Adaptação do Manual para Uso no Berçário

Primária 1: Sou um Filho de Deus, 1994


O berçário

As crianças que tenham pelo menos dezoito meses, mas que ainda não tenham feito três anos em 1º de janeiro, podem freqüentar o berçário, se essa for a decisão de seus pais. Pelo menos duas professoras devem ser chamadas para cada classe de berçário. Uma classe de crianças nessa faixa etária necessita de mais supervisão do que uma professora sozinha é capaz de prover. Ambas as professoras devem permanecer com a classe durante todo o período da Primária.

Propósito

O propósito do berçário é proporcionar um lugar seguro e organizado onde as crianças pequenas possam desenvolver compreensão e amor pelo Pai Celestial e por Jesus, ter experiências positivas na Igreja e desenvolver a auto-estima. O berçário é a primeira experiência na Igreja onde as crianças pequenas se relacionam com as outras crianças e com os adultos. A aula deve incluir brincadeiras e atividades de aprendizagem.

Espaço físico

A sala do berçário deve ser limpa, alegre e convidativa. Deve ficar perto de um banheiro. A sala pode ser dividida em áreas separadas para brincadeiras (com carpete, se possível), para leitura e atividades, e para a lição. Os brinquedos devem estar sempre limpos, em boas condições e ser interessantes e seguros.

Oração

O berçário deve começar e terminar com uma oração feita por uma criança. Ensine as crianças a fazerem orações curtas e simples. Ajude-as conforme seja necessário.

Distribuição do Tempo

O berçário dura, normalmente, uma hora e quarenta minutos. As crianças do berçário não participam do tempo de compartilhar nem da abertura e do encerramento. A seguinte distribuição do tempo pode ser adaptada de acordo com as necessidades locais:

Boas-vindas:

5–10 minutos

Brincadeiras:

45–60 minutos

Lição:

20 minutos, divididos em dois ou mais períodos

Encerramento:

5–10 minutos

Boas-Vindas: O propósito das boas-vindas é permitir às crianças conversar e relacionarse com as professoras e umas com as outras num ambiente informal. As crianças irão sentir-se mais seguras e terão um sentimento mais positivo sobre o berçário se puderem caminhar e mover-se livremente durante esse período.

Ajude cada criança a sentir-se à vontade e bem-vinda no berçário. Demonstre amor, amizade e respeito por meio de palavras e ações. Seja sensível e flexível. Fale a respeito das necessidades e interesses das crianças. Alguns tópicos adequados são:

  • Experiências recentes na vida das crianças, como um novo bebê no lar e um passeio com a família;

  • Feriados especiais;

  • O tempo (clima);

  • Comentários sobre a natureza;

  • Habilidades sociais, como ouvir com atenção, dividir (brinquedos e outras coisas) e boas-maneiras;

  • Atos gentis.

Podem-se usar versinhos acompanhados de gestos e exercícios de alongamento neste período, para ajudar as crianças a vencer a inquietude.

Brincadeiras: O propósito do período de brincadeiras é permitir às crianças brincar livremente com quebra-cabeças, gravuras, livros e brinquedos. Encoraje-as a escolher somente um tipo de objeto de cada vez e colocá-lo no lugar adequado antes de escolher outra coisa para brincar. Não force uma criança a dividir um brinquedo se ela não o quiser. Muitas crianças nessa faixa etária não estão emocional ou socialmente prontas para dividir. Fique à disposição das crianças, mas não interfira muito nas brincadeiras.

Podem-se fazer atividades específicas durante este período (ver “Atividades e Brincadeiras para o Berçário”, pp. xiv–xviii), mas não se deve exigir que as crianças participem.

Lição: As lições deste manual são escritas no nível das crianças de três anos, mas muitas atividades nas lições e nas “Atividades Complementares” são adequadas para crianças menores. Cada lição contém também uma seção intitulada “Atividades Adicionais para Crianças Menores”. (Observe que os materiais e a preparação necessários para as Atividades Adicionais não estão relacionados na seção “Preparação” de cada lição. Leia cuidadosamente a descrição de cada atividade que deseje usar, para certificar-se de ter à mão tudo que precisar.)

