“Cada Membro É um Missionário”

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Inspirar os alunos a participarem da divulgação do evangelho em todo o mundo e do fortalecimento dos recém-conversos.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude as seguintes escrituras e outros materiais:

    1. a.

      Doutrina e Convênios 1:4–5, 30; 65; 88:81; 109:72–74.

    2. b.

      Nosso Legado, páginas 116–117, 124–125.

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Peça a dois alunos que se preparem para resumir as informações relacionadas aos seguintes assuntos que se encontram em Nosso Legado:

    1. a.

      A obra missionária na administração do Presidente David O. McKay. (Páginas 116–117)

    2. b.

      O discurso do Presidente Spencer W. Kimball aos representantes regionais da Igreja. (Os dois primeiros parágrafos iniciados na página 125.)

  4. 4.

    Sugere-se que você peça a um ou dois alunos que se converteram à Igreja que falem brevemente do que sentiram quando eram membros novos. Peça-lhes que falem de como os outros membros os ajudaram. Sugira também o que os outros membros poderiam ter feito para prestar-lhes maior auxílio.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja mais adequado e utilize esta atividade ou outra de sua preferência para iniciar a aula.

Antes da aula, escreva o seguinte no quadro-negro:

Inglaterra

Alemanha

China

Taiti

Tonga

Samoa

Austrália

Turquia

Nova Zelândia

Islândia

México

América do Sul

Itália

Japão

França

Suíça

Checoslováquia

Havaí

• Em quais desses lugares vocês acham que os missionários estiveram nos primeiros vinte anos depois da organização da Igreja?

O Presidente Spencer W. Kimball disse: “Quando leio a história da Igreja, fico espantado com a intrepidez que as primeiras autoridades gerais da Igreja demonstraram saindo pelo mundo. Parece que sempre conseguiam um meio. (…) Ainda em 1837, os Doze estiveram na Inglaterra lutando contra Satanás; estiveram no Taiti em 1844; na Austrália, em 1851, na Islândia, [em] 1853; na Itália, [em] 1850 e também na Suíça, Alemanha, Tonga, Turquia, México, Japão, Checoslováquia, China, Samoa, Nova Zelândia, América do Sul, França e Havaí, em 1850. (…) Grande parte desse trabalho inicial de proselitismo foi realizado enquanto os líderes estavam subindo as Montanhas Rochosas, cultivando o solo e começando a construir as casas. Isso é que é fé, é mais do que fé”. (“When the World Will Be Converted”, Ensign, outubro de 1974, p. 6.)

Saliente que desde os primeiros dias após a Restauração, os líderes da Igreja vêm tentando cumprir a missão de levar o evangelho a todo o mundo. O Presidente Kimball falou da certeza que tinha de que continuaríamos a fazê-lo: “De alguma forma, (…) acho que depois que tivermos feito tudo o que estiver ao nosso alcance, o Senhor encontrará um meio de abrir as portas. É nisso que acredito”. (Ensign, outubro de 1974, p. 7.)

Diga que esta lição trata de alguns dos meios pelos quais o evangelho vem sendo propagado em todo o mundo.

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Incentive-os a contarem experiências relacionadas aos princípios das escrituras.

1. A Igreja está saindo da obscuridade.

O curso deste ano mostrou como a Igreja começou com um pequeno grupo de pessoas pouco conhecidas. Atualmente, ela cresceu e tem membros em quase todos os países do mundo. No início da história da Igreja, com as lutas, a perseguição e a pobreza, seria difícil de compreender esse crescimento fantástico, mas o Senhor revelou o destino maravilhoso de Sua Igreja por intermédio do Profeta Joseph Smith.

Peça aos alunos que leiam as seguintes escrituras e que comentem o que cada uma ensina quanto ao destino da Igreja.

  1. a.

    D&C 1:30. (Quem fosse chamado por Deus para guiar a Sua Igreja teria o poder de tirá-la da obscuridade.)

  2. b.

    D&C 65:1–6. (O evangelho rolará até encher toda a Terra. Quem o receber estará preparado para a Segunda Vinda do Salvador.)

  3. c.

    D&C 109:72–74. (A Igreja encherá toda a Terra; sairá do ermo e resplandecerá “brilhante como o sol”.)

