Falar com o Pai Celestial em Oração

Primária 2: Conserva a Tua Rota A, 1995


Propósito

Ajudar as crianças a compreenderem que se aproximam mais do Pai Celestial ao orar reverentemente.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude Mateus 6:9. Ver também Princípios do Evangelho (31110 059), capítulo 8.

  2. 2.

    Faça as seguintes tiras de papel com palavras:

    • Você

    • Tu ou Vós

  3. 3.

    Escreva perguntas como as seguintes em folhas de papel separadas. Prepare pelo menos uma pergunta para cada criança (se a classe for pequena, poderá preparar pelo menos duas perguntas para cada criança).

    1. a.

      Se alguém de sua família tivesse que deixar o lar por algum tempo, o que você pode pedir ao Pai Celestial em suas orações?

    2. b.

      Se a lição nos ensina a conservar nossa rota tomando as decisões certas, o que você pode pedir ao Pai Celestial em suas orações?

    3. c.

      Se a lição nos ensina a sermos gentis e bondosos, o que você pode pedir ao Pai Celestial em suas orações?

    4. d.

      Se seu amigo estivesse doente e não pudesse sair para brincar, o que você poderia pedir ao Pai Celestial em suas orações?

    5. e.

      O que podemos pedir em nossas orações todas as manhãs e todas as noites?

    6. f.

      O que podemos pedir para as crianças da nossa classe da Primária ao orarmos?

  4. 4.

    Prepare-se para cantar ou repetir a letra de “A Cabecinha Abaixarei”, p. 18 (Músicas para Crianças).

  5. 5.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Bíblia e Livro de Mórmon;

    2. b.

      Gravura 2–14, Oração Durante a Aula; gravura 2–15, Brigham Young; gravura 2–16, Heber J. Grant Quando Menino.

  6. 6.

    Faça os preparativos necessários para quaisquer Atividades Complementares que deseje utilizar.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Antes de convidar uma criança para fazer a primeira oração, mostre a gravura 2— 14, Oração Durante a Aula, e reverentemente cante ou repita com a classe a letra de “A Cabecinha Abaixarei”.

A cabecinha abaixarei,
Os olhos fecharei,
Agradecendo a nosso
Pai As bênçãos que nos dá

• Enquanto alguém da classe faz a oração, o que o restante de nós deve fazer?

Cante “A Cabecinha Abaixarei” novamente. Peça às crianças que se preparem para a oração, fazendo o que a letra da canção lhes diz para fazer.

Convide uma criança para proferir a oração de abertura.

Preparamo-nos Antes de Orar

Debate

• O que a canção diz que devemos fazer para nos prepararmos para orar?

• Por que abaixamos a cabeça quando oramos?

Ajude as crianças a compreenderem que abaixar a cabeça quando oramos mostra ao Pai Celestial que O amamos, honramos e respeitamos. O Pai Celestial é mais grandioso e tem mais poder que qualquer rei, presidente ou qualquer outra pessoa na Terra e já fez muitas coisas por nós. Devemos demonstrar que O amamos e honramos.

• Por que cruzamos os braços ao orarmos?

Ajude as crianças a compreenderem que mexer as mãos durante a oração pode atrapalhar a concentração.

• Por que fechamos os olhos quando oramos?

Pode pedir às crianças que fechem os olhos por um momento enquanto pensam na resposta.

Ajude as crianças a compreenderem que é menos provável que se distraiam com as coisas a seu redor quando estão de olhos fechados. Elas podem pensar no Pai Celestial e no que estão dizendo a Ele.

Sentimo-nos Mais Próximos do Pai Celestial Quando Oramos

Apresentação do professor

Explique que com a cabeça abaixada, os braços cruzados e os olhos fechados, prestamos atenção à oração em vez de nos distrairmos com as coisas que nos cercam. Assim, sentimo-nos mais tranqüilos e próximos do Pai Celestial. Estamos prontos para conversar com Ele.

História

Mostre as gravuras 2–15, Brigham Young, e 2–16, Heber J. Grant Quando Menino, e, com suas próprias palavras, conte a seguinte história a respeito de um menino que se sentiu próximo do Pai Celestial durante a oração:

Há muitos anos, Brigham Young era profeta e Presidente da Igreja. Um menino de mais ou menos seis anos estava brincando com um dos filhos pequenos do Presidente Young. Heber estava sempre brincando na casa do Presidente Young na hora da oração familiar. Heber ajoelhava-se com a família, cruzava os braços, fechava os olhos e ouvia o Presidente Young orar. Devido ao modo em que o Presidente Young falava com o Pai Celestial, parecia a Heber que o Pai Celestial estava bem ali na sala. Algumas vezes Heber até abria os olhos para ver se o Pai Celestial estava presente. É óbvio que ele só via o Presidente Young e sua família. Ainda assim ele tinha certeza de que o Pai Celestial estava com o Presidente Young, escutando-o e dando-lhe a ajuda e orientação que ele pedia.

