[Varrer] a Terra, como um Dilúvio


 

 

O texto a seguir é uma transcrição do discurso do Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos, proferido no dia 19 de agosto de 2014, durante a Semana Educacional no campus da Universidade Brigham Young em Provo, Utah.


 

Baixar: pequeno, médio, grande

Susan e eu somos gratos por podermos adorar juntamente com vocês neste devocional da Semana de Educação da Universidade Brigham Young.

Em 2009, eu proferi um discurso aos jovens adultos da Igreja intitulado “As Coisas Como Realmente São” e falei sobre o potencial espiritual e as armadilhas das diversas tecnologias do mundo moderno (ver A Liahona, junho de 2010, p. 22). As palavras que profiro hoje baseiam-se nessa mensagem e a ampliam ao enfocar os três tópicos seguintes: (1) a época inigualável da história do mundo na qual vivemos, “a dispensação da plenitude dos tempos”, (2) as inspiradas inovações da tecnologia e comunicação que vêm ocorrendo nesta dispensação decisiva, e (3) o modo de usar adequadamente estas ferramentas poderosas a fim de acelerar o trabalho de salvação no mundo inteiro.

Oro sinceramente para que o Espírito Santo nos ensine e nos edifique enquanto analisamos juntos princípios verdadeiros e aprendemos como aplicá-los em nossa vida.

A Dispensação em Que Vivemos

Irmãos e irmãs, vivemos em uma dispensação realmente distinta.

Uma dispensação do evangelho é um período de tempo em que a autoridade necessária do sacerdócio, as ordenanças e o conhecimento da doutrina encontram-se na Terra para implementar o plano de salvação do Pai para Seus filhos. É essencial para o estabelecimento de uma dispensação que haja um servo autorizado de Deus, um cabeça da dispensação, que possui e exerce a autoridade e as chaves do santo sacerdócio. Dispensações do evangelho foram estabelecidas por Adão, Enoque, Noé, Abraão, Moisés, Jesus Cristo, Joseph Smith e outros. Em todas as dispensações, verdades do evangelho são reveladas novamente, ou concedidas, para que as pessoas daquele período não dependam completamente das dispensações anteriores para conhecer o plano do Pai Celestial.

 

Baixar: pequeno, médio, grande

Houve a apostasia da verdade em cada uma das dispensações anteriores. Contudo, o trabalho de salvação que foi iniciado, mas não concluído, em épocas passadas, continua durante a última dispensação. O Profeta Joseph Smith explicou que por isso, o avanço da glória dos últimos dias, sim, da dispensação da plenitude dos tempos, “é uma causa que foi do interesse do povo de Deus em todas as épocas; é um tema sobre o qual profetas, sacerdotes e reis falaram com especial deleite; eles aguardaram com grande e alegre expectativa o dia em que vivemos; e inflamados com esse alegre anseio celeste, cantaram, escreveram e profetizaram a respeito de nossos dias” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 194).

Nesta grande e última dispensação do evangelho, “é necessário (…) que uma total, completa e perfeita união e fusão de dispensações e chaves e poderes e glórias ocorram e sejam reveladas desde os dias de Adão até o tempo atual. E não somente isso, mas as coisas que nunca se revelaram desde a fundação do mundo, mas que se conservaram ocultas aos sábios e prudentes, serão reveladas (…) nesta dispensação, que é a da plenitude dos tempos” (D&C 128:18).

O Profeta Joseph explicou melhor: “Todas as ordenanças e deveres que já foram exigidos pelo Sacerdócio, sob a direção e mandamentos do Todo-Poderoso, em qualquer das dispensações serão todas obtidas na última dispensação, (…) levando a efeito a restauração mencionada pela boca de todos os Santos Profetas” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 536).

Como o Apóstolo Paulo declarou: “[Deus vai] tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Efésios 1:10).

A Dispensação da Plenitude dos Tempos e A Tecnologia

Somos abençoados por viver, aprender e servir nesta que é a dispensação mais notável. Um aspecto importante da plenitude que está disponível para nós nesta época tão especial é o progresso  milagroso das inovações e invenções que têm tornado possível acelerarmos o trabalho de salvação: de trens a telégrafos, a rádios, a automóveis, a aviões, a telefones, a rádios transistores, a televisões, a computadores, a transmissões via satélite, à Internet e a uma lista quase infinita de tecnologias e ferramentas que abençoam nossa vida. Todos esses avanços fazem parte da aceleração do trabalho do Senhor nestes últimos dias.

