Perdoar aos Outros

Primária 2: Conserva a Tua Rota A, 1995


Propósito

Ajudar cada criança a compreender que ficamos felizes quando perdoamos aos outros como Jesus Cristo o fez.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude Lucas 23:13–34 e João 18:12–14, 19–24; 19:1–5.

  2. 2.

    Prepare-se para cantar ou repetir a letra de “Faze-me, ó Pai, Perdoar”, p. 52 (Músicas para Crianças).

  3. 3.

    Prepare uma faixa de papel com a seguinte escritura:

    “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem.”

  4. 4.

    Prepare-se para contar a respeito de uma ocasião em que você perdoou e de como você se sentiu ao perdoar.

  5. 5.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Bíblia;

    2. b.

      Cartaz CTR (ver lição 1);

    3. c.

      Giz, quadro-negro e apagador;

    4. d.

      Gravura 2-56, O Julgamento de Jesus; gravura 2-61, A Crucificação [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) - 230].

  6. 6.

    Faça os preparativos necessários para quaisquer Atividades Complementares que deseje utilizar.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Verifique alguma designação que tenha sido dada na semana anterior. Peça às crianças que contem suas experiências de serviço ao próximo.

Devemos Perdoar aos Outros

Atividade motivadora

Peça às crianças que escutem com atenção enquanto você descreve a seguinte situação (ajuste a situação conforme necessário para adequá-la às crianças da classe):

Você está andando com uma pilha de livros e papéis (ou qualquer outra coisa) nos braços. De repente, alguém lhe dá um encontrão. Você cai e derruba tudo o que estava carregando. Os livros e os papéis se espalham pelo chão.

• Alguma coisa assim já aconteceu com você?

• Como você se sentiu?

Diga às crianças que você vai apresentar dois finais diferentes para a situação. Peça-lhes que decidam qual deles é o melhor.

Final 1

Você fica chateado por ter caído e derrubado suas coisas. Quando a pessoa que esbarrou em você pede desculpas e se oferece para ajudá-lo a pegar as coisas, você diz “Não!” com raiva e a empurra. Você espera poder encontrá-la amanhã com os braços cheios de coisas para poder empurrá-la.

Final 2

Você fica chateado por ter caído e derrubado suas coisas. Quando a pessoa que esbarrou em você pede desculpas e se oferece para ajudá-lo a pegar as coisas, você diz: “Obrigado”. Vocês dois pegam tudo rapidamente. Você diz à pessoa que sabe que ela não esbarrou em você de propósito e ambos continuam seu caminho felizes.

• Qual é o melhor final para a história?

• Por que o segundo final é melhor do que o primeiro?

• O que devemos fazer quando alguém faz alguma coisa de que não gostamos ou faz-nos sentir magoados ou com raiva? (Devemos perdoar-lhe.)

Apresentação pelo professor

Explique que perdoar a alguém significa ter bons sentimentos em relação a alguém e amar a pessoa, apesar de ela ter feito algo que nos tenha magoado ou deixado com raiva. Algumas vezes temos que modificar nossos sentimentos, transformando a raiva em ternura. Quando perdoamos a alguém, não queremos magoar essa pessoa ou nos vingarmos dela. Temos que ser bondosos e gentis para com ela, ainda que ela não o seja para conosco.

Jesus Cristo Perdoou aos Outros

História das escrituras Mostre a Bíblia e diga às crianças que vai contar uma história da Bíblia a respeito de como Jesus Cristo perdoou às pessoas que O magoaram. Conte a história do julgamento de Jesus e da crucificação, conforme se encontra em Lucas 23:13–34 e João 18:12–14, 19-24; 19:1–5.

Explique que, depois de Jesus e Seus Apóstolos terem feito a última ceia juntos, Jesus foi ao Jardim do Getsêmani orar ao Pai Celestial. Depois de Jesus ter terminado a oração, alguns soldados chegaram, amarraram-No com cordas e levaram-No ao palácio do sacerdote principal, onde Ele foi levado a julgamento.

Mostre a gravura 2–56, O Julgamento de Jesus.

Diga que durante o julgamento, os soldados foram muito maus com Jesus. Bateram Nele, chicotearam-No, cuspiram Nele, colocaram uma coroa de espinhas em Sua cabeça e disseram nomes feios para Ele. Mas Jesus não ficou com raiva.

Mostre a gravura 2–61, A Crucificação.

Diga às crianças que após o julgamento, os soldados levaram Jesus a um lugar chamado Calvário e pregaram-No em uma cruz. Explique que Jesus não estava com raiva dos soldados pelo que estavam fazendo com Ele. Em vez disso, pediu ao Pai Celestial que lhes perdoasse.

