Lição 2: O Pai Celestial Tem Confiança que Seguiremos Seu Plano

Primária 3: Conserva a Tua Rota B, (1994), 4–8


Propósito

Ajudar cada criança a compreender que o Pai Celestial confia que ela escolherá o que é certo.

Preparação

  1. 1.

    Estude Abraão 3:22–28.

  2. 2.

    Faça um distintivo para cada criança e um para você, conforme ilustrado abaixo:

    Escreva as letras CTR no centro do distintivo.

  3. 3.

    Prepare-se para ensinar a segunda estrofe de “Escolhendo o Que É Certo” (Músicas para Crianças, p. 82). A letra está incluída no fim deste manual.

  4. 4.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Um lápis preto ou de cor para cada criança;

    2. b.

      Um pedaço de fita adesiva ou alfinete para cada distintivo;

    3. c.

      O escudo CTR incluído no início do manual;

    4. d.

      Giz, quadro-negro e apagador (ou outra superfície onde se possa escrever);

    5. e.

      Gravura 3-2, O Pai Celestial Deu-nos Seu Plano.

  5. 5.

    Faça os preparativos necessários para quaisquer Atividades Complementares que deseje utilizar.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Verifique alguma designação que tenha sido dada na semana anterior.

Somos Filhos de Um Grande Rei

Atividade motivadora

Conte a seguinte história a respeito do filho de um grande rei:

Era uma vez um rei cujo filho, o príncipe, foi capturado e levado para longe de casa.

Os captores tentaram forçar o príncipe a fazer coisas erradas. Tentaram fazer com que ele fosse ruim para as pessoas a seu redor. Diziam nomes feios e tentaram fazer que ele também os dissesse. Tentaram fazer com que ele mentisse, trapaceasse e roubasse. Eles até tentaram fazer com que ele comesse e bebesse coisas que eram prejudiciais a sua saúde. Mas o príncipe nunca fez qualquer dessas coisas. Finalmente, depois de seis meses desse horrível tratamento, os captores perguntaram ao príncipe: “Por que você não faz as coisas que queremos?”

Ele respondeu: “Não posso fazer o que pedem porque sou filho de um rei e meu pai ensinou-me a fazer o que é certo. Nasci para ser rei”.

Debate

Diga que o príncipe sabia que era filho de um rei e que se esperava que ele se tornasse rei ao crescer.

Diga às crianças que o filho do rei está na sala de aula hoje.

Poema

Peça às crianças que escutem com atenção o poema seguinte e descubram quem é o filho desse grande rei. Leia ou ajude uma criança a ler o poema abaixo:

“Dos céus e da Terra meu Pai é o Rei!
Sou príncipe (ou princesa) da casa real.
Nas cortes celestes nasceu meu espírito,
Ser como o Pai é minha meta final.”

(Anna Johnson, “I Am a Child of Royal Birth,” Children’s Friend, Oct. 1959, p. 29.)

  • Quem é o príncipe (ou princesa) da casa real? (Cada um de nós.)

  • Quem é o rei? (O Pai Celestial.)

Ajude as crianças a compreenderem que cada pessoa da classe é um príncipe ou princesa. Somos todos filhos do maior dos reis, nosso amado Pai Celestial. Ele quer que façamos o que é certo, exatamente como o príncipe da história o fez.

O Pai Celestial Confia em Nós

Atividade no quadro-negro

Escreva no quadro-negro, em letra de forma, a palavra confiar.

  • O que significa confiar?

Deixe que as crianças respondam.

História

  • Vocês já estiveram num lugar bem escuro?

Conte a seguinte história:

Quando Susana tinha nove anos, seu pai levou-a para explorar uma caverna perto da casa deles. Ao entrarem na caverna, Susana ficou muito assustada porque estava escuro e ela não conhecia o lugar. O pai acalmou-a segurandolhe as mãos e conversando com ela enquanto caminhavam. Ele ensinou-lhe a usar as mãos para tocar nas paredes e a andar arrastando os pés pelo chão irregular.

Vagarosamente caminharam pela caverna no escuro. Susana estava com medo e, às vezes, tinha vontade de voltar, mas seu pai estava sempre próximo e encorajava-a a prosseguir.

Em breve Susana viu uma luz a sua frente. Era uma abertura no outro extremo da caverna. Cheia de coragem, caminhou rápido em direção à abertura e ficou muito orgulhosa pelo que tinha feito. O pai sorriu e perguntou-lhe se ela seria capaz de cruzar a caverna de volta, sozinha. Ela ficou um pouco assustada com a idéia de atravessar a caverna sozinha, mas estava disposta a fazê-lo. Seu pai disse-lhe que estaria segura no túnel e demonstrou grande confiança em sua habilidade de sair-se bem sozinha. Ele também garantiu-lhe que estaria do outro lado do túnel esperando por ela.