Em 1862, Brigham Young disse: “Toda descoberta científica ou artística realmente verdadeira e útil para a humanidade foi dada por meio de revelação direta de Deus, embora poucas pessoas reconheçam esse fato. Foram dadas com o propósito de preparar o caminho para a vitória final da verdade e para redimir a Terra dos poderes do pecado e de Satanás. Devemos tirar proveito de todas essas grandes descobertas, e do conhecimento acumulado por eras, e proporcionar a nossos filhos o benefício de todo conhecimento útil, a fim de prepará-los para seguirem adiante e fazerem sua parte eficazmente neste grandioso trabalho” (Discourses of Brigham Young, sel. John A. Widtsoe, 1954, pp.18–19).

Em 1966, o Presidente David O. McKay profetizou sobre descobertas científicas que “incitariam a imaginação” e tornariam possível a pregação do evangelho a toda tribo, língua e nação. E mais:

“Descobertas cheias de grande poder, tanto para abençoar como para destruir a raça humana e para dar aos homens a responsabilidade de controlá-las, o maior desafio já colocado nas mãos da humanidade. (…) Esta era está repleta de perigos inumeráveis, assim como de possibilidades incontáveis” (Conference Report, outubro de 1966, p. 4).

Irmãos e irmãs, agora, escutem a voz do Presidente Spencer W. Kimball, gravada em 1974, enquanto ele descreve o futuro da obra missionária:

“Creio que o Senhor está ansioso para colocar em nossas mãos invenções que os leigos mal podem vislumbrar. (…)

Com o Senhor proporcionando esses milagres na comunicação, e com um maior esforço e mais dedicação de nossos missionários, de todos nós, e de todas as outras pessoas que são ‘enviadas’, certamente ocorrerá a injunção divina: ‘Pois, em verdade, o som deverá partir deste lugar para todo o mundo e para os confins da Terra—o evangelho deverá ser pregado a toda criatura’” (D&C 58:64). (“When the World Will Be Converted” [Quando o Mundo Será Convertido], Ensign, outubro de 1974, p. 10).

E em 1981, o Presidente Gordon B. Hinckley ensinou: “Temos certeza de que, à medida que a obra do Senhor cresce, Ele inspirará homens a desenvolver meios pelos quais os membros da Igreja possam ser aconselhados de modo íntimo e pessoal pelo profeta escolhido onde quer que estejam. A comunicação é o nervo que liga a grande família da Igreja. Com os meios de comunicação disponíveis e mais os que se vislumbram no horizonte, seremos capazes de conversar uns com os outros, segundo as necessidades e condições do momento” (“Certeza: A Essência da Religião”, A Liahona, fevereiro de 1982).

Mensagens e imagens que costumavam demorar dias, semanas e até meses para serem enviadas e recebidas agora chegam ao mundo inteiro em questão de segundos. Damos graças, Ó Deus, pelos profetas que nos ensinaram e nos prepararam para esta época em que vivemos — e que nos tem incentivado a usar os avanços tecnológicos para apoiar a missão contínua de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Em junho de 2013, o Élder L. Tom Perry descreveu o impacto que a tecnologia digital teria na obra missionária. Ele disse:

“Quando era um jovem missionário, conseguíamos falar com os contatos na rua e bater em portas para compartilhar o evangelho. O mundo mudou desde aquela época. Agora, muitas pessoas estão envolvidas com a ocupação de sua vida. Correm para cá e para lá e, com frequência, estão menos desejosos de permitir que completos estranhos entrem em sua casa, sem terem sido convidados, para compartilhar uma mensagem sobre o evangelho restaurado. O maior ponto de contato com as pessoas, mesmo os amigos próximos, frequentemente é via Internet. A própria natureza do trabalho missionário, portanto, precisa mudar se for para o Senhor realizar Sua obra de coligar Israel ‘desde os quatro cantos da Terra’ (2 Néfi 21:12). Os missionários agora estão autorizados a usar a Internet em seus esforços de proselitismo.

