Capítulo 12: O Dízimo: Uma Lei para Nosso Benefício e Proteção

Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Lorenzo Snow, 2011


“A lei do dízimo é uma das mais importantes já reveladas ao homem. (…) Por meio da obediência a essa lei, as bênçãos da prosperidade e do sucesso serão concedidas aos santos.”

Da Vida de Lorenzo Snow

No início de maio de 1899 o Presidente Lorenzo Snow foi inspirado a visitar a cidade de St. George e outros assentamentos no sul de Utah e logo começou a organizar um grupo de pessoas, inclusive várias Autoridades Gerais para fazer essa longa viagem com ele.

O Presidente Snow fez os preparativos necessários sem dizer a ninguém o motivo da viagem, nem ele sabia o motivo. “Quando deixamos Salt Lake”, disse ele posteriormente, “não sabíamos por que íamos visitar esses assentamentos do sul”.1 Mas em 17 de maio, logo depois de chegarem a St. George, a vontade do Senhor foi “claramente manifestada” a Seu profeta.2 Em uma reunião realizada no dia 18 de maio de 1899, o Presidente Snow declarou:

“A palavra do Senhor para vocês, irmãos e irmãs, é que devem atender ao que se pede de vocês que, como povo têm diante de si perspectivas gloriosas de exaltação e glória. E o que é isso? Ora, é algo que vem sendo repetido em seus ouvidos de tempos em tempos a ponto de talvez até já tê-los cansado: (…) A palavra do Senhor para vocês não é nada de novo; é simplesmente o seguinte: CHEGOU A HORA DE TODO SANTO DOS ÚLTIMOS DIAS QUE PRETENDA ESTAR PREPARADO PARA O FUTURO E TER OS PÉS FIRMEMENTE FINCADOS NUM ALICERCE SEGURO FAZER A VONTADE DO SENHOR E PAGAR O DÍZIMO INTEGRALMENTE. Essa é a palavra do Senhor para vocês, e será a palavra do Senhor para todos os assentamentos espalhados pela terra de Sião. Depois que eu partir e vocês pensarem nisso, verão por si mesmos que chegou a hora em que todo homem deve erguer-se e pagar o dízimo integralmente. O Senhor nos abençoou e teve misericórdia de nós no passado, mas logo chegará a hora em que Ele exigirá que nos aprumemos e façamos o que Ele ordenou sem mais delongas. O que digo a vocês, desta estaca de Sião, digo a todas as estacas organizadas de Sião. Não há homem ou mulher que agora ouve o que eu digo que ficará satisfeito se deixar de pagar o dízimo integralmente”.3

Nos seus então 50 anos de apostolado, o Presidente Snow raramente mencionara a lei do dízimo em seus sermões. Isso mudou em St. George, Utah, por causa da revelação que recebeu. Posteriormente, ele disse: “Eu nunca tive uma revelação mais perfeita do que a que recebi quanto ao assunto do dízimo”.4 De St. George, ele e seus companheiros foram parando de cidade em cidade pelo sul de Utah e pelo caminho de volta para Salt Lake City e realizaram um total de 24 reuniões. O Presidente fez 26 discursos. Em todos, aconselhou os santos a obedecerem à lei do dízimo.

O grupo chegou de volta a Salt Lake City em 27 de maio. Um jornalista observou: “O Presidente parece mais forte e ativo hoje do que no dia em que saiu de Salt Lake”. Em resposta ao comentário de que “suportara a viagem de forma admirável”, o profeta, então com 85 anos disse: “É o que todos dizem. (…) A viagem me fez bem. Nunca me senti melhor na vida. Sinto que o Senhor me ampara atendendo às orações dos santos”.5

Além de falar da própria saúde, ele falou da fé e retidão dos santos do sul de Utah. Disse que ele e sua comitiva foram recebidos “com as mais calorosas manifestações de alegria e apreço”.6 Ele contou que, quando aconselhou os santos a obedecerem à lei do dízimo, “o Espírito do Senhor recaiu sobre o povo e todos se alegraram imensamente e, em seu coração, determinaram-se a observar tanto o espírito como a letra desse princípio”.7 Em resposta à indagação quanto à situação geral do povo, disse: “Eles vivem em casas confortáveis, vestem-se bem e parecem ter fartura das boas coisas da terra para comer e beber. A Estaca St. George enfrentava uma severa seca, a mais severa que já se abatera sobre a região, mas o povo tem fé e a chuva logo virá”.8