Adapte as lições para as crianças de sua classe. Não tente utilizar todas as atividades das lições; escolha somente as atividades e histórias que elas entendam e apreciem. Ao adaptar as lições para crianças menores, tenha em mente as seguintes diretrizes:

  • Utilize palavras que as crianças entendam;

  • Ensine somente uma idéia principal em cada lição;

  • Mantenha a lição simples e curta;

  • Faça do período da lição um momento agradável;

  • Utilize uma combinação de atividades tranqüilas com atividades movimentadas;

  • Dê oportunidade às crianças de se movimentarem durante a lição;

  • Inclua uma frase das escrituras em todas as lições e dê destaque à idéia principal, de modo que as crianças sejam capazes de falar a respeito dela com suas famílias.

Ocasionalmente, o período da lição pode ser mais curto e ser utilizado apenas para cantar.

Lembre-se de que as crianças na faixa etária do berçário adoram repetição. A mesma atividade, música ou versinho pode ser repetido diversas vezes em um mesmo dia e repetido nas semanas seguintes.

As crianças menores conseguem entender conceitos importantes, se forem ensinados de maneira simples e repetidos com freqüência. Permita que as crianças que só conseguem concentrar-se por períodos mais curtos voltem às brincadeiras conforme desejarem.

Encerramento: Durante o período de encerramento, todos os brinquedos e demais materiais devem ser guardados em seus lugares. Ajude as crianças a guardarem os objetos e, a seguir, faça uma breve revisão da idéia principal ensinada na lição. Ajude uma criança a oferecer a oração de encerramento.

O papel dos pais na preparação das crianças para o berçário

A criança poderá chegar ao berçário pela primeira vez com expectativa ou medo, sorrisos ou lágrimas. Os pais podem fazer muito para tornar a experiência agradável ao prepararem a criança com antecedência. Quando sabem para onde vão e o que devem esperar, as crianças, normalmente, ficam ansiosas para participar. Por outro lado, aquelas que vão para o berçário com pouca ou nenhuma preparação prévia, podem sentir medo e não querer ficar.

Algumas semanas antes de a criança começar a participar do berçário, a primeira conselheira na presidência da Primária deve entregar aos pais das crianças uma cópia da lista de verificação encontrada na página xi e providenciar um encontro entre os pais e as professoras do berçário.

Características das crianças pequenas

O estudo das seguintes características do comportamento das crianças pequenas pode ajudá-la a melhor compreender por que as crianças de sua classe se comportam de uma determinada maneira. Utilize esse conhecimento ao preparar e dar as lições e ao relacionar-se com as crianças. Lembre-se de que são diretrizes genéricas; as crianças não se desenvolvem sempre no mesmo ritmo nem se comportam do mesmo modo, na mesma idade.

Características Mentais

  • Pensam de maneira simples e restrita. Não compreendem idéias abstratas.

  • Seu limite de concentração é curto (de um a três minutos).

  • Freqüentemente fazem perguntas ou comentários fora do assunto em discussão.

  • São muito curiosas e questionadoras.

  • Ficam, normalmente, animadas para aprender e experimentar coisas novas.

  • Gostam de repetição.

  • Conseguem fazer escolhas simples.

Características Físicas

  • São, geralmente, muito ativas.

  • Estão aprendendo a marchar, pular e bater palmas.

  • Tornam-se agitadas, irritadiças e cansam-se com facilidade.

  • Acham mais fácil desmontar do que montar alguma coisa.

Características Sociais

  • Confiam.

  • Normalmente, gostam de brincar sozinhas.

  • São freqüentemente bastante egoístas e centradas em si mesmas.

  • Têm dificuldade em dividir e esperar a vez.

  • Brigam com freqüência por causa de brinquedos.

Características Emocionais

  • Em geral têm desejos de amar e serem amadas.

  • Têm freqüentes explosões de raiva.

  • Freqüentemente choram com facilidade.

  • Mudam de humor a toda hora.

Características Espirituais

  • Gostam de orar, mas precisam de ajuda para fazê-lo.

  • Podem começar a aprender o significado de reverência.

  • São sensíveis ao Espírito.

  • Compreendem que o Pai Celestial e Jesus nos amam.

