• Home
  • LDS.org
  • Ser Portador de uma Recomendação para o Templo Atualizada

Ser Portador de uma Recomendação para o Templo Atualizada

 

Mensagem de Liderança da Área

Pelo Elder Manfred Schütze, Alemanha

Setenta de Área


Nos meses que antecederam a abertura do Templo de Freiberg, em 1985, como presidente de estaca, tive o dever particularmente sagrado de entrevistar para o templo cerca de 350 membros fiéis da Alemanha Oriental. Embora muitos já fossem membros da Igreja há muitas décadas, as circunstâncias políticas até então não lhes haviam permitido entrar no templo. A abertura do Templo de Freiberg significava a primeira visita ao templo para quase todos eles – a primeira oportunidade para realizar ordenanças sagradas para si próprios e para as suas famílias. Das muitas experiências espirituais que tive na condução dessas entrevistas, há uma que me recordo em particular, e que ainda está viva para mim passados estes mais de 25 anos.

O irmão Karl Pabst tinha sido um membro fiel e forte durante toda a sua vida. Na primavera de 1985, ele estava confinado à sua cama devido a uma doença grave e sentia que a sua vida estava prestes a terminar. Eu tinha chegado para o entrevistar para o templo. Ele olhou para mim com tristeza, e com lágrimas nos olhos disse: “Eu não vou conseguir ir ao templo, mas queria tanto ir.” A minha resposta foi breve: “Irmão Pabst, eu quero que entre no mundo vindouro como um servo de Deus digno de entrar no templo.”

Realizámos uma entrevista onde todas as perguntas foram cuidadosamente formuladas. De seguida preenchi uma recomendação para o templo em seu nome. Ele nunca teve a oportunidade de usar, pois faleceu antes da dedicação, mas os seus familiares dignos realizaram todas as ordenanças que lhe faltavam após a abertura do templo.

É um privilégio ser portador de uma recomendação para o templo e devemos usá-la para frequentar o templo sempre que as nossas circunstâncias o permitirem. Regozijamo-nos com o número de jovens que são dignos de possuir uma recomendação para o templo e que vão para o templo regularmente para realizar batismos pelos mortos.

Ser portador de uma recomendação para o templo reflete o nosso compromisso pessoal para com o evangelho. No templo, servimos com outros membros que têm um elevado padrão de conduta e que se esforçam seriamente por viver dignamente e manter os convénios que fizeram. Sempre que vamos ao templo somos edificados à medida que desfrutamos da atmosfera especial sentida no templo com aqueles que ali servem.

Um desses membros era uma irmã da região de Chernobyl, na Ucrânia. Ela tinha viajado muitas horas de autocarro até chegar ao templo e não estava bem de saúde em virtude do desastre ocorrido naquela cidade com o reator nuclear, sendo que o seu marido havia morrido logo após da catástrofe. Ela tinha ouvido falar do plano de salvação por meio dos missionários, foi batizada e só tinha um desejo: o de receber as ordenanças de salvação para si mesma e ser selada ao seu marido. Foi isso que aconteceu. Ela apenas conseguiu participar de outras duas sessões no templo durante a sua estadia de uma semana. Logo após o seu regresso a casa, ela morreu, mas tudo o que era essencial já havia sido feito!

Devemos fazer tudo o que pudermos com vista a obter e a manter uma recomendação para o templo, e resolver rapidamente qualquer coisa que possa estar a impedir-nos de a obter, seja por falta de dignidade ou por indiferença. Mesmo se as suas circunstâncias pessoais ou familiares o estejam a impedir de frequentar o templo regularmente deve, no entanto, possuir sempre uma recomendação para o templo. Ela atesta que está a viver em harmonia com as leis essenciais do evangelho. Este conhecimento traz-lhe autoconfiança e segurança de que está no caminho certo e também o incentiva a manter-se digno.

No templo, recordamos os nossos familiares que já morreram. As ordenanças realizadas no templo são válidas na eternidade. Essas ordenanças são essenciais para aqueles que já partiram desta vida, e nós somos abençoados à medida que realizamos este trabalho vicário em seu nome. Ao servirmos os nossos antepassados estamos a seguir o exemplo do Salvador, que sempre se interessou por cada indivíduo: “E ele curou a todos...” (3 Néfi 17:9).

Que bênção maravilhosa poder participar nesta grande obra! Convido cada um de vós, inclusive os nossos jovens, moças e rapazes, a fazer parte dela possuindo sempre uma recomendação para o templo atualizada.