Nos dias 29 e 30 de maio, o Presidente Snow fez dois discursos sobre a lei do dízimo, o primeiro às líderes da Associação de Melhoramentos Mútuos das Moças e o segundo aos líderes da Associação de Melhoramentos Mútuos dos Rapazes.9 Após esse segundo discurso, o Élder B. H. Roberts, dos Setenta, propôs a seguinte resolução, que recebeu o apoio unânime da congregação: “Resolução: Aceitamos a doutrina do dízimo, conforme agora apresentada pelo Presidente Snow, como sendo atualmente a palavra e a vontade do Senhor quanto a nós, e a aceitamos de todo o coração; nós a observaremos e faremos tudo a nosso alcance para que os membros da Igreja façam o mesmo.”10 No dia 2 de julho, todas as Autoridades Gerais e representantes de todas as estacas e alas da Igreja participaram de uma Assembleia solene no Templo de Salt Lake, tendo jejuado e orado em preparação para isso. Ali, aceitaram a resolução por unanimidade.11 O Presidente Snow também cumpriu à risca essa resolução, ensinou a lei do dízimo em muitas estacas e supervisionou outros líderes da Igreja no trabalho de fazer o mesmo.

Nos meses que se seguiram a sua visita ao sul de Utah, o Presidente Snow recebeu notícia de que os santos renovaram sua dedicação e obediência à lei do dízimo. Tal notícia deu-lhe “imenso prazer e satisfação”,12 pois ele sabia que pela obediência constante a essa lei, “as bênçãos do Todo-Poderoso [seriam] derramadas sobre este povo, e a Igreja [progrediria] com tal ímpeto e rapidez nunca antes vistos”.13

O Presidente Snow várias vezes assegurou aos santos que seriam abençoados individualmente, tanto material como espiritualmente, caso obedecessem à lei do dízimo.14 Essa promessa foi parcialmente cumprida em agosto de 1899, quando o povo de St. George recebeu um alívio temporário da seca: sua fé foi recompensada com 74 mm de chuva, mais do que toda a chuva dos 13 meses anteriores.15 O Presidente Snow também prometeu que a obediência à lei do dízimo traria bênçãos à Igreja como um todo. Ele tinha certeza de que o dízimo dos fiéis possibilitaria que a Igreja se livrasse das dívidas, que foram em grande parte causadas pelas perseguições.16 Essa promessa cumpriu-se em 1906, cinco anos depois de sua morte. Na conferência geral de abril de 1907, o Presidente Joseph F. Smith anunciou:

“(…) Nunca houve uma época em que os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias estivessem vivendo de modo melhor, mais fiel e diligente do que hoje. Os dízimos ofertados pelo povo durante o ano de 1906 ultrapassaram os de qualquer outro ano. Essa é uma boa indicação de que os santos dos últimos dias estão cumprindo seu dever, de que têm fé no evangelho, de que estão dispostos a cumprir os mandamentos de Deus e que estão esforçando-se para vivê-los de modo mais perfeito do que talvez jamais tenha acontecido. Quero dizer-lhes outra coisa, e dou-lhes parabéns por isso: Digo-lhes que pela bênção do Senhor e pela fidelidade dos santos no pagamento do dízimo, conseguimos terminar de pagar nossas dívidas. Hoje, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias não deve um dólar sequer que não possa ser imediatamente pago. Finalmente estamos em condições de pagar imediatamente todas as nossas despesas. Não precisamos mais fazer empréstimos e não teremos que fazê-lo, se os santos dos últimos dias continuarem a viver sua religião e a cumprir essa lei do dízimo”.17 [Ver sugestão 1 da página 167.]

Ensinamentos de Lorenzo Snow

A lei do dízimo é de fácil entendimento e todos podem obedecê-la.

