Tenho Talentos

Primária 2: Conserva a Tua Rota A, 1995


Propósito

Ajudar cada uma das crianças a reconhecer que o Pai Celestial deu talentos a cada um de nós.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude Mateus 25:14–29. Ver também Princípios do Evangelho (31110 059), capítulo 34.

  2. 2.

    Durante a semana, entre em contato com os pais das crianças e pergunte-lhes que talentos eles observam em seus filhos. Se necessário, sugira alguns talentos menos óbvios, como, por exemplo, ser gentil, alegre, obediente, prestativo, benevolente, amigável ou fervoroso. Faça uma lista de talentos para cada uma das crianças. Acrescente à lista os talentos que você tiver observado nas crianças.

  3. 3.

    Utilizando a lista, prepare um papel semelhante ao seguinte para cada uma das crianças. Escreva o nome da criança no papel e dobre-o no meio. Em um lado do papel, relacione os talentos da criança que você comentará durante a lição. Deixe a outra metade do papel em branco.

    Certifique-se de que os papéis das crianças têm todos o mesmo número de talentos e que a lista de cada criança contém pelo menos um talento que possa ser demonstrado, tal como, cantar, pular corda ou ler.

  4. 4.

    Prepare-se para demonstrar um de seus talentos ou traga um objeto que represente um deles.

  5. 5.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Bíblia;

    2. b.

      Lápis preto ou de cor;

    3. c.

      Gravura 2–57, Heber J. Grant.

  6. 6.

    Faça os preparativos necessários para quaisquer Atividades Complementares que deseje utilizar.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração de abertura.

Verifique alguma designação que tenha sido dada na semana anterior.

Os Talentos São Dons do Pai Celestial

Atividade motivadora

Demonstre um de seus talentos ou mostre o objeto que você trouxe e explique que ele representa um talento que você possui.

• O que é talento?

Se você trouxe um objeto, fale a respeito dele e explique por que o talento representado por ele é importante para você. Caso você demonstre um talento, explique por que você gosta de usar esse talento.

Explique que o Pai Celestial deu talentos a cada um de seus filhos. Fale a respeito de algumas pessoas em sua ala ou ramo que possuem talentos com os quais as crianças estejam familiarizadas, tais como, cantar, tocar um instrumento musical ou ajudar os outros a sentirem-se alegres.

Lembre às crianças que cada uma delas é um filho do Pai Celestial e, portanto, têm talentos também. Explique que todas as pessoas têm talentos diferentes.

Cada um de Nós Tem Talentos Diferentes

História e debate

Em suas próprias palavras, conte a seguinte história de uma criança que descobriu ter talentos:

Carolina observava sua irmã Beatriz fazer um belo desenho das montanhas existentes atrás da casa delas. Carolina sentia-se desanimada porque não conseguia desenhar tão bem quanto a irmã. Beatriz também tocava piano muito bem e era excelente aluna na escola. Carolina ficava pensando em todas as coisas que sua irmã fazia bem e se perguntava por que ela não conseguia fazer as mesmas coisas tão bem.

• Como vocês acham que Carolina se sentia ao pensar nos talentos de Beatriz?

Um dia a professora de Carolina pediu-lhe que fizesse um discurso na Primária. Ela se preparou muito e fez um discurso muito bom. O bispo ouviu o discurso de Carolina e disse-lhe o quanto havia gostado dele. Ele disse a Carolina que ela era muito talentosa.

Carolina sentiu-se muito bem. As palavras do bispo ajudaram-na a descobrir algo importante nela mesma.

• O que o bispo ajudou Carolina a descobrir? (Ela possuía o talento de fazer bons discursos.)

Carolina logo percebeu que tinha outros talentos também. Ela fazia amigos com facilidade, e as outras crianças queriam sempre estar perto dela. Gostava de ler e de escrever. Na Igreja, era reverente e prestava atenção à professora. Carolina nunca imaginou que essas coisas fossem talentos porque não eram os mesmos da irmã. Carolina percebeu que tinha talentos, mas que eram diferentes dos talentos de sua irmã Beatriz.

• Que talentos Carolina tinha?

Enfatize para as crianças que todos têm talentos diferentes, mas que todos os talentos são importantes.

