19: Ajudar os alunos a viverem o que aprendem

"19: Ajudar os alunos a viverem o que aprendem," Parte B: Princípios Básicos do Ensino do Evangelho — Incentivar o Aprendizado Diligente, ()


Jesus ensinou: “Nem todo o que me diz Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”. (Mateus 7:21) Não basta conhecer o evangelho; é preciso vivê-lo.

Certo professor fez a seguinte analogia: “Aprendi uma grande lição com as letras do alfabeto. (…) Podemos repeti-las na ordem direta ou ao avesso, mas quando o fazemos, elas têm pouco significado, pois não foram organizadas com propósito e direção. Quando as ordenamos dessa forma, o resultado são os hinos sacros, as escrituras, as grandes obras em prosa e verso, as músicas maravilhosas e assim por diante. Nossa vida é semelhante às letras do alfabeto. (…) Agir é importante, mas precisamos fazê-lo da maneira correta: com propósito”. (William H. Bennett, Conferência de Área de Tonga, 1976, p. 15)

Como professor, você pode ajudar seus alunos a serem “cumpridores da palavra, e não somente ouvintes”. (Tiago 1:22) Para conseguir isso, ensine de forma a fazer com que apliquem os princípios do evangelho em sua vida.

Assegurar-se de que os Alunos Entendam os Princípios Ensinados

Você pode ajudar os alunos a compreenderem as verdades do evangelho de modo a capacitá-los a aplicá-las em sua vida. Quando uma criança ganha dinheiro, por exemplo, o pai pode explicar o que as escrituras e os profetas modernos ensinam sobre o dízimo e como ele é utilizado. Pode ajudá-la a retirar 10 por cento da quantia, preencher uma papeleta de doação, colocála junto com o valor em um envelope de contribuições e entregá-lo ao bispo.

Ajudar os Alunos a Aprenderem pelo Espírito

Não basta simplesmente compreender os princípios do evangelho. Para verdadeiramente viver o que aprendem, as pessoas precisam receber um testemunho de sua veracidade. Isso só ocorrerá quando você ensinar pelo Espírito e eles aprenderem também pelo Espírito. (Ver “Convidar o Espírito ao Ensinar”, páginas 45–46.)

Podem-se utilizar muitos métodos diferentes para ajudar as pessoas a aprenderem pelo Espírito. Por exemplo, quando você ou seus alunos contarem histórias sobre a superação de dificuldades, o Espírito pode levar os alunos a imbuíremse de coragem para viver o evangelho. Em certa aula do Sacerdócio Aarônico, o professor relatou de forma comovente a história de seu irmão, que parara de fumar e assim recebera grandes bênçãos. Esse relato tocou um rapaz da classe e inspirou-o a abandonar o hábito de fumar.

Incentivar os Alunos a “[Irem] e [Fazerem] da Mesma Maneira”

Depois de contar a parábola do bom samaritano, o Salvador deu o seguinte mandamento a quem O ouvia: “Vai, e faze da mesma maneira”. (Lucas 10:37) Sempre convide os alunos a aplicarem os princípios que aprenderem. Faça-o de forma plausível e realista. Em uma aula sobre a oração, por exemplo, você pode incentivar os membros da família ou os alunos a orarem todas as manhãs e noites. Em uma aula sobre o serviço, pode estimulá-los a auxiliarem alguém próximo que esteja passando por dificuldades.

Na maioria dos casos, você deve perguntar posteriormente aos alunos como se saíram no cumprimento dos convites; isso vai ajudá-los a darem-se conta da importância do que lhes está sendo solicitado.