Lição 59

Levítico 12–18

Velho Testamento: Manual do Professor do Seminário


Introdução

O Senhor deu aos filhos de Israel leis e ordenanças que os abençoariam. Se eles seguissem essas leis e ordenanças, seriam fisicamente purificados e limpos dos pecados do mundo. O Senhor também instruiu Israel a respeito do Dia da Expiação. Além disso, Ele ordenou aos israelitas que não seguissem as práticas profanas dos egípcios e dos cananeus.

Sugestões Didáticas

Levítico 12–15

O Senhor estabelece leis e ordenanças pertinentes à higienização e à higiene física

Peça aos alunos que pensem em uma circunstância em que ficaram fisicamente muito sujos. Convide-os para ponderar sobre essa experiência enquanto você lê o seguinte relato do Presidente Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze Apóstolos, no qual ele e outros soldados, durante a Segunda Guerra Mundial, foram transportados através dos Estados Unidos em um trem de carga provido de beliches fixos à parede que eram armados à noite:

Presidente Boyd K. Packer

“Não pudemos trocar de roupa durante a viagem de seis dias. Estava muito quente. A fumaça e as cinzas que vinham da locomotiva tornavam a viagem muito desconfortável. Não tínhamos como tomar banho nem lavar o uniforme. Chegamos a Los Angeles numa manhã. (…)

A primeira coisa em que pensamos foi comida. Juntamos o dinheiro dos dez integrantes de nossa tripulação e fomos para o melhor restaurante que encontramos.

O lugar estava lotado e, portanto, tivemos de entrar em uma longa fila de espera para conseguir uma mesa. Eu era o primeiro da turma e estava logo atrás de um grupo de mulheres bem–vestidas. Sem sequer ter olhado para trás, a mulher elegante a minha frente notou nossa presença.

Olhou para trás. Depois, virou-se e examinou-me de alto a baixo. Lá estava eu em um uniforme suado, sujo, coberto de cinzas e todo amarrotado. Ela, então, disse em tom de repulsa: ‘Puxa! Que homens mais sujos!’ Todos olharam para nós.

É claro que ela preferia que não estivéssemos ali, e eu também. Senti-me ainda mais sujo, desconfortável e envergonhado” (“Purificados”, A Liahona, julho de 1997, p. 8).

  • A respeito da sensação de estarmos espiritualmente sujos, o quanto ela é similar à sensação de estarmos fisicamente sujos? (Você pode esclarecer aos alunos que, embora possamos sentir vergonha dos nossos pecados, podemos sentir esperança e saber que o poder da Expiação pode nos redimir.)

Peça aos alunos que ponderem sobre o que sentem a respeito de estar limpos espiritualmente diante de Deus. Convide os alunos para procurar, ao estudarem Levítico 12–15, verdades que nos ajudem a tornar-nos limpos de nossos pecados.

Peça a um aluno que leia Levítico 13:1–3 em voz alta. Peça à classe que acompanhe a leitura e identifique outra circunstância que levava uma pessoa a ser declarada imunda de acordo com a lei mosaica. Peça aos alunos que relatem o que encontrarem.

Explique-lhes que, no Velho Testamento, o termo lepra refere-se a uma variedade de doenças e condições da pele. As instruções contidas em Levítico 13 oferecem aos sacerdotes meios de diagnosticar a lepra e as diretrizes para ajudá-los a determinar quando alguém não estava mais infectado nem oferecia risco de contágio.

Peça a um aluno que leia Levítico 13:45–46 em voz alta. Peça à classe que acompanhe a leitura e tente identificar o que era requerido dos portadores de lepra.

  • O que era requerido das pessoas que tinham lepra?

  • Por que era requerido que a pessoa fosse viver separada do arraial de Israel?

Explique aos alunos que, embora as pessoas diagnosticadas com lepra não estivessem necessariamente imundas espiritualmente, as leis quanto à lepra podem ensinar-nos simbolicamente a respeito da lepra espiritual. Escreva no quadro: Por um momento, vamos comparar a lepra com o pecado.

