CAPÍTULO 15

A semente de Leí receberá dos gentios o evangelho nos últimos dias—A coligação de Israel é comparada a uma oliveira cujos ramos naturais serão enxertados novamente—Néfi interpreta a visão da árvore da vida e fala da justiça de Deus em separar os iníquos dos justos. Aproximadamente 600–592 a.C.

  E aconteceu que depois de haver sido arrebatado no espírito e visto todas essas coisas, eu, Néfi, voltei à tenda de meu pai.

  E aconteceu que vi meus irmãos e eles discutiam entre si quanto às coisas que meu pai lhes dissera.

  Pois ele verdadeiramente lhes dissera muitas coisas grandiosas que eram de difícil acompreensão, a menos que se perguntasse ao Senhor; e como eram duros de coração, não procuravam o Senhor como deviam.

  E então eu, Néfi, fiquei pesaroso com a dureza de seu coração e também por causa das coisas que tinha visto e sabia que haviam de acontecer inevitavelmente, por causa da grande iniqüidade dos filhos dos homens.

  E aconteceu que fiquei abatido por causa de minhas aaflições, pois considerava-as maiores que quaisquer outras, por causa da bdestruição de meu povo; pois eu vira a sua queda.

  E aconteceu que depois de haver recuperado as aforças, falei a meus irmãos, perguntando-lhes o motivo das discussões.

  E eles responderam: Eis que não podemos compreender as palavras de nosso pai concernentes aos ramos naturais da oliveira e também aos gentios.

  E disse-lhes eu: Haveis aperguntado ao Senhor?

  E eles responderam: Não perguntamos, porque o Senhor não nos dá a conhecer essas coisas.

  10 Eis que eu lhes disse: Por que não guardais os mandamentos do Senhor? Quereis perecer por causa da adureza de vosso coração?

  11 Não vos lembrais das coisas que o Senhor disse?—Se não endurecerdes vosso coração e me apedirdes com fé, acreditando que recebereis, guardando diligentemente os meus mandamentos, certamente estas coisas vos serão dadas a conhecer.

  12 Eis que vos digo que a casa de Israel foi comparada a uma oliveira pelo Espírito do Senhor que estava em nosso pai; e eis que não fomos nós desmembrados da casa de Israel e não somos nós um aramo da casa de Israel?

  13 E agora, o que nosso pai quer dizer sobre o enxerto dos ramos naturais por meio da plenitude dos gentios é que, nos últimos dias, quando nossos descendentes tiverem adegenerado, caindo na incredulidade, sim, pelo espaço de muitos anos e por muitas gerações depois que o bMessias se manifestar em pessoa aos filhos dos homens, então a plenitude do cevangelho do Messias chegará aos dgentios; e dos gentios, aos remanescentes de nossos descendentes—

  14 E naquele dia virão os nossos adescendentes a saber que são da casa de Israel e que são bo povo do convênio do Senhor; e csaberão, daí, quem eram seus antepassados e terão também conhecimento do Redentor e do evangelho que foi por ele ministrado a seus pais. Portanto virão a conhecer seu Redentor e os pontos essenciais de sua doutrina, para que saibam como chegar a ele e ser salvos.

  15 E aí, naquele dia, não se regozijarão e não darão graças ao seu eterno Deus, sua arocha e sua salvação? Sim, naquele dia não receberão vigor e alimento da verdadeira bvideira? Sim, não virão eles para o verdadeiro rebanho de Deus?

  16 Eis que vos digo: Sim; eles serão lembrados outra vez pela casa de Israel; serão aenxertados, sendo um ramo natural da oliveira, na oliveira verdadeira.

  17 E isto é o que nosso pai quer dizer; e ele quer dizer que isto não acontecerá senão depois de haverem sido dispersos pelos gentios; e ele quer dizer que isto se dará por meio dos gentios, para que o Senhor mostre aos gentios o seu poder; porquanto será arejeitado pelos judeus, ou seja, pela casa de Israel.

