfi. O Senhor ordenou-lhe que não voltasse a traduzir o mesmo material, mas que traduzisse o segundo conjunto de registros de Néfi.)

• O que a história das páginas perdidas do manuscrito nos ensinam a respeito do poder do Senhor? (Quando os alunos estiverem discutido essa pergunta, peça-lhes que leiam D&C 3:1–3; 10:14, 43 e 1 Néfi 9:6.) De que forma saber disso pode ser-nos útil em momentos de infortúnios e decepções?

• Peça aos alunos que leiam D&C 3:16, 19–20 e 10:46–52, 60–66. O que podemos aprender com esses versículos a respeito dos objetivos do Livro de Mórmon? Como esses objetivos estão sendo alcançados atualmente?

3. As Testemunhas do Livro de Mórmon

• Enquanto traduzia o Livro de Mórmon, Joseph ficou sabendo que o Senhor permitiria que três testemunhas e algumas outras pessoas vissem as placas. (Ver as alusões a essas testemunhas em 2 Néfi 27:12–14 e Éter 5:1–3.) Quem foram as três testemunhas? (Ver o “Depoimento de Três Testemunhas” no Livro de Mórmon.) O que foi-lhes ordenado que fizessem? (Ver D&C 5:11–15, 24–25; 17:3, 5.) Por que o depoimento delas era importante? (Ver Éter 5:4; D&C 5:16–18; 17:4.)

Diga que as placas foram mostradas a outras oito pessoas além das três testemunhas. (“Depoimento de Oito Testemunhas”, O Livro de Mórmon.) Posteriormente, as três testemunhas e três das oito testemunhas abandonaram a Igreja, e poucas retornaram, mas nenhuma jamais negou o testemunho do que vira.

Em seu último ano de vida, David Whitmer publicou este testemunho em resposta a acusações falsas:

Oliver Cowdery David Whitmer

The Three Witnesses. Oliver Cowdery, David Whitmer, and Martin Harris.

“Está escrito na American Encyclopaedia e na Encyclopaedia Britannica que eu, David Whitmer, neguei o depoimento que prestei acerca da origem divina do Livro de Mórmon, como uma das três testemunhas, e que as outras duas testemunhas (Oliver Cowdery e Martin Harris) negaram o testemunho que prestaram quanto ao livro. Mais uma vez, digo à humanidade que nunca, em momento algum, neguei esse testemunho ou qualquer parte dele. Testifico também ao mundo que Oliver Cowdery e Martin Harris nunca, em momento algum negaram o testemunho que prestaram. Os dois morreram reafirmando a veracidade da autoria divina do Livro de Mórmon.” (Address to All Believers in Christ, 1887, p. 8; conforme citado em B. H. Roberts, A Comprehensive History of the Church, 1:145.)

Saliente que o Salvador também é uma testemunha do Livro de Mórmon. Leia D&C 17:6 e 19:26 com os alunos.

• De que maneira podemos ser testemunhas do Livro de Mórmon? (Ver Morôni 10:3–5. Sugere-se que você peça aos alunos que prestem o testemunho do Livro de Mórmon.)

Saliente que as três testemunhas e as oito testemunhas testificaram as coisas que viram e ouviram. Atualmente milhões de membros da Igreja prestam testemunho do Livro de Mórmon porque sentem o testemunho do Espírito Santo. Na época em que servia no Quórum dos Doze, o Élder Gordon B. Hinckley disse:

”A força da Igreja não está (…) nas milhares de casas de adoração que tem em todo o mundo, nem em suas universidades (…). A força desta Igreja está no coração de seus membros, em seu testemunho e na certeza que cada um tem da veracidade desta obra”.[Conference Report (Relatório da Conferência Geral), abril de 1973, p.73–74; Ensign, julho de 1973, p. 49.]

