Os Santos Aprendem a Distinguir o Bem do Mal

Primária 5: Doutrina e Convênios, 1996


Propósito

Ensinar as crianças a reconhecerem e buscarem os dons do Espírito para não serem enganadas.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude os relatos históricos desta lição, Doutrina e Convênios 50:1–9, 17–24, 31 e Morôni 7:15–17 (como distinguir as manifestações espirituais verdadeiras das falsas) e Doutrina e Convênios 46:7–26, 32–33. Em seguida, estude a lição e decida como pretende usar os relatos escriturísticos e históricos para ensinar as crianças. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi–vii, e “Como Usar os Relatos Escriturísticos e Históricos para Ensinar as Crianças”, p. vii–xii.)

  2. 2.

    Leitura adicional: Princípios do Evangelho (31110 059), capítulo 22.

  3. 3.

    Escolha as perguntas do debate e atividades complementares que mais envolvam e ajudem as crianças a alcançar o propósito da lição.

  4. 4.

    Materiais Necessários:

    1. a.

      Um exemplar de Doutrina e Convênios para cada criança;

    2. b.

      Livro de Mórmon;

    3. c.

      Um objeto de imitação, como dinheiro de brinquedo, uma jóia de vidro ou uma flor de papel.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Mostre a imitação. Diga que esse objeto é falso, uma imitação do real. • Qual vocês preferem ter, a imitação ou o objeto real? Por quê?

Saliente que as imitações geralmente são de baixa qualidade e têm menor valor do que o objeto real. Diga que Satanás é falso. Ele procura enganar-nos com imitações baratas das coisas boas que o Pai Celestial e Jesus Cristo nos deram. Ele faz isso porque quer que o sigamos em vez de seguirmos o Pai Celestial e Jesus. Apresente algumas imitações de Satanás, como as seguintes:

Coisas de Deus

Imitações de Satanás

Música e filmes inspiradores

Música e filmes impróprios

Escrituras e bons livros

Livros ruins

Amor entre marido e mulher

Imoralidade

Fazer o melhor que podemos

Tentar ser melhor do que qualquer outra pessoa

Diga que Satanás tenta convencer-nos de que suas imitações são tão boas ou até melhores do que as coisas de Deus. Apesar de ser fácil distinguir entre a imitação que foi mostrada e o objeto real, algumas das imitações de Satanás são mais difíceis de se distinguir. Diga que nesta lição as crianças aprenderão a reconhecer as imitações de Satanás para não serem enganadas.

Relatos Escriturísticos e Históricos

Ensine as crianças a respeito da diferença entre dons espirituais verdadeiros e falsos e sobre como e por que procuramos os dons do Espírito, conforme descrito no seguinte relato histórico e nas escrituras relacionadas na seção “Preparação”.

Satanás Pode Imitar Milagres e Dons Espirituais

Diga que nos primeiros dias da Igreja, os membros viam muitos milagres. Esses milagres aconteciam por causa dos dons espirituais que o Senhor concedeu aos membros da Igreja. Relembre às crianças alguns dos milagres e dons espirituais que já foram mencionados nas lições anteriores, como a visita de Morôni a Joseph Smith e as Três Testemunhas; a capacidade do Profeta de traduzir o Livro de Mórmon do egípcio reformado, uma língua que ele não conhecia, para o inglês; e as revelações dadas pelo Senhor sobre como a Igreja deveria ser estabelecida e como os membros deveriam viver. Saliente que muitos membros não viram pessoalmente nenhum milagre, mas foram abençoados com o dom espiritual de acreditarem nas experiências de outras pessoas. Os dons espirituais do Senhor fortaleceram os membros da Igreja e fizeram com que muitas pessoas entrassem para a Igreja.

Um pregador metodista chamado Ezra Booth chegou a Kirtland na primavera de 1831, com um grupo de pessoas que incluía John Johnson e sua esposa, Elsa. Elsa Johnson não conseguia erguer o braço, pois ele estava parcialmente paralizado. Quando essas pessoas conversaram com Joseph Smith, uma delas perguntou-lhe se alguém na Terra poderia curar o braço de Elsa. Mais tarde, o Profeta tomou Elsa pela mão e calmamente disse: “Mulher, em nome do Senhor Jesus Cristo eu te ordeno que fiques curada”. Para assombro de todos, Elsa Johnson ergueu o braço. No dia seguinte ela conseguiu, sem dor, pendurar no varal as roupas lavadas pela primeira vez em seis anos. [History of the Church (História da Igreja), 1:215–216]. Esse milagre fez com que Ezra Booth e alguns membros da família Johnson se filiassem à Igreja.