  • Compreendem conceitos espirituais básicos.

Possíveis problemas no berçário e suas soluções

Mesmo nos melhores berçários ocorrem casos de mau comportamento das crianças. Damos, a seguir, alguns problemas comuns de comportamento e sugestões para sua solução.

Problema

Possível Solução

Um dos pais lhe diz que a criança não quer ir para o berçário. A criança grita e chora quando o pai tenta sair.

Incentive os pais a prepararem a criança para o berçário antecipadamente (ver “O Papel dos Pais na Preparação das Crianças para o Berçário”, p. x. Convide um dos pais a ficar com a criança até que esteja calma e tranqüila. Pode ser útil pedir a outros adultos que segurem crianças que estejam chorando, a fim de ajudá-las a sentirem-se mais seguras.

Uma criança parece ter medo de você ou das outras crianças, anda pra lá e pra cá na sala e não quer falar com ninguém.

Seja paciente, não pressione a criança, mas dê-lhe tempo para conhecê-la, para familiarizar-se com as demais crianças e com o ambiente. Ocasionalmente, tranqüilize a criança e sugira uma ou duas atividades para ela experimentar. Ajude-a a ter algum tipo de experiência bem sucedida.

Depois de chegar ao berçário, uma criança corre de um lugar a outro, pegando e largando tudo que encontra.

A criança está provavelmente curiosa e agitada a respeito do berçário. Sugira gentilmente que ela olhe os brinquedos e escolha um na prateleira para ela brincar.

Durante todo o período do berçário, uma das crianças agarra-se a suas pernas ou tenta sentar-se em seu colo.

As crianças pequenas precisam de ternura e atenção. Pegá-la no colo e conversar com ela por um instante normalmente a satisfará. A seguir, encoraje-a a participar das atividades do berçário.

Durante o período da lição, diversas crianças ficam em pé e andam pela sala antes do término das atividades.

Esteja alerta e ciente das necessidades, interesses e capacidade de concentração de cada criança. Observe sinais de tédio ou agitação para poder adequar as atividades aos interesses das crianças. Não force uma criança a participar de qualquer atividade. Se uma das crianças quiser brincar com os brinquedos, deixe-a fazê-lo.

Uma das crianças não quer sentar-se em silêncio para escutar e empurra as crianças próximas.

A segunda professora pode direcionar a atenção da criança para a atividade que a primeira esteja dirigindo. Dê algo para a criança segurar, de modo que se envolva ativamente na lição ou atividade.

Várias crianças começam a brigar por causa de um brinquedo. Uma das crianças chuta, bate ou morde as outras para ficar com o brinquedo.

As crianças conseguem, às vezes, resolver as desavenças por si mesmas, mas você deve intervir quando necessário, a fim de evitar que se machuquem ou estraguem os brinquedos ou outros objetos. Sugira às crianças maneiras de resolverem o problema.

Uma criança começa a brincar de maneira violenta: gira um brinquedo a sua volta, batendo com ele e atirando-o longe. A seguir, corre para outra parte da sala.

Tal comportamento precisa ser interrompido. Explique à criança que não pode agir dessa maneira; a seguir, dirija sua atenção para outra atividade.

Uma criança pega um brinquedo após outro da prateleira e recusa-se a guardá-los.

Com gentileza, mas com firmeza também, explique novamente o que se espera da criança. Mostre-lhe como guardar os brinquedos e encoraje-a a guardar um brinquedo antes de pegar outro.

Uma das crianças começa a fazer manha e chorar. Quando tenta confortá-la, ela lhe diz algo como “Não gosto de você”.

É fácil distrair uma criança pequena. Mostre-lhe um brinquedo diferente e sugira que deve ser divertido brincar com ele. Se não funcionar, tente contar uma história ou mostrar-lhe um livro. Enxugar os olhos da criança às vezes a ajuda a parar de chorar. Se a criança continuar a chorar, leve-a a um de seus pais.

Uma criança pergunta: “Quando minha mãe vem me buscar?” ou “Quando vou embora?”

Tranqüilize a criança dizendo que um de seus pais virá buscá-la. Fale sobre as coisas que ainda vão acontecer antes da hora de ir embora.