4. Nosso dever de lembrarmo-nos “do novo convênio, sim, o Livro de Mórmon”

• Em setembro de 1832 o Profeta Joseph recebeu uma revelação na qual o Senhor dizia que “toda a Igreja [estava sob] condenação”. (D&C 84:55) Por que a Igreja estava sob condenação? (Ver D&C 84:54–56.) O que os membros da Igreja têm de fazer para deixarem de estar sob condenação? (Ver D&C 84:57–58, 60–62.)

Leia estas declarações do Presidente Ezra Taft Benson:

“Se os primeiros membros da Igreja foram repreendidos por dar pouca atenção ao Livro de Mórmon, estaríamos sob menor condenação se fizéssemos o mesmo?” [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), outubro de 1986, p. 4; Ensign, novembro de 1986, pp. 4–5.]

“O Senhor não está contente com a nossa falta de atenção para com o Livro de Mórmon, a nova testemunha de Cristo. Precisamos dele em casa, precisamos dele em família. Ele foi escrito para nós, para a época atual. (Church News, novembro de 1986, pp. 9, 10.)

• O que podemos fazer para dar mais atenção ao Livro de Mórmon individualmente, em família e nos chamados da Igreja? Que bênçãos recebemos quando damos a devida atenção ao Livro de Mórmon? Falem de alguma bênção que receberam por intermédio do estudo do Livro de Mórmon. (Além de pedir aos alunos que falem, peça-lhes que leiam a seguinte citação e o sexto parágrafo da introdução ao Livro de Mórmon. Ver também a terceira sugestão didática complementar.)

O Presidente Ezra Taft Benson afirmou:

“Existe um poder no livro que começa a fluir para nossa vida no momento em que iniciamos um estudo sério de seu conteúdo. [Vocês descobrirão] maior poder para resistir à tentação. (…) Encontrarão poder para permanecer no caminho reto e estreito. As escrituras são chamadas de ‘palavras de vida’ (D&C 84:85), [não se pode dizer isso de nenhum livro com mais propriedade do que do Livro de Mórmon.] Quando iniciarem a ter fome e sede dessas palavras, descobrirão vida cada vez mais abundante. (…) [Também terão] maior amor e harmonia no lar, maior respeito entre pais e filhos [e] maior espiritualidade e retidão.”

O Presidente Benson afirmou que essas “não são promessas vãs, mas exatamente o que quis dizer o Profeta Joseph Smith, quando afirmou que o Livro de Mórmon nos [ajudará a achegarmo-nos mais] a Deus”. (A Liahona, janeiro de 1987, p. 6.)

• O Salvador ordenou que prestássemos testemunho do Livro de Mórmon em todo o mundo. (D&C 84:62; ver também a próxima citação.) O que podemos fazer individualmente para expandir esse trabalho?

O Presidente Benson disse: “Há muito tempo é chegada a hora de inundar [maciçamente] a Terra com o Livro de Mórmon. (…) Nesta era de meios de comunicação eletrônica e distribuição [em grande escala da palavra impressa], Deus nos responsabilizará se não propagarmos o Livro de Mórmon de forma monumental. Nós temos o Livro de Mórmon, temos os membros, temos os missionários, temos os meios e o mundo tem a necessidade. A hora é agora!” (A Liahona, janeiro de 1989, pp. 3–4.)

Saliente que o Livro de Mórmon, que foi traduzido por um profeta jovem que estava em uma situação difícil, agora, está inundando a Terra. O Livro de Mórmon, ou trechos dele, já foi publicado em mais de 90 línguas. Mais de cem milhões de exemplares já foram impressos.

Conclusão

Fale de como é grato pelo Livro de Mórmon e reconheça a mão do Senhor em seu surgimento. Incentive os alunos a darem mais atenção ao Livro de Mórmon.

Preste testemunho sobre o impacto que o Livro de Mórmon teve em sua vida.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar uma ou mais das seguintes idéias para complementar o plano de aula sugerido.

