CAPÍTULO 18

O navio é terminado—Mencionado o nascimento de Jacó e o de José—O grupo embarca para a terra da promissão—Os filhos de Ismael e suas esposas unem-se em leviandades e rebelião—Néfi é amarrado e o navio retrocede, devido a uma terrível tempestade—Néfi é libertado e, por causa de sua oração, a tempestade cessa—O povo chega à terra da promissão. Aproximadamente 591–589 a.C.

  E aconteceu que adoraram ao Senhor e acompanharam-me; e lavramos madeiras de modo esmerado. E o Senhor mostrou-me, de tempos em tempos, de que maneira eu deveria trabalhar as madeiras do navio.

  Ora, eu, Néfi, não trabalhei a madeira pelo método que os homens conheciam nem construí o navio pelo método dos homens; mas construí-o pelo método que o Senhor me havia mostrado; não foi, portanto, igual ao dos homens.

  E eu, Néfi, ia freqüentemente à montanha e aorava freqüentemente ao Senhor; por isso o Senhor me bmostrou grandes coisas.

  E aconteceu que depois de haver terminado o navio de acordo com a palavra do Senhor, meus irmãos viram que estava bom e que o trabalho fora muito bem executado; tornaram a ahumilhar-se, portanto, diante do Senhor.

  E aconteceu que meu pai ouviu a voz do Senhor, ordenando que nos levantássemos e entrássemos no navio.

  E aconteceu que, no dia seguinte, depois de havermos preparado todas as coisas, muitas frutas e acarne do deserto e mel em abundância e provisões de acordo com o que nos havia ordenado o Senhor, fomos para o navio com todas as nossas cargas e nossas sementes e com tudo o que havíamos trazido conosco, cada um de acordo com sua idade; portanto entramos todos no navio com nossas mulheres e nossos filhos.

  Ora, meu pai havia gerado dois filhos no deserto; o mais velho chamava-se aJacó e o mais novo, bJosé.

  E aconteceu que depois de havermos todos entrado no navio com as provisões e as coisas que tínhamos ordem de levar, pusemo-nos ao amar e fomos levados pelo vento rumo à bterra da promissão.

  E depois de havermos sido levados pelo vento pelo espaço de muitos dias, eis que meus irmãos, os filhos de Ismael e também suas esposas começaram a ficar alegres a tal ponto que começaram a dançar e a cantar e a falar com muita vulgaridade, sim, esquecendo-se mesmo do poder que os havia conduzido até ali; sim, tornaram-se muito vulgares.

  10 E eu, Néfi, comecei a temer muito que o Senhor se irasse contra nós e ferisse-nos por causa de nossa iniqüidade e fôssemos tragados pelas profundezas do mar; portanto eu, Néfi, comecei a falar-lhes com muita sobriedade; mas eis que eles se azangaram comigo, dizendo: Não admitiremos que nosso irmão mais jovem nos bgoverne.

  11 E aconteceu que Lamã e Lemuel me seguraram e ataram-me com cordas e trataram-me rudemente; não obstante, o Senhor apermitiu-o a fim de mostrar seu poder, até que se cumprissem as palavras que dissera sobre os iníquos.

  12 E aconteceu que depois de me haverem amarrado de tal modo que não podia mexer-me, a abússola que fora preparada pelo Senhor parou de funcionar.

  13 Não sabiam, portanto, para onde deveriam dirigir o navio, pois levantou-se uma grande tempestade, sim, uma grande e terrível tormenta que nos fez aretroceder sobre as águas pelo espaço de três dias; e eles começaram a ter muito medo de que nos afogássemos; não obstante, não me soltaram.

  14 E no quarto dia depois que começamos a retroceder, a tempestade piorou muito.

  15 E aconteceu que estávamos para ser tragados pelas profundezas do mar. E depois de havermos retrocedido pelo espaço de quatro dias, meus irmãos começaram a aver que os juízos de Deus estavam sobre eles e que morreriam, caso não se arrependessem de suas iniqüidades; foram portanto ter comigo e soltaram-me as cordas dos pulsos e eis que estavam muito inchados; e também meus tornozelos estavam muito inchados e doloridos.

  16 Não obstante, voltei-me para Deus e alouvei-o todo o dia; e não murmurei contra o Senhor por causa de minhas aflições.

  17 Ora, meu pai, Leí, dissera-lhes muitas coisas, bem como aos filhos de aIsmael; mas eis que eles proferiam ameaças contra quem me defendesse; e meus pais, sendo muito idosos e tendo sofrido muito por causa de seus filhos, adoeceram, sim, a ponto de terem que ficar de cama.

  18 Por causa de sua dor e do seu grande pesar e das iniqüidades de meus irmãos, chegaram quase ao ponto de serem levados desta vida para se encontrarem com seu Deus; sim, seus cabelos brancos estavam prestes a descer ao pó; sim, estavam prestes a ser lançados na sepultura das águas, por causa de seu pesar.

  19 E Jacó e também José, sendo jovens e tendo necessidade de muito alimento, sofreram por causa das aflições de sua mãe; nem aminha mulher, com suas lágrimas e súplicas, nem meus filhos haviam conseguido abrandar o coração de meus irmãos, para que me soltassem.

  20 E nada, a não ser o poder de Deus que ameaçava destruí-los, conseguiu abrandar-lhes o coração; portanto, quando viram que estavam para ser tragados pelas profundezas do mar, arrependeram-se do que haviam feito e soltaram-me.

  21 E aconteceu que depois de me haverem soltado, eis que tomei a bússola e ela funcionou como eu queria. E aconteceu que orei ao Senhor; e depois de haver orado, os ventos cessaram, a tempestade parou e houve grande calmaria.

  22 E aconteceu que eu, Néfi, dirigi o navio e navegamos novamente rumo à terra da promissão.

  23 E aconteceu que depois de havermos navegado pelo espaço de muitos dias, chegamos à aterra da promissão; e descemos à terra e assentamos nossas tendas; e chamamo-la de terra da promissão.

  24 E aconteceu que começamos a cultivar a terra e a plantar sementes; sim, semeamos na terra todas as sementes que havíamos trazido da terra de Jerusalém. E aconteceu que elas cresceram extraordinariamente; fomos, portanto, abençoados com abundância.

  25 E aconteceu que enquanto viajávamos pelo deserto da terra da promissão, descobrimos que havia animais de toda espécie nas florestas: vacas e bois e jumentos e cavalos e cabras e cabras-montesas; e toda espécie de animais selvagens úteis ao homem. Encontramos também toda espécie de minérios, tanto de ouro quanto de prata e de cobre.