Lição 9

A Oração de Enos

Primária 4: O Livro de Mórmon


Propósito

Incentivar as crianças a procurarem as bênçãos da oração sincera ao Pai Celestial.

Preparação

  1. Em espírito de oração, estude o livro de Enos. Em seguida, estude a lição e decida como pretende ensinar a história das escrituras às crianças. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

  2. Leitura adicional: Princípios do Evangelho, capítulo 8.

  3. Escolha as perguntas do debate e atividades complementares que mais envolvam e ajudem as crianças a alcançar o propósito da lição.

  4. Material necessário:

    1. Um Livro de Mórmon para cada criança.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança a fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Apresente a seguinte charada e peça às crianças que ergam a mão quando souberem a resposta.

Não sou pessoa nem lugar nem objeto.

Posso ser tão silenciosa a ponto de ninguém mais me ouvir ou tão sonora a ponto de ser ouvida por todas as pessoas da sala.

Você pode me usar quando está sozinho ou no meio de um grupo.

Sou usada em qualquer hora, lugar ou circunstância.

Sou usada para expressar gratidão, pedir orientação, consolo, perdão, proteção, ajuda, saúde ou qualquer outra bênção de que você ou outra pessoa necessitem.

Você me usa para falar com o Pai Celestial.

Quem sou eu?

Escreva as respostas das crianças no quadro-negro. Quando descobrirem que a resposta certa é oração, pergunte se têm dúvidas a respeito da oração. Anote as dúvidas no quadro-negro e peça às crianças que tentem descobrir as respostas enquanto lhes conta a história de Enos. No final da história, volte à lista de dúvidas e faça um debate a respeito delas.

História das Escrituras

Ensine a história do livro de Enos. Explique que Enos era filho de Jacó, sobrequem falamos na lição 8. (Ver sugestões para ensinar a história das escrituras na seção “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

Debate

Estude as seguintes perguntas e passagens das escrituras ao preparar a aula. Use as perguntas que, na sua opinião, mais ajudarão as crianças a compreender as escrituras e aplicar os princípios na própria vida. A leitura das passagens com as crianças na sala de aula irá ajudá-las a ganhar maior entendimento das escrituras.

• Por que Enos foi orar? (Enos 1:1–4) Quem lhe havia ensinado a respeito de Jesus Cristo? De que modo seus pais os ajudaram a aprenderem a respeito do Pai Celestial e Jesus Cristo?

• O que significa “fervorosa oração e súplica”? De que modo vocês acham que essa oração era diferente das outras? Como o Pai Celestial respondeu à oração de Enos? (Enos 1:5)

• Como foram os pecados de Enos perdoados? (Enos 1:5–6)

• Por que o Pai Celestial disse a Enos que seus pecados haviam sido perdoados? (Enos 1:8) Explique que podemos ser perdoados, se nos arrependermos, porque Jesus Cristo sofreu pelos nossos pecados.

• Por quem Enos orou depois que seus pecados foram perdoados? (Enos 1:9) Que resposta o Senhor deu a Enos a respeito dos nefitas? (Enos 1:10)

• Por que vocês acham que Enos orou pelos lamanitas, já que eram inimigos dos nefitas? (Enos 1:11) Que bênçãos vocês podem pedir ao Pai Celestial em favor de alguém que foi rude com vocês? O que Enos desejou para os lamanitas? (Enos 1:13)

• Enos orou pela segurança dos registros de seu povo. Por que esses registros eram tão importantes? O que o Senhor prometeu a Enos? (Enos 1:15–18) O que significa pedir com fé?

• Que promessas foram feitas a Enos? (Enos 1:8, 12, 15) Como podemos receber as mesmas promessas?

• Que efeito tiveram os ensinamentos e esforços dos nefitas sobre os lamanitas? (Enos 1:20)

• O que aprenderam com a história da Enos?

• Quando vocês oram, de que modo conversam com o Pai Celestial? Como podemos fazer com que nossas orações sejam mais sinceras?

