O Martírio de Joseph e Hyrum Smith

Primária 5: Doutrina e Convênios, 1996


Propósito

Fortalecer o testemunho de cada criança no Profeta Joseph Smith.

Preparação

  1. 1.

    Em espírito de oração, estude os relatos históricos desta lição e Doutrina e Convênios 1:35. Em seguida, estude a lição e decida como pretende usar os relatos escriturísticos e históricos para ensinar as crianças. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi–vii, e “Como Usar os Relatos Escriturísticos e Históricos para Ensinar as Crianças”, p. vii–xii.)

  2. 2.

    Leitura adicional: Doutrina e Convênios 124:91, 94–96.

  3. 3.

    Escolha as perguntas do debate e atividades complementares que mais envolvam e ajudem as crianças a alcançar o propósito da lição.

  4. 4.

    Faça as seguintes tiras de papel:

    • Oração

    • Espírito Santo

    • Professores Escrituras

    • Estudo

    • Profetas Verdade

    • Obediência

    • Prestar Testemunho

  5. 5.

    Materiais Necessários:

    1. a.

      Um exemplar de Doutrina e Convênios para cada criança;

    2. b.

      Três tijelas do mesmo tamanho;

    3. c.

      Um botão ou uma pedrinha;

    4. d.

      Um mapa do Estado de Missouri e regiões adjacentes, que se encontra no final da lição 30;

    5. e.

      Gravuras 5-1, O Profeta Joseph Smith [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 401] ou 5-2, Joseph Smith [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 400]; gravura 5-38, Hyrum Smith; gravura 5-39, Cadeia de Carthage; gravura 5-40, Martírio de Joseph e Hyrum.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Coloque as três tijelas no chão, enfileiradas. Coloque três tiras de papel em cada tijela. Uma criança por vez jogará o botão ou a pedrinha em uma das tijelas, pegará uma tira dessa tijela e dirá como a palavra ou frase nela escrita pode ajudar as crianças a fortalecerem seu testemunho. As tiras podem ser usadas mais de uma vez, se necessário.

Lembre às crianças que nosso testemunho do evangelho inclui a certeza de que Joseph Smith foi um profeta verdadeiro de Deus. Nesta lição as crianças aprenderão sobre a morte de Joseph Smith e de seu irmão Hyrum Smith.

Relatos Escriturísticos e Históricos

Ensine as crianças a respeito da perseguição e martírio de Joseph e Hyrum Smith, conforme descrito nos relatos históricos a seguir e em Doutrina e Convênios 135. Mostre as gravuras e o mapa no momento adequado.

Perseguidos os Santos de Nauvoo

Em 1844, os santos haviam transformado Nauvoo em uma cidade grande e próspera do estado de Illinois, e mais membros da Igreja estavam mudando-se para lá a cada dia. Muita gente de Illinois, que não era membro da Igreja, ficou com medo do potencial econômico e do poder político de tantos membros da Igreja e passaram a perseguir os santos.

Alguns inimigos da Igreja acreditavam que, se eliminassem Joseph Smith, a Igreja desapareceria. Esses homens abriram um jornal no qual contaram muitas mentiras sórdidas a respeito de Joseph Smith. Os membros da Igreja ficaram irados com essas mentiras. Joseph Smith, que era prefeito de Nauvoo na época, reuniu o conselho da cidade, que era composto tanto de membros da Igreja quanto de não-membros. O conselho da cidade considerou o jornal “nocivo à ordem pública” e ordenou que o delegado da cidade destruísse a prensa usada para imprimir o jornal.

Os inimigos da Igreja usaram esse evento como justificativa para aumentarem as perseguições contra os santos e o Profeta. O governador de Illinois, Thomas Ford, exigiu que Joseph Smith e outros membros do conselho da cidade fossem a Carthage, Illinois, para serem julgados pela destruição da prensa. O governador prometeu que estariam em segurança. Joseph escreveu ao governador, dizendo sentir que suas vidas correriam perigo se fossem a Carthage. Joseph não achava que fosse possível um julgamento justo e duvidava que o governador conseguisse protegê-los como prometera.