Escritura e faixa de papel

Peça às crianças que prestem atenção ao que Jesus disse um pouco antes de morrer. Leia em voz alta a primeira frase de Lucas 23:34.

Mostre a faixa de papel com a escritura e deixe-a afixada no restante da aula. Ajude as crianças a repetirem a frase de Jesus.

Saliente que, apesar de os soldados terem sido ruins para Jesus, Ele lhes perdoou e pediu ao Pai Celestial que lhes perdoasse também.

A Felicidade Advém de Perdoarmos aos Outros

Apresentação pelo professor

Lembre às crianças que quando somos seguidores de Jesus Cristo, tentamos fazer o que Ele quer que façamos. Jesus sempre perdoou àqueles que foram maus para Ele. Devemos também perdoar àqueles que são maus para nós.

Música

Cante ou repita a letra da primeira estrofe de “Faze-me, ó Pai, Perdoar”. Peça às crianças que prestem bastante atenção à letra. Diga-lhes que essa letra foi escrita como uma oração, a fim de nos ajudar a perceber como é importante perdoar aos outros.

Faze-me, ó Pai, com amor perdoar
Ao que me ofende ou zomba de mim.
Pai Celestial faze-me andar
Cada vez mais perto de Ti.

Peça às crianças que se levantem e cantem ou repitam a letra com você. Incentive- as a pensarem no significado das palavras e frases enquanto cantam.

História e debate

Conte a seguinte história a respeito de uma criança que sabia perdoar:

A mãe de Carlos havia-lhe pedido que limpasse o quintal. Ele estava varrendo as folhas e os pequenos galhos que haviam caído das árvores e plantas no quintal. Carlos estava trabalhando muito e finalmente conseguiu fazer um grande monte com todas as folhas e galhos que haviam caído. Foi nesse instante que João veio correndo pela rua, pulou em cima do monte de folhas e galhos, espalhando-os em todas as direções. Todo o trabalho de Carlos havia sido desfeito em poucos segundos.

• Como vocês acham que Carlos se sentiu quando João fez isso?

O irmão de Carlos viu o que João havia feito. Ele achava que Carlos deveria correr atrás de João e dar-lhe uma surra pelo que havia feito.

• O que Carlos poderia fazer?

Deixe as crianças darem algumas sugestões. A seguir, conclua a história:

Carlos saiu correndo atrás de João. Mas em vez de bater nele, perguntou-lhe se tinha algum trabalho para fazer naquele dia. João fez que sim com a cabeça.

Carlos ofereceu-se para ajudar João em seu trabalho se João o ajudasse a varrer novamente o quintal, recolhendo as folhas e galhos. João concordou e os dois meninos divertiram-se muito trabalhando juntos.

Debate

Explique que se perdoarmos aos outros e tratá-los bem, como Carlos tratou João, nos sentiremos felizes. Se não perdoarmos, continuaremos a sentir-nos magoados e com raiva e não ficaremos felizes. Temos que perdoar aos outros para sermos felizes.

Apresente algumas situações para as crianças e decidam se a criança da situação demonstrou perdão ou não. Se a criança descrita não perdoou, pergunte às crianças o que a criança poderia fazer para mostrar que perdoou e, assim, sentirse feliz.

Utilize as situações seguintes ou crie algumas você mesmo:

  1. 1.

    Janaína mal havia acabado de fazer um belo desenho quando seu irmãozinho menor rabiscou-o com um lápis de cor. Ela ficou tão chateada que gritou com ele e deu um tapa em sua mão.

    • Janaína demonstrou ter perdoado?

    • Como vocês acham que ela se sentiu?

    • O que ela poderia ter feito para demonstrar que perdoara seu irmãozinho?

  2. 2.

    Brincando no pátio, Débora deu um empurrão em Kátia e saiu correndo dando risada. No dia seguinte, Débora caiu do balanço e machucou o joelho. Kátia correu para ajudá-la.

    • Kátia demonstrou perdão?

    • Como vocês acham que Kátia se sentiu?

  3. 3.

    Quando Cláudio estava esperando para beber água no bebedouro, o menino a sua frente jogou água nele. O rosto de Cláudio ficou todo molhado, mas ele se virou e foi embora sem dizer nada. No dia seguinte, quando Cláudio estava bebendo água, o mesmo menino passou por perto. Cláudio podia ter jogado água nele, mas não o fez.

    • Cláudio demonstrou ter perdoado?

    • Como vocês acham que Cláudio se sentiu?

