Crescimento e Amadurecimento com Auto-suficiência, Parte 2

Moças – Manual 1, 1992


Objetivo

Fazer com que cada aluna procure fortalecer seu relacionamento com a família, à medida que se torna mais independente.

Preparação

  1. 1.

    Providenciar papel e lápis para todos os membros da classe.

  2. 2.

    Trazer duas peças de roupas — uma muito pequena e com aparência infantil para as moças da classe, uma muito grande, parecendo roupa de adulto para este grupo.

  3. 3.

    Designar quatro jovens para prepararem as representações com antecedência;

  4. 4.

    Com aprovação do seu conselheiro do sacerdócio, escolha as quatro participantes do painel. Os tópicos 1 e 2 devem ser apresentados por jovens de dezessete anos ou jovens adultas. Peça-lhes que façam sugestões positivas às alunas sobre como enfrentar com sucesso ajustes feitos em sua família. O tópico 3 deve ser apresentado por uma mãe e uma jovem de quatorze ou quinze anos (talvez filha). Peça-lhes que sugiram à classe como deve ser o relacionamento da mãe com a filha, como adultas. Cada participante não deverá tomar mais do que quatro minutos. Dirija o debate com comentários e perguntas, de modo que atinja o objetivo da lição.

    Se não for possível organizar um painel, promova um debate na classe sobre os tópicos mais importantes. Juntas, alistem as coisas que as alunas e seus pais poderiam fazer para fortalecer o relacionamento familiar durante este período de crescimento.

  5. 5.

    Se desejar, designe algumas alunas para apresentarem histórias, escrituras ou citações.

Observação para a professora

Para poder controlar o tempo da aula de maneira adequada, estude a lição e faça as designações cuidadosamente. Cerca de metade ou dois terços do tempo da aula serão necessários para o debate do painel.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

À Medida que Nos Tornamos Mais Auto-Suficientes Precisamos Ajustar-nos à Mudança de Nossas Atitudes e Sentimentos

Atividade e debate

Mostre as duas peças de roupa às alunas. Pergunte a uma das jovens se ela acha que poderia vestir aquela roupa pequena. Ficaria confortável? Gostaria de usá-la perto de suas amigas? Por que não? Peça à outra aluna que pense como se sentiria usando a roupa muito grande. Ficaria confortável vestindo-a? Por que não?

Apresentação pela professora

Ajude as alunas a pensarem sobre o período de vida que estão atravessando. Estão-se tornando mais adultas e assumindo maior responsabilidade por suas ações. Às vezes podem sentir-se limitadas pelas restrições da infância. Outras, inseguras com as responsabilidades da idade adulta. Enquanto aumentam sua capacidade de tornar-se auto-suficientes, poderão sentir o mesmo que sentiriam se usassem uma roupa de tamanho muito grande. Explique-lhes que esses sentimentos ocasionados pelas mudanças podem ser confusos para elas e para sua família.

Representações

Use as seguintes representações para ajudar as jovens a compreenderem como seu comportamento está mudando e como isso pode afetar os outros.

Carolina: [com a mãe, no quarto de Carolina] Mãe, você não precisa arrumar meu quarto quando eu sair. Já tenho idade suficiente para me organizar e cuidar de mim mesma.

Mãe: Isto é ótimo, Carolina. Fico feliz vendo que deseja assumir essa responsabilidade. Gostaria que seus irmãos tivessem a mesma atitude. [Sai do quarto e passam-se alguns segundos.]

Carolina: [de seu quarto] Mae! Lembrei-me de que deveria estar em um ensaio da igreja há meia hora. Não consigo encontrar minha roupa. Sei que está em algum lugar aqui no quarto!

Debate

• De que maneira Carolina estava tentando ser mais independente?

• Como sua mãe se sentia a respeito disso?

• O comportamento de Carolina sempre fora consistente com seu desejo de ser independente?

• O que acham que a mãe de Carolina estava pensando, quando a filha não encontrou a roupa?

• O que Carolina e a mãe precisam entender a respeito de mudanças de comportamento?

Representação

Linda: (aproximando-se do pai, que está lendo) Pai, há alguma coisa que eu possa fazer para ganhar um pouco de dinheiro?

Pai: Para quê?

Linda: Quero comprar um par de tênis.

Pai: Nós não acabamos de comprar sapatos para você?

Linda: Mas eu preciso de tênis para quando a classe vai a uma competição esportiva.

Pai: Por que você não usa um de sua irmã?

Linda: [zangada] Oh, meu pai, você não se importa com o jeito que eu ando vestida! Pais não entendem nada! (Sai batendo os pés.)

