SEU GOVERNO E MINISTÉRIO
Relato sobre Leí, sua mulher Saria e seus quatro filhos, que se chamavam (a começar pelo mais velho) Lamã, Lemuel, Sam e Néfi. O Senhor avisa a Leí que saia da terra de Jerusalém, porque ele profetiza ao povo acerca de sua iniqüidade e eles procuram tirar-lhe a vida. Ele viaja durante três dias através do deserto, com sua família. Néfi toma seus irmãos e volta à terra de Jerusalém, em busca do registro dos judeus. O relato de seus sofrimentos. Tomam as filhas de Ismael para esposas. Tomam suas famílias e vão para o deserto. Seus sofrimentos e aflições no deserto. Rota de suas viagens. Chegam às grandes águas. Rebelião dos irmãos contra Néfi. Ele confunde-os e constrói um barco. Dão ao lugar o nome de Abundância. Atravessam as grandes águas, indo para a terra da promissão, e assim por diante. Isto, segundo o relato de Néfi; ou, em outras palavras, eu, Néfi, escrevi este registro.

CAPÍTULO 1

Néfi inicia o registro de seu povo—Em visão, Leí vê uma coluna de fogo e lê um livro de profecias—Louva a Deus, prediz a vinda do Messias e profetiza a destruição de Jerusalém—É perseguido pelos judeus. Aproximadamente 600 a.C.

  EU, aNéfi, tendo nascido de bbonscpais, recebi, portanto, alguma dinstrução em todo o conhecimento de meu pai; e tendo passado muitas eaflições no decurso de meus dias, fui, não obstante, altamente favorecido pelo Senhor em todos os meus dias; sim, havendo adquirido um grande conhecimento da bondade e dos fmistérios de Deus, faço, por isso, um gregistro de meus feitos durante minha vida.

  Sim, faço um registro na alíngua de meu pai, que consiste no conhecimento dos judeus e na língua dos egípcios.

  E sei que o registro que faço é averdadeiro; e faço-o com minhas próprias mãos e faço-o de acordo com o meu conhecimento.

  Pois aconteceu no começo do aprimeiro ano do reinado de bZedequias, rei de Judá (tendo meu pai, Leí, morado todos os seus dias em cJerusalém); e apareceram muitos dprofetas, nesse mesmo ano, profetizando ao povo que todos deveriam arrepender-se ou a grande cidade de eJerusalém precisaria ser destruída.

  Portanto aconteceu que meu pai, aLeí, enquanto seguia seu caminho, orou ao Senhor, sim, de todo o bcoração, em favor de seu povo.

  E aconteceu que enquanto ele orava ao Senhor, apareceu uma acoluna de fogo que permaneceu sobre uma rocha, diante dele; e foi muito o que ele viu e ouviu; e tremeu e estremeceu intensamente por causa das coisas que viu e ouviu.

  E aconteceu que ele retornou para sua casa em Jerusalém e jogou-se sobre a cama, adominado pelo Espírito e pelas coisas que vira.

  E estando desta maneira dominado pelo Espírito, foi arrebatado em uma avisão e viu os bcéus abertos e pensou ter visto Deus sentado em seu trono, rodeado de inumeráveis multidões de anjos, na atitude de cantar e louvar a seu Deus.

  E aconteceu que ele viu Um que descia do meio do céu; e viu que o seu aresplendor era maior que o do sol ao meio-dia.

  10 E viu também adoze outros que o seguiam; e seu brilho excedia ao das estrelas no firmamento.

  11 E eles desceram e andaram pela face da Terra; e o primeiro veio e colocou-se diante de meu pai; e deu-lhe um alivro e ordenou-lhe que o lesse.

  12 E aconteceu que, enquanto lia, ele ficou cheio do aEspírito do Senhor.

  13 E ele leu, dizendo: Ai, ai de Jerusalém, pois vi tuas aabominações! Sim, e meu pai leu muitas coisas concernentes a bJerusalém—que ela seria destruída, assim como seus habitantes; muitos morreriam pela espada e muitos seriam clevados cativos para a Babilônia.

  14 E aconteceu que depois de ter lido e visto muitas coisas grandes e maravilhosas, meu pai prorrompeu em exclamações ao Senhor, tais como: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, ó Senhor Deus Todo-Poderoso! Alto nos céus está o teu trono; e teu poder e bondade e misericórdia estendem-se sobre todos os habitantes da Terra; e porque és misericordioso, não permitirás que pereçam aqueles que avierem a ti.

  15 E era desta maneira que meu pai falava, ao louvar seu Deus; pois sua alma regozijava-se e todo o seu coração estava cheio por causa das coisas que vira, sim, que o Senhor lhe havia mostrado.

  16 E agora eu, Néfi, não faço um relato completo das coisas que meu pai escreveu, pois ele escreveu muitas coisas que viu em visões e em sonhos; e também escreveu muitas coisas que aprofetizou e disse a seus filhos, das quais não farei um relato completo.

  17 Farei, porém, um relato dos meus feitos em meus dias. Eis que escrevo um aresumo do registro de meu pai nas placas que fiz com minhas próprias mãos; então, depois de haver resumido o bregistro de meu pai, farei um relato de minha própria vida.

  18 Portanto quero que saibais que, depois de o Senhor ter mostrado a meu pai, Leí, tantas coisas maravilhosas, sim, referentes à adestruição de Jerusalém, eis que este se dirigiu ao povo e começou a bprofetizar e a declarar as coisas que vira e ouvira.

  19 E aconteceu que os judeus aescarneceram dele pelas coisas que testificava a respeito deles; pois verdadeiramente testificava a respeito de suas iniqüidades e abominações; e testificava que as coisas que vira e ouvira e também as coisas que havia lido no livro manifestavam claramente a vinda de um bMessias e também a redenção do mundo.

  20 E quando ouviram estas coisas, os judeus iraram-se contra ele; sim, como haviam feito com os profetas antigos, a quem tinham aexpulsado e apedrejado e matado; e procuraram também tirar-lhe a vida. E eis, porém, que eu, Néfi, vos mostrarei que as ternas bmisericórdias do Senhor estão sobre todos aqueles que ele escolheu por causa de sua fé, para torná-los fortes com o poder de libertação.