1. As profecias da Bíblia que Morôni citou para Joseph Smith

De acordo com Joseph Smith—História 1:36–49, Morôni citou quatro vezes as seguintes profecias da Bíblia para Joseph Smith. Leia cada uma delas com os alunos e discutam o seu significado e cumprimento.

  1. a.

    Malaquias 3. (Observe que Morôni citou somente parte desse capítulo.)

  2. b.

    Malaquias 4. (Ver também Joseph Smith—História 1:37–39.)

  3. c.

    Isaías 11. (Ver também D&C 113:1–6.)

  4. d.

    Atos 3:22–23

  5. e.

    Joel 2:28–32

2. Doutrina e Convênios: outra testemunha do Livro de Mórmon

O Presidente Ezra Taft Benson ensinou: “Excluindo as testemunhas do Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios é sem dúvida a maior testemunha e evidência da veracidade do Livro de Mórmon que temos do Senhor”. (A Liahona, julho de 1987, p. 83.)

O Presidente Benson citou treze seções de Doutrina e Convênios que testificam do Livro de Mórmon: D&C 1, 3, 5, 8, 10–11, 17–18, 20, 27, 42, 84 e 135. Sugerese que você estude essas seções quando se estiver preparando para dar a aula.

3. Achegar-se a Deus por intermédio do Livro de Mórmon

O Profeta Joseph Smith disse: “Eu disse aos irmãos da Igreja que o Livro de Mórmon era mais correto do que qualquer outro livro na Terra e que era a pedra de esquina de nossa religião, e que os homens se achegariam mais a Deus vivendo de acordo com os seus preceitos do que de acordo com qualquer outro livro”. (History of the Church, 4:461)

O Presidente Ezra Taft Benson citou essas palavras e, depois, perguntou: Não há algo no fundo de nosso coração que nos faz ansiar por achegarmo-nos a Deus, por sermos mais semelhantes a Ele na vida diária, por sentirmos a Sua presença conosco sempre? Caso haja, o Livro de Mórmon, mais do que qualquer outro livro, irá ajudar-nos a fazê-lo”. [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), outubro de 1986, p. 6; Ensign, novembro de 1986, p. 7.]

4. “Traduziu pelo dom e poder de Deus” (D&C 135:3)

Joseph Smith terminou a tradução do Livro de Mórmon em aproximadamente 65 dias úteis. (“I Have a Question”, Ensign, janeiro de 1988, pp. 46–47.) O Élder Neal A. Maxwell, do Quórum dos Doze fez o seguinte comentário com respeito à rapidez desse processo:

“Um tradutor japonês SUD competente, cercado de obras de referência, dicionários e outros tradutores prontos a ajudar em caso de necessidade, disse que considerava produtivo o trabalho que resultasse em uma página final bem feita por dia. E ele está traduzindo do japonês antigo para o moderno! Mais de 50 estudiosos ingleses passaram sete anos trabalhando, utilizando traduções anteriores, para produzir a versão do rei Jaime da Bíblia em inglês, fazendo a média de uma preciosa página por dia. O Profeta Joseph Smith às vezes produzia dez páginas por dia! {Ver o periódico Insights: An Ancient Window [Provo, Utah: Foundation for Ancient Research and Mormon Studies (F.A.R.M.S), fevereiro de 1986] p. 1.}

Outro fato impressionante no processo de tradução do Livro de Mórmon é que, pelo que sabemos, raramente Joseph voltava, recapitulava ou revisava o que já tinha sido escrito. O fluxo da tradução era constante. (…)

Emma Smith disse o seguinte desse processo inspirado: ‘Depois das refeições ou depois de uma interrupção, [ Joseph] começava imediatamente de onde havia parado, sem ver o manuscrito e sem ouvir a leitura de um trecho dele.’ (“Last Testimony of Sister Emma”, Saints´ Herald, 1º de outubro de 1879, p. 290.) Normalmente, as pessoas que estão anotando um ditado, ao serem interrompidas retomam a tarefa perguntando: ‘Então, onde estávamos?’ O Profeta não!