Debate

• Como Linda estava tentando tornar-se mais independente?

• Como poderia ter reagido nesta situação, para mostrar que estava mais auto-suficiente e amadurecida?

Escritura

Peça à classe que leia Efésios 6:1-4. Peça-lhes que discutam como a compreensão deste conselho teria mudado o rumo do debate entre Linda e o pai.

Explique-lhes que parte do crescimento é aprender a controlar as emoções, humor e atitudes. Os pais e as jovens precisam constantemente expressar seu amor e ter paciência um com o outro na época do crescimento e do amadurecimento.

Conclua esta parte da lição discutindo com as jovens as seguintes citações sobre auto- suficiência: Citação “O Senhor é muito generoso com a liberdade que nos dá. Quanto mais aprendemos a seguir o certo, mais somos espiritualmente auto-suficientes e mais nossa liberdade e nossa independência são afirmadas.” (Boyd K. Packer, Auto-Suficiência”, A Liahona, abril de 1976, p.23.)

“Adequadamente compreendida e praticada, a auto-suficiência é uma virtude desejável; quando deixa o Senhor de fora, entretanto, torna-se um vício que afasta os homens dos caminhos da retidão…

O homem, por si mesmo, não é totalmente auto-suficiente. Ele não deve confiar apenas em sua própria força nem no braço da carne. O Senhor é nosso Conselheiro e Libertador, de quem devemos depender para receber orientação, diretriz e inspiração.” (Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, 2nd ed., pp. 701-702.)

É Importante que Nosso Relacionamento Familiar Se Mantenha Forte durante a época do Crescimento

Pergunta para ponderar

• Como vocês reagem, quando sentem que não lhes é permitida liberdade suficiente?

História

Explique-lhes que, às vezes, o desejo de independência e auto-suficiência é tão forte, que começamos a agir negativamente em relação a qualquer tipo de autoridade. O élder James E. Talmage (antiga Autoridade Geral da Igreja) conta a história de uma abelha que entrou voando em seu escritório num dia quente de verão. Após zumbir por toda a sala diversas vezes, não percebeu a janela parcialmente aberta pela qual havia entrado. O élder Talmage compreendia algumas coisas que a abelha não compreendia, como por exemplo, que, se ficasse presa na sala, morreria. Esperando libertá-la, ele abriu completamente a janela. Tentou guiar a abelha para a liberdade, mas ela não consentiu em ser guiada. Ele tentou com mais ímpeto, mas a abelha ficou zangada e até picou a mão dele. Persistiu em seu vôo desorientado e não encontrou a janela para a liberdade. No dia seguinte, estava morta. (Citado em James E. Talmage, “The Parable of the Unwise Bee”, Improvement Era, novembro de 1962, p. 817.)

Sugira às jovens que há muita gente que deseja ajudá-las e guiá-las para a liberdade e auto-suficiência. Essas pessoas freqüentemente sabem e compreendem coisas que a elas passam despercebidas.

• Como a rebeldia pode tornar mais difícil o acesso à liberdade e à auto-suficiência?

• O que há de errado em desejar que seus pais as deixem em paz e livres para fazerem o que quiserem?

• Por que esta atitude não é prudente ou sensata?

• Diante de quem vocês e seus pais são responsáveis, em última instância? (Somos todos responsáveis diante do Pai Celestial.)

Apresentação pela professora

Explique-lhes que o Senhor deu aos pais a séria responsabilidade de ensinar e treinar os filhos de acordo com seus mandamentos. Peça a alguém que leia Doutrina e Convênios 93:40-43 e 68:25. Mencione que as escrituras também nos ensinam que os filhos têm a responsabilidade de obedecer aos pais, como discutimos previamente. O processo de tornar-se auto-suficiente é em geral complicado. Requer que o filho seja obediente enquanto aprende a tornar-se auto-suficiente. Nesse período, enquanto os pais estão ajudando os filhos a assumirem responsabilidades, podem encontrar dificuldade em permitir que elas se tornem auto-suficientes. Existem maneiras de uma jovem manter um relacionamento familiar positivo durante este período.

Painel

Neste momento apresente os participantes do painel previamente designados. Distribua papel e lápis às alunas e sugira que anotem as idéias que acharem importantes para elas, pessoalmente. Se houver tempo, permita que façam perguntas durante a realização do painel.

Tópico 1 (para ser apresentado por uma jovem de dezessete anos ou por uma jovem adulta): “Como Posso Melhorar Meu Relacionamento com Meus Pais?”

