Capacidade para Ser Bem Sucedida

Moças – Manual 1, 1992


Objetivo

Ajudar cada aluna a saber que tem capacidade para ser bem sucedida.

Preparação

  1. 1.

    Providenciar papel e lápis para todas as alunas.

  2. 2.

    Se desejar, designe algumas jovens para apresentarem escrituras, histórias ou citações.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Introdução

Citação

Leia a seguinte citação:

“Uma das maiores fraquezas de todos nós é a falta de fé em nós mesmos. Uma de nossas falhas mais comuns é depreciar nosso tremendo valor.” (L. Tom Perry, “Be The Best of Whatever You Are”, em Speeches of the Year, 1974, [Provo: Brigham Young University Press, 1975], p.77.)

Atividade

Dê papel e lápis a cada aluna. Peça-lhes que façam uma lista daquilo que não gostam a respeito de si mesmas. Esta lista só será vista pela própria jovem; não precisará mostrá-la a ninguém. Diga-lhes que risquem quaisquer necessidades materiais das listas, as quais não podem ser obtidas imediatamente com seu salário ou mesada atual. Peça-lhes que eliminem da lista todos os atributos físicos que não podem mudar (por exemplo, altura, cor dos olhos, forma do queixo, tamanho dos pés). Diga-lhes que examinem suas listas novamente. Provavelmente perceberão que pouco restou. Nessa sobra talvez estejam incluídos atributos espirituais, traços de caráter e personalidade, e problemas físicos que podem ser resolvidos por meio de um regime ou de cuidados estéticos.

Apresentação pela professora

Explique-lhes que muitas coisas que não apreciamos em nós mesmas não podem ser mudadas. Quando as aceitamos como características nossas, podemos dirigir nosso tempo, energias e atenção para áreas onde o progresso é possível. Esta aula focalizará áreas onde podemos melhorar, aumentando nossa capacidade de obter sucesso.

Não Devemos Subestimar-nos

Apresentação pela professora

Todos os dias enfrentamos nossas próprias características e atributos. Muitas vezes nos julgamos comparando-nos com aqueles que vemos. Infelizmente costumamos pensar somente na força dos outros e em nossa fraqueza. Desejamos ser tão altos quanto, tão magros quanto, tão bem vestidos quanto, tão bonitos quanto, tão talentosos quanto, tão espertos quanto, tão espiritualizados quanto —- e a lista se alonga em nossa mente. Todas as vezes que nos vemos de modo tão limitador e irrealístico, prejudicamos nossa auto- estima e deixamos de receber os benefícios de nossos talentos. Podemos especialmente prejudicar nossa própria auto-imagem, quando observamos atentamente que nosso grupo tem padrões sólidos e sentimos que não estamos agindo de acordo com eles.

Citação

Leia a seguinte citação:

“Uma auto-imagem superficial não é melhorada deixando que outros estabeleçam nossos padrões e sucumbindo habitualmente às pressões de grupo. Os jovens costuman depender demasiadamente da imagem de outro alguém em lugar da própria”, (James E. Faust, A Liahona, agosto de 1981, pag. 12).

Debate

Peça às jovens que pensem nas listas que fizeram das coisas que não gostam em si mesmas.

• Por que às vezes exageramos nossas próprias fraquezas?

• Como a baixa auto-estima pode empanar nossos talentos, nossas atividades na Igreja e nossas oportunidades de liderança?

Citação

Leia a seguinte citação do Élder Marvin J. Ashton:

“Uma sábia professora e presidente da Sociedade de Socorro da estaca projetou numa ampla tela a foto de um menino de cabelos revoltos e braços cruzados, em profunda reflexão. A legenda dizia: Sei que sou alguém, porque Deus não faz refugo.’ Gostaria de repetir ` Sei que sou alguém, porque Deus não faz refugo`…

Todo ser humano, independente de sua condição, necessita de ajuda para edificar o respeito próprio e a autoconfiança…A imagem que uma pessoa faz de si mesma não é nem mais nem menos do que aprendeu por experiência e por sua interação com os semelhantes. É compensador perceber que alguém ajudou um menino comum a desenvolver sua identidade pessoal. Alguém, talvez a mãe, uma professora da Primária, um vizinho ou até mesmo uma música como ‘Sou um filho de Deus’, fez com que o menino percebesse que não era nenhum refugo, que tinha valor. Sabia que não era um caso perdido, que era um ser humano amado pelo Pai Celestial” (“Dar com Sabedoria, para que Possam Receber com Dignidade”, A Liahona, fevereiro de 1982, p. 159).