Ao crescer, Heber tornou-se um Apóstolo e, posteriormente, Presidente da Igreja. [Ver Heber J. Grant, Gospel Standards (Padrões do Evangelho), compilador G. Homer Durham (Improvement Era, Salt Lake City, 1941), pp. 223–24.]

Você pode desejar partilhar uma experiência pessoal em que se tenha sentido próximo ao Pai Celestial durante a oração, como Heber J. Grant se sentiu.

Lembre às crianças que o Pai Celestial está sempre nos escutando quando oramos. Abaixar a cabeça, cruzar os braços e fechar os olhos enquanto oramos pode ajudar-nos a sentir o Pai Celestial próximo a nós.

Falamos Reverentemente ao Orarmos

Debate com escrituras

Explique que também mostramos amor e respeito ao Pai Celestial pelo modo como falamos com Ele em nossas orações.

• Quando vocês querem falar com alguém, qual a primeira palavra que dizem para atrair a atenção da pessoa? (O nome dela.)

• Quando vocês querem falar com o Pai Celestial, qual a primeira coisa que dizem?

Explique que a primeira coisa que dizemos na oração é o nome do Pai Celestial. Diga às crianças que Jesus nos ensinou a fazer isso quando estava na Terra. Leia Mateus 6:9 em voz alta e explique que normalmente reduzimos a expressão “Pai nosso, que estás nos céus” para “Nosso Pai Celestial” ou “Pai Celestial”.

Diga às crianças que Jesus também nos ensinou como encerrar nossas orações. Leia 3 Néfi 18:19 em voz alta.

• Como Jesus nos disse que terminássemos nossas orações? (Em Seu nome. Terminamos as orações com as palavras em nome de Jesus Cristo, amém.)

• Quando estamos orando em aula ou em família e a pessoa que está fazendo a oração diz “amém”, o que fazemos?

Explique que quando dizemos “amém” no final de uma oração em grupo, significa que concordamos com o que a pessoa disse na oração. Estávamos orando com a pessoa que fez a oração.

Debate com tiras de palavras

Pergunte às crianças se já observaram que, ao falarmos com o Pai Celestial, não dizemos você, como o fazemos ao nos dirigirmos a nossos amiguinhos.

Mostre a tira com a palavra “você”.

• Que palavra usamos em vez de “você”? (Tu ou Vós)

Coloque a tira com as palavras “Tu” ou “Vós” sobre a tira com a palavra “Você”, de modo a cobri-la. Peça às crianças que repitam, em reverência, “Nós Te (ou Vos) agradecemos” e “Nós Te (ou Vos) pedimos”.

• Por que dizemos tu ou vós em vez de você? (É outro modo de demonstrar ao Pai Celestial que O respeitamos e honramos.)

Oramos para Agradecer ao Pai Celestial por Nossas Bênçãos

Brincadeira

Diga às crianças que há duas razões importantes pelas quais oramos. Para ajudar as crianças a descobrirem a primeira razão importante para orar, divida a classe em duas equipes. Alternando-se entre as duas equipes, peça às crianças que, uma de cada vez, mencionem coisas que o Pai Celestial já fez por nós. Cada criança deve mencionar alguma coisa que não tenha sido mencionada anteriormente. Se uma equipe não conseguir responder imediatamente, a vez é da outra equipe. Faça a brincadeira durante alguns minutos ou até que nenhuma das equipes consiga pensar em algo que ainda não tenha sido mencionado.

Se as crianças não tiverem dado as seguintes respostas, mencione-as agora:

  • O Pai Celestial nos deu nossa vida;

  • Ele nos deu nossas famílias;

  • Ele nos deu a Terra;

  • Ele mandou Jesus Cristo à Terra para nos ajudar;

  • Ele prometeu atender a nossas orações da melhor maneira.

Debate

Faça as seguintes perguntas às crianças:

  • Quando alguém nos dá um presente ou é bondoso e gentil conosco, o que dizemos?

  • Quem nos deu mais presentes do que qualquer outra pessoa? (O Pai Celestial.)

  • Qual é a primeira razão para orarmos? (Agradecer ao Pai Celestial as muitas bênçãos que Ele nos deu.)

