Alma Aconselha Seus Filhos Helamã e Siblon

Primária 4: O Livro de Mórmon, 1994


Propósito

Ensinar às crianças que as escrituras nos foram dadas para serem uma fonte de alegria nesta vida e um guia que nos ajudará a voltar ao Pai Celestial e ganhar a vida eterna.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude Alma 37–38. Em seguida, estude a lição e decida como pretende ensinar a história das escrituras às crianças. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

  2. 2.

    Escolha as perguntas do debate e atividades complementares que mais envolvam e ajudem as crianças a alcançar o propósito da lição.

  3. 3.

    Prepare uma cópia da folha “As Escrituras” (no final da lição) para cada criança. (Optativo)

  4. 4.

    Prepare uma tira de papel com as palavras: “Vida Eterna”.

  5. 5.

    Material necessário:

    1. a.

      Um Livro de Mórmon para cada criança.

    2. b.

      Uma pequena gravura de Jesus Cristo ou uma tira de papel na qual foi escrito: “Jesus Cristo”.

    3. c.

      As gravuras 4–9, Jesus o Cristo (Pacote de Gravuras do Evangelho 34730 059 – 240), e 4–15, A Liahona (Pacote de Gravuras do Evangelho 34730 059 – 302).

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança a fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Antes do início da aula, esconda em algum lugar da sala uma pequena gravura de Jesus Cristo ou a tira de papel na qual foi escrito “Jesus Cristo”. Mostre a tira “Vida Eterna”. Explique que, como membros da Igreja, queremos ter alegria nesta vida, voltar ao nosso Pai Celestial e ganhar a vida eterna, que significa viver para sempre com nossa família, na presença de Deus. Ajude as crianças a compreender que a vida eterna é o maior dom que Deus concede a Seus filhos. O Pai Celestial quer que todos sejamos dignos de viver com Ele para sempre. Diga às crianças que, em algum lugar da sala, está escondida uma pequena gravura (ou tira de papel) de alguém que nos quer ajudar a ganhar a vida eterna. Conceda-lhes trinta segundos para procurar a gravura (ou tira). Lembre-lhes que nosso Pai Celestial nos deu um guia para conduzir-nos à vida eterna. Forneça pistas, se necessário.

Depois que as crianças encontrarem a gravura (ou tira) de Jesus Cristo que foi escondida, mostre-lhes a gravura maior de Cristo e as escrituras. Explique que as escrituras nos foram dadas como um guia para ajudar-nos a aprender a respeito de Jesus Cristo e tornar-nos mais semelhantes a Ele, a fim de voltarmos à presença de nosso Pai Celestial.

História das Escrituras

Usando as gravuras sugeridas, relate os conselhos que Alma deu a seus filhos Helamã e Siblon, que se encontram em Alma 37–38. Saliente os ensinamentos de Alma a respeito das escrituras e por que elas são um guia em nossa vida. (Ver sugestões para ensinar a história das escrituras na seção “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

Debate

Estude as seguintes perguntas e passagens das escrituras ao preparar a aula. Use as perguntas que, na sua opinião, mais ajudarão as crianças a compreender as escrituras e aplicar os princípios na própria vida. A leitura das passagens com as crianças na sala de aula irá ajudá-las a ganhar maior entendimento das escrituras.

• Por que era tão importante para os profetas do Livro de Mórmon guardar e preservar as placas de latão? (Alma 37:4, 8; Ver lição 3.)

• Por que a Liahona foi dada a Leí? Como ela funcionava? (1 Néfi 16:10, 28)

• Por que as escrituras se parecem com a Liahona? (Alma 37:44–45) Como as escrituras podem ajudar-nos a voltar a viver com o Pai Celestial?

• O que as escrituras ensinaram aos lamanitas, que os fez se arrependerem? (Alma 37:9)

• O que Alma pediu que seu filho Helamã ensinasse ao povo? (Alma 37:32–34) Como podemos vencer as tentações?

• O que Alma queria dizer quando aconselhou Helamã a “[aprender] sabedoria em tua mocidade”? (Alma 37:35) Por que é tão importante vivermos o evangelho em nossa mocidade?

• O que Alma ensinou a Helamã a respeito da oração? (Alma 37:36–37) Como e quando devemos orar? O que significa “ser elevado no último dia”? Ajude as crianças a compreender que isso se refere ao julgamento final, quando todos aqueles que foram obedientes aos mandamentos serão admitidos à presença do Pai Celestial, para viver com Ele para sempre.

• Por que o filho de Alma, Siblon, deu tanta alegria ao pai? (Alma 38:2–4) De que modo vocês deixam seus pais felizes quando obedecem ao evangelho?

• O que é orgulho? (Alma 38:11. Não ser humilde nem dócil. As pessoas orgulhosas pensam que são mais importantes que as outras. As pessoas orgulhosas agem de acordo com a própria vontade, em vez de fazer a vontade do Pai Celestial.) Por que aprender a admitir e corrigir nossos erros nos aproxima do Pai Celestial? O que significa vangloriar?