Acreditando serem os únicos alvos dos inimigos da Igreja, Joseph e Hyrum procuraram esconder-se e fizeram planos de mudarem-se para o Oeste com suas famílias. Quando, porém, um bando armado, com autoridade legal, chegou a Nauvoo, ameaçou tomar a cidade se Joseph e Hyrum não fossem encontrados. Alguns dos santos ficaram com medo desses homens e chamaram Joseph e Hyrum de covardes por abandonarem Nauvoo. Quando Joseph soube disso ficou triste e disse: “Se minha vida não tem valor para os meus amigos, então também não tem valor para mim”. Joseph perguntou a Hyrum o que deveriam fazer, e Hyrum respondeu: “Vamos voltar e nos entregar, daí veremos o que acontece” [History of the Church (História da Igreja), 6:549].

Joseph sabia que seriam mortos caso voltassem, mas disse a outros líderes da Igreja: “Vou como um cordeiro para o matadouro; mas estou calmo como uma manhã de verão; tenho a consciência limpa em relação a Deus e em relação a todos os homens. Se me tirarem a vida, morrerei inocente e meu sangue clamará. da terra, por vingança e ainda se dirá de mim: ‘foi assassinado a sangue frio!’” (History of the Church, 6:555; ver também D&C 135:4].

Assassinados Joseph e Hyrum Smith

Joseph e Hyrum foram para Carthage, e em 25 de junho de 1844 foram falsamente acusados de desordem e traição (agir contra o governo). Junto com vários amigos, foram colocados na cadeia de Carthage, onde as turbas os ameaçaram e amaldiçoaram. Na cadeia, os irmãos oraram e leram o Livro de Mórmon. O Profeta prestou testemunho da veracidade do evangelho aos guardas que tomavam conta deles.

Dan Jones foi um dos irmãos que ficou na cadeia com o Profeta. Na manhã de 27 de junho de 1844, um dos guardas da prisão disse-lhe:

“Tivemos muito trabalho para trazer o velho Joe até aqui para deixar que escape com vida; e a menos que queira morrer junto com ele, é melhor sair daqui antes do pôr-do-sol (…) Verá que posso profetizar melhor do que o velho Joe, pois nem ele nem seu irmão nem ninguém que ficar com eles verão o sol se pôr hoje.” [History of the Church, 6:602.]

Dan Jones contou sobre essa ameaça ao Governador Ford, mas o governador respondeu: “Você está alarmado sem razão quanto à segurança de seus amigos, pois o povo não é tão cruel”. (History of the Church, 6:603.) Então o governador partiu de Carthage, deixando alguns dos piores inimigos do Profeta cuidando da cadeia. Naquele dia, a maior parte dos amigos do Profeta recebeu ordem de sair da cadeia.

Apenas quatro homens permaneceram na cadeia de Carthage: o Profeta Joseph Smith, seu irmão Hyrum, John Taylor e Willard Richards, dois dos Apóstolos. Esses quatro homens tinham armas que lhes foram dadas por amigos que os visitaram. O Élder Taylor e o Élder Richards também tinham bengalas.

Como o governador havia deixado Carthage, encarregando alguns membros da turba de cuidarem da cadeia, os quatro sabiam que corriam risco de vida. Naquela manhã, Joseph escrevera uma carta a sua família, dizendo-lhes o quanto os amava e afirmando ser inocente. Na carta, deixou também uma bênção para a família e amigos. À tarde, John Taylor cantou “Um Pobre e Aflito Viajor” (Hinos, nº 15). Esse belo hino a respeito do Salvador deu-lhes muito conforto, e o Profeta pediu ao Élder Taylor que o cantasse novamente.

Por volta das cinco horas da tarde, uma turba de cerca de cem homens atacou a prisão. Muitos dos homens tinham o rosto sujo de lama e pólvora, para não serem reconhecidos. Os guardas da prisão eram amigos dos homens da turba e não fizeram grandes tentativas de deter o ataque. Alguns homens atiraram nas janelas da prisão, outros subiram as escadas para disparar contra o quarto em que estavam os líderes da Igreja.