As idéias a seguir, ou outras descobertas pelos membros do painel, poderão servir de base para a apresentação:

Se as relações estiverem tensas, vocês têm a responsabilidade de tentar melhorar honestamente a situação. Eis algumas formas de melhorar um relacionamento tenso:

  1. 1.

    Arranjar tempo para estarem juntos e conversar quando os pais não estiverem sob pressão.

  2. 2.

    Fazer com que os pais saibam que aprecia algo que eles fazem.

  3. 3.

    Tentar descobrir, silenciosamente, o que os pais estão fazendo; ajudá-los sem que lhe peçam.

  4. 4.

    Pedir desculpas, quando ofender um dos pais.

  5. 5.

    Estar sempre pronta a perdoar os pais por qualquer injustiça real ou imaginária (ver D&C 42:88; 64:9-10).

  6. 6.

    Orar juntos.

  7. 7.

    Manter o senso de humor.

Tópico 2 (para ser apresentado por uma jovem de dezessete anos ou por uma jovem adulta): “Como Posso Conquistar a Confiança de Meus Pais?”

As idéias a seguir, ou outras escolhidas pelos membros do painel, podem servir de base à apresentação:

  1. 1.

    Os pais amam os filhos e freqüentemente se preocupam com eles. Como resultado, podem negar-lhes permissão para fazer algo que lhes pareça ser perigoso ou imprudente.

    Os filhos devem ser compreensivos e fornecer aos pais informações suficientes a respeito de qualquer atividade que queiram realizar, para que os pais possam ficar sossegados ao dar permissão.

  2. 2.

    A confiança que os pais têm numa jovem relaciona-se com o desempenho dela. Quanto mais ela demonstrar que cumprirá sua palavra, quanto mais autodisciplina adquirir, menos restrições sofrerá. Muitas discórdias no lar são por causa de pequenas coisas, assim como tarefas domésticas, estudo, hora de voltar para casa. Se a jovem provar ser digna de confiança nestas coisas simples, tanto ela quanto seus pais acreditarão em seu senso de responsabilidade e maturidade.

Tópico 3. (para ser apresentado por uma mãe e uma jovem de quatorze anos): “Como Podemos Ajustar-Nos à Mudança em Nossas Relações?”

As idéias seguintes, ou outras sugeridas pelos membros do painel, podem servir de base às apresentações:

Mãe:

  1. 1.

    Os pais acostumam-se a ensinar e dar instruções específicas aos filhos e muitas vezes é difícil lembrar como algumas coisas são importantes para eles. “Pais, lembrem-se de quando eram jovens; lembrem-se por que desejavam fazer algumas coisas; lembrem-se de como ansiavam ser aceitos socialmente, de como eram sensíveis a críticas no momento errado, com que facilidade ficavam magoados, e como algumas coisas, que agora parecem menos importantes, eram tão importantes naquela época. Tudo isto pedimos que lembrem, como pais.” (Richard L. Evans, Improvement Era, junho de 1968, p.89.)

  2. 2.

    Pode ser difícil para os pais ver o filho crescer e tornar-se independente, mas o relacionamento entre pais e filhos em nível mais adulto pode trazer novo entusiasmo e felicidade.

Filha:

  1. 1.

    O desrespeito aos pais é doloroso. “Os pais…têm um coração que pode ser magoado;… eles, como vocês, são sensíveis a críticas fora de hora e a uma interpretação errada de seus motivos. Lembrem-se de que não existe nada, em retidão, que eles não fizessem por vocês”. (Richard L. Evans, Improvement Era, junho de 1968, p.90.) Debata como demonstrar respeito pelos pais durante este tempo de crescimento.

  2. 2.

    Sentimentos e emoções negativos podem ser controlados e não precisam ser descarregados sobre as pessoas da família. Os pais e filhos podem encontrar formas positivas de livrar-se de sentimentos e emoções negativos.

Mãe e filha:

Sugira como mães e filhas podem relacionar-se num nível mais adulto. “Eles (seus pais) são seus e vocês são deles, e juntos têm o privilégio, o direito, o dever de sentar-se e compartilhar idéias e considerar decisões, de modo que ambos possam ser ouvidos e respeitados — trabalhando, orando e planejando juntos a sua felicidade global — para sempre.” (Richard L. Evans, Improvement Era, junho de 1968, p.90.)

Conclua a lição, salientando que as mudanças nos sentimentos e atitudes experimentados pelas jovens e sua família durante a época do crescimento são normais. Fortes laços familiares podem ser forjados nessa época, por meio de compreensão e entendimento mútuos.

Aplicação da Lição

Sugira às alunas que usem suas anotações para debater seus sentimentos e necessidades pessoais com os pais.