Quem cria um texto precisa constantemente repassar o que fez, fazer correções e verificar a coerência. Se o profeta houvesse ditado e feito muitas revisões, haveria mais indícios disso, mas não era necessário revisar um texto ditado por Deus. Quaisquer que tenham sido os detalhes do processo de tradução, estamos falando de algo que foi verdadeiramente espantoso!” (“By the Gift and Power of God”, Ensign, janeiro de 1997, pp. 39–40.)

Atualmente, os milagres continuam a acontecer à medida em que o Livro de Mórmon é traduzido para muitas línguas. Conte a seguinte história relatada por Priscilla Sampson-Davis, membro da Igreja em Ghana:

“Mais ou menos dois anos depois do meu batismo, tive uma visão. (…) Vi-me em uma reunião sacramental e um homem de branco parou em frente ao púlpito e chamou-me. Eu fui até a frente e fiquei ao lado dele, que pediu que eu me virasse e olhasse para o rosto das pessoas para ver se elas estavam gostando da reunião. Olhei e disse que não via nada de diferente na expressão delas. Então o homem de branco pediu-me que olhasse com atenção. Eu vi que algumas das pessoas na congregação haviam abaixado a cabeça. O homem perguntou-me porque elas não estavam cantando. Disse-lhe que não sabiam ler em inglês e, portanto, não podiam cantar; por isso abaixaram a cabeça. Ele perguntou-me se eu gostaria de ajudar minhas irmãs e irmãos (…) a cantar louvores ao nosso Pai Celestial. Eu sabia falar fante [o dialeto desse povo], mas não sabia escrever bem. Contudo, não me recusei; disse que tentaria, que daria o melhor de mim. Então a visão terminou. Levantei-me imediatamente, peguei papel e lápis e comecei a traduzir o hino ‘Cantando Louvamos’ para o fante.”

A irmã Sampsom-Davis traduziu os hinos, alguns folhetos missionários e o manual Princípios do Evangelho. Depois, foi designada para auxiliar na tradução do Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e A Pérola de Grande Valor. Ela comentou: “As escrituras dizem que nos últimos dias os povos ouviriam o evangelho em sua própria língua. Era isso o que o Senhor queria que eu fizesse e, graças a Ele, foi o que fiz”. [“An Instrument in His Hands”, All Are Alike unto God, Dale LeBaron (org.), 1990, pp. 40–42.]

5. “Não corras mais depressa nem trabalhes mais do que te permitam as tuas forças” (D&C 10:4)

• Que conselho Joseph Smith recebeu do Senhor quando enfrentou a tarefa descomunal de traduzir o Livro de Mórmon? (Ver D&C 10:4–5.) Como esse conselho pode ajudar-nos nos momentos em que temos tarefas ou responsabilidades difíceis?

6. Vídeos

Caso o vídeo Ensinamentos de Doutrina e Convênios e História da Igreja (5x933 059) esteja disponível, leve em consideração a possibilidade de exibir “A Obra de Deus”. Esse segmento de treze minutos mostra a história das 116 páginas perdidas do manuscrito. Utilize o vídeo para salientar que “as obras e os desígnios e os propósitos de Deus não podem ser frustrados nem podem se dissipar”. (D&C 3:1) Utilize as perguntas da segunda parte desta lição para discutir esse princípio.

Caso o vídeo Doutrina e Convênios e História da Igreja (5x912 059) esteja disponível, considere a idéia de exibir ”Parley P. Pratt Encontra o Livro de Mórmon”, que é um segmento de onze minutos. Depois do vídeo, faça estas perguntas:

• Vocês gostam tanto de ler o Livro de Mórmon quanto Parley P. Pratt gostou da primeira vez que o leu? O que vocês podem fazer para que o Livro de Mórmon passe a ser mais essencial em sua vida? (Sugere-se que você diga aos alunos que ponderem essas perguntas em silêncio.)

• Vocês já viram o cumprimento das promessas do Presidente Benson? Como?