Saliente que, do mesmo modo em que agradecemos nossos pais, familiares ou amigos as coisas que fazem para nós, devemos também agradecer ao Pai Celestial as coisas que Ele faz para nós. O Pai Celestial fica feliz quando Lhe agradecemos.

Oramos para Pedir a Ajuda do Pai Celestial

História Em suas próprias palavras, conte a história seguinte a respeito de Luís, para ajudar as crianças a descobrirem a segunda razão pela qual devemos orar:

Luís tinha acabado de mudar-se para uma nova cidade com seus pais. No primeiro dia na escola ele não conhecia ninguém. Começou a sentir-se muito deslocado e desejava ir para casa. Abaixou a cabeça na carteira porque não queria que ninguém o visse chorar.

Logo a professora notou que Luís tinha abaixado a cabeça. Ela pensou que ele estava passando mal e foi falar com ele. Luís ficou sem jeito por estar chorando na escola e tentou parar. Mas sentia-se tão deprimido que não conseguia.

Baixinho, para que ninguém o escutasse, começou a orar: “Por favor, Pai Celestial, ajude-me a parar de chorar.”

Logo Luís conseguiu parar de chorar. Ele disse à professora que já se sentia melhor e o resto do dia foi bem agradável.

Debate:

• O que ajudou Luís a sentir-se melhor?

• Como suas orações já ajudaram você?

Atividade

Explique que uma segunda razão para oramos é pedir a ajuda do Pai Celestial. Para ajudar as crianças a compreenderem alguns modos específicos de pedir ajuda em suas orações, espalhe os papéis com as perguntas na mesa ou no chão.

Deixe cada criança escolher um papel. Leia cada pergunta e peça à criança que a escolheu que dê a resposta.

Ajude as crianças a compreenderem que, a fim de receber a ajuda do Pai Celestial, devemos tentar de todos os modos conservar nossa rota, escolhendo o que é certo. Assim, se orarmos para receber ajuda e pedirmos o que o Pai Celestial sabe ser o melhor para nós, Ele nos dará aquilo por que oramos (Ver 3 Néfi 18:20).

Resumo

Debate

• O que podemos agradecer ao Pai Celestial na última oração hoje? (As respostas podem incluir a oportunidade de vir à Primária e aprender mais a respeito da oração.)

• O que podemos pedir ao Pai Celestial em nossa oração?

Testemunho

Preste o testemunho de como é importante conversarmos com o Pai Celestial a cada dia. Lembre às crianças que devemos orar pela manhã, à noite e sempre que precisarmos de ajuda especial ou sentirmo-nos gratos ao Pai Celestial.

Encoraje as crianças a lembrarem-se de orar pela manhã e à noite em cada dia da próxima semana.

Convide uma criança para fazer a última oração. Antes da oração, peça às crianças que se preparem cantando baixinho o “A Cabecinha Abaixarei” e fazendo o que a canção manda que façam. Lembre-lhes que o Pai Celestial está escutando e que todos na sala estão orando, ainda que só uma pessoa esteja falando. Lembre todas as crianças de dizerem “amém” no final da oração.

Atividades Complementares

Escolha dentre as atividades seguintes as que melhor se adaptem às crianças de sua classe. Você pode utilizá-las na própria lição ou como revisão ou resumo. Para informações adicionais, ver “Distribuição do Tempo da Aula” em “Auxílios para o Professor”.

  1. 1.

    Faça uma cópia para cada criança da folha “Orarei Reverentemente”, que se encontra no final da lição. Dê-lhes lápis de cor e deixe que pintem as gravuras. Encoraje as crianças a mostrarem as gravuras aos familiares e dizer a suas famílias o que aprenderam hoje a respeito da oração.

  2. 2.

    Ajude as crianças a cantar ou repetir a letra de “A Cabecinha Abaixarei”, p. 18 (Músicas para Crianças), fazendo os gestos indicados:

    Em reverente posição
    Oramos com fervor,
    Mostrando nossa gratidão
    E também nosso ardor.
  3. 3.

    Cante ou repita a letra da segunda estrofe de “A Cabecinha Abaixarei” (A Liahona, março de 1994.) para lembrar as crianças a respeito das coisas sobre as quais orar.

    A cabecinha abaixarei,
    Os olhos fecharei,
    Agradecendo a nosso Pai
    As bênçãos que nos dá
  4. 4.

    Dê papel e lápis de cor às crianças e peça-lhes que façam desenhos delas mesmas orando. Elas podem fazer desenhos da oração familiar, oração pessoal da manhã ou da noite, oração durante as refeições ou em qualquer outro momento ou lugar onde orarem.