(...) Agora que os missionários entram nessa nova era em que usarão o computador na obra do Senhor, convidamos os jovens e os idosos, os adultos, os jovens adultos, a juventude e as crianças de toda parte a se juntarem a nós nesse emocionante novo trabalho, tornando-se amigos no Facebook dos missionários de sua área em seu próprio computador, compartilhando suas mensagens do evangelho online e envolvendo-se no trabalho missionário.” (“O Trabalho Missionário na Era Digital”, Transmissão do Treinamento Mundial de Liderança, 23 de junho de 2013; LDS.org/broadcasts).

Cerca de 40 por cento da força missionária mundial estará em breve usando dispositivos digitais como ferramentas no trabalho de conversão, retenção e ativação. Estou certo de que todos nós também reconhecemos como a tecnologia acelerou o trabalho de história da família e do templo, nosso estudo pessoal e familiar do evangelho restaurado, e tornou possível para nós aprendermos, observarmos e vivenciarmos o mundo de forma extraordinária.

Mídia Social

A tecnologia conhecida como “mídia social” está se desenvolvendo em nossos dias e tem desempenhado um papel cada vez mais importante para acelerar o trabalho de salvação. O termo mídia social refere-se a vários canais de Internet e de comunicação móvel que são usados por indivíduos, famílias e grupos grandes de pessoas a fim de criar comunidades digitais nas quais compartilham informações, ideias, mensagens pessoais e outros conteúdos como fotos e vídeos.

A popularidade e o alcance das mídias sociais atuais são surpreendentes. Por exemplo, Facebook é um serviço de rede usado para compartilhar mensagens, imagens, links e vídeos com a família, os amigos e seguidores — e tem aproximadamente 1,2 bilhão de usuários por mês.

O YouTube é uma plataforma na qual vídeos podem ser divulgados, assistidos, avaliados e compartilhados — e tem aproximadamente um bilhão de usuários mensalmente.

O Twitter é um meio pelo qual mensagens de texto curtas e rápidas e imagens, chamadas tweets, podem ser enviadas e recebidas — e tem aproximadamente 250 milhões de usuários por mês.

O Instagram permite o compartilhamento de fotos e vídeos curtos — e tem cerca de 150 milhões de usuários mensalmente.

O Pinterest é um mural virtual de avisos usado para reunir e compartilhar conteúdos e imagens encontrados na Internet — e tem aproximadamente 70 milhões de usuários mensalmente.

Irmãos e irmãs, observem que eu identifiquei apenas cinco dos canais populares de mídia social da atualidade; muitos outros canais são usados por dezenas de milhões de pessoas. E novos métodos e canais de comunicação digital estão sendo desenvolvidos continuamente.

O Senhor está acelerando Seu trabalho, e não é coincidência que essas invenções e inovações poderosas de comunicação estão ocorrendo na dispensação da plenitude dos tempos. Canais de mídia social são ferramentas globais que podem influenciar individual e positivamente um grande número de pessoas e famílias. E acredito que tenha chegado o momento de nós, discípulos de Cristo, usarmos essas ferramentas inspiradoras de forma adequada e muito mais eficiente para testificar de Deus, o Pai Eterno, e de Seu plano de felicidade para Seus filhos e Seu filho Jesus Cristo, como Salvador do mundo, para proclamar a realidade da Restauração do evangelho nestes últimos dias, e para concluir a obra do Senhor.

Agora gostaria de apresentar diversos exemplos de mensagens e imagens do evangelho criados pela Igreja e por seus membros e transmitidos para o mundo por meio da mídia social.

 

Baixar: pequeno, médio, grande

Exemplo 1: “Graças a Ele”

Para prestar homenagem ao verdadeiro significado da Páscoa, no início deste ano a Igreja produziu e divulgou um vídeo de dois minutos intitulado Graças a Ele. A mensagem enfocava a esperança, a cura e a salvação possíveis somente por meio da Expiação de Jesus Cristo.

 

Pelo fato de a Igreja, seus membros e outras pessoas de diferentes religiões terem compartilhado esse vídeo em canais sociais, ele foi visualizado mais de cinco milhões de vezes durante a semana de Páscoa em 191 países e territórios do mundo.

