CAPÍTULO 10

Leí prediz o cativeiro na Babilônia—Fala da vinda, entre os judeus, de um Messias, um Salvador, um Redentor—Fala também da vinda daquele que batizaria o Cordeiro de Deus—Leí fala da morte e ressurreição do Messias—Compara a dispersão e a coligação de Israel a uma oliveira—Néfi fala do Filho de Deus, do dom do Espírito Santo e da necessidade de retidão. Aproximadamente 600–592 a.C.

  E agora eu, Néfi, continuo a fazer anestas placas um relato de meus feitos, de meu governo e ministério; portanto, para continuar o relato, necessito dizer algo sobre as coisas de meu pai e também de meus irmãos.

  Pois eis que aconteceu que, tendo meu pai terminado de relatar o seu asonho e também de exortá-los a toda diligência, falou-lhes sobre os judeus—

  Que depois que eles houvessem sido destruídos, sim, aquela grande cidade de aJerusalém, e muitos blevados cativos para a cBabilônia, na época fixada pelo Senhor eles dretornariam, sim, e seriam até tirados do cativeiro; e que depois que houvessem voltado do cativeiro, ocupariam novamente a terra de sua herança.

  Sim, aseiscentos anos depois de meu pai ter deixado Jerusalém, o Senhor Deus levantaria um bprofeta entre os judeus—um cMessias, ou, em outras palavras, um Salvador do mundo.

  E ele também falou, referindo-se aos profetas, do grande número que havia atestemunhado estas coisas concernentes a esse Messias de que ele havia falado, ou seja, esse Redentor do mundo.

  Portanto toda a humanidade se encontrava num estado de perdição e aqueda; e assim continuaria, a não ser que confiasse nesse Redentor.

  E falou também sobre um aprofeta que viria antes do Messias, a fim de preparar o caminho do Senhor—

  Sim, ele iria clamar no deserto: aPreparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas, pois há entre vós um que não conheceis e ele é mais poderoso do que eu, a quem não sou digno de desatar a correia das alparcas. E muito falou meu pai a respeito disto.

  E disse meu pai que ele batizaria em aBetabara, além do Jordão; e também disse que ele bbatizaria com água; que ele batizaria o Messias com água.

  10 E depois de haver batizado o Messias com água, ele reconheceria e testificaria haver batizado o aCordeiro de Deus que iria tirar os pecados do mundo.

  11 E aconteceu que após ter dito essas palavras, meu pai falou a meus irmãos sobre o evangelho que seria pregado aos judeus e também sobre a aqueda dos judeus na bincredulidade. E depois de haverem matado o Messias que haveria de vir e depois de haver sido cmorto, ele dressuscitaria dentre os mortos e manifestar-se-ia aos gentios pelo eEspírito Santo.

  12 Sim, e meu pai falou muito sobre os gentios e também sobre a casa de Israel, que eles seriam comparados à aoliveira cujos ramos seriam arrancados e bespalhados pela face da Terra.

  13 Disse, portanto, que era necessário que fôssemos conduzidos todos juntos à aterra da promissão, para que se cumprisse a palavra do Senhor de que seríamos dispersos por toda a face da Terra.

  14 E depois que a casa de Israel houvesse sido dispersa, ela seria novamente areunida; ou, em suma, depois que os bgentios tivessem recebido a plenitude do evangelho, os ramos naturais da coliveira, ou melhor, os remanescentes da casa de Israel, seriam enxertados, ou seja, viriam a conhecer o verdadeiro Messias, seu Senhor e seu Redentor.

  15 E com essas palavras meu pai profetizou e falou a meus irmãos; e também muitas coisas mais, as quais não escrevo neste livro, pois escrevi em meu aoutro livro todas as coisas que julguei convenientes.

  16 E todas essas coisas das quais falei aconteceram enquanto meu pai vivia em uma tenda, no vale de Lemuel.

  17 E aconteceu que eu, Néfi, depois de ouvir todas as apalavras de meu pai referentes às coisas que ele vira numa bvisão, como também as coisas que dissera com o poder do Espírito Santo, poder que ele recebeu pela fé no Filho de Deus—e o Filho de Deus era o cMessias que deveria vir—eu, Néfi, também desejei ver e ouvir e conhecer essas coisas pelo poder do Espírito Santo, que é o ddom concedido por Deus a todos os que o procuram ediligentemente, tanto em tempos fpassados como no tempo em que se manifestará aos filhos dos homens.

  18 Pois ele é o amesmo ontem, hoje e para sempre; e o caminho está preparado para todos os homens desde a fundação do mundo, caso se arrependam e venham a ele.

  19 Pois aquele que procurar diligentemente, achará; e os amistérios de Deus ser-lhe-ão desvendados pelo poder do bEspírito Santo, tanto agora como no passado e tanto no passado como no futuro; portanto, o ccurso do Senhor é um círculo eterno.

  20 Lembra-te, portanto, ó homem, de que por todas as tuas obras serás levado a ajulgamento.

  21 Portanto, se haveis procurado fazer o mal nos dias de vossa aprovação, sereis declarados bimpuros diante do tribunal de Deus; e nada que é impuro pode habitar com Deus; sereis, portanto, afastados para sempre.

  22 E o Espírito Santo dá-me autoridade para proclamar estas coisas e não as reter.