Satanás não gostou de ver a Igreja crescendo e trabalhou muito para impedir esse crescimento. Um de seus métodos era imitar os dons espirituais dados aos membros da Igreja pelo Senhor. Ele fazia isso para enganar as pessoas e desviá-las da Igreja.

Durante o primeiro ano após a organização da Igreja, algumas pessoas alegaram ter recebido revelações para a Igreja, como o Profeta havia feito. (Ver lição 15.) Outras pessoas alegaram ter tido visões e testemunhado outras coisas estranhas. Parley P. Pratt observou que algumas dessas pessoas faziam uma expressão horrível e pareciam perder os sentidos. Outros sacudiam o corpo ou tinham contrações e convulsões. Outros ainda alegavam ter recebido visões e revelações que discordavam dos ensinamentos e do espírito do evangelho.

Apesar de algumas pessoas terem recebido revelações e visões do Senhor, Parley P. Pratt e outros líderes da Igreja sentiram que as coisas estranhas que observaram não provinham do Senhor. Pediram a Joseph Smith que perguntasse ao Senhor a respeito daquelas coisas. A resposta que Joseph recebeu do Senhor em maio de 1831 está em Doutrina e Convênios 50.

Como Distinguir os Dons Espirituais Falsos dos Verdadeiros

Em Doutrina e Convênios 50:1–9, o Senhor explica que realmente existem dons espirituais falsos e que eles provêm de Satanás. Troque idéias com as crianças a respeito de como Satanás usa esses dons falsos. (Ver o versículo 3.)

Converse com as crianças sobre como os membros da Igreja podem distinguir os dons espirituais verdadeiros dos falsos, conforme descrito em Doutrina e Convênios 50:17–24, 31 e Morôni 7:15–17. Ajude as crianças a compreenderem que os dons espirituais falsos nos afastam de Cristo, enquanto os dons espirituais verdadeiros nos fazem acreditar em Cristo e nos ajudam a termos o desejo de segui-Lo.

Podemos Receber Dons Espirituais Verdadeiros

Diga que o Senhor revelou Doutrina e Convênios 46, que explica a respeito dos dons espirituais verdadeiros, poucos meses depois de ter revelado Doutrina e Convênios 50. Ele alertou os primeiros membros da Igreja sobre os dons falsos de Satanás. (Ver D&C 46:7–8) e em seguida descreveu alguns dos verdadeiros dons espirituais que os membros da Igreja podem receber. (Ver D&C 46:9–26.)

Diga que todos os dons espirituais descritos em Doutrina e Convênios 46 estão ao alcance dos membros da Igreja hoje em dia. Troque idéias com as crianças a respeito dos dons espirituais mencionados em Doutrina e Convênios 46:9–26 e como eles podem ser recebidos e usados. Ajude as crianças a compreenderem que esses dons espirituais são dados às pessoas dignas e devem ser usados para ajudar outras pessoas. (Ver versículos 9, 12, 26.)

Debate

Estude as perguntas e passagens das escrituras a seguir quando preparar a aula. Use as perguntas que, em sua opinião, ajudarão as crianças a compreenderem melhor as escrituras e aplicarem seus princípios na própria vida. A leitura das passagens com as crianças, na sala de aula, irá ajudá-las a ganhar maior entendimento das escrituras.

• De onde vêm os dons espirituais falsos? (D&C 50:2–3) Como as imitações de Satanás dos dons de Deus podem enganar as pessoas? Por que Satanás quer nos enganar?

• Como podemos saber se o que estamos vendo ou ouvindo realmente vem de Deus? (Morôni 7:15–17; D&C 50:23–24) Peça a uma criança que leia Doutrina e Convênios 50:23. O que significa edificar? Diga que algo que edifica faz-nos sentir elevados e com o desejo de melhorar. As coisas que vêm de Deus fazem-nos querer seguir Cristo e ser melhores pessoas. As coisas que vêm de Satanás têm má influência e procuram nos induzir a desobedecer os mandamentos.