A Igreja convidou os membros e as outras pessoas a criarem suas próprias mensagens de Páscoa usando a hashtag “#GraçasaEle”. Uma hashtag é usada para identificar mensagens de mídia social relacionadas. Como resultado dessa iniciativa, um grande número de imagens e pensamentos sobre o Salvador e Sua Ressurreição foram divulgados em muitos lugares e canais sociais como no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Exemplo 2: “Com Fervor Fizeste a Prece?”

Membros da Igreja e outras pessoas publicaram fotos de si próprios no Instagram, Facebook, Twitter e em outros canais sociais com legendas que completavam a frase: “Eu oro quando ...”.

Mais de 300 fotos foram publicadas. Além disso, milhares de pessoas usaram a hashtag #ComFervorFizesteaPrece para compartilhar pensamentos sobre quando e por que eles se comunicam com o Pai Celestial.

Por meio de um simples ato de escrever algumas poucas palavras significativas e compartilhá-las na mídia social, algo que qualquer um de nós pode fazer, aqueles que participaram dessa iniciativa conseguiram tocar centenas de milhares de vidas de forma positiva e ainda tiveram mais de 40.000 comentários sobre a necessidade de orar.

Exemplo 3: “Book of Mormon 365” (Livro de Mórmon 365)

A conta “Book of Mormon 365” no Instagram é um ótimo exemplo de uma ideia simples que promove o crescimento espiritual dos membros por meio da mídia social.

A ideia é simples. Os criadores da conta — Ben e Chelsea Prince, do Arizona — postam uma designação de leitura do Livro de Mórmon todos os dias. As designações estão divididas em 365 partes, uma divisão perfeita para que os seguidores consigam ler o Livro de Mórmon em um ano.

Os resultados são impressionantes. Hoje, mais de 45.000 pessoas seguem essa conta do Instagram, com muitos deles compartilhando ativamente ideias e impressões obtidas por meio da leitura do Livro de Mórmon juntos.

Exemplo 4: Contas de Mídia Social das Autoridades Gerais

Neste verão, a Igreja abriu uma conta oficial no Instagram. No final de junho e início de julho, foram compartilhadas imagens do Presidente Monson e do Presidente Eyring na celebração cultural em Gilbert, Arizona; do Presidente Monson e do Presidente Eyring na dedicação de um templo; e do Presidente Uchtdorf cumprimentando uma menininha durante uma viagem recente à Suíça.

O que é singular nessas fotos? Os próprios membros da Primeira Presidência escolheram as fotos que deveriam ser postadas. Vocês também devem ter percebido que agora algumas Autoridades Gerais têm suas próprias contas no Twitter, como o Élder Ballard, o Élder Holland e eu. Da mesma forma, em breve mais membros dos Doze poderão ser usuários do Twitter. Todas as Autoridades Gerais também possuem suas próprias páginas no Facebook, onde transmitem mensagens importantes do evangelho.

Essas várias mídias sociais estão ajudando os líderes e membros da Igreja restaurada a cumprirem o mandamento do Senhor de “[Ir] por todo o mundo, [e pregar] o evangelho a toda criatura (Marcos 16:15; grifo nosso).

Exemplo 5:“#LDSConf”

Muitos de vocês devem ter notado a hashtag #LDSconf exibida na tela durante as transmissões das conferências gerais de outubro de 2013 e de abril de 2014. O que vocês não devem saber é que os membros têm usado essa hashtag para promover a conferência geral há anos. A hashtag #LDSconf foi usada pela primeira vez em outubro de 2008, e foi criada por um membro fiel que buscava uma forma de seguir e compartilhar tweets relacionados à conferência, muito antes de a Igreja começar a usá-la.

Como podem ver pelos exemplos citados na tela, milhares de membros unem-se duas vezes por ano para participar das conversas da hashtag #LDSconf relacionadas às coisas que aprenderam e sentiram ao receber conselhos dos profetas e apóstolos atuais. Por meio desse canal, milhões de pessoas do mundo inteiro são edificadas pelas mensagens da conferência geral.

Exemplo 6: “Conheça os Mórmons”

Tenho um último exemplo de conteúdo do evangelho que pode ser compartilhado por meio dos canais de mídia social.

