Capítulo 40: O Trabalho do Templo e da História da Família

Princípios do Evangelho, (2011), 233–39


O Pai Celestial Quer que Seus Filhos Retornem a Sua Presença

A expiação de Jesus Cristo assegura-nos que ressuscitaremos e viveremos para sempre, mas, se quisermos viver eternamente com nossa família na presença do Pai Celestial, precisamos fazer tudo o que o Senhor nos ordenar. Isso inclui sermos batizados e confirmados e recebermos as ordenanças do templo.

Como membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, fomos batizados por alguém que possuía a devida autoridade do sacerdócio. Todos nós podemos também ir ao templo para receber as ordenanças de salvação do sacerdócio ali realizadas. Muitos dos filhos do Pai Celestial, porém, não tiveram essa oportunidade. Eles viveram numa época ou num lugar em que não conheceram o evangelho.

O Pai Celestial deseja que todos os Seus filhos retornem a Sua presença para viver com Ele. Para aqueles que morreram sem o batismo ou sem as ordenanças do templo, Ele preparou um meio para que isso acontecesse, ordenando que fizéssemos ordenanças por nossos antepassados nos templos.

Templos do Senhor

  • Por que os templos são importantes em nossa vida?

Para o professor: As gravuras podem despertar interesse e ajudar os alunos e aprender mais. Você pode pedir aos alunos ou familiares que ponderem seus sentimentos sobre o trabalho do templo enquanto olham para a gravura do templo deste capítulo.

Os templos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos são edifícios especialmente dedicados ao Senhor. Os membros dignos da Igreja vão ao templo para receber ordenanças sagradas e fazer convênios com Deus. Como o batismo, essas ordenanças e esses convênios são necessários para a nossa salvação e precisam ser realizados nos templos do Senhor.

Também vamos ao templo para aprender mais sobre o Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo. Adquirimos mais entendimento do propósito da vida e de nosso relacionamento com o Pai Celestial e Jesus. Aprendemos sobre nossa existência pré mortal, o significado da vida terrena e a vida após a morte.

As Ordenanças do Templo Selam as Famílias para Sempre

  • O que significa ser selado?

Todas as ordenanças do templo são realizadas pelo poder do sacerdócio. Por meio desse poder, as ordenanças realizadas na Terra são seladas ou ligadas nos céus. O Salvador ensinou aos Apóstolos: “Tudo o que ligares na terra será ligado nos céus” (Mateus 16:19; ver também D&C 132:7).

Somente nos templos podemos ser selados ou ligados para sempre como famílias. O casamento no templo une um casal como marido e mulher eternamente, se honrarem seus convênios. O batismo e todas as demais ordenanças nos preparam para essa ocasião sagrada.

Quando um homem e uma mulher se casam no templo, seus filhos também se tornam parte de sua família eterna. Os casais que se casaram no civil podem receber essas bênçãos preparando-se, junto com seus filhos, para irem ao templo e serem selados uns aos outros. Os filhos adotados legalmente podem ser selados aos pais que os adotaram.

  • O que um casal precisa fazer para que o poder selador seja eficaz em seu casamento?

Nossos Antepassados Precisam de Nossa Ajuda

  • Que responsabilidade temos para com nossos antepassados que morreram sem receber as ordenanças do sacerdócio?

Mario Cannamela casou-se com Maria Vitta em 1882. Eles moravam em Tripani, Itália, onde criaram sua família e passaram muitos anos maravilhosos juntos. Mario e Maria não ouviram a mensagem do evangelho restaurado de Jesus Cristo enquanto viveram. Não foram batizados e não tiveram a oportunidade de ir ao templo e ser selados como uma família eterna. Quando morreram, o casamento deles terminou.

Mais de um século depois, houve uma grande reunião. Os descendentes de Mario e Maria foram ao Templo de Los Angeles, onde um dos bisnetos e sua esposa se ajoelharam num altar e serviram como procuradores para o selamento de Mario e Maria. Os dois choraram ao partilharem da alegria de seus bisavós.

Muitos de nossos antepassados estão entre aqueles que morreram sem ouvir o evangelho enquanto viviam na Terra. Eles estão agora no mundo espiritual (ver capítulo 41 deste livro). Ali, o evangelho de Jesus Cristo está sendo ensinado a eles. Aqueles que aceitaram o evangelho estão esperando que sejam realizadas as ordenanças do templo por eles. Ao realizarmos essas ordenanças no templo por nossos antepassados, compartilhamos da mesma alegria que eles.

  • Como a doutrina de salvação para os mortos mostra a justiça, compaixão e misericórdia de Deus?

  • Que experiências vocês tiveram ao realizar o trabalho do templo por seus antepassados?

A História da Família — Como Começar a Ajudar Nossos Antepassados

  • Quais são os passos básicos do trabalho de história da família?

Os santos dos últimos dias são incentivados a participar de atividades que envolvam a história da família. Por meio dessas atividades, aprendemos a respeito de nossos antepassados a fim de podermos realizar as ordenanças por eles. A história da família envolve três passos básicos:

  1. 1.