Susana voltou para dentro da caverna com passos lentos e cuidadosos, tocando as paredes com as mãos e arrastando os pés, exatamente como seu pai lhe havia ensinado. Susana ficava muito animada à medida que se aproximava da outra extremidade da caverna. Ela ficou muito contente quando saiu da caverna, em direção à luz do sol e dos braços do pai que a aguardava.

Diga às crianças que, do mesmo modo em que o pai de Susana a ajudou a atravessar a caverna, nosso Pai Celestial nos ensina a atravessar nossos anos de vida e a voltarmos para Ele. Quando o pai de Susana disse-lhe para atravessar a caverna sozinha, ele tinha confiança que ela colocaria as mãos nas paredes e caminharia cautelosamente a fim de chegar até a saída. Nosso Pai Celestial tem confiança que faremos as escolhas certas para que consigamos encontrar o caminho de volta a Ele. Ele está a nossa espera, aguardando que voltemos para Ele.

Debate

  • Onde estávamos antes de virmos para a Terra? (Vivíamos com nosso Pai Celestial; ver Abraão 3:22–23.)

Diga que amávamos o Pai Celestial e sabíamos que Ele nos amava. Éramos felizes lá. O Pai Celestial disse-nos que desejava que nos tornássemos iguais a Ele e que tinha um plano para ajudar-nos a alcançar essa meta.

Gravura

Mostre a gravura 3-2, O Pai Celestial Deu-nos Seu Plano, e diga que Jesus estava lá conosco. Estávamos todos juntos lá.

O plano do Pai Celestial incluía a criação da Terra para nós. Aqui aprenderíamos a diferença entre o certo e o errado e como escolher por nós mesmos o que faríamos. Nosso Pai Celestial sabia que cometeríamos erros, mas Ele mandaria Jesus Cristo para nos ajudar a vencê-los. (Ver Abraão 3:24–27.)

Diga que o Pai Celestial escolheu Jesus para nos ajudar porque Ele era obediente e queria seguir o plano do Pai Celestial. O Pai Celestial também escolheu Jesus para criar esta Terra para nós.

Tínhamos outro irmão chamado Lúcifer. Ele queria que o seguíssemos em vez de ao Pai Celestial. Porém, não seria bom que tivéssemos seguido Lúcifer. O Pai Celestial sabia disso e escolheu Jesus para realizar Seu plano. Lúcifer ficou muito bravo com isso. (Ver Abraão 3:27–28.)

  • O que Lúcifer fez? (Ele convenceu muitas pessoas a segui-lo, em vez de seguirem o Pai Celestial.)

  • Quem escolhemos seguir? (O Pai Celestial e Jesus. Diga que só os que escolheram seguir o Pai Celestial e Jesus ganharam um corpo. Os que decidiram seguir Lúcifer não ganharam um corpo.)

  • O que aconteceu com Lúcifer? (Ele foi expulso do céu e ficou conhecido como Satanás ou o diabo. Ele tenta convencer-nos a fazer coisas erradas. Diga que ele continua tentando nos persuadir a segui-lo, em vez de seguirmos ao Pai Celestial e Jesus, exatamente como o fez quando vivíamos com o Pai Celestial.)

Diga às crianças que fizemos a escolha certa ao decidirmos seguir o Pai Celestial e Jesus e que Eles ficaram contentes com nossa decisão. O Pai Celestial quer que escolhamos seguir seu plano aqui na Terra para que voltemos a viver com Ele.

Podemos Seguir o Plano do Pai Celestial Escolhendo o Que É Certo

Jogo

Explique às crianças que há muitas maneiras de escolhermos o que é certo a cada dia. Ajude-as a fazer a brincadeira “O que o Pai Celestial Gostaria que eu Fizesse?”

Dê oportunidade a cada uma das crianças de responder a uma das seguintes perguntas. Acrescente mais perguntas, caso necessário, para que cada criança tenha a oportunidade de escolher o que faria. Faça perguntas adequadas a sua classe:

  1. 1.

    O que o Pai Celestial gostaria que eu fizesse se eu estivesse tão cansado uma noite que quisesse dormir sem fazer minha oração?

  2. 2.

    O que o Pai Celestial gostaria que eu fizesse se eu tivesse prometido a minha mãe que iria ajudá-la, mas um amigo me chamasse para brincar?