  • De que maneira as instruções quanto à lepra contidas nos versículos 45–46 também se relacionam ao pecado? (Depois que os alunos responderem, escreva a seguinte verdade no quadro: Nossos pecados nos tornam imundos e incapazes de habitar na presença de Deus.)

Para ajudar os alunos a entenderem essa verdade, convide um aluno para ler em voz alta a seguinte declaração do Presidente Boyd K. Packer, em que ele relaciona sua experiência de estar em um restaurante elegante usando roupas sujas à experiência de sentir a vergonha do pecado:

Presidente Boyd K. Packer

“Tempos depois, quando comecei a estudar as escrituras seriamente, percebi que havia várias referências sobre ser espiritualmente limpo. Certo versículo diz: ‘Seríeis mais miseráveis habitando com um Deus santo e justo, conscientes de vossa imundície perante Ele, do que se habitásseis com as almas condenadas no inferno’ [Mórmon 9:4].

Eu entendi isso muito bem. Lembrei-me do que sentira naquele dia em Los Angeles e cheguei à conclusão de que a impureza espiritual me faria sentir vergonha e humilhação infinitamente maiores do que havia sentido naquela ocasião” (“Purificados,” p. 8).

  • Por que acham que nenhuma coisa ou pessoa impura pode habitar na presença de Deus? (Depois que os alunos responderem, pode ser útil comparar com 1 Néfi 15:33.)

Explique-lhes que muitas doenças e condições de pele descritas como lepra em Levítico 13 saravam com o tempo. Entretanto, antes que um leproso fosse considerado limpo de acordo com a lei mosaica, a pessoa precisava participar dos dois rituais descritos em Levítico 14. Uma das razões por que esses rituais foram dados foi para ensinar a respeito da Expiação do Salvador e para ajudá-los a entender os princípios do arrependimento.

Peça a um aluno que leia Levítico 14:1–3 em voz alta. Convide os alunos para acompanhar a leitura e identificar a quem os leprosos deviam pedir ajuda para que pudessem ser declarados limpos. Peça aos alunos que relatem o que encontrarem.

  • A quem o sacerdote se assemelha em nossas experiências, ao buscarmos ser limpos de nossos pecados?

Escreva o seguinte no quadro: O sacerdote é como o bispo ou o presidente do ramo.

Faça um resumo de Levítico 14:4–32 explicando que o leproso deveria trazer duas aves, três cordeiros, farinha e azeite ao sacerdote como ofertas ao Senhor. Se o leproso não tivesse condições de trazer cordeiros, traria, em seu lugar, pombos ou rolinhas. Em um dos rituais exigidos para a limpeza de um leproso, o sacerdote sacrificava uma ave. Depois, mergulhava outra ave no sangue da ave sacrificada e a libertava (ver Levítico 14:4–7).

Peça a um aluno que leia Levítico 14:13–14, 19–20 em voz alta. Convide a classe para acompanhar a leitura e identificar o que era feito com os cordeiros que o leproso trazia para o sacerdote.

  • O que os rituais com as aves e os cordeiros podem ensinar-nos sobre o Salvador e tudo o que Ele faz pelos que se arrependem?

Escreva a seguinte declaração no quadro: As ofertas são semelhantes ao nosso arrependimento.

  • O que podemos aprender com esses rituais sobre o que precisamos fazer para ser limpos de nossos pecados? (Ajude os alunos a identificar o seguinte princípio: Para sermos perdoados de nossos pecados, devemos voltar-nos para o Senhor e obedecer às condições de arrependimento que Ele nos deu.)

Ressalte que os leprosos não tinham permissão de fazer essas ofertas por si mesmos. Era necessário pedir a um sacerdote. Semelhantemente, o arrependimento por alguns pecados pode requerer que procuremos a ajuda de nosso bispo ou presidente de ramo.