O Profeta Joseph Smith declarou: “Não há mão impura capaz de deter o progresso da obra: haja terríveis perseguições, formem-se as turbas, reúnam-se os exércitos, difame a calúnia; a verdade de Deus irá adiante intrépida, nobre e independente até chegar a todos os continentes, passará por todos os climas, varrerá todos os países e soará em todos os ouvidos; até que os propósitos de Deus sejam alcançados e o Grandioso Jeová diga que a obra está terminada”. (History of the Church, 4:540)

• Citem algumas das maneiras pelas quais a Igreja vem saindo da obscuridade em todo o mundo.

2. Os profetas dos últimos dias desafiaram-nos a levar o evangelho a todo o mundo.

Diga que o trabalho missionário realizado pelos membros em todo o mundo é um fator importante no progresso da Igreja. Os profetas dos últimos dias vêmnos desafiando a empenharmo-nos mais em divulgar o evangelho, tanto no papel de membros missionários como no de missionários de tempo integral.

O Presidente David O. McKay ficou famoso com a frase: “Cada membro é um missionário”. Peça ao aluno designado que fale da obra missionária durante a administração do Presidente McKay. (Nosso Legado, pp. 116–117.)

Posteriormente, o Presidente Spencer W. Kimball fez um apelo aos membros, dizendo-lhes que acelerassem o ritmo com que realizavam o serviço missionário. Pediu aos membros que rogassem em oração que as nações abrissem as portas para a pregação do evangelho e para que aumentassem o número de missionários preparados, de modo que pudéssemos entrar nesses países. Peça ao aluno designado que fale do discurso do Presidente Kimball feito aos representantes regionais. (Nosso Legado, página 125, dois primeiros parágrafos.) Explique que a visão do Presidente Kimball acerca da expansão da obra missionária na Terra está-se concretizando atualmente.

O Presidente Gordon B. Hinckley ensinou que cada um tem a responsabilidade de levar a efeito esta visão de como o evangelho encheria a Terra:

“Mas, e o futuro? E os anos que estão à nossa frente? Parecem realmente promissores. As pessoas estão começando a ver-nos como realmente somos e reconhecer os valores que professamos. (…)

Se seguirmos adiante, sem perder de vista nossa meta, sem falar mal de ninguém, vivendo os grandiosos princípios que sabemos ser verdadeiros, esta obra irá avante em majestade e poder até encher a Terra. As portas que hoje estão fechadas à pregação do evangelho serão abertas. O Todo-Poderoso, se necessário, talvez tenha de sacudir as nações para torná-las humildes e fazer com que dêem ouvidos aos servos do Deus vivo. Tudo o que for necessário acontecerá.

Os maiores desafios que iremos enfrentar e a chave do sucesso deste trabalho é a fé de todos aqueles que se chamam santos dos últimos dias.” (A Liahona, janeiro de 1998, p. 78.)

• Como essas profecias de que o evangelho encheria a Terra estão sendo cumpridas?

3. “Cada membro é um missionário.”

• Leia D&C 1:4–5 e 88:81 com os alunos. O que essas passagens ensinam quanto à nossa responsabilidade de falar do evangelho?

• O que cada um deve fazer para ajudar na obra missionária? (Utilize as seguintes informações para comentar ou complementar as respostas dos membros. Escreva os subtítulos no quadro-negro à medida em que forem falando a respeito de cada um.)

Preparar-se para servir como missionário de tempo integral

• O que podemos fazer para nos prepararmos para servir como missionários de tempo integral? Por que é importante que nos preparemos antes de sermos chamados?

O Presidente Spencer W. Kimball disse: “Quando peço mais missionários, não estou pedindo mais missionários sem testemunho ou indignos. Estou pedindo que comecemos mais cedo a treinar melhor os nossos missionários em cada ramo e ala do mundo. (…) Os jovens [devem] compreender que servir como missionário é um grande privilégio e que precisam estar bem física, mental e espiritualmente, e que o ‘Senhor, não [pode] encarar o pecado com o mínimo grau de tolerância’”. (D&C 1:31) (“When the World Will Be Converted”, Ensign, outubro de 1974, p. 7.)

• Como os pais e outros adultos podem ajudar os jovens a se prepararem para ser missionários de tempo integral? (Algumas das respostas possíveis são que podem ensiná-los a ser dignos e estar preparados para atender ao chamado missionário na época certa, podem contar-lhes experiências relacionadas à missão, falar-lhes das alegrias e bênçãos que a obra missionária proporciona, contar-lhes a história de sua conversão ou da de seus antepassados, abrir uma poupança missionária para eles e ensinar-lhes a trabalharem arduamente.)