Rogo-lhes em nome do Senhor, e oro que todo homem, mulher e criança (…) pague um décimo de seus rendimentos como dízimo.18

A lei [do dízimo] não é difícil. (…) Se uma pessoa recebe dez dólares, seu dízimo é de um dólar; se recebe cem, seu dízimo são dez dólares. (…) É muito fácil entender.19

[Alguém poderia perguntar:] “Quanto darei de dízimo?” Será que não posso ficar com uma parte para mim? O Senhor já é bem rico e duvido que Se importe se eu ficar com uma parte”, e, assim, a pessoa fica com uma parte para si. Mas essa parte que guardou para si não lhe dará sossego, se sua consciência for como a da maioria dos santos dos últimos dias. Isso a perturbará ora mais, ora menos, durante o dia e, também, quando pensar nisso à noite. Quem age assim não desfruta a felicidade que seria seu privilégio, essa felicidade lhe escapa.20

Parte do dízimo não é dízimo algum, da mesma forma que a imersão de metade do corpo de alguém na água não é batismo.21

Não há homem ou mulher que não possa doar um décimo daquilo que recebe.22

Irmãos e irmãs, queremos que vocês orem sobre esse assunto. (…) Em vez de alimentar as ideias mesquinhas que alguns têm em questões de dinheiro, devemos pagar nosso dízimo. (…) O que o Senhor pede de nós é que paguemos nosso dízimo agora, e Ele espera que, no futuro, todos paguem o dízimo. Sabemos o que um décimo significa; paguemos isso ao Senhor. Depois, podemos procurar o bispo de consciência limpa e pedir-lhe uma recomendação para entrar no templo.23

Digo-lhes em nome do Senhor Deus de Israel que, se pagarem o dízimo de agora em diante, o Senhor perdoará todos os [dízimos não pagos] anteriores e as bênçãos do Todo-Poderoso se derramarão sobre este povo.24

Quero gravar esse princípio de tal forma em nosso coração que nunca o esqueçamos. Como disse mais de uma vez, sei que o Senhor perdoará aos santos dos últimos dias sua negligência passada do pagamento do dízimo, caso agora se arrependam e sejam conscienciosos no pagamento do dízimo de agora em diante.25 [Ver sugestão 2 da página 168.]

Quando pagamos o dízimo, contribuímos com o trabalho da Igreja.

Esta Igreja não poderia prosseguir sem renda, e essa renda nos foi proporcionada por Deus [por meio da lei do dízimo]. Nossos templos, nos quais recebemos as mais altas bênçãos concedidas aos mortais, são edificados com essa renda. Não poderíamos jamais enviar (…) élderes ao mundo para pregar o evangelho, como agora fazemos, se não tivéssemos uma renda que nos permitisse fazê-lo. (…) Além disso há milhares de outras coisas que acontecem constantemente para as quais é preciso dinheiro. (…)

Se os santos dos últimos dias não pagassem o dízimo, os quatro templos que temos aqui [em 1899] nunca teriam sido erigidos e os juízos e estatutos de Deus para a exaltação e glória não poderiam ser observados. O primeiro princípio de ação dos santos dos últimos dias é o de santificar a terra pela obediência à lei do dízimo e por colocarem-se em condições de receber as ordenanças relativas à exaltação e glória de nossos mortos.26 [Ver sugestão 3 da página 168.]

O Senhor nos abençoará nas coisas materiais e espirituais se obedecermos a lei do dízimo.

A lei do dízimo é uma das mais importantes já reveladas ao homem. (…) Por meio da obediência a essa lei, as bênçãos da prosperidade e do sucesso serão concedidas aos santos.27

Se obedecermos a essa lei (…) esta terra será santificada e seremos considerados dignos de receber as bênçãos do Senhor e de ser amparados nas questões financeiras e em tudo que fizermos, tanto nas coisas materiais como nas espirituais.28

A salvação material desta Igreja (…) depende da obediência a essa lei.29

Existe pobreza entre os santos dos últimos dias e sempre existirá até que nós, pelo menos, obedeçamos a lei do dízimo.30

Acredito firmemente que se os santos dos últimos dias obedecerem a essa lei, poderemos suplicar que sejamos livrados de todo o mal que recaia sobre nós.31

Eis uma lei revelada especificamente para nossa proteção e segurança, bem como para nosso progresso na senda da retidão e santidade; uma lei capaz de santificar a terra em que vivemos; uma lei capaz de possibilitar que Sião seja edificada e estabelecida de forma a não mais ser derrubada nem removida de seu lugar por homens maus e iníquos.32

Temos templos e recebemos as bênçãos relativas ao templo, sim, as mais elevadas ordenanças já ministradas ao homem na Terra, graças à nossa obediência a essa lei.33

Jamais estaremos preparados para ver a face de Deus até que sejamos conscienciosos no pagamento do dízimo e de outras obrigações.34

Falei claramente e afirmo que o que disse a respeito do dízimo vem do Senhor. Se agora agirem de acordo com o Espírito do Senhor, seus olhos serão abertos.35 [Ver sugestão 4 da página 168.]