  • De que maneira o bispo ou presidente do ramo ajuda uma pessoa a receber a bênção do perdão por meio da Expiação do Salvador? (Você pode explicar-lhes que, se uma pessoa cometeu um pecado grave, como transgressão sexual ou uso de pornografia, tais pecados devem ser confessados ao bispo. O bispo porta as chaves do sacerdócio e tem autoridade para receber revelação para ajudar as pessoas durante o processo de arrependimento.)

Você pode prestar um breve testemunho de que o arrependimento é uma dádiva do Senhor que nos ajuda a sentir a alegria do perdão do Pai Celestial por meio do sangue expiatório de Jesus Cristo. Incentive os alunos a procurar essa dádiva com a frequência necessária.

Faça um resumo de Levítico 14:33–57, explicando que o Senhor estabeleceu procedimentos adicionais para purificar casas que continham mofo e bolor que pudessem ameaçar a saúde de seus habitantes. Levítico 15 contém leis, ritos e sacrifícios adicionais que foram estabelecidos para ajudar os sacerdotes a saber como limpar outros tipos de imundícias.

Levítico 16–18

O Senhor instrui Israel quanto ao Dia da Expiação e ordena que eles não sigam as práticas iníquas de outras nações

Jesus Orando no Getsêmani

A Crucificação

Mostre as seguintes gravuras: Jesus Orando no Getsêmani (Livro de Gravuras do Evangelho, 2009, nº 56; ver também LDS.org) e A Crucificação (Livro de Gravuras do Evangelho, nº 57; ver também LDS.org). Peça aos alunos que imaginem ter a oportunidade de ensinar a outra pessoa que não sabe o que é a Expiação.

  • Qual dessas gravuras vocês usariam para ensinar a essa pessoa o que é a Expiação de Jesus Cristo? Por quê?

Explique aos alunos que, em Levítico 16, o Senhor deu instruções que ajudaram Israel a aprender a respeito da Expiação de Jesus Cristo. Este capítulo descreve uma cerimônia sagrada que os israelitas deveriam por mandamento realizar em um dia por ano, chamada o Dia da Expiação (também conhecida atualmente como Yom Kippur). Nesse dia, o sumo sacerdote oferecia o sacrifício por todo o povo.

Convide os alunos a refletir, enquanto estudam Levítico 16, sobre o que este capítulo pode ensinar-lhes sobre a Expiação do Salvador.

Faça um resumo de Levítico 16:1–6, explicando-lhes que Aarão, que servia como sumo sacerdote, por mandamento deveria vestir-se de linho branco e oferecer sacrifícios por si mesmo antes de poder entrar no tabernáculo e realizar os sacrifícios que o Senhor exigia no Dia da Expiação.

Desenhe dois bodes no quadro. Escreva Levítico 16:15–16 perto de um bode e Levítico 16:21–22 perto do outro. Peça aos alunos que leiam esses versículos em silêncio, tentando identificar de que maneira os rituais envolvendo esses dois bodes ensinariam os filhos de Israel a respeito da Expiação de Jesus Cristo.

  • O que o ritual descrito nos versículos 15–16 nos ensina sobre a Expiação de Jesus Cristo?

  • O que o ritual descrito nos versículos 21–22 nos ensina sobre a Expiação de Jesus Cristo?

  • Como vocês resumiriam o que a Expiação de Jesus Cristo incluía? (Os alunos podem usar palavras diferentes, mas eles devem identificar doutrinas semelhantes à seguinte: Por meio da Expiação, Jesus Cristo levou embora os pecados do mundo ao tomá-los sobre Si. A Expiação de Jesus Cristo incluía Seu infinito sofrimento e o derramamento de Seu sangue no Getsêmani e sobre a cruz.)

Ressalte que a Expiação do Salvador também incluía Sua Ressurreição, que torna possível que toda a humanidade ressuscite e vença a morte física. Aponte para as gravuras expostas.

