“A Família Foi Ordenada por Deus”

Doutrina e Convênios e História da Igreja: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho, 2000


Objetivo

Ajudar os alunos a compreenderem a importância eterna da família e inspirá-los a fortalecerem a própria família.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude “A Família: Proclamação ao Mundo”. (A Liahona, janeiro de 1996, p.114.) Cada aluno deveria ter uma cópia da proclamação para consultar durante a aula. Ela encontra-se na página 265 deste manual e nas páginas 25–26 do Guia de Estudo do Aluno (35686 059). Ela existe também como material avulso (35602 059 e 35538 059).

  2. 2.

    Estude o material do Guia de Estudo do Aluno (35686 059) referente a esta lição. Prepare-se para utilizá-lo durante a aula.

  3. 3.

    Caso utilize a atividade motivadora, prepare o que for preciso para que os alunos cantem “As Famílias Poderão Ser Eternas”, (Hinos, nº 191; Músicas para Crianças, p. 98) ou peça que algumas crianças da Primária venham cantá-lo em sua classe.

Observação para o professor: A situação familiar dos membros pode ser diversa. Esteja atento à essas diferenças e saliente que todos pertencem a uma família e têm pais terrenos e pais celestiais.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Considere o que seja mais adequado e utilize esta atividade ou outra de sua preferência para iniciar a aula.

Peça aos alunos que cantem “As Famílias Poderão Ser Eternas”, ou convide um grupo de crianças da Primária para fazê-lo. (Ver “Preparação”, item 3.)

Depois da música, lembre aos alunos as palavras do refrão, que nos dizem que o Senhor mostrou-nos o que fazer para sermos merecedores de viver com a nossa família eternamente.

Diga que o tema desta lição é “A Família: Proclamação ao Mundo”, que contém os ensinamentos do Senhor quanto à família, revelados por intermédio da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze. Caso sigamos esses ensinamentos, fortaleceremos a família, faremos com que seja unida no presente e nos prepararemos para viver em família eternamente.

Discussão e Aplicação

Em espírito de oração, escolha as partes da lição mais adequadas às necessidades dos alunos. Incentive-os a contarem experiências relacionadas aos princípios que você abordar.

1. A família é essencial ao plano de Deus.

Diga que “A Família: Proclamação ao Mundo” foi apresentada pelo Presidente Gordon B. Hinckley na reunião geral da Sociedade de Socorro de setembro de 1995. Dessa época em diante, foi reimpressa em muitas línguas no mundo inteiro, tanto por membros da Igreja quanto por outras pessoas, e os governantes de muitos países receberam uma cópia de presente.

Peça a um aluno que leia o título, o subtítulo e os dois primeiros parágrafos da proclamação.

• O que está acontecendo em nossa própria família, no lugar onde moramos e no país que indica que precisamos receber esse conselho e advertência dos profetas de Deus?

Presidente Gordon B. Hinckley ensinou: “Por que a proclamação sobre a família foi feita em nossos dias? Porque a família está sob ataque. Em todo o mundo as famílias estão desintegrando-se. O lar é o lugar a partir do qual devemos começar a melhorar a sociedade. As crianças comportam-se, na maioria das vezes, da maneira como foram ensinadas a agir. Fortalecendo a família estaremos tornando o mundo melhor”. (“Pensamentos Inspiradores”, A Liahona, agosto de 1997, p. 5.)

• A proclamação afirma que o casamento e a família foram “ordenados por Deus” e que são “[essenciais] ao [Seu] plano para o destino eterno de Seus filhos”. Por que a família é essencial ao plano de Deus para o destino eterno de Seus filhos? (Ver D&C 131:1–4; I Coríntios 11:11.)

• A proclamação declara que somos todos filhos espirituais de Deus, criados à Sua imagem. (Ver também Gênesis 1:26–27.) O que essa doutrina ensina sobre o nosso potencial? Em que saber que vocês fazem parte da família do Pai Celestial influencia o que sentem pela família que têm aqui na Terra? Como essa doutrina nos fortalece?

2. As ordenanças sagradas tornam possível que as famílias permaneçam unidas eternamente.

Peça a um aluno que leia o terceiro parágrafo da proclamação.

• O que esse parágrafo ensina quanto ao propósito da vida mortal? Em que a nossa vida terrena pode contribuir para o nosso progresso eterno?

• O que é preciso para que o casamento e a família sejam eternos? (O casal tem de passar pela ordenança do selamento no templo e guardar os convênios referentes a essa ordenança.)

• Como podemos aumentar o nosso senso de compromisso no que se refere a guardar os convênios do templo? De que forma os pais podem ajudar os filhos a se prepararem para entrar no templo?

• Como a promessa de vida eterna em família pode alterar o modo como tratamos os outros membros da família atualmente?

3. O meio pelo qual a vida mortal é criada é sagrado.

Peça a um aluno que leia o quarto e o quinto parágrafos da proclamação.

• O que Deus ordenou com relação à utilização do meio pelo qual a vida mortal é criada? Por que é importante que obedeçamos a esse mandamento?