• Se tivermos dificuldade em saber se algo vem de Deus ou não, que podemos fazer? (D&C 46:7; 50:31; também podemos conversar com nossos pais ou líderes da Igreja.)

• Por que Deus nos concede dons espirituais? (D&C 46:8–9, 26) Por que nem todos recebem os mesmos dons espirituais? (D&C 46:11–12)

• Quais são alguns dos dons espirituais que podemos receber? (D&C 46:13–25; ver atividade complementar 1.) Como o dom de acreditar no testemunho de outros (D&C 46:14) pode ser útil? (Ver atividade complementar 2.)

• Como devemos procurar os dons espirituais? (D&C 46:8–9) Que devemos fazer quando recebemos um dom espiritual? (D&C 46:32) Que devemos fazer para conservarmos esses dons? (D&C 46:33)

• Que dons espirituais vocês testemunharam em sua vida e na das pessoas a sua volta?

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. 1.

    Entregue a cada criança uma folha de papel com a lista de referências das escrituras e dons espirituais a seguir. Peça às crianças que procurem as escrituras e associem as referências com os devidos dons espirituais.

    1. D&C 46:14

    a. Dom de acreditar em Jesus Cristo (testemunho)

    2. D&C 46:19–20

    b. Dom de acreditar no testemunho de outros

    3. D&C 46:13

    c. Dom de sabedoria e conhecimento

    4. D&C 46:17–18

    d. Dom de fé para curar e para ser curado

    5. D&C 46:24–25

    e. Dom de profecia

    6. D&C 46:22

    f. Dom de falar e compreender línguas

    (Respostas: 1-b; 2-d; 3-a; 4-c; 5-f; 6-e.)

    Depois que as crianças terminarem a atividade de associação, converse sobre cada dom e como as pessoas que o possuem podem usá-lo para ajudar outras pessoas.

  2. 2.

    Para ajudar as crianças a compreenderem o dom de acreditar no testemunho de outros, leia ou peça que uma criança leia a seguinte citação de Harold B. Lee, o décimo primeiro Presidente da Igreja:

    “Se tiverem dúvidas, ouçam aqueles que prestam um forte testemunho (…) Se não tiverem [testemunho], então confiem no meu até receberem e desenvolverem o seu próprio testemunho.” [Qualities of Leadership (discurso feito na Associação de Alunos Santos dos Últimos Dias, agosto de 1970), p. 8.] • No testemunho de quem vocês podem confiar até fortalecerem o seu próprio testemunho?

    Explique às crianças que cada uma delas precisa desenvolver seu próprio testemunho da veracidade do evangelho, mas enquanto estão se esforçando por consegui-lo, podem acreditar no testemunho dos líderes da Igreja, dos pais, dos professores e outros membros da Igreja a quem respeitam e em quem confiam.

    Troque idéias sobre como podemos fortalecer uns aos outros prestando nosso testemunho na reunião de jejum e testemunhos. Se desejar, preste seu testemunho do evangelho para as crianças.

  3. 3.

    Conte com suas próprias palavras uma das seguintes histórias a respeito do dom de línguas:

    1. a.

      Em 1921, o Élder David O. McKay, membro do Quórum dos Doze Apóstolos que viria a se tornar Presidente da Igreja, viajou para a Nova Zelândia para participar de uma conferência da Igreja. Deveria fazer um discurso para um grupo de maoris, mas não sabia falar sua língua, e as pessoas não sabiam falar inglês. No início do discurso, o Élder McKay disse às pessoas que gostaria de poder falar na língua delas, mas como isso não era possível, pediria ao Senhor que lhes desse o dom da interpretação das línguas, para que o compreendessem. O Élder McKay disse-lhes que mesmo não conseguindo compreender exatamente o significado das palavras, poderiam sentir o Espírito e saber que suas palavras eram inspiradas pelo Senhor.