Atividade

Diga às crianças que elas aprenderão a respeito dos muitos talentos diferentes que os amiguinhos da Primária possuem. Peça-lhes que prestem muito atenção enquanto você lê cada lista de talentos. Diga às crianças que, quando descobrirem de quem você está falando, devem levantar a mão sem dizer nada.

Comece dizendo “Estou pensando em alguém que tem estes talentos” e leia a lista de talentos preparada para cada uma das crianças.

Ao terminar de ler cada lista, deixe as crianças adivinharem quem você acabou de descrever. Se as crianças não conseguirem adivinhar, dê-lhes algumas pistas óbvias, como, por exemplo, a descrição das roupas que a criança está usando ou diga se você está falando de um menino ou uma menina.

Demonstração de talento

Lembre às crianças que o Pai Celestial lhes deu muitos talentos. Convide cada criança a demonstrar um talento de sua lista. (Decida antecipadamente quais talentos da lista de cada criança podem ser demonstrados facilmente durante a aula, como, por exemplo, cantar uma música favorita, ler, pular corda ou pular em um pé só.)

Jesus Cristo Ensinou-nos a Usar Nossos Talentos

História das escrituras

Diga às crianças que Jesus Cristo ensinou que devemos usar nossos talentos. Resumidamente, conte a história encontrada em Mateus 25:14–29. Explique que Jesus contou essa história aos discípulos para ajudá-los a compreender o que tinham de fazer para voltar a viver com Ele e o Pai Celestial depois desta vida aqui na Terra.

Enfatize os seguintes pontos ao contar a história:

  1. 1.

    Na época de Jesus havia moedas chamadas talentos.

  2. 2.

    O servo que recebeu cinco talentos usou-os sabiamente e logo transformou-os em dez.

  3. 3.

    O servo que recebeu dois talentos usou-os sabiamente e logo transformou-os em quatro.

  4. 4.

    O servo que recebeu um talento escondeu-o e não o utilizou.

  5. 5.

    O senhor voltou e perguntou aos servos o que haviam feito com os talentos.

Leia em Mateus 25:21 o que o senhor disse ao servo que havia recebido os cinco talentos e logo os havia transformado em dez.

Explique que o senhor disse a mesma coisa ao servo a quem havia dado dois talentos. O senhor estava contente com os dois servos que usaram seus talentos com sabedoria.

Explique que o senhor disse ao terceiro servo que, por não ter ele usado seu talento, ele lhe seria retirado e não mais o teria (Ver Mateus 25:26–29).

Apresentação pelo professor

Ajude as crianças a compreenderem que devemos ser como os dois primeiros servos da parábola. Apesar de usarmos a palavra talentos para nos referirmos a coisas que somos capazes de fazer e não a dinheiro, ainda assim devemos usar nossos talentos com sabedoria.

Explique que, como filhos espirituais de nosso Pai Celestial, todos recebemos talentos ou dons especiais para usar e desenvolver aqui na Terra. Quando usamos nossos talentos, trazemos felicidade para nós mesmos e para os outros. Como o senhor da história, o Pai Celestial não quer que escondamos nossos talentos e que, talvez, os percamos. Ele quer que usemos nossos talentos de modo que cresçam. Assim, estaremos preparados para viver novamente com o Pai Celestial e Jesus Cristo.

Desenvolvemos Nossos Talentos Quando os Usamos

História e debate

Mostre a gravura 2–57, Heber J. Grant. Explique que você vai contar uma história a respeito de Heber J. Grant, que veio a se tornar profeta e Presidente da Igreja, e sobre o que ele fez para desenvolver seus talentos:

Quando Heber J. Grant era pequeno, gostava de jogar bola mas não conseguia arremessá-la muito longe. Os outros meninos sempre riam de Heber quando ele tentava fazer com que sua bola atingisse uma distância maior.

Heber decidiu que iria aprender a jogar tão bem que seria convidado a jogar num campeonato. Dia após dia ele treinava, atirando a bola contra a parede de um celeiro. Algumas vezes o braço doía tanto que quase não conseguia dormir à noite. Mas continuava treinando. Depois de alguns anos, Heber realmente jogou em um time que ganhou um campeonato.

  • Que talento Heber desejava ter?

  • O que Heber fez para desenvolver esse talento?

  • O que aconteceu por ter Heber treinado bastante?

