Importância da Verdade Quando se Vive Virtuosamente

Moças – Manual 1, 1992


Objetivo

Ajudar cada aluna a compreender a importância da verdade, quando se vive virtuosamente.

Preparação

  1. 1.

    Preparar tiras de papel segundo a indicação contida na primeira parte da lição.

  2. 2.

    Preparar um cartaz da ilustração para o quadro-negro, como sugerido na segunda parte da lição.

  3. 3.

    Optativo: Preparar uma folha para ser distribuída como mostrado em “Aplicação da Lição”.

  4. 4.

    Se desejar, designe algumas jovens para apresentarem histórias, escrituras ou citações.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Podemos Saber a Verdade de Todas as Coisas

Preencher os espaços em branco Escreva no quadro-negro a seguinte sentença: “A________________ é o conhecimento das coisas como ___________________, como ________________ e como_______________”. Peça às alunas que consultem Doutrina e Convênios 93:24 e preencham os espaços em branco nesta definição de verdade. Depois que encontrarem as palavras que faltam, deverão marcar essa escritura. Peça a uma delas que leia a escritura em voz alta.

Apresentação pela professora

Referindo-se a Doutrina e Convênios 93:24, ajude as alunas a entenderem que a verdade eterna não muda. A verdade que Deus nos revelou aqui na terra é a mesma que foi ensinada na vida pré-mortal, e será a mesma eternamente. A verdade não se modifica.

Tira de papel Apresente a tira de papel: “A Verdade Não Muda”.

Debate com uso de escritura

• Como encontramos a verdade?

Peça à classe que procure e leia Tiago 1:5 e Jacó 4:13. Ressalte que Deus é a fonte de toda verdade. Podemos orar ao Pai Celestial e pedir-lhe que conheçamos a verdade. Aprendemos esta verdade por meio do Espírito.

Citação

O Presidente Kimball orientou-nos quanto à busca da verdade:

“Você pode saber. Não precisa ficar em dúvida…O procedimento necessário é: estude, pense, ore e aja…O Senhor prometeu repetidas vezes que lhe dará um conhecimento de coisas espirituais, quando você tiver uma disposição de espírito apropriada…`E pelo poder do Espírito Santo, podeis saber a verdade de todas as coisas’. (Morôni 10:5.)” (Spencer W.Kimball, “Verdade Absoluta”, A Liahona, julho de 1979, p. 8; grifo nosso.)

Debate

• Quais são os quatro passos sugeridos pelo Presidente Kimball para levar-nos à verdade?

Enquanto as alunas forem respondendo, coloque as tiras com os dizeres correspondentes: “Podemos Saber a Verdade, se: `Estudarmos’, `Ponderarmos’, `Orarmos’ e `Agirmos’.” Use as seguintes escrituras para ajudar as jovens a saberem como aplicar esses pontos.

  1. 1.

    Estudar. (João 5:39.)

  2. 2.

    Ponderar. (3 Néfi 17:2-3; Morôni 10:3; D&C 88:62-63.)

  3. 3.

    Orar. (Jeremias 29:12-13; Alma 5:45-46; Morôni 10:4.)

  4. 4.

    Agir. (João 7:16-17.)

História

Élder Richard G. Scott narra a seguinte história:

“O Senhor nos concede a verdade, quando vivemos retamente. Às vezes ela chega como resposta a uma oração sincera e urgente, que nos ajuda quando necessitamos de orientação. Lembro-me de uma noite no campo missionário…Tive uma forte sensação de que um dos missionários estava em apuros. Tentei mentalizar quem seria, mas não consegui. Dirigi-me ao sótão da casa da missão e durante toda a noite meditei, examinando mentalmente todas as duplas, tudo o que sabia a respeito de cada um dos missionários, e supliquei ao Senhor que me indicasse onde estava o missionário que precisava de ajuda. Finalmente, ao amanhecer, consegui sentir em que parte da missão ele vivia…Fui para lá e, por meio de entrevistas, descobri e ajudei a pessoa que o Senhor queria que ajudasse. Sim, Deus responde às orações e nos concede a verdade, quando vivemos obedientemente e exercemos o requisito da fé” (Richard G. Scott, “Truth”, em Speeches of the Year, 1978; [Provo: Brigham Young University Press, 1979], p.101).

Debate

Mencione como o presidente de missão aplicou os quatro passos identificados pelas tiras de papel. Saliente que o Senhor usou uma “sensação” para conferir a ajuda necessária, e que o presidente da missão precisou pensar, examinar os dados conhecidos em sua mente, e suplicar ao Senhor, para saber o que deveria fazer.

História

Relate a seguinte experiência do Presidente Joseph F. Smith:

“Quando ainda jovem…pedia freqüentemente ao Senhor que me mostrasse alguma coisa maravilhosa para que pudesse receber um testemunho. Ele, porém, ocultou as maravilhas de mim, e mostrou-me a verdade, mandamento, regra sobre regra, um pouco aqui, e um pouco ali, até conhecê-la toda, da cabeça aos pés, e até que em meu ser não houvesse mais qualquer dúvida ou temor…Através dos sussurros daquela voz mansa do Espírito do Deus vivo, deu-me o testemunho que possuo. E por intermédio desse princípio e poder ele dará a todos os filhos dos homens um conhecimento da verdade, que permanecerá com eles, e os fará conhecê-la como Deus a conhece, e a cumprir a vontade do Pai, assim como Cristo a cumpre.” (Joseph F. Smith, Doutrina do Evangelho, p. 6.)

Sumário

Resuma rapidamente esta parte da lição, voltando a referir-se às tiras de papel.