Atividades e brincadeiras para o berçário

Utilize as atividades desta seção como e quando desejar durante o período de brincadeiras do berçário. Pode também usar quaisquer atividades desta seção que correspondam a uma determinada lição, durante o período da aula, e também, atividades das lições podem ser utilizadas durante o período de brincar. Deve haver atividades para as crianças durante o período de brincar, mas não exija que as crianças participem. Algumas crianças podem preferir brincar com os brinquedos durante todo o período de brincadeiras.

Atividades Artísticas

As experiências com atividades artísticas podem ser agradáveis e ajudar as crianças a desenvolverem autoconfiança, criatividade, destreza manual, coordenação entre a habilidade manual e a visão e consciência de seus próprios sentidos. As atividades artísticas podem ser também um modo muito satisfatório de expressar individualidade. Use sua própria imaginação e criatividade ao planejar projetos artísticos adequados para sua classe.

As seguintes diretrizes podem ajudá-la a fazer projetos artísticos criativos:

  • Certifique-se de que os projetos sejam simples;

  • Prepare-se. Tenha todos os materiais necessários e saiba como realizar o projeto;

  • Seja flexível. Se for flexível, não se aborrecerá quando um projeto não sair conforme planejado. Lembre-se de que as crianças freqüentemente se interessam mais em experimentar os novos materiais que lhes são apresentados do que em concluir os projetos;

  • Seja positiva. Interesse-se pelas crianças e pelo que fazem, elogiando-as sinceramente;

  • Use de variedade. Faça projetos que possibilitem às crianças experimentarem uma variedade de materiais e métodos de uma semana para a outra;

  • Tenha tato. As crianças pequenas nem sempre tentam representar alguma coisa com sua arte. Elas simplesmente exploram os materiais que lhes são fornecidos. Caso queira fazer algum comentário sobre o trabalho de uma criança, diga simplesmente: “Fale-me sobre seu desenho.” Isso é melhor do que perguntar: “O que é isso?”

  • Dê o mínimo de ajuda. Ajude quando necessário, mas permita que as crianças façam seu próprio trabalho.

Colorir de Acordo com a Música

Materiais necessários: Música gravada ou instrumentos; papel; lápis de cor.

Toque a música enquanto as crianças colorem. Peça às crianças que pintem de acordo com o que a música as faz sentir.

Colagem

Materiais necessários: Quase qualquer tipo de material pode ser usado em uma colagem. Use sua imaginação. Podem-se usar papel de presente, papel higiênico, amostras de papel de parede, folhas, areia e macarrão. Você também precisará de papel ou alguma outra superfície plana (para servir como base da colagem) para cada criança.

Deixe as crianças escolherem materiais para colar em uma folha de papel, uma caixa ou qualquer outro objeto que tenha superfície plana. Deixe que criem os motivos que desejem.

Colar de Macarrão

Materiais necessários: Macarrão cru grande (ou pedaços de canudinho de refrigerantes ou qualquer outro objeto pelo qual seja fácil passar uma linha ou cordão); linha ou barbante; cola ou cera.

Endureça uma das extremidades de cada pedaço de barbante ou linha mergulhando-o em cola ou cera. Depois de secar, estará firme o suficiente para ser enfiado no macarrão. Dê um nó na outra extremidade de modo que o macarrão não escape. Deixe que as crianças enfiem o macarrão e, a seguir, amarre as extremidades quando as crianças terminarem.

Massa de Modelar

Materiais necessários:

  • 2 xícaras de farinha

  • 1 xícara de sal

  • 1 colher de sopa de óleo

  • 3/4 de xícara de água

  • anilina (optativa)

Misture a farinha e o sal. Acrescente o óleo e água o suficiente para que a massa adquira uma consistência de barro. Acrescente água aos poucos até que a mistura fique maleável sem estar muito grudenta. Misture e sove a massa levemente. (Caso deseje massa colorida, acrescente anilina à água antes de misturá-la à farinha.

Faça esta massa em casa antes de usá-la no berçário e guarde-a num recipiente hermeticamente fechado, se possível. Leve papel (papel manteiga funciona muito bem) para colocar nas mesas onde as crianças utilizarão a massa de modelar.

