Encorajar o Desenvolvimento de Talentos

Moças – Manual 1, 1992


Objetivo

Ajudar cada jovem a apreciar e estimular o desenvolvimento de seus próprios talentos e dos de seus familiares.

Preparação

  1. 1.

    Pintura de Vincent Van Gogh (23), encontrada no final do livro.

  2. 2.

    Providenciar lápis e papel para todas as jovens.

  3. 3.

    Optativo: Providenciar objetos que possam ser escondidos em cada aluna, como um pedaço de barbante, agulha, alfinete, linha, arame, botão, lápis, bobe de cabelo.

  4. 4.

    Faça uma lista dos objetos escondidos em cada jovem.

  5. 5.

    Se desejar, designe algumas jovens para apresentarem escrituras, histórias ou citações.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Introdução: Objetos Escondidos

Jogo (Optativo)

Quando cada uma das alunas entrar na classe, leve-a a um canto e coloque nela um dos objetos trazidos para a aula. Coloque-o num lugar visível, mas discreto (por exemplo, coloque um fio de linha no ombro de uma menina, enfie um grampo numa casa de botão, coloque um lápis sobre a orelha).

Entregue a cada uma das alunas uma lista dos objetos que estão escondidos. Peça-lhes que os localizem e risquem em sua lista aqueles que forem sendo encontrados. Conceda dois minutos às jovens para silenciosamente fazerem a busca; depois, verifique quais os objetos que foram ou não localizados. À medida que os objetos forem sendo mencionados, remova-o da jovem e guarde-o. Talvez restem dois ou três. Mostre onde estão.

Debate

Debata como a busca desses objetos se assemelha à descoberta de talentos.

  • Como nossos talentos podem ser reconhecidos?

  • É possível que nossos talentos estejam bem à vista, mas que nos passem despercebidos?

  • Como podemos deixar de reconhecer um talento?

  • Por que podemos ter certeza de que todos temos talentos?

  • Por que alguns talentos são tão difíceis de encontrar?

  • Por que devemos procurá-los até encontrá-los?

Explique-lhes que todas as pessoas receberam dons e talentos de nosso Pai Celestial. Às vezes alguns desses dons e talentos estão bem escondidos e é difícil encontrá-los. Quando um talento é descoberto, é importante que o desenvolvamos, caso contrário poderá perder-se.

Lembre às alunas que os talentos nem sempre são extraordinários, nem sempre são grandes, muitas vezes são difíceis de encontrar, ou de se notar; outras vezes são totalmente ignorados, e, na maioria dos casos, são úteis e proveitosos às outras pessoas.

Todos Recebem Dons do Pai Celestial

Quadro-negro

Escreva o seguinte pensamento na parte de cima do quadro-negro e deixe-o bem visível durante todo o transcorrer da lição: “Somos filhos espirituais de nosso Pai Celestial, e cada um de nós recebeu um dom pelo Espírito de Deus”. Peça às alunas que repitam a frase em voz alta e em conjunto depois de escrevê-la no quadro-negro.

Debate com uso de escrituras

Explique-lhes que, nestes últimos dias, o Senhor nos deu muitas orientações a respeito de talentos.

Ao ler e debater as seguintes escrituras, peça à classe que as sublinhe em seus livros e cruze as referências.

Solicite a uma jovem que leia Doutrina e Convênios 46:11-12. Debata o significado da palavra dom e o motivo pelo qual o Senhor nos dá esses talentos.

Peça a outra aluna que leia Doutrina e Convênios 82:18. Debata o que o Senhor nos revela nesta escritura a respeito do uso de talentos.

Leia Doutrina e Convênios 82:2-3 e debata as implicações desta escritura no uso que fazemos de nossos talentos.

Em Doutrina e Convênios 60-13, o Senhor se dirige a dois dos primeiros missionários da Igreja. Solicite a outra aluna que leia a escritura, para que depois a classe explique a semelhança existente entre a indolência e o fato de enterrarmos talentos.

• Após ler essas quatro escrituras, como se sentem a respeito da obrigação de descobrir, desenvolver e usar seus talentos?

Enquanto apresenta as situações a seguir, as jovens deverão pensar em algumas formas de descobrir talentos.

  1. 1.

    Cíntia achava que estava preparada para receber sua bênção patriarcal. Enquanto o patriarca lhe dava a bênção, ficou surpresa ao ouvi-lo dizer que possuía um grande talento para ensinar.

  2. 2.

    Sara interessou-se muito pelo desafio que a irmã Helena fez à classe, de descobrirem e começarem a desenvolver seus talentos para servir.

  3. 3.

    Paula estudava piano havia apenas dois anos, quando foi chamada para ser pianista da Primária. Uma tarde, logo após haver sido chamada para aquela nova posição, ela sentou-se ao piano e ficou meditando no quanto detestava exercitar-se. Lembrou-se então de que quando o bispo a designara, prometera-lhe que, se continuasse a desenvolver seu talento para tocar piano, teria oportunidade de influenciar muitas pessoas no reino de Deus, compartilhando sua música edificante.

  4. 4.

    A professora de Marina pediu-lhe que se encarregasse da aula de trabalhos manuais de sua classe. Em sua vida, ela jamais havia realizado qualquer tipo de trabalho manual, mas para sua surpresa, quando começou a reunir idéias e fazer alguns deles, descobriu que gostava da tarefa.

Debate

Converse sobre alguns meios pelos quais podemos descobrir nossos talentos, e depois debata as seguintes questões concernentes às experiências pessoais das alunas.

