Lição 19: Encorajamento e Preparação dos Missionários

"Lição 19: Encorajamento e Preparação dos Missionários," A Mulher na Igreja, ()


O propósito desta lição é ensinar-nos como ajudar nossa juventude a se preparar e servir em seus chamados missionários.

Como Preparar Nossa Juventude para a Missão

Os Presidentes da Igreja têm pedido mais missionários para levar o evangelho ao mundo, mas têm salientado que eles precisam ser melhores do que nunca. O Presidente Spencer W. Kimball disse: “Todo rapaz e muitas moças e casais deveriam fazer uma missão. Todo o missionário em perspectiva deve-se preparar moral, espiritual, mental e financeiramente durante toda a sua vida para servir fiel, eficientemente e bem no grande programa da obra missionária”. (“Conselho a um Jovem: O Tempo de Preparação É Agora”, A Liahona, janeiro de 1974, p.8; grifo do autor.)

O Presidente Kimball salientou que a responsabilidade de treinar os missionários é da família, principalmente. Ele nos pediu que treinemos nossos missionários “muito melhor, muito antes, por muito mais tempo, de modo que cada um deles espere sua missão com grande alegria”. (“When the World Will Be Converted”, Ensign, outubro de 1974, p.7)

  • Como podemos preparar nossa juventude desde cedo para o trabalho missionário?

  • Mostre a gravura 19-a. “O menino conta o dinheiro que está economizando para a missão.”

O Élder S. Diworth Young deu-nos algumas sugestões muito úteis na preparação de nossos filhos desde pequenos para servirem no trabalho missionário. Ele disse que devemos orar freqüentemente com nossos filhos, pedindo ao Pai Celestial que sua missão seja possível. Devemos contar histórias de nossas próprias experiências missionárias. Ele sugeriu também que ajudemos os jovens a se familiarizarem com as escrituras, que lhes ensinemos obediência e lhes proporcionemos oportunidades de servir aos outros. O Élder Young sugeriu que essas coisas sejam ensinadas durante a noite familiar, em volta da mesa durante as refeições, antes de dormir e nas horas de recreação familiar. (Ver Conference Report, abril de 1972, pp. 82-84; Ensign, julho de 1972, pp. 76–77.)O Élder Franklin D. Richards, disse:

“Quando eu era menino, uma das coisas a que aspirava era servir como missionário. (…) Tenho certeza de que minha família representou um fator importante na minha decisão.

Lembro-me de ouvir minha avó Jane Snyder Richards, contando-me histórias sobre meu avô (…) a quem eu admirava muito. Ele tinha sido um grande missionário, serviu em diversas missões durante sua vida. Tenho certeza de que isso me influenciou”. (“Have a Dream”, New Era, janeiro de 1978, p. 4)

  • Mostre a gravura 19-b: “A mãe prepara seu filho para a missão, ensinando-o a cozinhar”.

Devemos ajudar nossos adolescentes a tornarem-se fisicamente fortes, de modo que não se cansem durante a obra missionária. Eles devem aprender a preparar refeições simples e nutritivas e a fazer compras com sabedoria. Bons hábitos alimentares são essenciais, se eles quiserem conservar-se saudáveis e fortes para realizar seu trabalho. Devemos ensinar-lhes a lavar, passar e consertar suas roupas. Devemos também ensinar-lhes a manter seus quartos limpos. Eles podem orgulhar-se de como se vestem. Podem ser ensinados a economizar dinheiro e a deixar o namoro sério para mais tarde, a ganhar e a prestar um testemunho, e a seguir os passos do arrependimento. Tudo isso eles podem fazer antes de saírem para o campo missionário.

  • Como podemos encorajar os jovens a ganhar e economizar dinheiro para uma missão?

O Élder M. Russell Ballard, quando servia como presidente de missão, pediu aos seus missionários que respondessem a esta pergunta: “O que minha mãe poderia ter feito para preparar-me melhor?

Eles responderam: ‘Minha mãe deveria ter insistido, de alguma forma, para que eu prestasse mais atenção quando estava tentando ensinar-me sobre os afazeres domésticos, como preparar alimentos, limpar a casa, lavar roupas, fazer compras, cuidar da higiene pessoal, consertar roupas e fazer receitas básicas’.