Há alguns anos, a Primeira Presidência aprovou a produção de um longa-metragem para ajudar as pessoas que não são de nossa religião a verem os santos dos últimos dias como pessoas comuns. Esse novo filme, intitulado “Conheça os Mórmons”, foi originalmente programado para ser exibido exclusivamente no Teatro Legacy, em Salt Lake City e em centros de visitantes pelo mundo. Contudo, com o crescimento das tecnologias de mídia social, conversamos sobre isso mais recentemente, e concluímos que agora podemos divulgar o filme mundialmente por meio de diferentes canais digitais. Como o Élder M. Russel Ballard explicou: “Na época de Shakespeare, ele geralmente ficava limitado ao teatro ‘Globo’, mas nós agora temos um teatro global. (…) As portas do mundo estão literalmente escancaradas” (“When Will Shall These Things Be” [Quando Essas Coisas Acontecerem], Brigham Young University, devocional de 12 de março, 1996, speeches.byu.edu).

“Conheça os Mórmons” aborda concepções errôneas comuns sobre nossas crenças e salienta as bênçãos que advêm por vivermos o evangelho de Jesus Cristo. O filme será lançado depois da conferência geral de outubro em diversos canais e mídias. Primeiramente, em alguns cinemas dos Estados Unidos, e depois, nos centros de visitantes e na televisão, em canais de filmes da Internet e em canais de mídias sociais.

Agora vamos assistir um “trailer” curto do filme.

Para mais informações sobre o filme, vocês podem visitar o site “meetthemormons.com”. Esse filme traz mais uma maneira simples e eficiente de os membros compartilharem suas crenças com a família e os amigos.

Orientações para o Uso da Mídia Social

Esses seis exemplos de conteúdos criados pela Igreja e por membros ilustram diversas orientações básicas que devemos seguir ao usar as mídias sociais para transmitir mensagens do evangelho.

 

Baixar: pequeno, médio, grande

Ser Confiável e Coerente

Primeiro, nós, discípulos, e nossas mensagens devemos ser confiáveis. Uma pessoa ou um produto que não é confiável é enganoso, falso e fraudulento. Nossas mensagens devem ser verdadeiras, honestas e corretas. Não devemos exagerar, florear, ou fingir que somos alguém ou algo que não somos. Nosso conteúdo deve ser confiável e edificante, e o anonimato que há na Internet não é uma desculpa para não sermos autênticos.

A confiabilidade é fortalecida por meio da coerência. As mensagens do evangelho que vocês compartilharem serão aceitas mais prontamente se o seu exemplo cristão estiver sempre evidente no padrão de suas postagens.

Foto por Busath.com

A irmã Bonnie L. Oscarson é um grande exemplo do poder da coerência nas mídias sociais. Quando ela foi chamada para ser presidente geral das Moças em abril de 2013, o número de seguidores dela no Pinterest dobrou do dia para a noite. Os pins anteriores da irmã Oscarson evidenciavam claramente sua integridade, o que levou um blogueiro a perguntar: “Sua página do Pinterest passaria no teste ‘Bonnie Oscarson’? (…) Quem as pessoas diriam que você é se apenas conhecessem o que está em sua mídia social?”

(www.latterdaysaintwoman.com/would_your_pinterest_page_pass_the_bonnie-oscarson_test).

Edificar e Elevar

Segundo, nós devemos, com as nossas mensagens, procurar edificar e elevar em vez de argumentar, debater, condenar ou menosprezar. Como Paulo aconselhou os Efésios: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem” (Efésios 4:29).

Irmãos e irmãs, compartilhem o evangelho com genuíno amor e zelo pelas pessoas. Sejam corajosos e ousados, mas não despóticos ao apoiar e defender nossas crenças, e evitem a discórdia. Como discípulos, nosso propósito deve ser o de usar os canais de mídia social como uma forma de refletir a luz e a verdade do evangelho restaurado de Jesus Cristo ao mundo que está cada vez mais sombrio e confuso.