O Élder Henry B. Eyring, do Quórum dos Doze, ensinou:

“Os filhos são a herança que Deus nos deu nesta vida e também na eternidade. A vida eterna é não apenas ter para sempre os nossos descendentes desta vida. Significa também ter progênie eterna. (…)

Podemos assim entender porque nosso Pai Celestial ordenou que tivéssemos respeito pela vida e considerássemos sagrados os poderes que a produzem. Se não tivermos esse respeito nesta vida, como o Pai nos poderá concedê-los na eternidade?” (“A Família”, A Liahona, outubro de 1998, pp. 17, 19.)

O Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze, ensinou: “O corpo é uma parte essencial da alma. (…) Declaramos que aquele que utiliza o corpo de outra pessoa sem aprovação divina, corpo esse que foi dado por Deus, ofende a alma desse indivíduo, viola os principais propósitos e processos da vida. (…) Quando o assunto é transgressão sexual é a alma que está em risco; o corpo e o espírito.(A Liahona, janeiro de 1999, p. 91.)

• O que os pais podem fazer para ajudar os filhos a compreenderem o quanto a pureza moral é importante? [Você poderia sugerir que os pais estudassem com os filhos os ensinamentos quanto à pureza moral que se encontram em Para o Vigor da Juventude (34285 059) ou no Guia para os Pais (31125 059).]

4. Os pais têm o dever sagrado de cuidar um do outro e de ensinar os filhos.

Peça a um aluno que leia o sexto parágrafo da proclamação.

• O que o marido e a mulher poderiam fazer para aumentar o amor que têm um pelo outro?

O Presidente Gordon B. Hinckley ensinou: “Quando se casarem, sejam absolutamente leais um ao outro. O egoísmo é o grande destruidor da vida familiar feliz. Se fizerem do conforto, bem-estar e felicidade de seu cônjuge a preocupação principal de sua vida, sacrificando quaisquer preocupações pessoais em favor desse objetivo mais elevado, vocês serão felizes e seu casamento durará por toda a eternidade”. (A Liahona, abril de 1996, p. 10.)

• Que bênçãos os filhos recebem quando os pais se amam e cuidam um do outro?

• O que os pais devem ensinar aos filhos? (Ver Mosias 4:14–15; D&C 68:25–28; 93:40.) Citem alguns métodos eficientes de ensinar esses princípios aos filhos. Falem de como os ensinamentos de seus pais lhes têm sido úteis.

• Citem algumas das ocasiões em que os pais têm a oportunidade de ensinar os filhos. (Algumas das respostas possíveis são: durante a noite familiar, oração familiar, à hora das refeições, na hora de ir dormir, viajando juntos e trabalhando juntos.)

• Qual é o papel da Igreja no que se refere à educação dos filhos? (Ver a próxima citação.) Como os pais podem trabalhar em conjunto com a Igreja para ensinar os filhos?

O Presidente Spencer W. Kimball disse: “Os pais são responsáveis por ensinar os filhos. O papel da Escola Dominical, da Primária, [da Mutual] e das outras organizações da Igreja é secundário”. (The Teachings of Spencer W. Kimball, Edward L. Kimball, 1982, p. 332.)

5. Os casamentos e as famílias de sucesso têm como alicerce os princípios corretos.

Peça a um aluno que leia o sétimo parágrafo da proclamação.

• A proclamação ensina que “a felicidade na vida familiar é mais provável de ser alcançada quando fundamentada nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo”.

Como os ensinamentos de Jesus Cristo proporcionaram felicidade à sua família?

• A proclamação diz que “o casamento e a família bem-sucedidos são estabelecidos e mantidos sob os princípios da fé, da oração, do arrependimento, do respeito, do amor, da compaixão, do trabalho e de atividades recreativas salutares”. Quais desses princípios vêm sendo mais importantes no seu casamento e na sua família? Citem alguns métodos eficientes que têm encontrado para ensinar esses princípios à sua família. (Sugere-se que você concentre a atenção em somente um ou dois desses princípios, conforme o que o Espírito lhe inspire. Caso queira utilizar mais tempo estudando esta parte da proclamação, veja a quarta sugestão didática complementar.)

• De acordo com a proclamação, quais são as principais responsabilidades do pai? O que significa “presidir (…) com amor e retidão”? (Ver D&C 121:41–46.)

• O que os meninos e os rapazes poderiam fazer para preparar-se desde já para sustentar a futura família? O que os pais podem fazer para incentivar os jovens a freqüentarem a escola e a ganharem conhecimento profissional?

• Qual é a principal responsabilidade que a proclamação atribui à mãe? O que as moças poderiam fazer para prepararem-se desde já para arcar com essa responsabilidade?