    Identificar nossos antepassados;

  2. 2.

    Descobrir quais dos nossos antepassados precisam receber as ordenanças do templo;

  3. 3.

    Certificar-nos de que as ordenanças sejam realizadas em favor deles.

A maioria das alas e dos ramos têm consultores de história da família que podem responder a perguntas e orientar-nos quanto aos recursos de que necessitamos. Se a ala não tiver um consultor de história da família, o bispo ou presidente do ramo pode fornecer as informações.

Identificar Nossos Antepassados

Para realizar as ordenanças do templo pelos nossos antepassados precisamos saber seus nomes. Hoje, existem muitos recursos excelentes para ajudar-nos a identificar os nomes de nossos antepassados.

Um bom modo de começar a coletar informações a respeito dos nossos antepassados é verificar o que temos em casa. Talvez tenhamos certidões de nascimento ou casamento, ou atestados de óbito. Podemos talvez encontrar uma Bíblia da família, obituários, histórias da família e diários. Além disso, podemos pedir aos parentes as informações que possuem. Após coletar as informações em casa sobre nossos antepassados, podemos pesquisar outros recursos, como o website FamilySearch.org. Também podemos visitar um dos centros de história da família locais da Igreja.

O quanto descobrirmos dependerá das informações que estiverem ao nosso dispor. Talvez tenhamos poucas informações da família e não possamos fazer mais do que identificar nossos pais e avós. Se já tivermos uma boa coleção de registros familiares, conseguiremos identificar nossos antepassados de muitas gerações passadas.

Podemos também tomar nota das informações que coletarmos nas folhas de registro de grupo familiar e nos gráficos de linhagem.

Descobrir Quais de Nossos Antepassados Precisam Receber as Ordenanças do Templo

As ordenanças do templo têm sido realizadas em favor dos mortos desde os primórdios da Igreja. Consequentemente, algumas ordenanças talvez já tenham sido feitas por nossos antepassados. Para descobrir quais deles precisam receber essas ordenanças, podemos verificar em dois lugares. Primeiro, em nossos próprios registros familiares, que podem conter informações sobre o que já foi feito. Caso não encontremos nada, a Igreja tem um registro de todas as ordenanças que já foram realizadas no templo. O consultor de história da família de sua ala ou seu ramo pode ajudá-lo nesse trabalho.

Certificar-nos de que as Ordenanças Sejam Realizadas

Muitos de nossos antepassados no mundo espiritual podem estar ansiosos para receber as ordenanças do templo. Assim que identificarmos esses antepassados, precisamos providenciar as ordenanças para eles.

Uma das bênçãos do trabalho de história da família é a de ir ao templo e realizar as ordenanças em favor de nossos antepassados. Devemos preparar-nos para receber uma recomendação para o templo, de modo a podermos fazer esse trabalho, quando possível. Se nossos filhos tiverem doze anos ou mais, eles podem participar dessas bênçãos, sendo batizados e confirmados por seus antepassados.

Se não nos for possível ir ao templo para realizar essas ordenanças, o templo providenciará a sua realização por intermédio de outro membro da Igreja.

  • Como o Senhor ajudou vocês ou os membros de sua família a encontrar informações sobre seus antepassados?

Outras Oportunidades de Fazer a História da Família

  • Quais são algumas maneiras simples pelas quais alguém que tenha muitas outras responsabilidades possa participar do trabalho de história da família?

Além de realizarmos as ordenanças do templo para nossos antepassados que conhecemos, podemos ajudar os que estão no mundo espiritual de muitas outras formas. Precisamos buscar a orientação do Espírito Santo ao ponderar em oração sobre o que fazer. Dependendo das circunstâncias, podemos fazer o seguinte:

  1. 1.

    Frequentar o templo tanto quanto possível. Depois de ir ao templo para realizar as ordenanças em nosso favor, precisamos fazer o mesmo pelos que estão esperando no mundo espiritual.

  2. 2.

    Fazer uma pesquisa para identificar os antepassados mais difíceis de encontrar. Os consultores de história da família podem orientar-nos sobre os recursos úteis.

  3. 3.

    Ajudar no programa de indexação da Igreja. Por intermédio desse programa, os membros preparam informações genealógicas para serem usadas nos programas de computador de história da família da Igreja. Esses programas facilitam a identificação de nossos antepassados.

  4. 4.

    Fornecer informações sobre a história da sua família para os atuais programas de computador de história da família. Esses programas contêm genealogias fornecidas por pessoas do mundo inteiro e permitem que as pessoas compartilhem informações sobre sua família. Os consultores de história da família podem dar mais informações a respeito dos programas de computador da Igreja.

  5. 5.

    Participar de organizações familiares. Podemos fazer muito mais por nossos antepassados se trabalharmos em conjunto com outros membros da família.

  • Pensem no que vocês podem fazer para aumentar sua participação no trabalho do templo e da história da família.

Escrituras Adicionais