Podemos Construir uma Vida Virtuosa sobre o Fundamento da Verdade

Debate com uso de escritura

Leia e marque as escrituras relacionadas abaixo. Use-as como base para o debate, ajudando as jovens a compreenderem os seguintes pontos:

  1. 1.

    Moisés 5:58; Moisés 5:12. A verdade do evangelho foi ensinada a Adão e Eva, que a ensinaram aos filhos.

  2. 2.

    Moisés 5:13. Satanás surgiu entre os descendentes de Adão, enganando muitos deles com suas mentiras. “Os homens que rejeitam Deus, colocam-se sob a influência de Satanás. Nessa condição, logo perdem o conhecimento de Deus e tornam-se carnais, sensuais e diabólicos.” (Marion G. Romney, “Truth and Knowledge”, em Speeches of the Year 1977, [Provo: Brigham Young University Press, 1978], p. 63.)

Cartaz ou apresentação com uso do quadro-negro

Explique-lhes que uma das coisas que viemos aprender aqui é reconhecer a verdade para podermos escolher o bem no lugar do mal. Precisamos compreender que Satanás fará tudo o que estiver em seu poder para enganar-nos e levar-nos a ser “carnais, sensuais e diabólicos”. (Prepare o seguinte cartaz, ou faça-o no quadro-negro.)

arrow paths

Debate

Referindo-se ao cartaz, faça as seguintes perguntas à classe:

  • Qual é nossa condição, quando chegamos à terra, por ocasião de nosso nascimento?

  • Enquanto crescemos, e começamos a estabelecer relacionamentos, qual dos dois caminhos nos leva aos desígnios de Satanás?

  • Que tipo de comportamento nos levará pelo caminho que conduz à verdade de Deus?

  • Que caminho representa como é realmente a vida, eternamente?

  • Que caminho é uma mentira?

Escrituras

Explique-lhes que o Pai Celestial nos deu uma chave para distinguirmos o bem do mal e reconhecermos sua verdade. Peça às jovens que leiam e marquem Morôni 7:15-17. Quando nos defrontamos com uma escolha ou desejamos saber se uma coisa é boa ou má, podemos perguntar a nós mesmas:”Isto me leva a fazer o bem? Fortalecer minha fé em Cristo?”

História

Peça às alunas que procurem e leiam juntas João 8:32. Depois, conte-lhes as histórias a seguir. (Essas histórias irão ajudar as jovens a compreender a importância da verdade, como reconhecê-la e como agir baseando-se nela.)

Ana enfrentou uma situação difícil num namoro. Ela gostava muito de um rapaz que não era membro da Igreja. “Lembro-me de orar para saber se ele era a pessoa certa para mim e, quando recebi a resposta, não quis aceitá-la. Sentia que, se terminasse nosso namoro, jamais encontraria outro rapaz que me agradasse. Lutei contra as respostas às minhas orações, mas reconhecia que estavam certas. Em meu coração eu sabia o que fazer. Sabia que, se continuasse com aquele namoro, ele me levaria para longe do lugar para o qual deveria ir. Resisti muito, mas finalmente arranjei coragem para seguir a inspiração que recebera em minhas orações. Sei que o Pai Celestial nos ama e sofre conosco quando precisamos efetuar escolhas difíceis”.

Debate

• Como Ana aprendeu a verdade a respeito de sua relação com aquele rapaz?

• O que poderia ter acontecido, se Ana houvesse negado a verdade e continuado a crer que aquele relacionamento era bom para ela?

• Como a verdade e a obediência a ela libertaram Ana?

• Qual dos dois caminhos representados no cartaz Ana seguiu?

História

Gina estava sendo entrevistada pelo bispo. Ele lhe fez uma pergunta a respeito de um mandamento específico. Quando ele descreveu o comportamento que devia acompanhar o cumprimento daquele mandamento, Gina percebeu que fizera uma coisa errada. Seu coração começou a bater com mais força e suas mãos ficaram úmidas. Ela poderia ter murmurado um “Sim”, e deixar toda a coisa como estava, passando às outras perguntas – ou podia admitir o problema.

Debate

Debata as escolhas que seriam auto-indulgentes e as que exigiriam autodisciplina.

• O que poderia acontecer, se Gina ignorasse os murmúrios do Espírito Santo e decidisse mentir? Em que caminho ela estaria?

Citação

Leia a seguinte descrição das conseqüências da mentira. “Nenhum mentiroso jamais será totalmente livre. Somente quem carrega ou já carregou esse pesado fardo consegue compreender essa declaração. Devemos ter sempre em mente que o errado não é certo apenas porque muitos o fazem.Uma coisa errada não é certa só porque ninguém sabe”. (Marvin J. Ashton, “Isso Não É Mau”, A Liahona, julho de 1982, p.16.)

Diga que Satanás tenta ativamente enganar-nos. Se desejamos escapar de seus caminhos, precisamos ter coragem de fazer o que sentimos ser o certo.

Conclusão

Explique-lhes que, se estudarmos, ponderarmos, orarmos e agirmos diligentemente, edificaremos nossa vida numa base segura da verdade do evangelho. Compreenderemos os princípios do evangelho, e o Senhor nos apoiará em todas as provações, dores e escolhas difíceis ao nos esforçarmos em segui-los. Obedecendo à verdade, nós nos livraremos da culpa, da mágoa e do pecado. Seremos livres para viver virtuosamente e experimentaremos a alegria eterna, pois “a verdade permanece para sempre” (D&C 1:39).

Aplicação da Aula

Entregue às alunas as folhas que preparou. Peça-lhes que o usem para distinguir o bem do mal, a verdade do erro, antecipando o resultado de seu comportamento, o qual poderá levá-las para perto ou mais longe do Senhor.