• Que dificuldades os jovens enfrentam durante a preparação para servirem como missionários de tempo integral? Como podem vencer essas dificuldades? Que dificuldades os membros mais velhos enfrentam ao se prepararem para servir como missionários de tempo integral? Como podem vencer essas dificuldades?

Servir como missionários de tempo integral

• Quem deve servir como missionário de tempo integral?

Todos os rapazes dignos e capazes na faixa etária de 19 a 25 anos devem servir como missionários de tempo integral. Para esses rapazes, o serviço missionário em tempo integral é uma responsabilidade do sacerdócio. As mulheres de 21 anos ou mais também podem receber a recomendação para servir como missionárias de tempo integral, caso desejem. Também se incentivam os casais mais velhos a servirem como missionários de tempo integral, caso estejam capacitados a fazê-lo. Todos os missionários têm de ser dignos.

O Élder David B. Haight, do Quórum dos Doze, deu este conselho: “A meta de todos os casais da Igreja fisicamente capazes deveria ser exatamente a mesma que a de todos os rapazes de 19 anos da Igreja: servir como missionários. Não há melhor exemplo, melhor testemunho que os pais prestem aos filhos ou netos do que o que prestam servindo como missionários depois de chegarem ao outono da vida”. [Conference Report (Relatório da Conferência Geral), abril de 1987, p.73; Ensign, maio de 1987, p. 61.]

Apoiar os missionários de tempo integral

• Como podemos apoiar quem atualmente está servindo como missionário? (Algumas das respostas possíveis são: pedindo por eles em nossas orações, escrevendo cartas de incentivo e contribuindo para o fundo missionário da ala ou do ramo, ou para o Fundo Missionário Geral. Podemos apoiar os missionários que estão servindo em nossa região, ajudando-os a encontrar pesquisadores e a ensiná-los ou auxiliando-os de alguma outra forma.)

O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “(…) Meus irmãos e irmãs, podemos deixar os missionários procurarem fazer isso sozinhos ou podemos ajudá-los. Se eles fizerem isso sozinhos, terão que bater em portas dia após dia, e a colheita será pequena. Ou os membros podem ajudá-los a encontrar e ensinar os pesquisadores”. (“Encontrem as Ovelhas e Apacentem-nas” A Liahona, julho de 1999, p. 121.)

Falar do evangelho durante toda a nossa vida

• Por que é importante que falemos do evangelho a outras pessoas durante toda a nossa vida? Falem de experiências que tiveram ao falarem do evangelho a outras pessoas.

• Por que às vezes temos medo de falar do evangelho? O que podemos fazer para vencer o medo?

• Algum de vocês filiou-se à Igreja devido à influência do exemplo e da amizade de um membro da Igreja? Como os atos desse membro da Igreja o influenciaram?

• Falem de algumas coisas que podemos fazer em nossa vida cotidiana para falar do evangelho a outras pessoas. (A seguinte lista contém algumas das respostas possíveis.)

  1. a.

    Dar bom exemplo aos membros da família, vizinhos e amigos.

  2. b.

    Dar exemplares do Livro de Mórmon.

  3. c.

    Dar aos missionários o nome de pessoas interessadas.

  4. d.

    Falar a outras pessoas o que sentimos com referência ao evangelho.

  5. e.

    Convidar as pessoas a irem a atividades, reuniões e serões da Igreja.

  6. f.

    Convidar as pessoas para participar de reuniões familiares e atividades da comunidade.

  7. g.

    Convidar quem se interesse por genealogia a visitar um Centro de História da Família.

  8. h.

    Convidar as pessoas a assistirem às reuniões batismais.

O Presidente Spencer W. Kimball disse: “Parece-me que o Senhor escolheu as palavras ao dizer que [o evangelho tem de chegar a] ‘todas as nações’, ‘todas as terras’, ‘[aos] confins da Terra’, ‘[a toda] língua’, ‘[todo] povo’, ‘toda alma’, ‘todo o mundo’, ‘muitas terras’. Certamente que essas palavras têm significado! (…) Pergunto-me se estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance. Estamos acomodados com o nosso método de ensinar o evangelho ao mundo? (…) Estamos preparados para apressar o passo? Para ampliar a visão? (Ensign, outubro de 1974, p. 5.)

• O que podemos fazer individualmente, na vida cotidiana, para apressar o nosso passo no que se refere a divulgar o evangelho?