  18 Nosso pai não falou, portanto, apenas de nossos descendentes, mas também de toda a casa de Israel, indicando o convênio que haveria de ser cumprido nos últimos dias, convênio esse que o Senhor fez com nosso pai Abraão, dizendo: Em tua asemente serão benditas todas as famílias da Terra.

  19 E aconteceu que eu, Néfi, falei-lhes muito sobre estas coisas; sim, falei-lhes sobre a arestauração dos judeus nos últimos dias.

  20 E repeti-lhes as palavras de aIsaías, que falou sobre a restauração dos judeus, ou seja, da casa de Israel; e depois de sua restauração, não serão mais confundidos nem dispersos. E aconteceu que disse muitas palavras a meus irmãos, de modo que se tranqüilizaram e bhumilharam-se perante o Senhor.

  21 E aconteceu que me falaram novamente, dizendo: O que significa isso que nosso pai viu num sonho? O que significa a aárvore que ele viu?

  22 E disse-lhes: Era uma representação da aárvore da vida.

  23 E disseram-me: O que significa a abarra de ferro que nosso pai viu, que levava à árvore?

  24 E eu disse-lhes que era a apalavra de Deus; e todos os que dessem ouvidos à palavra de Deus e a ela se bapegassem, jamais pereceriam; nem as ctentações nem os ardentes ddardos do eadversário poderiam dominá-los até a cegueira, para levá-los à destruição.

  25 Portanto eu, Néfi, exortei-os a adarem ouvidos à palavra do Senhor; sim, exortei-os com toda a energia de minha alma e com todas as faculdades que possuía, a darem ouvidos à palavra de Deus e a lembrarem-se de guardar seus mandamentos, sempre, em todas as coisas.

  26 E disseram-me: O que significa o ario de água que nosso pai viu?

  27 E respondi-lhes que a aágua que meu pai viu era bimundície; e sua mente estava tão absorvida com outras coisas, que não observou a imundície da água.

  28 E disse-lhes que era um horrível aabismo que separava os iníquos da árvore da vida e também dos santos de Deus.

  29 E disse-lhes que era uma representação daquele horrível ainferno que o anjo me dissera estar preparado para os iníquos.

  30 E disse-lhes que nosso pai também viu que a ajustiça de Deus separava os iníquos dos justos; e que seu resplendor era como uma chama de fogo que sobe eternamente para Deus e não tem fim.

  31 E disseram-me: Significa isso o tormento do corpo nos dias de aprovação, ou significa o estado final da alma depois da bmorte do corpo físico, ou refere-se às coisas que são terrenas?

  32 E aconteceu que eu lhes disse que era uma representação tanto de coisas físicas como espirituais; pois chegaria o dia em que seriam julgados por suas aobras, sim, mesmo as obras feitas pelo corpo físico nos seus dias de provação.

  33 Se amorrerem, portanto, em iniqüidade, serão também brejeitados quanto às coisas espirituais que se referem à retidão; portanto deverão ser levados perante Deus para serem cjulgados por suas dobras; e se suas obras tiverem sido imundas, eles serão eimundos; e se forem imundos, não poderão fhabitar o reino de Deus; se o habitassem, o reino de Deus seria também imundo.

  34 Mas eis que eu vos digo que o reino de Deus não é aimundo e que nenhuma coisa impura pode entrar no reino de Deus; é portanto necessário que haja um lugar de imundície preparado para o que é imundo.

  35 E há um lugar preparado, sim, aquele horrível ainferno do qual falei, cujo fundador é o bdiabo. Portanto o estado final da alma dos homens é habitar o reino de Deus ou ser lançada fora por causa da cjustiça da qual falei.

  36 Os iníquos, portanto, serão apartados dos justos e também daquela aárvore da vida, cujo fruto é mais precioso e mais bdesejável que todos os frutos; sim, é a cmaior de todas as ddádivas de Deus. E assim falei a meus irmãos. Amém.