Resumo

Atividade de revisão Escreva os números de 1 a 8 no quadro-negro. Deixe que, uma por vez, as crianças apaguem um número no quadro e respondam à pergunta que corresponda àquele número. Se a turma for grande, você precisará preparar mais perguntas.

  1. 1.

    O que significa perdoar aos outros?

  2. 2.

    Como Jesus Cristo agiu com relação aos soldados que O pregaram na cruz?

  3. 3.

    O que Jesus Cristo pediu que o Pai Celestial fizesse pelos soldados?

  4. 4.

    Como vocês acham que Carlos se sentiu quando João chutou o monte de folhas que ele havia varrido?

  5. 5.

    Como Carlos demonstrou perdão por João?

  6. 6.

    Como você acha que Carlos se sentiu quando perdoou a João?

  7. 7.

    Como você acha que João se sentiu quando Carlos foi gentil para com ele em vez de tentar se vingar?

  8. 8.

    Como nos sentiremos quando perdoarmos aqueles que foram ruins para conosco?

Cartaz e anel CTR

Mostre o cartaz CTR. Peça às crianças que repitam as palavras do cartaz. Ajude as crianças a compreenderem que, quando perdoamos aos outros como o fez Jesus, estamos escolhendo o que é certo.

Peça às crianças que olhem para o anel CTR, se o estiverem usando. Diga-lhes que o anel pode ajudá-las a lembrarem-se de escolher o que é certo, perdoando aos outros.

Testemunho

Testifique que seremos felizes se perdoarmos aos outros e os tratarmos com bondade e gentileza. Fale de uma ocasião em que você escolheu o que era certo e perdoou a alguém. Explique como você se sentiu em relação à pessoa, uma vez que estava disposto a perdoar.

Se o tempo permitir, deixe as crianças falarem a respeito de ocasiões em que perdoaram a alguém.

Incentive as crianças a fazerem um esforço especial para perdoar aos outros na semana vindoura. Sugira que as crianças falem a respeito do perdão com a família.

Convide uma criança para fazer a última oração. Sugira que a criança peça ao Pai Celestial que ajude as crianças a perdoar aos outros.

Atividades Complementares

Escolha dentre as atividades seguintes as que melhor se adaptem às crianças de sua classe. Pode utilizá-las na própria lição ou como revisão ou resumo. Para mais informações, ver “Distribuição do Tempo da Aula” em “Auxílios para o Professor”.

  1. 1.

    Traga uma sacola ou bolsa e algumas pedras. Comente com as crianças que freqüentemente ficamos com raiva ou tentamos nos vingar quando as pessoas são más conosco. Enquanto fala, coloque as pedras na bolsa, uma de cada vez.

    Quando as pedras estiverem na bolsa, deixe as crianças, uma de cada vez, carregarem-na pela sala. Peça-lhes que tentem bater palmas ou dar um abraço em alguém enquanto carregam a bolsa. Explique que estar com raiva de alguém por alguma coisa ruim que tenham feito para nós é como carregar uma bolsa cheia de pedras. É um peso para nós.

    Peça às crianças que digam algumas vezes “Eu perdoarei” enquanto você tira as pedras da bolsa. Explique que, quando perdoamos aos outros, não mais temos que levar um grande peso. Sentimo-nos muito mais felizes quando perdoamos.

  2. 2.

    Cante ou repita a letra de “Faça o que Eu Faço” (Cante Comigo, D–22). A letra está incluída no final deste manual.

    Repita-a algumas vezes, deixando as crianças escolherem as ações para fazerem. Lembre às crianças que quando seguimos a alguém, nós fazemos o que ele faz. Se quisermos ser seguidores de Jesus Cristo, devemos fazer o que Ele faz, incluindo perdoar àqueles que são ruins conosco.

  3. 3.

    Conte a história de José do Egito e seus irmãos, conforme encontrada em Gênesis 37 e 41–45. Você pode pedir às crianças que dramatizem a história. Comente com as crianças como José perdoou a seus irmãos (ver Gênesis 45:1–15).

  4. 4.

    Faça uma cópia do desenho encontrado no final da lição para cada criança. Dêlhes lápis de cor ou preto e peça-lhes que desenhem rostos alegres nas crianças do desenho. A seguir, deixe-as colorir o desenho. Diga-lhes que levem os desenhos para casa e coloquem-nos onde eles sirvam para lembrá-las que devem perdoar aos outros.

  5. 5.

    Peça às crianças que dramatizem a história de Carlos e João e as três situações encontradas nas páginas 219–20 da lição. (Na primeira situação, peça às crianças que dramatizem como Janaína poderia ter demonstrado perdão a seu irmãozinho.) Como alternativa, crie outras situações mais adequadas a sua classe e peça às crianças que as dramatizem.