O Presidente Kimball disse também: “A nossa maior necessidade e o nosso maior chamado é levar a chama do entendimento às pessoas deste mundo, para alumiar-lhes o caminho, tirando-as da escuridão e das trevas e levando-lhes a alegria, paz e as verdades do evangelho. Acredito que não devamos nos cansar de fazer o bem. Acredito que este seja o momento de, mais uma vez, perguntarmos a nós mesmos: ‘O que posso fazer para ajudar a levar o evangelho a outras pessoas e aos povos do mundo?’” (“Are We Doing All We Can?”, Ensign, fevereiro de 1983, p. 5.)

O Presidente Hinckley pediu que todos os líderes do sacerdócio aceitassem a responsabilidade e dessem o exemplo no que se refere a encontrar pesquisadores e a fazer amizade com eles. Ele pediu que, de tempos em tempos, esse assunto fosse abordado nas reuniões sacramentais, e que as reuniões do sacerdócio, da Sociedade de Socorro, das Moças, da Primária, do conselho da ala e do conselho da estaca fossem utilizadas para planejar meios de encontrar pesquisadores e de fazer amizade com eles. (Ver A Liahona, julho de 1999, p. 121.)

4. Temos a responsabilidade perene de fortalecer os recém-conversos.

Escreva a seguinte declaração no quadro-negro: “Todo pesquisador digno de ser batizado é um converso digno de ser salvo”. (A Liahona, julho de 1999, p. 123.)

Diga que todos os anos, milhares de conversos filiam-se à Igreja. Esses membros novos precisam ser nutridos e fortalecidos por todos nós.

• Por que, para os recém-conversos, às vezes é difícil permanecer em plena atividade na Igreja?

O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “Não é fácil tornar-se membro desta Igreja. Na maioria dos casos, isso acarreta o abandono de velhos hábitos, velhos amigos e companheiros e a adaptação a uma nova sociedade, diferente e um tanto exigente.” (A Liahona, julho de 1997, p. 53.)

• O que os recém-conversos podem fazer para se fortalecerem? O que os outros membros podem fazer para fortalecer os recém-conversos? Falem de coisas que vocês tenham visto os membros fazerem para conseguir isso e que tenham surtido bom efeito.

O Presidente Hinckley ensinou que “todo recém converso precisa de três coisas:

1. Um amigo na Igreja a quem possa recorrer, que caminhe a seu lado, que responda a suas perguntas, que compreenda seus problemas.

2. Uma designação. A atividade é a característica marcante desta Igreja. É por meio desse processo que crescemos. A fé e o amor pelo Senhor são como os músculos do braço. Se os usarmos, eles ficam mais fortes. Se eu colocar o braço em uma tipóia, ele se torna mais fraco. Todo converso merece uma responsabilidade. (…)

3. Todos os conversos precisam ser ‘nutridos pela boa palavra de Deus’. (Morôni 6:4) É essencial que eles sejam integrados em um quórum do sacerdócio ou na Sociedade de Socorro, nas Moças, na Escola Dominical ou na Primária. O recém-converso precisa ser incentivado a freqüentar a reunião sacramental. (A Liahona, julho de 1999, pp. 122–123.)

Caso você tenha pedido a alguns alunos que falem de como se sentiam quando eram membros novos da Igreja, peça-lhes que o façam neste momento. (Ver a seção “Preparação”, item 4.)

Conclusão

Saliente que o Senhor está guiando a Sua Igreja e abrindo o caminho para que o evangelho seja levado a toda a Terra. Incentive os alunos a apressarem o passo enquanto se preparam para servir como missionários de tempo integral e a falar do evangelho com quem estiver à volta deles. Incentive-os também a nutrir e fortalecer os membros novos. Conforme a orientação do Espírito, preste testemunho das verdades abordadas durante a aula.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar a seguinte idéia para complementar o plano de aula sugerido.

Vídeo Um Estandarte para as Nações

Caso a fita de vídeo Um Estandarte para as Nações (53980 059) esteja disponível, considere a idéia de exibir um trecho dela durante a aula. Esse vídeo contém histórias inspiradoras do crescimento da Igreja na Europa, nas ilhas do Pacífico, na América Latina, Ásia e África, e termina mostrando vários templos e pessoas de todo o mundo cantando o hino “Fé a Cada Passo”.

Como o vídeo tem uma hora de duração, não será possível exibi-lo na íntegra durante a aula, mas você deve assisti-lo de antemão e encontrar um trecho que seja particularmente inspirador para os seus alunos.