CAPÍTULO 18

Jesus institui o sacramento entre os nefitas—É-lhes ordenado orar sempre em seu nome—Os que indignamente comem sua carne e bebem seu sangue são condenados—Aos discípulos é dado poder para conferir o Espírito Santo. Aproximadamente 34 d.C.

  E aconteceu que Jesus ordenou aos seus discípulos que lhe trouxessem apão e vinho.

  E enquanto foram buscar o pão e o vinho, ele ordenou à multidão que sentasse no chão.

  E quando os discípulos chegaram com apão e vinho, Jesus tomou do pão e partiu-o e abençoou-o; e deu a seus discípulos e mandou que comessem.

  E quando eles acabaram de comer e achavam-se fartos, mandou que dessem à multidão.

  E depois que a multidão comeu e fartou-se, disse ele aos discípulos: Eis que um dentre vós será ordenado e a ele eu darei poder para apartir o pão e abençoá-lo e distribuí-lo ao povo de minha igreja, a todos os que crerem e forem batizados em meu nome.

  E sempre procurareis fazer isto tal como eu fiz, da mesma forma que eu parti o pão, abençoei-o e dei-o a vós.

  E isto fareis em alembrança de meu corpo, o qual vos mostrei. E será um testemunho ao Pai de que vos lembrais sempre de mim. E se lembrardes sempre de mim, tereis meu Espírito convosco.

  E aconteceu que depois de haver proferido estas palavras, ordenou aos discípulos que tomassem do vinho do cálice, bebessem-no e dessem-no também à multidão para bebê-lo.

  E aconteceu que eles assim procederam e beberam dele e fartaram-se; e deram à multidão e eles beberam e fartaram-se.

  10 E depois de haverem os discípulos feito isso, Jesus disse-lhes: Bem-aventurados sois por isto que fizestes, porque isto cumpre meus mandamentos e testifica ao Pai que tendes o desejo de fazer o que vos ordenei.

  11 E isto fareis sempre a todos os que se arrependerem e forem batizados em meu nome; e o fa-reis em lembrança do meu sangue que derramei por vós, a fim de que testifiqueis ao Pai que sempre vos lembrais de mim. E se vos lembrardes sempre de mim, tereis o meu Espírito convosco.

  12 E dou-vos um mandamento de que façais estas coisas. E fazendo sempre estas coisas, abençoados sois, porque estais edificados sobre a minha arocha.

  13 Mas todos aqueles dentre vós que fizerem mais ou menos do que isto não estão edificados sobre a minha rocha, mas edificados sobre um alicerce de areia; e quando as chuvas descerem e as inundações chegarem e os ventos soprarem e baterem contra eles, acairão; e as bportas do inferno já estão abertas para recebê-los.

  14 Portanto, bem-aventurados sois se guardardes meus mandamentos, que o Pai me ordenou que vos desse.

  15 Em verdade, em verdade vos digo que deveis vigiar e aorar sempre, para que não sejais tentados pelo diabo e levados cativos por ele.

  16 E da mesma forma que orei entre vós, assim orareis na minha igreja entre o meu povo que se arrepende e é batizado em meu nome. Eis que eu sou a aluz; eu dei-vos o bexemplo.

  17 E aconteceu que depois de haver dirigido estas palavras a seus discípulos, Jesus voltou-se para a multidão e disse:

  18 Eis que em verdade, em verdade vos digo que deveis vigiar e orar sempre para não cairdes em tentação; porque aSatanás deseja ter-vos para vos peneirar como trigo.

  19 Portanto deveis sempre orar ao Pai em meu nome.

  20 E atudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, que seja justo, acreditando que recebereis, eis que vos será dado.

  21  aOrai ao Pai no seio de vossa família, sempre em meu nome, a fim de que vossas mulheres e vossos filhos sejam abençoados.

  22 E eis que vos reunireis com freqüência; e a ninguém proibireis que se chegue a vós quando vos reunirdes, mas permitireis que se cheguem a vós e não lhes proibireis.

  23 Mas aorareis por eles e não os expulsareis; e se acontecer que se cheguem a vós freqüentemente, orareis por eles ao Pai, em meu nome.

  24 Portanto levantai vossa aluz para que brilhe perante o mundo. Eis que eu sou a bluz que levantareis—aquilo que me vistes fazer. Eis que vistes que eu orei ao Pai; e vós todos o testemunhastes.

  25 E vistes que eu mandei que anenhum de vós se afastasse, mas ordenei que viésseis a mim para que vísseis e bsentísseis; e da mesma forma fareis ao mundo; e todo aquele que quebrar este mandamento ficará sujeito a cair em tentação.

  26 E então aconteceu que depois de haver proferido estas palavras, Jesus novamente voltou os olhos para os discípulos que havia escolhido e disse-lhes:

  27 Eis que em verdade, em verdade vos digo que vos dou outro mandamento; e depois devo ir para o aPai, a fim de cumprir boutros mandamentos que ele me deu.

  28 E agora, eis que este é o mandamento que vos dou: não permitireis, sabendo-o, que alguém aparticipebindignamente da minha carne e do meu sangue quando os administrardes.

  29 Porque todo aquele que come e bebe da minha carne e do meu asanguebindignamente, come e bebe condenação para sua alma; portanto, se souberdes que um homem é indigno de comer e beber da minha carne e do meu sangue, vós lho proibireis.

  30 Não obstante, não o aexpulsareis de vosso meio, mas ensiná-lo-eis e rogareis por ele ao Pai em meu nome; e se ele se arrepender e for batizado em meu nome, vós então o recebereis e administrar-lhe-eis da minha carne e do meu sangue.

  31 Mas se ele não se arrepender, não será contado com o meu povo, a fim de não destruir meu povo; porque eis que conheço aminhas ovelhas e elas estão contadas.

  32 Não obstante, não o expulsareis de vossas sinagogas nem de vossos lugares de adoração, pois junto a esses deveis continuar a ministrar; porque não sabeis se eles irão voltar e arrepender-se e vir a mim com toda a sinceridade de coração e eu irei acurá-los; e sereis vós o meio de levar-lhes salvação.

  33 Portanto conservai na lembrança estas palavras que eu vos disse, a fim de que não incorrais em acondenação; porque ai daquele que for condenado pelo Pai.

  34 E dou-vos estes mandamentos em virtude das disputas havidas entre vós. E bem-aventurados sereis se não houver adisputas entre vós.

  35 E agora vou para o Pai, porque convém que eu vá para o Pai, apor amor a vós.

  36 E aconteceu que depois de haver proferido estas palavras, Jesus tocou com a amão os bdiscípulos que escolhera, um a um, até ter tocado todos; e falava-lhes enquanto os tocava.

  37 E a multidão não ouviu as palavras que ele disse, portanto não deram testemunho. Os discípulos, porém, testificaram que ele lhes deu apoder para conferirem o bEspírito Santo. E mostrar-vos-ei mais adiante que esse testemunho é verdadeiro.

  38 E aconteceu que depois de Jesus haver tocado a todos, apareceu uma anuvem e cobriu a multidão, de modo que eles não podiam ver Jesus.

  39 E enquanto estavam assim cobertos, ele partiu do meio deles e subiu aos céus. E os discípulos viram e testificaram que ele novamente subiu aos céus.