• Quais são alguns talentos que reconheceram em si próprias ou em amigas?

• Por que não é suficiente apenas descobrir talentos?

O Incentivo Positivo Estimula o Desenvolvimento de Talentos

História

Apresente a reprodução do quadro de Van Gogh que se encontra na última parte do livro, e relate alguns traços biográficos do artista:

Vincent Van Gogh, nascido na Holanda há mais de cem anos (1853), teve uma vida muito turbulenta e triste. Não fosse por seu irmão mais novo, Theo, ele talvez não se teria tornado um pintor famoso. Theo acreditava no irmão, e sua fé sustentou Vincent. Além de confiar na aptidão do irmão, Theo fornecia-lhe tintas, telas, alimento e moradia, quando o pintor não tinha meios de consegui-los. Theo era constante, enquanto outros não tinham fé em Vincent. A influência de Van Gogh espalhou-se universalmente por todo o mundo da arte. Suas pinturas se encontram expostas nas principais galerias de arte e museus do mundo.

Observação para Lembre-se de que a vida de Van Gogh não foi exemplar. Se alguma jovem mencioar esse fato, explique-lhes que este debate focalizava o desenvolvimento de seus talentos e o apoio que ele recebeu, na vida particular.

Apresentação pela professora

Explique-lhes que muitos de nós, como Van Gogh, têm talentos que precisam ser desenvolvidos, mas sem ajuda e estímulo das pessoas que nos cercam, talvez jamais cheguemos a fazê-lo.

Cada uma de nós pode ter um Van Gogh na família, a quem poderíamos ajudar por meio de apoio e incentivo.

Citação

A filha do Presidente Harold B.Lee, Helen Lee Goates, comentou:

“‘Com que cuidado (nossos pais) alimentaram aquilo que sentíamos sobre nós mesmas! Quando ainda na infância, lutávamos para dominar um instrumento musical e nos sentíamos desanimadas, comtemplando um possível fracasso, éramos encorajadas regularmente pela atitude positiva de meu pai e minha mãe, que demonstravam achar que éramos as melhores musicistas do mundo. Durante os anos desejados da adolescência, com suas inseguranças e ameaças diárias à auto-estima, éramos sempre lembradas de que meu pai e minha mãe nos amavam, e que estavam convencidos de que éramos as jovens mais adoráveis e charmosas que tinham visto. Sábios que eram, como pais, devem ter sabido que, se colocassem esse tipo de imagem diante de nós, esforçarnos-íamos por ser o que desejavam que fôssemos e o que sabiam que nos poderíamos tornar’” (em Neal A. Maxwell, That My Family Should Partake, [Salt Lake City: Deseret Book Co., 1974], pp. 56-57).

• Como as jovens poderiam aplicar este princípio de incentivo em seu relacionamento com outros membros da família?

Conceda tempo para as alunas debaterem experiências, boas ou más, que tiveram com talentos de seus familiares. Procure salientar que precisamos apenas de um incentivo positivo para que nos sintamos estimulados a desenvolver qualquer talento. Se desejar, ajude as alunas a compararem a história de Van Gogh à da irmã Goates, para mostrar a influência que cada pessoa da família pode ter sobre o talento de uma outra.

Debate

• Como seus atos e atitudes em casa podem influenciar no fato de seus irmãos e irmãs desenvolverem ou não seus talentos?

• Por que uma pessoa desistiria de si mesma e de seus talentos?

Atividade

Distribua lápis e papel às alunas. Peça-lhes que dobrem a folha de papel no sentido do comprimento, formando três colunas e escrevendo “Nome de pessoa da família” na primeira coluna, “Talentos” na segunda, e “ Que posso fazer?” na terceira.

As jovens devem escrever os nomes de seus familiares na coluna da esquerda, deixando um bom espaço entre eles. Sugira que meditem profundamente nos talentos que as pessoas de sua família possam ter. Diga-lhes que escrevam na segunda coluna os talentos atuais e os prováveis. Debata como as alunas podem auxiliar seus familiares; isto será escrito na última coluna. Estimule as alunas a porem em prática as idéias que registraram no papel, para desenvolver os talentos de seus familiares.

Nome da pessoa da família

Talentos (atuais e possíveis)

O que posso fazer?

João

Atletismo
Matemática
Canto

Fazer ginástica junto com ele. Pedir-lhe que me ensine matemática. Elogiá-lo com freqüência quando se sai bem. Cantar com ele.

Sandra

Corrida
Costura
Desenho

Ajudar a cronometrar suas corridas. Elogiá-la quando costumar, correr e desenhar. Ajudá-la quando me pedir.

Conclusão

Debate

• Se um de seus familiares a ajudasse a alcançar ou realizar algo com que sempre sonhou, quais seriam os seus sentimentos com relação a essa pessoa?

Debata como podemos beneficiar-nos com os talentos uns dos outros. Peça às alunas que relatem quaisquer experiências que tenham tido em que alguém da família ajudou a desenvolver o talento de alguém.

Apresentação pela professora

Explique-lhes que muitos de nós subestimamos o poder de fazer o bem que uma pessoa possui. Se nos empenhássemos em ajudar os membros de nossa família a descobrirem e desenvolverem talentos, veríamos que o amor que lhes dedicamos cresce e desenvolve-se juntamente com seus talentos. Descobriríamos que há muitos tipos de talentos e que nem sempre é fácil encontrá-los, mas se perseverarmos, teremos sucesso e ajudaremos nossos familiares a serem bem sucedidos e felizes nesta vida e na eternidade.