  • Com base no que vocês aprenderam, qual dessas gravuras vocês poderiam usar para ensinar a respeito da Expiação de Jesus Cristo? (Ambas.)

Para concluir esta aula, convide os alunos a cantar “Assombro Me Causa”, (Hinos, nº 112). Peça-lhes que procurem sentenças que se relacionem com o que aprenderam hoje.

Convide os alunos para prestar testemunho da importância da Expiação de Jesus Cristo em sua vida com base no que aprenderam hoje.

Faça um resumo de Levítico 17–18, explicando-lhes que o Senhor ordenou ao povo que evitasse práticas idólatras, proibiu casamentos entre parentes próximos e identificou o comportamento homossexual e outras perversões sexuais como abominações. Israel devia guardar as ordenanças de Deus e permanecer sem mancha.

Comentários e Informações Históricas

Levítico 12–15 Limpo e imundo

Por todas as escrituras, a palavra imundo pode referir-se tanto à impureza física como à espiritual. Além disso, na lei mosaica, “as imundícias referiam-se a estar impuro para a realização de cerimônias ou rituais” (ver Guia para Estudo das Escrituras, “Limpo e Imundo”). Por exemplo, Levítico 12 ensina que as mulheres que davam à luz eram consideradas imundas. Isso não significa que a mãe era indigna por causa de pecados ou de algo errado que ela tivesse feito. Em vez disso, o tempo de purificação permitiria que a mulher se recuperasse do processo do parto. Durante esse período, ela ficava de resguardo e em separado do resto da congregação. Depois de passado o tempo designado, ela deveria levar ao tabernáculo o animal apropriado para o sacrifício. Então, o sacerdote fazia uma oferta, depois da qual ela seria declarada limpa. A mulher, então, tornava-se apta novamente para participar das cerimônias e dos rituais da lei mosaica.

Levítico 16. O Dia da Expiação

O Dia da Expiação era o dia mais sagrado e santificado do ano para os israelitas. Era um dia de jejum, de oração e de profunda contemplação da missão do Messias (Jesus Cristo).

“No [Dia da Expiação], o sumo sacerdote de Israel (…) entra[va] no Santo dos Santos, na casa do Senhor, para (…) realizar uma expiação pelos pecados do povo. (…) Os animais a serem usados nos sacrifícios eram abatidos, e seu sangue espargido sobre o propiciatório e diante do altar; queimava-se incenso e eram executadas todas as figurações e simbolismos referentes às ordenanças de resgate. (…) Dois bodes eram escolhidos, e sobre eles lançavam-se sortes. Em um deles, colocava-se o nome de Jeová; o outro era chamado (…) de bode expiatório. O bode do Senhor era então sacrificado, como aconteceria ao Grande Jeová no devido tempo; porém, sobre o bode expiatório eram colocados todos os pecados da congregação, cujo fardo ele então levava para o deserto. E o sumo sacerdote, como a lei requeria, colocava ‘ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo’ e confessava ‘sobre ele (…) todas as iniquidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os [punha] sobre a cabeça do bode’ [Levítico 16:21]. Então o bode levava sobre si ‘todas as iniquidades deles à terra solitária’ [Levítico 16:22], como o Messias Prometido carregaria o pecado de uma multidão de pessoas” (Bruce R. McConkie, The Promised Messiah [O Messias Prometido], 1978, p. 435; ver também Bible Dictionary na Bíblia SUD em inglês, “Fasts”; Velho Testamento, Manual de Estudo do Aluno: Gênesis a II Samuel, Manual do Sistema Educacional da Igreja, 1984, p. 182).

Levítico 18:2220:13; . Deus proíbe o comportamento homossexual

Desde o início, e consistentemente por todas as escrituras, o Senhor condenou as violações da lei da castidade, inclusive o comportamento homossexual. O Senhor afirma claramente em Levítico 18:22 e em Levítico 20:13 que o desenvolvimento do comportamento homossexual é pecado. (Para mais informações, consulte “atração pelo mesmo sexo” no site LDS.org.)