Os pais e professores têm a responsabilidade de pagar o dízimo e ensinar os filhos a fazerem o mesmo.

Ensinem [seus filhos] a pagarem o dízimo enquanto são pequenos. Mães, ensinem seus filhos que, quando ganharem qualquer dinheiro, devem pagar ao Senhor um décimo do que receberam, não importa quão pequena seja a quantia. Ensinem-nos a pagar o dízimo integralmente.36

É certo e próprio que (…) os líderes e professores [da Igreja] abram o coração e a alma ao espírito dessa lei para qualificarem-se plenamente a ensiná-la e para gravar na nova geração o quanto ela é importante e sagrada. O que se pede de vocês, irmãos e irmãs, não é somente que obedeçam a lei, mas que a ensinem aos outros, sim, à nova geração (…) e, na medida em que conseguirem receber o espírito da lei, conseguirão transmiti-la e ensiná-la.

(…) Peço-lhes não só que a obedeçam, mas que a ensinem aos filhos dos membros da Igreja e que gravem essa lei em sua memória, para que quando alcançarem a idade adulta, possa dizer-se deles que a aprenderam e que a obedeceram desde jovens.37 [Ver sugestão 5 da página ao lado.]

Sugestões para Estudo e Ensino

Leve em consideração estas sugestões ao estudar o capítulo ou preparar-se para ensinar. Para auxílios adicionais, ver páginas V–VII.

  1. 1.

    Recapitule a história da revelação que o Presidente Snow recebeu quanto ao dízimo (páginas 159–162). Pense em como ele se dispôs a viajar até St. George e na prontidão com que as pessoas obedeceram a lei do dízimo. O que podemos aprender com essa história?

  2. 2.

    De que forma a lei do dízimo “não é difícil?” (Ver alguns exemplos nas páginas 163–164.) Por que algumas pessoas poderiam achar que é difícil obedecer a lei do dízimo? Como os ensinamentos do Presidente Snow poderiam ajudar alguém a obter um testemunho do pagamento do dízimo?

  3. 3.

    Estude a seção que se inicia na página 165. Quais são algumas bênçãos que você ou seus entes queridos receberam graças aos edifícios e programas custeados pelo dízimo? Por que é um privilégio pagar o dízimo?

  4. 4.

    O Presidente Snow testificou que seremos abençoados se obedecermos à lei do dízimo (páginas 165–167). Quais são algumas bênçãos que a lei do dízimo lhe proporcionou? Quais são algumas bênçãos que essa lei proporcionou a seus familiares e amigos?

  5. 5.

    Pondere o conselho do Presidente Snow aos pais e professores (página 167). Em sua opinião, por que é importante que as crianças paguem o dízimo “não importa quão pequena seja a quantia”? Quais seriam algumas formas de ensinar as crianças a pagarem o dízimo e as ofertas?

Escrituras correlatas: Malaquias 3:8–10; D&C 64:23; 119:1–7

Auxílio didático: “Tenha o cuidado de não terminar boas discussões precocemente na tentativa de ensinar tudo o que preparou. Embora seja importante transmitir o conteúdo da lição, o essencial é ajudar os alunos a sentir a influência do Espírito, esclarecer suas dúvidas, aumentar sua compreensão do evangelho e seu compromisso de guardar os mandamentos” (Ensino, Não Há Maior Chamado, p. 64).

Tabernáculo de St. George. Neste edifício, o Presidente Lorenzo Snow fez o primeiro de muitos discursos sobre a lei do dízimo.

O Presidente Snow aconselhou os pais e professores a ensinarem os filhos e as crianças a pagarem o dízimo.

O dinheiro do dízimo é utilizado para custear a edificação e manutenção dos templos.

Exibir Referências

    Notas

  1.   1.

    “In Juab and Millard Stakes”, Deseret Evening News, 29 de maio de 1899, p. 5.

  2.   2.

    “In Juab and Millard Stakes”, p. 5.

  3.   3.