• Como Alma sabia as coisas que ensinou ao filho? (Alma 38:6–8) O que devemos fazer para que o Espírito Santo nos ensine e nos ajude, como fez com Alma? De que modo o Espírito Santo ensinou e ajudou vocês a fazerem o que era certo?

• O que Alma testificou a Siblon a respeito de Jesus Cristo? (Alma 38:9) Como podemos usar as escrituras para nos ajudar a obter um testemunho semelhante? (Lê-las e ponderá-las diariamente, procurar a ajuda do Espírito para compreendê-las, aplicá-las a nossas próprias experiências e situações.)

Atividades Complementares

Pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como revisão, resumo ou desafio.

  1. 1.

    Explique que uma das razões pelas quais recebemos as escrituras foi ajudar-nos a vencer e solucionar nossos problemas. Dê a cada aluno uma cópia das quatro situações descritas a seguir. Peça que cada criança trabalhe com um companheiro, para decidir como as escrituras alistadas ajudariam em cada situação. As quatro situações descritas abaixo são apenas exemplos. Pode usar outros exemplos que sejam mais adequados às crianças da classe. (Mais de uma escritura pode ser aplicada a cada situação.)

    Quando João foi batizado, a família ficou zangada com ele. Quando o bispo pediu que João aceitasse um chamado para servir uma missão de tempo integral, ele não tinha dinheiro suficiente.

    Sandra precisa tomar uma decisão importante, mas, mesmo depois de conversar com muitas pessoas, ainda não sabe o que fazer.

    As amigas de Helena estão sempre tentando convencê-la a ir com elas furtar coisas das lojas. Quando ela se recusa, as amigas zombam dela.

    Daniel tem um dever da escola que vai ser muito difícil conseguir terminar antes da data marcada para a entrega.

    Alma 26:12; 1 Néfi 3:7; Alma 37:37; 1 Néfi 17:3

  2. 2.

    Copie as seguintes palavras de Alma 37, separadamente, em duas folhas de papel:

    “Aprende sabedoria em tua mocidade; sim, aprende em tua mocidade a guardar os mandamentos de Deus” (Alma 37:35).

    “Aconselha-te com o Senhor em tudo que fizeres e ele dirigir-te-á para o bem” (Alma 37:37).

    Corte as escrituras, separando as palavras. Coloque a primeira escritura em uma caixa e a segunda em outra. Coloque as caixas na frente da sala. Divida a classe em dois grupos. Dê a cada grupo uma folha de papel e um lápis. Faça com que uma criança de cada grupo vá à frente, apanhe uma palavra da caixa e volte para junto do grupo. A próxima criança faz o mesmo, e assim por diante. Cada grupo deve arrumar as palavras na ordem certa. Se as crianças precisarem de ajuda, dê-lhes a referência da escritura. Quando cada grupo descobrir qual é a sua escritura, pode escrevê-la e decorá-la. No final, cada grupo deverá recitar a sua escritura em conjunto.

  3. 3.

    Leia 1 Néfi 16:28 com a classe: “E aconteceu que eu, Néfi, vi os ponteiros que estavam na esfera e eles moviam-se conforme a fé e a diligência e a atenção que lhe dávamos.” Faça um debate sobre como a Liahona funcionava para Leí e sua família. Divida a classe em três grupos e dê três palavras a cada grupo (fé, diligência e atenção) com a respectiva definição:

    • Fé: crença em algo que não se vê, mas que é verdadeiro.

    • Diligência: esforço dedicado para fazer algo.

    • Atenção: concentração, consideração.

    Faça com que cada grupo debata o significado de sua palavra e como o princípio pode ajudá-los a usar as escrituras como guia para voltar à presença do Pai Celestial. Peça às crianças que procurem imaginar um exemplo ilustrativo. Passados dois ou três minutos, peça que cada grupo escolha alguém para explicar à classe como o princípio pode ajudá-los a usar as escrituras como uma Liahona.

  4. 4.

    Convide um membro da ala a contar experiências nas quais as escrituras deram orientação e respostas às suas orações.

  5. 5.

    Leia e debata a oitava regra de fé. Saliente que as escrituras nos ajudam a voltar à presença do Pai Celestial. Pode usar o cartaz da oitava regra de fé (65008 059).

  6. 6.

    Cante ou leia a letra de “Ler, Ponderar e Orar”, p. 66; “Buscarei Cedo ao Senhor”, p. 67 (Músicas para Crianças), ou “Estudando as Escrituras” (Hinos, nº 176).

Conclusão

Testemunho

Preste testemunho de que o estudo diário das escrituras pode ajudar-nos a solucionar problemas, resistir às tentações, permanecer no caminho estreito e apertado que nos leva de volta ao Pai Celestial e ganhar a vida eterna.

Sugestão para Designação de Leitura

Sugira às crianças que estudem Alma 37:33–47 e 38:1–12 em casa, como revisão desta lição.Convide uma criança a fazer a última oração.