• Enos ouviu a voz do Senhor em sua mente como resposta a sua oração. Quais são algumas das outras maneiras pelas quais podemos receber uma resposta a nossas orações? (Uma sensação de paz; um sentimento de que algo está errado; consolo; idéias que nos vêm à mente; escrituras que nos trazem entendimento a respeito de uma situação em particular; conselhos de líderes da Igreja, pais e outras pessoas enviadas pelo Senhor; sonhos ou visões.) Convide alguns alunos a contar experiências nas quais suas orações foram respondidas.

• Por que o Senhor às vezes responde “não” a nossas orações? Como podemos saber que a resposta do Senhor foi “não”?

• Por que devemos ficar um tempo ouvindo, depois de orarmos, tal como Enos fez?

• O que Enos aprendeu a respeito da vida após a morte? (Enos 1:27) Você pode ler esse versículo ou fazer com que a classe leia em conjunto, em voz alta.

Verifique a lista no quadro-negro, para certificar-se de que todas as dúvidas das crianças foram respondidas.

Atividades Complementares

Pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como revisão, resumo ou desafio.

  1. Dê a cada criança uma folha de papel e um lápis, e peça-lhes que escrevam as perguntas: “Quando podemos orar?” “Onde podemos orar?” e “Sobre o que podemos orar?”, deixando espaço entre as perguntas para escrever a resposta. Peça-lhes que escrevam as respostas, enquanto você debate as perguntas.

  2. Revise os passos da oração:

    1. Comece dizendo: Nosso Pai Celestial.

    2. Diga-Lhe as coisas pelas quais você está grato.

    3. Peça-Lhe o que deseja.

    4. Termine dizendo: “Em nome de Jesus Cristo. Amém.”

  3. Recorde a linguagem que deve ser usada na oração. Ajude as crianças a compreender que mostramos respeito quando usamos os pronomes tu e teu em vez de você e seu. (Ver Dallin H. Oaks, A Liahona, julho de 1993, pp. 15–18.)

  4. Copie a seguinte declaração do Élder Boyd K. Packer (A Liahona, março de 1980, p. 31) no quadro-negro, deixando os espaços em branco. Diga às crianças que elas aprenderão algumas das maneiras pelas quais recebemos respostas, preenchendo os espaços em branco na declaração do Élder Packer.

    “Algumas (b) virão da leitura das (a), outras, ouvindo-se os (e). Ocasionalmente, quando for importante, por meio de (f) (d) e direta. O estímulo será (c) e inconfundível.

    Use a seguinte lista de palavras para preencher os espaços em branco:

    1. escrituras

    2. respostas

    3. claro

    4. poderosa

    5. oradores

    6. inspiração

  5. Explique que a oração de Enos pedindo a preservação dos registros (Enos 1:14–16) foi respondida centenas de anos mais tarde, com o surgimento do Livro de Mórmon. Tal como o Senhor prometeu a Enos, as pessoas estão obtendo hoje um testemunho de Jesus Cristo por meio do Livro de Mórmon. Você pode convidar um ex-missionário a contar uma experiência para a classe a respeito de alguém que obteve um testemunho de Jesus Cristo por meio da oração e do Livro de Mórmon; ou pedir a um pai ou outro membro da ala que conte como a oração o ajudou a obter um testemunho do Livro de Mórmon.

  6. Revise a primeira visão de Joseph Smith, quando fez uma oração sincera e com fé (Joseph Smith 2:14–16) Pode usar a gravura da Primeira Visão (Pacote de Gravuras do Evangelho 403; 62470 059).

  7. Revise a sétima e a nona regra de fé. Incentive as crianças a escolher uma delas para decorar na classe ou em casa, durante a próxima semana.

  8. Cante ou leia a letra de “Oração de uma Criança”, p. 6 ou “Dize, Senhor”, p. 141 (Músicas para Crianças).

Conclusão

Testemunho

Preste seu testemunho do poder da oração em sua vida. Pode relatar uma experiência em que seu testemunho e sua fé na oração foram fortalecidos. Convide as crianças a contar experiências que tiveram ao orar.

Sugestão para Designação de Leitura

Sugira às crianças que estudem Enos 1:1–8, 21–27 em casa, como revisão desta lição.Convide uma criança a fazer a última oração.