Quando ficou mais velho, Heber queria trabalhar em um banco como escriturário. A letra de um escriturário tem que ser esmerada e fácil de ler. Um dos amigos de Heber disse-lhe que sua letra parecia com pés de galinha. Outro amigo disse: “Parece que o tinteiro foi atingido por um raio”.

Heber passou muitas horas treinando a fim de melhorar a letra. Alguns anos mais tarde, recebeu um prêmio por ter a melhor caligrafia do estado. Também foi professor de caligrafia e de contabilidade em uma universidade.

  • Que talento Heber desejava ter?

  • O que Heber fez para desenvolver esse talento?

  • O que aconteceu por ter Heber treinado caligrafia?

Quando Heber era jovem, sua mãe queria que ele aprendesse a cantar. Aos dez anos, entrou para a aula de canto. O professor tentou ensinar Heber a cantar, mas acabou desistindo e disse a Heber que ele nunca aprenderia. Anos mais tarde, Heber conversou com um amigo que era professor de canto. Heber mencionou que adoraria ser capaz de cantar alguns hinos. O amigo disse-lhe que seriam preciso tempo e esforço, mas que ele o conseguiria. Heber estava disposto a treinar muito e conseguiu aprender a cantar os hinos da Igreja. [Ver Bryant S. Hinckley, Heber J. Grant: Highlights in the Life of a Great Leader (Heber J. Grant: Momentos de Destaque da Vida de um Grande Líder), Salt Lake City: Deseret Book Co., 1951, pp. 37–42, 45–49.]

  • Que talento Heber queria ter?

  • O que Heber fez que o ajudou a aprender a jogar bola, melhorar a letra e a cantar?

Explique às crianças que desenvolvemos nossos talentos por meio de treinamento, como Heber o fez. Quanto mais fazemos alguma coisa, melhor nos tornamos. Heber exercitou seus talentos repetidamente e, conseqüentemente, tornou-se melhor neles. O Pai Celestial fica contente quando exercitamos os talentos que Ele nos deu.

Resumo

Atividade

Revise os talentos específicos de cada criança, conforme mencionados anteriormente na lição. Dê às crianças suas listas de talentos e lápis preto ou de cor. No lado em branco do papel, peça-lhes que façam desenhos de algo relacionado a um talento que têm ou gostariam de ter.

Deixe-as explicarem seus desenhos para as outras crianças e diga-lhes como podem ajudar os talentos ilustrados a se desenvolverem.

Testemunho

Preste testemunho de que o Pai Celestial deu diferentes talentos a cada um de nós. Lembre às crianças que Jesus Cristo e o Pai Celestial querem que usemos nossos talentos. Quando usamos nossos talentos, trazemos felicidade para nós e para os outros e ajudamos nossos talentos a crescer.

Leia em voz alta ou peça às crianças que leiam as palavras no alto da lista de talentos de cada criança: “Pergunte-me a respeito de meus talentos”. Incentive as crianças a mostrar as listas a suas famílias e a contar-lhes o que aprenderam a respeito de talentos.

Convide uma criança para fazer a última oração. Sugira-lhe que agradeça ao Pai Celestial pelos talentos de cada uma das crianças da classe e peça ao Pai Celestial que ajude as crianças a usarem bem seus talentos.

Atividades Complementares

Escolha dentre as atividades seguintes as que melhor se adaptem às crianças de sua classe. Pode utilizá-las na própria lição ou como revisão ou resumo. Para mais informações, ver “Distribuição do Tempo da Aula” em “Auxílios para o Professor”.

  1. 1.

    Peça às crianças que se sentem em círculo. Cantarole, cante ou toque música gravada enquanto passam um saquinho de feijão ou outro objeto macio de uma para outra no círculo. Quando a música parar, a criança que estiver com o saquinho de feijão fica em pé no centro do círculo e demonstra um talento. Os talentos podem incluir recitar um poema, cantar uma música, ler uma escritura, pular em um pé ou fazer um desenho simples no quadro-negro. As crianças podem representar ou fazer mímica de algum talento que não possa ser representado na sala de aula, tal como praticar um ato bondoso ou jogar bola. Peça às crianças que aplaudam baixinho depois da apresentação de cada criança.

    Continue até que todas as crianças tenham tido a oportunidade de se apresentar pelo menos uma vez.

  2. 2.

    Ensine às crianças uma aptidão simples que possa a vir se transformar em um talento, tal como reger um hino ou fazer algum trabalho manual.