Brincadeiras e Versos com Movimentos

As crianças adoram fazer coisas que envolvam movimento, como brincadeiras simples ou versinhos e canções com gestos e movimentos. Há muitos versinhos com gestos nas lições e algumas brincadeiras simples estão descritas a seguir. Quando as crianças apreciam uma atividade, ela pode ser utilizada muitas vezes durante todo o ano e não somente nas lições onde são mencionadas.

As seguintes diretrizes podem ajudá-la a ensinar novos versinhos com gestos para as crianças:

  • Aprenda de cor o versinho com gestos, antes da aula;

  • Diga as palavras e faça os gestos com as crianças primeiro, exagerando as ações;

  • Vá devagar para que as crianças compreendam as palavras e os gestos;

  • Use auxílios visuais ocasionalmente para ajudar a apresentar o versinho. As crianças aprendem melhor se tiverem algo para olhar;

  • Reduza o versinho se as crianças ficarem inquietas. Se um versinho for muito longo, pode pedir às crianças que façam os gestos enquanto você diz o versinho sozinha.

Versinhos de Reverência

Use os versinhos seguintes quando as crianças estiverem agitadas ou precisarem de ajuda para ficarem reverentes. Utilizar um deles no mesmo momento a cada semana pode ajudar as crianças a saberem quando é a hora da oração de abertura ou de encerramento. Ajude as crianças a repetirem o versinho e a improvisarem os gestos conforme as palavras sugerirem.

Eu Fecho as Mãos

Com força eu fecho minhas mãos
Pra frente estico os braços, então
Coloco as mãos no coração
E no meu colo agora estão.

Sacudo as Mãozinhas

Sacudo as mãozinhas,
Rolo as mãozinhas,
Com elas bato palminhas.
Levanto as mãozinhas,
Abaixo as mãozinhas,
Ponho no colo, bem fechadinhas.
Sacudo os pezinhos,
Descanso os pezinhos,
Bem direitinhos no chão.
Abaixo a cabeça,
Fecho os olhinhos,
Para fazer a oração.

Às Vezes Sou Alto, Às Vezes Sou Baixo

Use os seguintes versinhos de alongamento quando as crianças ficarem sentadas por algum tempo e precisarem movimentar-se. Repita quando desejar.

Às vezes sou alto—muito, muito alto. (Levante-se e fique na ponta dos pés)
Às vezes sou baixo—muito, muito baixo. (Abaixe-se bem)
Às vezes alto, às vezes baixo. (Levante-se e abaixe-se em seguida)
Adivinhem o que sou agora. (Levante-se ou abaixe-se; deixe que as crianças digam se são altos ou baixos)

A Sementinha

Diga às crianças como as sementes são plantadas no solo e ajude as crianças a fazerem de conta que são sementes que crescem. Diga “Vamos fazer de conta que somos sementinhas” (abaixe bem a cabeça entre os joelhos, tomando a forma mais redonda possível e feche os olhos). “Saiu o sol e aqueceu a sementinha. Depois caiu a chuva e disse: ‘Acorde, sementinha!’” (Abra os olhos e comece a esticar-se) “Saiam da terra, sementinhas, para que possam crescer.” (Levante-se e estique os braços acima da cabeça) “Sementinhas, vocês se transformaram em belas flores (ou árvores grandes).”

Vamos à Casa da Vovó (ou do Vovô)

Diga “Vamos à casa da vovó (ou do vovô).” Primeiro devemos vestir o casaco (ou vestirnos) (faça os movimentos de pôr um casaco ou vestir-se). “Vamos entrar no carro (ou no ônibus)” (faça de conta que está abrindo a porta e andando no carro ou no ônibus). “Oh, quantos buracos na estrada!” (Faça os movimentos como se estivesse passando numa estrada esburacada). “Olhem, vamos acenar para o policial” (acene). “Estamos quase chegando. Lá vem a vovó (ou o vovô). Vamos dar-lhe um grande abraço” (faça de conta que está dando um abraço na vovó ou no vovô).