O Élder Ballard então deu o seguinte conselho: ‘Mães, ensinem seus filhos a serem sensíveis e cientes das necessidades dos outros. Ensinem-nos a conhecer e praticar os princípios básicos das boas relações humanas. (…) Coloque seus braços ao redor dos ombros de seus filhos, olhem diretamente em seus olhos, digam-lhes que aprendam essas habilidades, pois vocês desejam que eles sejam felizes e bem-sucedidos em sua missão”. (Ver A Liahona, fevereiro de 1977, p. 81)

  • Como podemos ajudar nossos filhos a ficarem cientes das necessidades alheias em casa? Na casa de amigos? Em lugares públicos?

Para cumprirem seus chamados como o Senhor pede, os missionários devem aprender o princípio do trabalho. No Livro de Mórmon, aqueles que pregam a palavra de Deus são aconselhados a ensinar “com diligência” e a trabalhar “com toda a nossa força”. (Jacó 1:19) O missionário que é aplicado e trabalha com ânimo, é feliz e produtivo.

Outro presidente de missão (Élder Vaughn J. Featherstone) contou esta história:

“Um élder de nossa missão enfrentava sérios problemas de saúde. (…) Quando cheguei à missão, ele estava dormindo até tarde, para não ficar muito fraco e apanhar um resfriado. Na hora do almoço, ele almoçou e foi dormir mais umas duas horas, para se proteger de um possível resfriado ou gripe. Seu companheiro sentia-se frustrado e me telefonou.

Telefonei ao médico do élder. Ele me disse: ‘Bem, o élder não está em boas condições, mas está melhor do que quando veio para o campo missionário. Sua condição física não vai mudar muito a despeito de quanto ele trabalhe’. Chamei o élder ao meu escritório e sugeri que preferia vê-lo doente com gripe do que sempre se preocupando em ficar gripado. Falei-lhe sobre o princípio de (…) simplesmente ir trabalhar e fazer o que o Senhor tinha pedido que ele fizesse. (…)

Ele aceitou o conselho e colocou-o em prática, vindo a tornar-se um dos melhores missionários da missão. Ele descobriu como (…) trabalhar”. (“Self-Denial”, New Era, novembro de 1977, p. 7)

  • Como podem as moças influenciar os rapazes na sua preparação para a missão?

As moças podem influenciar muito o comportamento dos rapazes. Elas devem estabelecer altos padrões morais no vestir, falar e agir. Devem ser um exemplo de retidão. Falando às moças da Igreja, o Élder David B. Haight disse:

“Vocês, moças, desempenham importante papel no treinamento de nossos rapazes. (…)

Você, filha de Sião, poderá ser uma luz brilhante, se der o exemplo certo. Abstenha-se de se comprometer muito cedo na vida, (…) procure desenvolver a mente e a personalidade. Vocês dois têm talentos que podem ser desenvolvidos e partilhados.

Leiam bons livros. Ouçam boa música. Estudem e falem a respeito das bênçãos da Palavra de Sabedoria. (…)

Leiam as escrituras. (…)

Vocês podem encorajar, influenciar e até mesmo proteger os rapazes num momento crítico de sua vida. (…) Vocês demonstram seu amor ao Senhor quando ajudam um rapaz a permanecer digno e a se preparar para servir ao Senhor”. (Conference Report, outubro de 1977, pp. 86–88 e Ensign, novembro de 1977, pp. 57–58)

É importante que as moças respeitem os rapazes e os incentivem a servir como missionários numa missão de tempo integral. Os planos de casamento devem esperar até que o rapaz tenha completado a missão.

Como Ajudar os Missionários a Servir em Seus Chamados

Sempre pensamos nos missionários que conhecemos, principalmente naqueles primeiros que nos ensinaram o evangelho. Apreciamos seu sacrifício e exemplo. Podemos mostrar a gratidão que sentimos por eles e por nosso Pai Celestial, ajudando outros missionários a desempenhar melhor seus chamados. Quando nossos jovens servem como missionários, necessitam de nossa ajuda e apoio continuamente. Podemos orar por eles e certificar-nos de que compreendem a importância da oração.