    Millennial Star, 24 de agosto de 1899, pp. 532–533; ver também Deseret Evening News, 17 de maio de 1899, p. 2; Deseret Evening News, 18 de maio de 1899, p. 2. No jornal Millennial Star consta que o Presidente Snow proferiu esse discurso em 8 de maio, mas outras fontes da época indicam que a data foi 18 de maio. O Presidente Snow também falou do dízimo no dia 17 de maio.

  4.   4.

    “President Snow in Cache Valley”, Deseret Evening News, 7 de agosto de 1899, p. 1.

  5.   5.

    “Pres. Snow Is Home Again”, Deseret Evening News, 27 de maio de 1899, p. 1. Na época, a Igreja contava com 40 estacas.

  6.   6.

    “Pres. Snow Is Home Again”, p. 1.

  7.   7.

    Deseret Evening News, 24 de junho de 1899, p. 3.

  8.   8.

    “Pres. Snow Is Home Again”, p. 1.

  9.   9.

    Ver “The Annual Conference of the Young Men’s and Young Ladies’ Mutual Improvement Associations”, Improvement Era, agosto de 1899, pp. 792–795; ver também Ann M. Cannon, “Presidente Lorenzo Snow’s Message on Tithing”, Young Woman’s Journal, abril de 1924, pp. 184–186.

  10.   10.

    Citado por B. H. Roberts em “The Annual Conference of the Young Men’s and Young Ladies’ Mutual Improvement Associations”, p. 795.

  11.   11.

    Ver B. H. Roberts, Comprehensive History of the Church, vol. 6, pp. 359–360.

  12.   12.

    Conference Report, outubro de 1899, p. 28.

  13.   13.

    “President Snow in Cache Valley”, Deseret Evening News, 7 de agosto de 1899, p. 2.

  14.   14.

    Deseret Evening News, 24 de junho de 1899, p. 3. As transcrições dos discursos do Presidente Snow feitas na época bem como os artigos dos jornais da época que relatam as viagem e as bênçãos materiais e espirituais que ele prometeu aos santos, caso obedecessem à lei do dízimo, demonstram que ele não fez a promessa específica do fim da seca no sul de Utah.

  15.   15.

    Western Regional Climate Center, http://www.wrcc.dri.edu/cgi-bin/cliMONtpre.pl?utstge.

  16.   16.

    “The Annual Conference of the Young Men’s and Young Ladies’ Mutual Improvement Associations”, p. 793.

  17.   17.

    Conference Report, abril de 1907, p. 7.

  18.   18.

    Conference Report, outubro de 1899, p. 28.

  19.   19.

    Deseret Semi-Weekly News, 28 de julho de 1899, p. 10.

  20.   20.

    Conference Report, abril de 1899, p. 51.

  21.   21.

    Deseret Evening News, 24 de junho de 1899, p. 3.

  22.   22.

    “President Lorenzo Snow’s Message on Tithing”, p. 185; da ata de uma reunião realizada no Assembly Hall, em Salt Lake City, em 29 de maio de 1899.

  23.   23.

    Deseret Semi-Weekly News, 28 de julho de 1899, p. 10.

  24.   24.

    “President Snow in Cache Valley”, p. 2.

  25.   25.

    Conference Report, outubro de 1899, p. 28.

  26.   26.

    Conference Report, outubro de 1899, pp. 27–28.

  27.   27.

    “In Juab and Millard Stakes”, p. 5.

  28.   28.

    Deseret Evening News, 24 de junho de 1899, p. 3.

  29.   29.

    “The Annual Conference of the Young Men’s and Young Ladies’ Mutual Improvement Associations”, p. 794.

  30.   30.

    Deseret Semi-Weekly News, 28 de julho de 1899, p. 10.

  31.   31.

    “President Lorenzo Snow’s Message on Tithing”, p. 185.

  32.   32.

    “Tithing”, Juvenile Instructor, abril de 1901, p. 216.

  33.   33.

    “Tithing”, p. 215.

  34.   34.

    “Conference of Granite Stake”, Deseret Evening News, 21 de maio de 1900, p. 2; de uma paráfrase detalhada de um discurso feito pelo Presidente Snow na conferência da Estaca Granite, em 20 de maio de 1900.

  35.   35.

    Deseret Semi-Weekly News, 28 de julho de 1899, p. 10.

  36.   36.

    Millennial Star, 31 de agosto de 1899, p. 546.

  37.   37.

    “Tithing”, pp. 215–216.