Ajudar os Pais

Conduza as crianças em movimentos que representem ajuda aos pais. Pode dizer: “Vamos ajudar a varrer o chão.” As crianças fazem de conta que varrem o chão. Você pode continuar citando atividades como arrumar a cama, lavar as janelas, tirar o pó, varrer as folhas do quintal, cavar o jardim, lavar o carro ou outras atividades que sejam adequadas à região onde vivem.

Dramatização

Você pode representar muitas histórias, incluindo as histórias deste manual, outras histórias das escrituras, histórias das revistas da Igreja ou outras histórias que sejam adequadas. Escolha histórias curtas que não cansem as crianças e que tenham personagens com os quais elas possam identificar-se facilmente.

Em primeiro lugar, conte a história às crianças. Fale sobre os personagens e sobre o que eles fizeram na história. A seguir, escolha diversas crianças para representarem os papéis dos personagens da história. Conte a história novamente, enquanto as crianças dramatizam-na. Depois que as crianças se tiverem acostumado a representar histórias, elas mesmas poderão contá-las. Você pode acrescentar objetos e trajes simples às representações, para torná-las mais divertidas e interessantes.

Pato, Pato, Ganso

Peça às crianças que sentem-se em círculo e escolha uma criança para ser o líder. O líder anda pelo lado externo do círculo, tocando levemente a cabeça de cada criança no círculo e dizendo “Pato”. Quando o líder toca uma criança e diz “Ganso” (em vez de “Pato”), o “ganso” se levanta e corre atrás do líder em volta do círculo.

Se o ganso pegar o líder antes de chegarem ao lugar original do ganso no círculo, o ganso torna-se o líder e o líder inicial senta-se no círculo. Se o ganso não consegue pegar o líder, ele volta ao seu lugar e o líder continua a tocar as cabeças das outras crianças, reiniciando a brincadeira. Você pode também fazer com que o ganso se torne o líder automaticamente, dando a chance a todas as crianças de serem o líder.

Jogo de Rolar a Bola

Material necessário: uma bola

As crianças sentam-se em um semicírculo. Você senta-se em frente a elas e “rola” uma bola para uma criança, dizendo o nome da criança e fazendo uma pergunta a respeito da lição. A criança “rola” a bola de volta para você e diz seu nome ou responde à pergunta. Certifique-se de que cada criança tenha a sua vez. Este jogo pode também ser feito com todos de pé, passando-se a bola diretamente às mãos das crianças.

Encher a Bola

As crianças dão-se as mãos em um círculo, sopram como se estivessem enchendo uma bola e, ao mesmo tempo, abrem o círculo, tornando-o cada vez maior. Quando você diz “Bum!”, todas as crianças soltam as mãos e caem ao chão. Ou a bola pode deixar o ar escapar em vez de estourar: as crianças continuam de mãos dadas e aproximam-se, fazendo o círculo ficar cada vez menor. As crianças fazem o som de um assobio como se o ar estivesse escapando de uma bola.

Coelhinho, Coelhinho, como Vai Seu Vizinho?

As crianças sentam-se em círculo. Uma criança levanta as mãos e coloca-as por trás da própria cabeça, como se fossem orelhas de coelho, e salta em volta do círculo. Ela toca o ombro de outra criança e pergunta: “Coelhinho, Coelhinho, como vai seu vizinho?” A criança que foi tocada responde: “Não sei, mas vou ver.” A criança então faz orelhas de coelho com as mãos e começa a saltar em volta do círculo, enquanto a primeira criança senta-se novamente no círculo. Continue até que todas as crianças tenham tido sua vez.

Bichinho, Bichinho, Quem É Você?

As crianças sentam-se em círculo. Uma criança senta-se ou fica em pé no centro e faz mímica dos movimentos ou imita os sons de um animal. As crianças levantam as mãos e tentam adivinhar que animal está sendo imitado. A criança que adivinhar vai para o centro do círculo e faz a mímica do próximo animal. Você pode pedir à criança no centro do círculo que diga o nome do animal em seu ouvido, antes de fazer a mímica. Desse modo, terá certeza de que a criança sabe claramente qual o animal que pretende imitar e você poderá auxiliá-la, caso necessário.