Respeitar os Direitos Autorais

Terceiro, nossas mensagens devem respeitar os direitos autorais de outras pessoas e organizações. Isso simplesmente significa que vocês não devem criar seu conteúdo usando a arte, o nome, as fotos, a música, o vídeo ou outros tipos de conteúdo de outra pessoa sem permissão. Para ajudá-lo a criar mensagens edificantes do evangelho, temos o prazer de anunciar que o conteúdo encontrado na Biblioteca de Mídia do site LDS.org, exceto quando indicado o contrário, foi colocado à disposição para uso dos membros sem precisar permissão da Igreja. Mais informações sobre o uso de mídia da Igreja podem ser encontradas no site social.LDs.org.

Quando compartilharem mensagens na Internet, certifiquem-se de que as pessoas entendam que estão expressando seus pensamentos e sentimentos pessoais. Por favor, não usem o logo da Igreja nem deem a entender que estão falando em nome da Igreja.

Ser Prudente e Ficar Atento

Quarto, sejam prudentes e fiquem atentos a fim de proteger a si mesmos e àqueles a quem amam. Tudo que disponibilizarem em um canal de mídia social ficará realmente para sempre, mesmo que o aplicativo ou o programa prometa o contrário. Somente digam ou postem se quiserem que o mundo inteiro acesse sua foto ou mensagem para o resto da vida.

Ao seguir essas simples orientações, os membros da Igreja do mundo todo estarão aptos a criar e compartilhar mensagens que farão a luz “[brilhar] de dentro da escuridão” (Mórmon 8:16).

Um Convite Apostólico

Em minha mensagem, “As Coisas Como Realmente São”, a qual me referi anteriormente, descrevi alguns dos resultados positivos e negativos da comunicação computadorizada. Ressaltei a verdade de que a tecnologia por si só não é intrinsecamente nem boa nem má. Ao contrário, o propósito alcançado por meio da tecnologia é que finalmente determinará se é algo bom ou ruim.

 

Baixar: pequeno, médio, grande

Saliento novamente o que o Presidente David O. McKay afirmou há muitos anos sobre as descobertas científicas de nossa era, “Descobertas cheias de grande poder, tanto para abençoar como para destruir a raça humana e para aos homens a responsabilidade de controlá-las, o maior desafio já colocado nas mãos da humanidade. (…) Esta era está repleta de perigos inumeráveis, assim como de possibilidades incontáveis”.

Em “As Coisas Como Realmente São”, eu ergui minha voz para avisar sobre esses perigos.

“Ergo hoje a voz apostólica de advertência para a possível influência repressiva, sufocante, anuladora, e restritiva que alguns tipos de interações e experiências realizadas no mundo virtual podem ter sobre nossa alma. Essa preocupação não é algo novo: aplica-se igualmente a outros meios de comunicação como a televisão, o cinema e a música. No mundo virtual, porém, esses desafios são ainda mais difundidos e intensos. Rogo que tomem cuidado com a influência entorpecente e espiritualmente destrutiva das tecnologias do ciberespaço que são usadas para produzir alta fidelidade e promover propósitos degradantes e malignos” (A Liahona, junho de 2010, p. 22).

Essa advertência tem maior valia hoje do que há cinco anos. Muito tempo pode ser perdido, muitos relacionamentos podem ser prejudicados ou destruídos, e preciosos padrões de retidão podem não ser seguidos quando a tecnologia é usada inapropriadamente. Não devemos deixar nem mesmo que o bom uso das mídias sociais domine o bom uso de nosso tempo, nossa energia e nossos recursos.

Esses perigos são de fato reais, mas as oportunidades também são extraordinárias. Agora gostaria de aproveitar minha advertência anterior sobre os prováveis perigos da tecnologia fazendo um convite importante sobre possibilidades poderosas.

Os exemplos de mensagens do evangelho que vimos hoje, que foram criadas e transmitidas pelos canais de mídias sociais, são sadios, bons e influenciaram positivamente dezenas de milhares de pessoas. Eles representam um excelente começo. Porém, somente um começo. Deixe-me descrever o que acredito que deva acontecer daqui em diante.

No sétimo capítulo do livro de Moisés na Pérola de Grande Valor, Enoque prevê a restauração do evangelho nos últimos dias, a coligação de Israel, a Segunda Vinda do Salvador e a volta de Sião. Agora peço a vocês muita atenção enquanto ponderamos juntos sobre quatro versículos desse capítulo.