• Em que baseamos a imagem que fazemos de nós mesmas?

Élder Ashton explica-nos que a imagem que uma pessoa tem de si mesma baseia-se em suas próprias experiências, assim como em sua interação com os outros. O respeito próprio pode ser afetado tanto pelo que percebemos a respeito de nós mesmas, quanto pelo que os outros dizem de nós.

Ao ouvirem a seguinte citação, as meninas deverão perceber algumas coisas que podem afetar a imagem que têm de si próprias.

Citação e debate

“O valor da fé em Deus e o da virtude são freqüentemente rejeitados como sem nenhum valor. Este é um rumo destinado ao fracasso, pois não leva em conta a enorme importância das coisas subjetivas que podemos conhecer, mas não medir. Por exemplo, eu amo minha mulher e minha família, e sinto que eles me amam. É impossível medir-se a profundidade do amor que sentimos uns pelos outros, mas para nós ele é muito real. A dor é igualmente difícil de medir, apesar de ser real. O mesmo se dá com a fé em Deus. Podemos reconhecer sua existência sem sermos capazes de medi-la quantitativamente. Paulo afirma: `O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.’” (Romanos 8:16), (James E. Faust, A Liahona, agosto de 1981, pág. 12).

Peça às jovens que pensem no que o Élder James Faust disse sobre as coisas que são difíceis de medir em nós mesmos. Aliste as respostas no quadro-negro.

• Quais são algumas influências que poderão afetar suas opiniões a respeito de si próprias. Algumas respostas poderão incluir:

  1. 1.

    A compreensão de nossa natureza divina como filhas de Deus.

  2. 2.

    Como nossos pais se dirigem a nós.

  3. 3.

    Como nossos amigos leais reagem a nós.

  4. 4.

    Como os professores se conscientizam de nosso desempenho escolar.

  5. 5.

    Os sucessos e os fracassos que experimentamos.

Citação e debate

Eleanor Roosevelt foi considerada muito perspicaz por ter dito: “Ninguém pode fazê-la sentir-se inferior sem seu consentimento.” (“Points to Ponder,”Reader’s Digest, fevereiro de 1963, p. 261.)

• Por que às vezes permitimos que as pessoas nos façam sentir inferiores? (Porque freqüentemente estamos prontos a acreditar no pior sobre nós mesmos, e esquecemos nossa força e nosso potencial; porque nos preocupamos demais com as opiniões alheias.)

• Como podem evitar ter opiniões desagradáveis a respeito de si mesmas?

Se as jovens tiverem dificuldade em responder a esta pergunta, deixe que meditem um pouco no assunto. O restante da lição contém sugestões que as ajudarão a responder.

A Atitude a Respeito de Nós Mesmas Nos Ajuda a Sermos Bem Sucedidas

Apresentação pela professora

Explique-lhes que nem todas temos os mesmos talentos, habilidades ou potencial, mas cada uma tem algo que faz bem feito. Precisamos procurar nossas qualidades características e usá-las. Precisamos ter autoconfiança suficiente para podermos progredir. Podemos iniciar pensando que podemos ser bem sucedidas.

Citação

“Os pensamentos têm muito a ver com a maneira como vivemos, com o fato de sermos entusiastas ou negativistas, de obtermos sucesso ou experimentarmos certo grau de insucesso, de termos espiritualidade ou falta dela, e, em muitos aspectos, creio que com o fato de sermos ou não obedientes às leis de Deus. Alguns behavioristas (N. do T. - estudiosos do comportamento) modernos indicaram que o processo do pensamento humano é muito semelhante à operação de um computador, no que concerne ao consciente e ao subconsciente. O que é colocado para dentro tem muito a ver com o que sai, em termos de atitude, humor e comportamento.” (Dean L. Larsen, “Thoughts about Thoughts”, Speeches of the Year, 1976, [Provo: Brigham Young University Press, 1977], p. 116.)

• Como se modificaria sua vida, se conscientemente resolvessem ter apenas pensamentos positivos a respeito de si mesmas, durante certo tempo?

• Como colocamos pensamentos positivos em nosso consciente?