Os irmãos tentaram segurar a porta e usar suas poucas armas para repelir a turba. Joseph Smith descarregou sua pistola, e John Taylor usou sua pesada bengala [para tentar derrubar as armas que a turba enfiava pela fresta da porta, mas havia homens demais para que os irmão conseguissem se defender.

Hyrum Smith foi alvejado no rosto por uma bala que cruzou o assoalho. Caiu ao chão, gritando: “Sou um homem morto!” Ao cair, foi atingido por mais três tiros. Joseph gritou: “Oh, irmão Hyrum!” [History of the Church, 6:618.]

John Taylor aproximou-se da janela, pensando em pular para escapar. Um tiro disparado de dentro da cadeia atingiu-o na perna, e ele começou a cair da janela, mas uma segunda bala, vinda de fora, atingiu seu relógio de bolso com tanta força que o empurrou de volta para o quarto, salvando-lhe a vida. O Élder Taylor foi atingido por mais três tiros ao esconder-se sob a cama.

Depois que Hyrum e John Taylor foram alvejados, o Profeta aproximou-se da janela. Foi atingido por dois tiros disparados da porta do quarto e por um terceiro tiro vindo de fora da cadeia. Ele gritou: “Oh Senhor, meu Deus!” e caiu da janela. [History of the Church, 6:618.]

A turba que estava dentro da cadeia correu para fora para ver o corpo do Profeta, e Willard Richards correu para a janela. Depois de ver o corpo sem vida do Profeta, o Élder Richards correu para a porta. Parou ao ouvir John Taylor, que estava embaixo da cama, chamá-lo. Sabia que não seria capaz de carregar o Élder Taylor para fora naquele momento, por isso escondeu-o sob o colchão e disse: “Se seus ferimentos não forem fatais, quero que viva para contar a história” [History of the Church, 6:621]. O Élder Richards esperava ser alvejado assim que deixasse a cadeia, mas antes que os desordeiros pudessem se certificar de terem matado todos os quatro homens, alguém gritou por engano: “Os mórmons estão vindo!” e a turba fugiu para o bosque.

O Élder Richards não foi ferido no ataque. Esse milagre cumpriu uma profecia feita anteriormente por Joseph Smith, que disse ao Élder Richards que haveria ocasião em que “as balas voariam a seu redor como raios, e ele veria seus amigos cairem à direita e à esquerda”, mas não seria ferido. [History of the Church, 6:619.]

O irmão do Profeta, Samuel, estava a caminho de Carthage para ajudar os irmãos. Foi perseguido pelo caminho por integrantes da turba e chegou exausto, para descobrir que seus irmãos haviam sido assassinados. Ajudou a carregar o corpo dos irmãos até uma estalagem em Carthage. Cansado e fraco da viagem, Samuel contraiu uma febre grave e morreu no mês seguinte.

Os corpos de Joseph e Hyrum foram levados de volta a Nauvoo em carroções e colocados na Mansion House. No dia seguinte, dez mil santos fizeram fila para passar junto aos caixões e prestar-lhes homenagem. Os santos choraram a morte do Profeta e de seu irmão.

Lucy Mack Smith escreveu o seguinte, ao ver os filhos mortos:

“Por muito tempo fiz um enorme esforço, usei toda a energia de minha alma, pedindo a Deus que me fortalecesse, mas quando entrei naquela sala e vi meus dois filhos assassinados de uma só vez, diante de meus olhos, e ouvi o choro e os lamentos de minha família (…) foi demais para mim; encolhi-me e clamei ao Senhor na agonia de minha alma: ‘Meu Deus, meu Deus, por que abandonaste esta família?’ Uma voz respondeu: ‘Chamei-os de volta para mim, a fim de que tenham descanso’.” [Lucy Mack Smith, History of Joseph Smith (História de Joseph Smith), p.324.]