Formas Iguais

Materiais necessários: papel colorido, tesouras

Use papel colorido para fazer dois modelos de cada uma das figuras geométricas seguintes, sendo uma grande e uma pequena: quadrado, círculo, triângulo, retângulo, coração, octógono e oval. Espalhe as figuras no chão. Cada criança coloca uma forma geográfica pequena sobre a forma geográfica igual, de tamanho maior. Para poder variar, faça as mesmas formas geográficas de cores diferentes e peça às crianças que combinem as cores em vez das formas geográficas.

Formas Musicais

Materiais necessários: Círculos de cores diferentes recortados em papel ou tecido; música gravada ou instrumentos; fita adesiva (opcional)

Coloque os círculos no chão (pode-se fixá-los com fita adesiva) formando um grande círculo. Peça às crianças que andem por fora do grande círculo enquanto a música toca. Quando a música parar, cada criança dará o nome da cor do círculo perto do qual ela está. Continue pelo tempo em que as crianças mostrem interesse. Para variar, use diferentes formas e peça-lhes que digam os nomes das formas, além das cores.

Siga o Líder

As crianças fazem uma fila. A primeira criança da fila corre, pula ou faz qualquer outra coisa, indo em direção ao outro lado da sala de aula. As outras crianças seguem a primeira, fazendo o mesmo que ela. A seguir, a primeira criança vai para o fim da fila e a seguinte torna-se a nova líder. Continue até que cada criança tenha tido a oportunidade de ser líder.

Andar na Tábua

Materiais necessários: Uma tábua de 1,5 m de comprimento por 10 cm de largura e com 5 cm de espessura (certifique-se de não haver farpas na madeira) ou uma fita com 1,5 m de comprimento.

Coloque a tábua no chão. Peça às crianças que andem nela para a frente, para trás e de lado. Se não houver uma tábua disponível, cole uma fita adesiva no chão, sobre a qual as crianças possam caminhar. As crianças podem também correr, pular ou brincar de “Siga o Líder” na tábua ou na fita.

Jogo com o Saquinho de Feijão

Materiais necessários: Saquinhos de feijão; uma caixa, cesta ou alvo (feito cortando-se buracos numa gravura colada em algum material firme)

Peça às crianças que joguem saquinhos de feijão numa caixa, cesta ou alvo (pode-se fazer o alvo ou os saquinhos de feijão combinando com uma lição ou uma época do ano em especial). As crianças também podem atirar saquinhos de feijão em caixas ou blocos empilhados uns sobre os outros.

Treinamento de Postura

Materiais necessários: Um saquinho de feijão, livro, cesta ou forma de torta de metal para cada criança.

Ajude cada criança a colocar um saquinho de feijão ou outro objeto sobre a cabeça. A seguir, peça-lhes que andem pela sala. Lembre a elas que devem manter as costas retas, o queixo para cima e o olhar sempre à frente, de modo que o saquinho de feijão (ou outro objeto) não caia. Para variar, pode-se tocar música e pedir às crianças que andem de acordo com o ritmo.

Saco de Roupas

Materiais necessários: Uma fronha, saco de pano ou mala; roupas velhas para vestir.

Encha a fronha, saco ou mala com roupas e sapatos velhos. Permita às crianças experimentá-las. As roupas devem incluir somente peças que sejam fáceis de vestir.

Estátuas

Materiais necessários: Música gravada ou instrumentos musicais.

Peça às crianças que se movam pela sala enquanto a música toca. Quando a música parar de tocar, as crianças param e ficam imóveis, como se fossem estátuas. As crianças podem mover-se novamente quando a música começar, mas têm que parar e ficar imóveis quando a música parar novamente.

A música no berçário

As crianças apreciam a música de muitas maneiras diferentes. Elas podem cantar, tocar instrumentos, mover-se ao ritmo da música ou apenas escutá-la. Veja “Música na Sala de Aula”, na página vii, para comentários adicionais a respeito do uso da música para o ensino de crianças pequenas.

Canto

As crianças pequenas podem não querer cantar com você (pode ser que as crianças muito pequenas nem sejam capazes de cantar com você), mas elas apreciam ouvi-la cantar e, freqüentemente, aprendem princípios importantes através da música. Encoraje-as a acompanhá-la no canto, mas não se preocupe se elas não o fizerem. As crianças que não conseguirem acompanhá-la poderão gostar de fazer gestos simples enquanto você canta.