      O Élder McKay começou seu discurso com o auxílio de um intérprete. Ele falava um pouco em inglês, e depois o intérprete repetia suas palavras em maori, para que as pessoas compreendessem-nas. De repente, as pessoas da congregação começaram a pedir que o intérprete parasse de falar e se sentasse. Estavam entendendo por si mesmas o que o Élder McKay dizia e não precisavam mais do intérprete. Apesar de não falarem inglês, o Senhor abençoou aquelas pessoas com o dom da interpretação das línguas, e elas puderam compreender tudo o que o Élder McKay disse em seu discurso. (Ver R. Lanier Britsch, “Roots of Faith” (Raízes da Fé), Ensign, setembro de 1989, p. 48.)

    2. b.

      O Profeta Joseph Smith foi certa vez convidado a pregar o evangelho a um grupo de índios americanos. Os índios não falavam inglês, e o Profeta não falava a língua dos índios, por isso o Profeta contratou um agente especial do governo para traduzir suas palavras para a língua dos índios. O Profeta falou por alguns minutos, e o agente traduziu para os índios. Quando os índios demonstraram estar zangados com a mensagem, o Senhor ajudou o Profeta a saber que o agente não estava traduzindo suas palavras corretamente. Estava dizendo mentiras para deixar os índios zangados. O Profeta pôs o agente de lado e pregou aos índios sem a ajuda de intérprete. Apesar de não falarem a mesma língua, os índios compreenderam todas as palavras que o Profeta disse no discurso. O Senhor abençoou os índios com o dom da interpretação de línguas para que pudessem compreender o que o Profeta lhes dizia. [Ver E. Cecil McGavin, The Historical Background of the Doctrine and Covenants (Salt Lake City: Paragon Printing Co.,1949), p. 156.]

  4. 4.

    Conte com suas próprias palavras a seguinte história sobre o dom da fé para curar e para ser curado:

    John Shumway, de Orem, Utah, estava indo de bicicleta para uma reunião de escoteiros, quando foi atropelado por um carro e machucou gravemente a cabeça. Foi levado a um hospital, onde o médico disse à família de John que havia pouca chance de que ele sobrevivesse. Mesmo que escapasse da morte, ficaria com graves lesões no cérebro. Vários portadores do sacerdócio, incluindo o pai de John e seu bispo, impuseram-lhe as mãos na cabeça e deram-lhe uma bênção. O bispo sentiu-se inspirado a abençoar John para que fosse curado. Depois da bênção, uma delicada cirurgia foi realizada no cérebro de John. Ele sobreviveu à cirurgia, mas ficou inconsciente por muitos dias.

    Randy, um amigo que estava com John no momento do acidente, orou continuamente por John. Quando a ala fez um jejum especial, Randy participou, orando sinceramente para que John se recuperasse. Naquele mesmo dia na Igreja, o pai de John disse a Randy que John havia recobrado a consciência. Randy obteve um forte testemunho do poder do jejum e da oração, quando John mais tarde disse que sentiu que a fé de Randy o havia ajudado a acordar.

    John foi submetido a outras cirurgias e passou muito tempo se recuperando, mas por fim sua saúde foi restaurada. Para assombro dos médicos, ele conseguiu voltar a jogar basquete, aprendeu a dirigir, tornou-se um Eagle Scout (escoteiro da pátria), terminou o 2º grau e preparou-se para a missão. Graças à fé exercida por muitas pessoas, John ficou curado.

    Explique às crianças que apesar de John ter sido curado, às vezes as pessoas não são curadas, mesmo que tenham grande fé. (Ver D&C 42:48.) Lembre às crianças que o Pai Celestial sabe o que é melhor para cada um de nós e irá atender nossas orações de acordo com esse conhecimento.

  5. 5.

    Ajude as crianças a decorarem ou relembrarem a 7ª Regra de Fé.

Conclusão

Testemunho

Testifique às crianças da importância de procurarmos obter os dons do Espírito. Incentive-as a permanecer próximas ao Senhor e orar sempre para que distingam os dons espirituais verdadeiros dos falsos.

Sugestão para Designação de Leitura

Sugira às crianças que estudem Doutrina e Convênios 46:11–14, 17–26 em casa, para recapitularem a lição.

Sugestão para Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversarem com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou lerem com a família a “Sugestão para Designação de Leitura”.

Convide uma criança para fazer a última oração.