Doutrina e Convênios 135 contém um relato do martírio escrito pelo Élder John Taylor, que foi ferido no ataque em que Joseph e Hyrum foram mortos. O Élder Taylor disse a respeito de Joseph Smith: “Viveu grandiosamente e morreu grandiosamente aos olhos de Deus e de seu povo; e como a maior parte dos ungidos do Senhor na antigüidade, selou sua missão e suas obras com o próprio sangue; o mesmo fez seu irmão Hyrum. Em vida não foram divididos, e na morte não foram separados!” (D&C 135:3)

Antes de morrer, o pai do Profeta deu uma bênção a Joseph e disse-lhe: “Viverás para terminar tua obra (…) Viverás para estabelecer o alicerce de todo o trabalho que Deus te ordenou fazer.” (Citado em Smith, pp. 309–310.) Joseph Smith corajosamente terminou sua missão, fazendo tudo o que Deus lhe pedira que fizesse.

Debate

Estude as perguntas e passagens das escrituras a seguir quando preparar a aula. Use as perguntas que, na sua opinião, ajudarão as crianças a compreenderem melhor as escrituras e aplicarem seus princípios na própria vida. A leitura das passagens com as crianças, na sala de aula, irá ajudá-las a ganhar maior entendimento das escrituras.

• Lembre às crianças o que Joseph Smith disse ao ir para Carthage. (Ver D&C 135:4.) O que significa ter “a consciência limpa em relação a Deus e em relação a todos os homens”? Saliente que Joseph e Hyrum tinham a consciência limpa quando morreram. O que devemos fazer para termos a consciência limpa?

• O que é um mártir? (Alguém que prefere morrer em vez de negar ou rejeitar aquilo em que acredita.) Por que Joseph e Hyrum Smith são considerados mártires? (Preferiram morrer a negarem seu testemunho de Jesus Cristo e Seu evangelho.)

• Considerando a vida que levaram, como acham que Joseph e Hyrum se sentiram quando encontraram Jesus depois da morte? Como acham que os integrantes da turba se sentiram quando encontraram Jesus? Como vocês se sentiriam se fossem levados ao encontro de Jesus hoje?

• Por que acham que os irmãos se sentiram reconfortados na cadeia de Carthage ao ouvirem John Taylor cantar “Um Pobre e Aflito Viajor”? Que outras coisas os irmãos fizeram para receberem consolo? O que pode lhes trazer conforto quando vocês estão com medo?

• O que descobrimos a respeito do caráter de Joseph Smith ao saber que ele prestou testemunho aos guardas da prisão? Já tiveram medo de prestar testemunho a alguém? Como podemos vencer esse medo?

• Por que acham que os integrantes da turba escureceram o rosto? Diga que as pessoas que fazem coisas más muitas vezes não querem que outras pessoas as reconheçam. Que escolhas devemos fazer para nunca termos vergonha de que outras pessoas vejam nossos atos?

• Lembre às crianças que alguns integrantes da turba pensavam que, se matassem Joseph Smith, estariam destruindo toda a Igreja. Por que a Igreja não se desfez quando o Profeta foi morto?

• Por que é necessário que tenhamos um testemunho de que Joseph Smith foi um profeta de Deus? Diga que, se não acreditarmos que Joseph Smith foi um profeta, não poderemos acreditar que o Livro de Mórmon é verdadeiro ou que o evangelho de Jesus Cristo foi trazido de volta à Terra. Como podemos obter um testemunho de Joseph Smith? (Ver atividade complementar 3.)

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. 1.

    Escreva cada uma das seguintes palavras em uma folha separada: profeta, cadeia, inocente, testemunho, hino, turba, bengala, relógio de bolso, mártir, consciência. Deixe que cada criança escolha um papel e dê pistas ao restante da classe para que adivinhem qual é a palavra escrita. Por exemplo: se a criança escolher a palavra inocente, pode dizer: “Alguém que não é culpado é ______” ou “Se você for acusado de algo que não fez, você é ______”. Depois que cada palavra for adivinhada, peça às crianças que digam algo aprendido na aula que relacione a palavra à vida e martírio do Profeta Joseph Smith e seu irmão Hyrum.

  2. 2.

    Com a aprovação da presidente da Primária, convide um homem para representar John Taylor e contar às crianças a história do martírio, usando como texto Doutrina e Convênios 135 e os relatos históricos desta lição. Faça o convite com pelo menos uma semana de antecedência.

  3. 3.