O Élder Hugh B. Brown contou como sua mãe o ajudou a confiar no Senhor durante sua missão na Inglaterra. Ela disse, ao despedir-se dele: “Hugh, meu filho, você se lembra de quando era menino e freqüentemente tinha pesadelos e sonhos ruins, e me acordava enquanto eu dormia no quarto ao lado, dizendo: ‘Mamãe, mamãe, a senhora está aí?’ Você se lembra de que eu sempre respondia, dizendo: ‘Sim, meu filho, eu estou aqui. Agora vire-se para o lado e durma’. Tudo está bem, disse ela: “Meu filho, cinco mil milhas devem nos separar agora, bem como todo um continente e um oceano. Você não terá sonhos ruins somente à noite, mas muitas vezes durante o dia, e vai querer pedir ajuda e consolo. Filho, quando você estiver envolvido em dificuldades, ao defrontar-se com tentações, quando se encontrar confuso e não souber aonde ir, chame nosso Pai Celestial e diga: ‘Pai, estás aí?’” Concluindo, ela disse: “Meu filho, eu prometo que Ele sempre lhe responderá e você não precisará temer coisa alguma”. [The Abundant Life, (1965), pp. 202–203]

  • Quais são as outras maneiras de ajudarmos os missionários a servir em seus chamados?

Eles devem receber cartas de casa. O Élder Gordon B. Hinckley deu o seguinte conselho sobre o assunto: “Meu coração se entristece com o missionário que não recebe regularmente correspondência de casa. Em geral, uma carta por semana é uma boa regra. Mas, por outro lado, correspondência demais pode não ser favorável ao moral do missionário. Para ser um missionário eficaz, ele deve afastar-se de casa; assim, o tipo de carta que recebe ocasionará uma grande diferença naquilo que faz e em como se sente. As cartas que trazem problemas domésticos, que só falam de dificuldades, abatem seu ânimo. Os missivistas conscientes certificar-se-ão de declarar seus sentimentos positivos—como estão orgulhosos de terem um missionário no campo, como o Senhor os está abençoando por causa de seu trabalho missionário. Tais cartas abençoam a vida de um missionário”. (“Uma Conversa com o Élder Gordon B. Hinckley a respeito da Obra Missionária”, A Liahona, janeiro de 1974, p. 13)

  • Que tipo de cartas as moças devem escrever aos missionários?

As moças devem partilhar experiências espirituais com os missionários, bem como dar-lhes notícias alegres sobre os amigos e atividades de que participam.

  • Quais são algumas das maneiras de ajudarmos os missionários de nossa área?Podemos apresentar as pessoas de nossa família e amigos que não são membros aos missionários. Podemos também cuidar para não tomar muito do seu tempo. Quando os convidarmos para comer em nossa casa, devemos servi-los sem demora. Em seguida, podemos encorajá-los a ir e continuar seu trabalho. Não devemos esperar nem permitir que eles ajudem a lavar a louça. Não devemos também convidá-los para ver televisão conosco. Podemos aprender as regras da missão e ajudar os missionários a observá-las.

As moças, principalmente, devem evitar usar o tempo dos missionários com atividades sem importância. Elas nunca devem ficar sozinhas com um missionário nem incentivar um relacionamento mais próximo. Não devem também se corresponder ou telefonar para os missionários de sua área.

Ao demonstrarmos respeito pelos missionários e por seu chamado, iremos ajudá-los a ensinar o evangelho para os outros.

Conclusão

O Élder Gordon B. Hinckley disse que “a obra missionária nunca foi fácil, e no entanto, as alegres recompensas não podem ser igualadas por qualquer outra experiência. Qualquer coisa que seja preciosa como o evangelho de Jesus Cristo é digna de todos os esforços e sacrifício de tempo e de meios empregados para ensiná-la”. (A Liahona, janeiro de 1974, p. 13)

Como mulheres da Igreja, devemos fazer tudo o que pudermos para ajudar nossos jovens a se prepararem e servirem no chamado missionário. Nossos esforços podem influenciá-los a irem ou não para a missão. Nosso incentivo faz uma grande diferença no seu modo de desempenhar-se no campo missionário. Podemos ajudar nossos missionários a prepararem-se para experimentar a alegria de levar a salvação aos seus irmãos e irmãs. (Ver D&C 18:15–16.) Devemos avaliar freqüentemente nossos esforços, consultar os líderes e outros membros da Igreja, e pedir ao Pai Celestial inspiração ao ajudarmos os missionários a levar o evangelho ao mundo.

Desafio

Releia esta lição em casa. Escolha algumas maneiras de ajudar seus filhos ou você mesma a prepararem-se para a missão. Avalie sua conduta em relação aos missionários em potencial e aos missionários de tempo integral e veja como pode dar-lhes mais apoio. Faça um projeto familiar de escrever regularmente a um missionário que esteja no campo.

Preparação da Professora

Antes de apresentar a lição:

  1. 1.

    Estude Princípios do Evangelho, capítulo 33, “O Trabalho Missionário.”

  2. 2.

    Designe às irmãs a apresentação de histórias, escrituras e citações da lição.