Abuso ou Maus-Tratos

Sempre Fiéis: Tópicos do Evangelho


Quem trata outras pessoas ou a si mesmo de modo a causar sofrimento ou ofensa, comete o que se chama de abuso ou maus-tratos. O abuso ou maus-tratos ferem a mente e o espírito e freqüentemente ferem também o corpo, podendo causar confusão, dúvida, desconfiança e medo. Constituem violação das leis da sociedade e estão em total oposição aos ensinamentos do Salvador. O Senhor condena o comportamento abusivo em qualquer de suas formas—física, sexual, verbal ou emocional. Tal comportamento pode levar a pessoa à ação disciplinar da Igreja.

Conselho para Aquele que Comete Abuso ou Maus-Tratos

Se você tiver cometido abusos ou maus-tratos em qualquer relacionamento, deve arrepender-se desses pecados. Peça ao Senhor que lhe perdoe. Peça perdão àqueles a quem você prejudicou. Converse com o seu bispo ou presidente de ramo para que ele possa ajudá-lo no processo de arrependimento e, se necessário, para ajudá-lo a receber mais aconselhamento e ajuda.

Caso a raiva tenha causado seu comportamento agressivo, aprenda a controlar o seu temperamento. Fale com o Senhor em oração e peça-Lhe que o ajude. Na perspectiva eterna, você verá que a raiva quase sempre é causada por coisas de pouca importância.

Se você cometeu abuso sexual, empenhe-se em disciplinar sua mente. Lembre-se de que seus pensamentos têm grande impacto em sua vida: “Porque, como imaginou no seu coração, assim é (…)”. (Provérbios 23:7) Fique longe da pornografia e de todas as outras coisas que possam estimular desejos sexuais imorais. Ore pedindo para conseguir fazer com que “a virtude adorne [seus] pensamentos incessantemente”. (D&C 121:45)

Ajuda para as Vítimas de Abuso ou Maus-Tratos

Se você é vítima de abuso ou maus-tratos, busque ajuda imediatamente. Converse com o seu líder do sacerdócio, em geral o seu bispo ou presidente de ramo, às vezes um membro da presidência da estaca ou do distrito. Ele poderá ajudá-lo a saber o que fazer.

Você pode ter certeza de que não tem culpa do comportamento nocivo de outras pessoas, nem deve sentir-se culpado. Se tiver sido vítima de estupro ou outro abuso sexual, você não é culpado de pecado sexual, não importa se o agressor foi um conhecido, um estranho ou até alguém da família. Saiba que você é inocente e que o Pai Celestial o ama.

Ore pedindo a paz que vem somente por meio de Jesus Cristo e de Sua Expiação. (Ver João 14:27; 16:33.) O Salvador sentiu todas as suas dores e aflições, até mesmo aquelas causadas por outras pessoas e Ele sabe como ajudá-lo. (Ver Alma 7:11–12.) Em vez de procurar vingar-se, concentre-se em questões que estão sob seu controle, tal como a sua própria perspectiva de vida. Ore para ter forças para perdoar aqueles que o feriram.

Continue a buscar ajuda com o seu líder do sacerdócio para que ele possa guiá-lo ao longo do processo de cura emocional. Por meio das bênçãos do evangelho, você poderá interromper o ciclo de abusos ou maus-tratos e libertar-se do sofrimento que experimentou.