  3. 3.

    O que o Pai Celestial gostaria que eu fizesse se eu encontrasse uma coisa pertencente a outra pessoa?

  4. 4.

    O que o Pai Celestial gostaria que eu fizesse se eu, sem querer, quebrasse o brinquedo do meu amigo?

  5. 5.

    O que o Pai Celestial gostaria que eu fizesse se eu prometesse a minha mãe que eu chegaria em casa a uma determinada hora?

Música e debate

Diga às crianças que a segunda estrofe de “Escolhendo o Que É Certo” fala de algumas maneiras pelas quais podemos escolher o que é certo e demonstrar que somos dignos da confiança do Pai Celestial em nós. Peça-lhes que prestem atenção enquanto você repete a segunda estrofe.

  • O que a música nos diz que podemos fazer para escolher o que é certo? (Orar, ter fé e obedecer.)

Escreva essas palavras no quadro-negro em letras de forma. Para as crianças menores, peça que repitam as palavras em voz alta com você. Pergunte às crianças o que essas palavras significam. Desenvolva suas idéias conforme necessário:

  1. 1.

    Orar significa conversar com o Pai Celestial, agradecer a Ele por todas as bênçãos e pedir-Lhe que o ajude a escolher o que é certo.

  2. 2.

    Ter significa acreditar que o Pai Celestial e Jesus Cristo o amam e o ajudarão.

  3. 3.

    Obedecer significa fazer o que o Pai Celestial nos pediu que fizéssemos.

  • O que a música diz que acontecerá se vivermos os ensinamentos de Jesus? (Seremos felizes.)

Ajude as crianças a aprenderem a letra, repetindo-a diversas vezes. A seguir, cante a música inteira com as crianças. Talvez seja interessante escrever a letra da música no quadro-negro e ir apagando as palavras à medida que as crianças forem aprendendo a letra.

Resumo

Distribuição

Dê a cada criança um distintivo de papel e um lápis de cor (ou preto, caso a criança saiba escrever). Leia as palavras “Meu Pai Celestial Confia em Mim para…”.

  • O que o Pai Celestial confia que faremos? (Escolheremos o que é certo.)

Ajude as crianças a compreenderem que, quando tiverem oito anos, podem escolher ser batizadas porque terão idade suficiente para distinguirem o certo do errado. O Pai Celestial confia que elas escolherão o que é certo.

Mostre às crianças o escudo CTR encontrado no início do manual. Você pode também relembrá-las das letras CTR nos anéis.

Peça a uma criança mais velha que escreva no quadro-negro as letras que correspondem a “Conserva Tua Rota”. Deixe que as crianças vejam seu distintivo com as letras no centro. Peça-lhes que escrevam as letras em seu próprio distintivo, caso saibam escrever, e ajude-as a pregar os distintivos na roupa.

Testemunho

Preste testemunho de que todas as crianças na classe são filhas do Pai Celestial. Ele tem mais poder do que qualquer rei da Terra. O Pai Celestial confia que cada uma delas escolherá o que é certo para que possam voltar a viver com Ele.

Sugira que a criança que fizer a oração de encerramento agradeça por um Pai Celestial afetuoso que confia em nós para fazermos as escolhas certas.

Atividades Complementares

Escolha, dentre as atividades seguintes, as que melhor se adaptem às crianças de sua classe. Você pode utilizá-las na própria lição ou como revisão ou resumo. Para informações adicionais, ver “Distribuição do Tempo da Aula” em “Auxílios para o professor”.

  1. 1.

    Diga às crianças que você vai sair da sala por um momento, mas antes de fazê-lo vai cochichar algumas instruções no ouvido de cada uma das crianças. Diga às crianças que essas instruções vão falar de alguma coisa que agradará o Pai Celestial. Diga-lhes que se precisarem de você, estará por perto. Diga que você ficará feliz se elas seguirem as instruções.

    Cochiche as mesmas instruções no ouvido de todas as crianças: “Cruze os braços, feche os olhos e pense no Pai Celestial e em Jesus Cristo”.

    Saia da sala e fique ao lado da porta durante alguns segundos. Ao voltar à sala, agradeça às crianças que seguiram suas instruções. Diga que nosso Pai Celestial e Jesus nos deram instruções e que Eles querem que as sigamos. Se assim o fizermos, voltaremos em segurança para junto Deles algum dia.

  2. 2.

    Peça a cada uma das crianças que desenhe alguma coisa que pode fazer para seguir o plano do Pai Celestial. Peça-lhes que pintem o desenho.