• Home
  • Concurso de Vídeos
  • Guiados por Inspiração

Guiados por Inspiração

Os profetas e apóstolos ensinam que a sobrevivência no mundo hoje depende da capacidade de seguir os sussurros do Espírito Santo. Quem confia no Senhor e é guiado por inspiração vai encontrar soluções que são urgentemente necessárias.

“Quando vocês foram confirmados membros da Igreja, receberam o direito de ter a companhia do Espírito Santo”, lembrou o Presidente Thomas S. Monson a todos os membros da Igreja. “Ele pode ajudá-los a fazer boas escolhas. Quando forem desafiados ou tentados, não precisam sentir-se sozinhos. Lembrem-se de que a oração é o passaporte para o poder espiritual.”

Ele também aconselhou: “Façam com que todas as decisões que pretendem tomar passem no seguinte teste: Como me benificiará? Como me afetará? E que seu código de conduta não enfatize a pergunta: ‘O que os outros vão pensar?’ mas, sim: ‘O que vou pensar de mim mesmo?’ Sejam influenciados pela voz mansa e delicada. Lembrem-se de que alguém, com autoridade, impôs as mãos sobre sua cabeça no momento de sua confirmação e disse: ‘Recebe o Espírito Santo’. Abram o coração, sim, a própria alma, para o som daquela voz especial que testifica a verdade.”

Um Padrão a Seguir

O Presidente Henry B. Eyring, quando servia como Segundo Conselheiro na Primeira Presidência, disse que “o Pai Celestial concedeu-nos um meio simples para termos a companhia do Espírito Santo, não apenas uma vez, mas continuamente, em nosso cotidiano agitado. Esse método é repetido na oração sacramental. Prometemos recordar sempre o Salvador, tomar Seu nome sobre nós e guardar Seus mandamentos. E recebemos a promessa de que, ao fazer essas coisas, teremos Seu Espírito conosco (ver D&C 20:77, 79). Essas promessas se entrelaçam de modo maravilhoso para fortalecer o nosso testemunho e, finalmente, por meio da Expiação, transformar nossa natureza ao cumprirmos nossa parte da promessa”.

Uma Questão de Sobrevivência

“Nenhum de nós pode sobreviver no mundo de hoje, muito menos no que logo virá, sem inspiração pessoal”, advertiu o Presidente Boyd K. Packer, do Quórum dos Doze Apóstolos.

“O dom do Espírito Santo opera igualmente em homens, em mulheres e até em criancinhas”, disse o Presidente Packer. “É nesse maravilhoso dom e poder que encontramos o remédio espiritual para todos os problemas, ensinou ele, e depois citou o Livro de Mórmon: ‘E agora, ele transmite a sua palavra aos homens por intermédio de anjos; sim, não só aos homens mas também às mulheres. Ora, isso não é tudo; muitas vezes as crianças recebem palavras que confundem o sábio e o instruído” (Alma 32:23).

O Presidente Packer também ensinou que “talvez a maior coisa que aprendi com a leitura do Livro de Mórmon foi a de que a voz do Espírito vem como um sentimento em vez de um som. Vocês vão aprender, como eu aprendi, a “ouvir” essa voz que é mais sentida do que ouvida”.

Aprender a Pedir

“Uma das grandes lições que cada um de nós precisa aprender é pedir”, disse o Élder Richard G. Scott, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Por que o Senhor quer que oremos a Ele pedindo? Porque é assim que se recebe revelação.”

O Élder Scott testifica: “As escrituras dão-nos eloquente confirmação de como a verdade, quando vivida com consistência, abre as portas à inspiração para sabermos o que fazer e, quando necessário, termos a capacidade pessoal ampliada pelo poder divino. As escrituras descrevem como a capacidade pessoal de vencer uma dificuldade, dúvida ou desafios aparentemente invencíveis é ampliada pelo Senhor em épocas de necessidade. Ao ponderar sobre tais exemplos, você terá uma serena confirmação por meio do Espírito Santo de que tais experiências são verdadeiras. E você saberá que uma ajuda semelhante está a sua disposição”.

E ele observa que “já vi pessoas vencerem desafios que estavam além de sua capacidade, porque confiaram no Senhor e souberam que Ele as guiaria à soluções que eram necessárias urgentemente”.

O Élder Scott diz: “Dois indicadores de que um sentimento ou uma inspiração veio de Deus são a paz no coração e um sentimento cálido e tranquilo. (…) Quanto mais de perto seguirmos a orientação divina, maior será a nossa felicidade aqui e na eternidade — além do que, mais abundante será nosso progresso e nossa capacidade de servir. Não compreendo plenamente como isso se dá, mas essa orientação em nossa vida não nos tira o arbítrio. Podemos ainda tomar as decisões que quisermos. Mas, lembremo-nos que a disposição de fazer o certo traz paz de espírito e felicidade.”

O Élder Scott também advertiu: “A comunicação com nosso Pai Celestial não é uma questão trivial. É um privilégio sagrado e baseia-se em princípios eternos e imutáveis. Recebemos ajuda de nosso Pai Celeste em resposta a nossa fé, obediência e pelo uso adequado do arbítrio.”