O Presidente Gordon B. Hinckley ensinou:

“(…) Se é preciso voltar aos antigos e sagrados valores do passado, (…) isso precisa começar pelo lar. É ali que se aprende a verdade, que a integridade é cultivada, que a autodisciplina é instilada e que o amor é nutrido. (…)

Irmãs, protejam seus filhos. (…) Nada é mais precioso para vocês, mães, absolutamente nada. Seus filhos são a coisa mais valiosa que terão nesta vida ou em toda a eternidade. Vocês serão realmente afortunadas se, quando ficarem mais idosas e olharem para aqueles que trouxeram ao mundo, souberem que são retos, virtuosos e íntegros.” (“Andar na Luz do Senhor”, A Liahona, janeiro de 1999, pp. 117, 118.)

• Como os pais podem ajudar a cuidar dos filhos? Por que é importante que pai e mãe ajudem um ao outro como parceiros iguais?

6. Todos são responsáveis pelo fortalecimento da família.

Peça a um aluno que leia os dois últimos parágrafos da proclamação.

• A conclusão da proclamação é uma advertência quanto às sérias conseqüências da desintegração da família e um apelo a que todos contribuam para o seu fortalecimento. O que poderíamos fazer individualmente e em família para promover famílias mais fortes em nossa própria comunidade?

O Presidente Gordon B. Hinckley disse o seguinte a um grupo de prefeitos e outras autoridades públicas: “Digo a vocês, que são homens e mulheres influentes, que administram as cidades do país, digo-lhes que será muito menos dispendioso reformar as nossas escolas e ensinar as virtudes da boa cidadania, do que continuar a construir e manter cadeias e presídios caros. (…) Mas há outra instituição ainda mais importante do que as escolas: a família. Acredito que nenhuma nação pode elevar-se além da força de suas famílias”. (“U. S. Conference of Mayors”, Ensign, novembro de 1998, p. 109.)

• Por que não é possível que a nação subsista caso as famílias não sejam fortes?

Conclusão

Desafie os alunos a pensarem na própria família e ponderarem estas perguntas: Todos os membros da minha família sentem que eu os amo? Estamos empenhados em ser uma família eterna? O que posso fazer para fortalecer a minha família?

Preste testemunho da veracidade dos princípios citados na proclamação e incentive os alunos a estudá-la sempre e a aplicar o que ela ensina.

Sugestões Didáticas Complementares

Você pode utilizar uma ou mais das seguintes idéias para complementar o plano de aula sugerido.

1. Reconhecer e evitar os maus-tratos e o abuso

A proclamação avisa que “as pessoas (…) que maltratam o cônjuge ou os filhos (…) deverão um dia responder perante Deus pelo cumprimento dessas obrigações”. Os líderes da Igreja vêm manifestando-se contra todos os tipos de maus-tratos e abuso. Este trecho de uma mensagem do Presidente Gordon B. Hinckley aos portadores do sacerdócio é válida tanto para os homens como para as mulheres:

“Nunca maltratem sua mulher. Nunca maltratem seus filhos. Tomem-nos em seus braços e façam com que sintam seu amor, sua gratidão e seu respeito. Sejam bons maridos. Sejam bons pais.” (“Pensamentos Inspiradores” A Liahona, junho de 1999, p. 4.)

2. Vídeo “A Responsabilidade dos Pais”

Caso o vídeo Doutrina e Convênios e História da Igreja (5x912 059) esteja disponível, considere a idéia de apresentar “A Responsabilidade dos Pais”, que é um segmento de sete minutos. Peça aos alunos que tenham as seguintes perguntas em mente enquanto assistem à apresentação:

• Que bênçãos vocês receberam graças aos ensinamentos de seus pais? O que gostariam que os seus filhos aprendessem com vocês?

3. Mais uma declaração a respeito da família

Sugere-se que você leia a seguinte declaração do Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze:

“O plano do Pai é que o amor e o companheirismo da família continuem pelas eternidades. O fato de sermos membros de uma família traz consigo a grande responsabilidade de amarmos, edificarmos, fortalecermos e cuidarmos de cada um de seus integrantes, a fim de que todos perseverem em retidão até o fim da mortalidade e vivam juntos eternamente. Não basta apenas salvar a nós mesmos. É igualmente importante a salvação de pais, irmãos e irmãs de nossa família. Se voltarmos sozinhos para o Pai Celestial, Ele nos perguntará: ‘Onde está o restante da família?’” (A Liahona, janeiro de 1997, p. 70.)

4. Discussão em grupo

Escreva no quadro-negro os nove princípios para o sucesso do casamento e da família que são mencionados no sétimo parágrafo da proclamação (na frase que se inicia com as palavras “o casamento e a família bem-sucedidos”). Separe os alunos em grupos e dê um ou mais princípios para cada grupo. Peça-lhes que pensem no que podem fazer para ajudar a colocar em prática ou revigorar a aplicação desses princípios na própria família. Deixe os grupos discutirem o assunto por alguns minutos e, depois, peça que uma pessoa de cada grupo diga que idéias o grupo teve.

5. Conversar sobre a proclamação na noite familiar

Sugira que os alunos falem da proclamação sobre a família durante a noite familiar desta semana. Peça-lhes que se preparem para, na semana que vem, falar em classe do que fizerem.