“E Enoque viu o Filho do Homem ascender ao Pai; e clamou ao Senhor, dizendo: (…) portanto te pergunto se não virás outra vez à Terra.

E o Senhor disse a Enoque: Como eu vivo, assim virei nos últimos dias, nos dias de iniquidade e vingança. (…)

E chegará o dia em que a Terra descansará, mas antes desse dia os céus escurecerão e um véu de trevas cobrirá a Terra; e os céus tremerão, assim como a Terra; e haverá grandes tribulações entre os filhos dos homens, mas meu povo eu preservarei;

E justiça enviarei dos céus; e verdade farei brotar da terra para prestar testemunho do meu Unigênito; de sua ressurreição dentre os mortos; sim, e também da ressurreição de todos os homens; e justiça e verdade farei varrerem a Terra, como um dilúvio” (Moisés 7:59–62; grifo nosso).

Meus queridos irmãos e irmãs, o que tem acontecido até aqui nesta dispensação ao transmitirmos mensagens do evangelho por meio dos canais de mídia social é um bom começo, mas não passa de uma pequena gota. Agora faço o convite a todos vocês de ajudar a transformar essa gota em um dilúvio. Começando de onde estamos hoje, exorto-os a varrerem a Terra com mensagens cheias de retidão e verdade, mensagens que sejam verdadeiras, edificantes e louváveis, e que literalmente varram a Terra com um dilúvio.

Oro para que não participemos simplesmente de uma inundação momentânea, que passa de maneira tão rápida quanto chega. Não estou sugerindo uma iniciativa cheia de entusiasmo, que acontece apenas uma vez e depois já passamos para a próximo item de nossa longa lista de tarefas relacionadas ao evangelho. Precisamos nos tornar especialistas e fãs de mídias sociais. Também não precisamos gastar horas infindáveis para criar e disseminar mensagens elaboradas. Como o Élder M. Russel Ballard ensinou recentemente, as tecnologias devem ser nossos servos e não nossos mestres (ver M. Russell Ballard, “Aquietai-vos, e Sabei Que Eu Sou Deus”, Devocional do Sistema Educacional da Igreja, maio de 2014; broadcast.LDS.org).

De acordo com nosso desejo e nossas circunstâncias, cada um de nós pode contribuir consistentemente para a crescente inundação de verdade e retidão. Devemos seguir firmes usando o padrão do Senhor de “linha sobre linha, preceito sobre preceito, um pouco aqui e um pouco ali” (2 Néfi 28:30).

Tentem imaginar a influência que podemos ter quando centenas de milhares e milhões de membros da Igreja restaurada de Cristo contribuírem de maneira aparentemente pequena para aumentar essa inundação. Que nossos pequenos esforços individuais produzam uma chuva constante de retidão e verdade que aos poucos transbordem uma infinidade de rios e riachos, e que, finalmente, tornem-se um dilúvio que varra toda a Terra. “Portanto não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande obra. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande” (D&C 64:33).

Bênçãos Prometidas e Testemunho

Temos sido abençoados de tantas maneiras; e onde muito é dado, muito é requerido. Como apóstolo do Senhor Jesus Cristo,  invoco uma bênção sobre vocês: que venham a entender mais plenamente o significado espiritual e a bênção de viver nesta dispensação da plenitude dos tempos; que tenham olhos para ver claramente tanto as possibilidades como os perigos das incríveis tecnologias que estão disponíveis para nós hoje; que possam aumentar a capacidade de usar estas ferramentas inspiradas apropriadamente; que possam receber inspiração e orientação a respeito do papel que devem desempenhar para ajudar a varrer a Terra com um dilúvio de verdade e retidão. Ao prosseguirem firmes nesta obra sagrada, prometo-lhes que serão abençoados na mortalidade de forma pessoal, específica e necessária para prepará-los para a eternidade.

Sei que o Pai e o Filho vivem. O Salvador está à frente de Sua Igreja nestes últimos dias. Ele está acelerando Seu trabalho, e a mão do ímpio não conseguirá deter o progresso dessa obra. Presto testemunho dessas verdades, no sagrado nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Baixar: pequeno, médio, grande