    Faça uma cópia da declaração a seguir para cada criança, ou escreva-a no quadro-negro. Peça às crianças que completem os espaços em branco com as palavras da lista abaixo.

    1. 1.

      O primeiro passo para se ganhar um testemunho é ter o ______ de obtê-lo.

    2. 2.

      Devemos ______ a nosso Pai Celestial em oração que nos ajude a obter um testemunho.

    3. 3.

      Devemos desejar o testemunho a ponto de nos ______ para obtê-lo.

    4. 4.

      Devemos ______ as escrituras para aumentar nosso conhecimento da verdade.

    5. 5.

      Para manter nosso testemunho devemos ______ aos mandamentos.

    1. a.

      pedir

    2. b.

      desejo

    3. c.

      obedecer

    4. d.

      esforçarmos

    5. e.

      estudar

    (Respostas: 1–b; 2–a; 3–d; 4–e; 5–c.)

  4. 4.

    Peça a uma criança que leia a primeira frase de Doutrina e Convênios 135:3.

    • O que John Taylor quis dizer com essa afirmação? Quais foram algumas das grandes realizações de Joseph Smith?

    Peça às crianças que acompanhem em suas escrituras a leitura de Doutrina e Convênios 135:3, feita por você. Enquanto lê, escreva no quadro-negro as realizações de Joseph Smith mencionadas nesse versículo. Troque idéias com as crianças sobre como a vida delas seria diferente se Joseph Smith não tivesse feito as coisas que fez.

  5. 5.

    Conte às crianças o que aconteceu a John Taylor depois de deixar a cadeia de Carthage:

    John Taylor estava tão gravemente ferido que não pôde retornar imediatamente a Nauvoo. Após alguns dias, foi tirado da cama em uma maca, mas os passos desiguais dos que o carregavam causaram-lhe muita dor. Foilhe preparada uma cama sobre um trenó, que foi puxada por um carroção pela pradaria. A esposa do Élder Taylor viajou a seu lado, colocando-lhe água gelada nas feridas. O trenó movia-se suavemente sobre a grama alta e não piorou a dor do Élder Taylor. Quando se aproximavam de Nauvoo, muitos amigos saíram a seu encontro. Ao chegarem às terras mais baixas e inundadas da pradaria, os amigos ergueram o trenó e carregaram-no acima da água. Quando passaram por áreas da cidade em que as ruas estavam enlameadas, derrubaram as cercas e carregaram o Élder Taylor pelos campos, para que não tivesse que suportar dores desnecessárias. Apesar de ter viajado trinta quilômetros no trenó e estar sofrendo muito, o Élder Taylor ficou feliz por voltar a seu lar em Nauvoo. [Ver B. H. Roberts, A Comprehensive History of the Church (Uma História Detalhada da Igreja), 7:117–119; ver também: “Applying Ice Water to My Wounds” (Gelo sobre Meus Ferimentos), em Leon Hartshorn, comp., Classic Stories from the Lives of Our Prophets (Histórias Clássicas da Vida de Nossos Profetas) (Salt Lake City: Deseret Book Co., 1975), pp. 96–97.]

  6. 6.

    Conte às crianças que William W. Phelps, que discursou no funeral de Joseph e Hyrum, escreveu um belo poema a respeito do Profeta. Esse poema tornouse mais tarde um dos hinos favoritos da Igreja: “Hoje, ao Profeta Louvemos”. Cante ou leia a letra de “Hoje, ao Profeta Louvemos”. (Hinos, nº 14)

Conclusão

Testemunho

Testifique-lhes que Joseph Smith foi realmente um profeta de Deus, que ele viu o Pai Celestial e Jesus Cristo, e que por meio dele o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo foi restaurado na Terra. Desafie as crianças a examinarem as escrituras, orarem e guardarem os mandamentos a fim de fortalecerem seu testemunho de Jesus Cristo e de Joseph Smith.

Sugestão para Designação de Leitura

Sugira às crianças que estudem Doutrina e Convênios 135:1–4 em casa, para recapitularem a lição.

Sugestão para Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversarem com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou lerem com a família a “Sugestão para Designação de Leitura”.

Convide uma criança para fazer a última oração.