Explore possíveis técnicas. Por exemplo, conversar de maneira positiva consigo mesma, encorajar-se com sugestões positivas como: “Você pode conseguir!”

Os seguintes casos mostram como os pensamentos podem influenciar nossa habilidade de sermos bem sucedidas.

Estudo de caso 1

A mãe de Cida estava correndo para servir o jantar às dezoito horas, pois tinha uma reunião às 19h30. Cida estava pensando em uma tarefa na escola no dia seguinte, enquanto arrumava a mesa. A mãe gritou da cozinha: “Depressa, Cida, você é tão lerda!” Havia tempos que Cida ouvia seguidamente o comentário de que era lenta, e estava começando a acreditar nele. “Acho que sou lerda”, pensou.

Debate

• Como Cida poderia transformar sua reação negativa em uma reação mais positiva?

Estudo de caso 2

Suzana começou a ter aulas de violino com uma vizinha que era professora. Sentia-se muito desajeitada segurando o arco e o violino, e disse à professora que achava que não ia sair-se muito bem. Esta assegurou-lhe que, com a prática, iria sentir-se muito mais à vontade, mas Suzana achava que nunca conseguia aprender, e logo parou completamente de estudar.

Debate

• Como reagirá a professora de Suzana, quando ela comparecer à próxima aula?

• Esta reação confirmará a idéia de Suzana de que é incapaz de aprender?

• Qual o problema real de Suzana - falta de talento musical, ou uma atitude negativa a respeito de si mesma?

• Como a própria Suzana determinou o resultado de suas aulas de violino?

Estudo de caso 3

Bete trabalhou até tarde da noite para terminar uma apresentação oral que teria de fazer na escola no dia seguinte. Quando leu o trabalho para sua mãe, antes de sair para a escola, perguntou: “Meu trabalho está muito bom, você não acha?” A mãe respondeu que o trabalho estava muito bom, porque ela se esforçara para prepará-lo.

Debate

• Como a atitude de Bete, apoiada pela aprovação da mãe, afetará sua apresentação na escola?

• O que poderia ter acontecido, se ela não tivesse gasto tempo preparando o trabalho? Como teria se sentido a respeito de si mesma?

Apresentação pela professora

Explique-lhes que muitos fatores podem afetar a auto-estima. O mais importante de todos, porém, é nossa própria atitude. Somos responsáveis. Podemos deixar que os pensamentos negativos nos derrotem, ou podemos ter pensamentos positivos que nos ajudem a vencer. Sabemos que somos literalmente filhas espirituais de pais celestes, e que nossa capacidade de crescer em muitas áreas é ilimitada. Se decidirmos, poderemos melhorar nossa aparência pessoal, desenvolver talentos e conhecimento, e aumentar o interesse e o amor a nossos semelhantes.

Citação

Nascemos para vencer, e devemos pensar positivamente, usando a medida divina pela qual estaremos medindo a nós mesmas, como declara a seguinte citação:

“A dignidade do eu é grandemente intensificada olhando-se para o alto em busca de santidade. Assim como a árvore gigante, devemos estender-nos em busca de luz. A mais importante fonte de luz que podemos vir a conhecer é o dom do Espírito Santo. Ele é a fonte de força e paz interior. Tenho visto a dignidade e o valor próprio do homem eloqüentemente expressos na vida dos mais humildes, na vida de pobres como na vida de instruídos e abastados” (James E. Faust, A Liahona, agosto de 1981, p. 14).

Conclusão

Diga-lhes que há ocasiões em que nos sentimos, de alguma forma, menos capacitados do que outras pessoas. Precisamos comparar-nos com nós mesmas, em nossa melhor forma, procurando melhorar no que estiver ao alcance de nossas possiblidades. Um dos maiores desafios é vencer o sentimento de que não somos importantes. Nossa vida tem um propósito. Nascemos para vencer e para nos tornarmos como Deus.

Aplicação da Lição

  1. 1.

    Treinem aceitar elogios, dizendo simplesmente “Obrigada”. Não façam comentários negativos como “Oh, este vestido é velho!” ou “Não sei cantar”, ou “Não acho que meu cabelo esteja assim tão bem penteado”. Não é convencimento aceitar elogios merecidos.

  2. 2.

    Examinem a lista feita no início da aula. Escolham um item que possa ser mudado e comecem a melhorar esse atributo pessoal.