Se desejar, use as mesmas canções cada semana, ao começar cada uma das atividades. Ao ouvirem a melodia, as crianças saberão que tipo de atividade está começando. Cante as canções prediletas das crianças muitas vezes durante o ano.

Instrumentos musicais

Consiga instrumentos musicais simples para as crianças tocarem ou faça seus próprios:

Flauta ou corneta: Faça alguns buracos ao longo de um tubo de papelão (do tipo usado nas embalagens de papel alumínio ou papel toalha). Para obter um efeito especial, cole papel celofane com fita adesiva em uma das extremidades. Para “tocar”, cante no tubo normalmente ou com os lábios fechados (sem cantar as sílabas).

Sininhos de tampinhas de garrafa: Com um prego, fure três ou quatro tampinhas de garrafa. Pregue as tampinhas num pedaço de madeira de mais ou menos 15 centímetros de comprimento. Os pregos devem ser finos o suficiente para permitir que as tampinhas fiquem frouxas e para tilintar, e curtos o suficiente para não saírem pelo outro lado da madeira. Para tocar, sacuda a madeira.

Pratos: Com um prego, faça buracos em tampas metálicas de potes de vidro (como os de maionese, por exemplo). A seguir, pregue ou prenda cada uma das tampas a um carretel de linha ou outro pedaço de madeira que sirva para segurar. Para tocar, segure um em cada mão e bata um no outro.

Lixas rítmicas: Corte dois pedaços de madeira de 2,5 cm de espessura por 5 cm de largura e 10 cm de comprimento. Corte dois pedaços menores, de mais ou menos 2,5 cm por 6 cm. Lixe arestas pontiagudas ou farpas. Centre os menores sobre os maiores e pregue-os firmemente. Cole um pedaço de lixa na parte de baixo dos blocos maiores. Para tocar, bata um no outro ou esfregue as partes com lixa uma na outra.

Chocalhos: Coloque milho ou feijão numa lata de metal sem beiras cortantes ou em um recipiente de papelão. Peça às crianças que enfeitem os recipientes. Feche bem as aberturas com fita adesiva, para impedir que as crianças comam ou brinquem com o conteúdo. Para tocar, sacuda.

Movimento com Música

O movimento criativo com música ajuda as crianças a usar a energia de um modo construtivo e desenvolve suas habilidades de uso criativo da mente. Cante, toque num piano ou outro instrumento ou utilize música gravada para as crianças fazerem seus movimentos.

Para envolver as crianças em movimentos com música, você pode:

  • Conduzir as crianças em atividades como correr, pular, dobrar-se, girar, ficar na ponta dos pés, engatinhar, saltar ou alongar-se de acordo com a música. Deixe que as crianças também conduzam o grupo em seus movimentos;

  • Tocar ou cantar músicas com andamentos diferentes e deixar as crianças correrem ou andarem conforme a música sugira;

  • Peça às crianças que acenem lenços coloridos ou tiras de papel coloridas ao moverem-se de acordo com a música;

  • Use canções acompanhadas de gestos, sempre que as crianças necessitarem de uma mudança. Se estiverem sentadas há muito tempo, é adequado cantar-se uma canção com gestos que utilizem os músculos grandes, fazendo movimentos mais amplos. Se estiverem muito ativas e precisarem acalmar-se, uma canção com gestos que usem os músculos menores enquanto as crianças ficam sentadas, pode ser o mais eficaz.

Escutar

Pode usar qualquer música disponível que seja apropriada para o dia do Senhor.

Poderá ser difícil para as crianças concentrarem-se na música, se estiverem apenas escutando. Faça-as escutar e cantar, mover-se ou fazer outras coisas ao mesmo tempo, como nos exemplos seguintes:

  • Peça às crianças que se deitem no chão e escutem diferentes tipos de música. Falem a respeito de como a música as faz sentir. A seguir, peça-lhes que demonstrem como se sentem;

  • Toque música em ritmo de marcha e peça às crianças que marchem pela sala;

  • Peça às crianças que batam palmas no ritmo da música que estão escutando.