CAPÍTULO 24

O mensageiro do Senhor preparará o caminho para a Segunda Vinda—Cristo assentar-se-á em julgamento—É ordenado a Israel pagar dízimos e ofertas—Escreve-se um livro de recordações—Comparar com Malaquias 3. Aproximadamente 34 d.C.

  E aconteceu que ele lhes ordenou que escrevessem as palavras que o Pai transmitira a Malaquias, as quais ele lhes diria. E aconteceu que depois que foram escritas, ele as explicou. E estas foram as palavras que ele lhes disse: Assim disse o Pai a Malaquias—Eis que enviarei meu amensageiro que preparará o caminho diante de mim; e de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o mensageiro do convênio em quem vos deleitais; eis que virá, diz o Senhor dos Exércitos.

  E quem asuportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá quando ele aparecer? Porque é como o bfogo do ourives e como o sabão do pisoeiro.

  E assentar-se-á como refinador e purificador de prata; e purificará os afilhos de Levi e torná-los-á puros como ouro e como prata; então ao Senhor btrarão ofertas em retidão.

  E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor, como nos dias antigos e como nos primeiros anos.

  E chegar-me-ei a vós para juízo; e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros e contra os adúlteros; e contra os que juram falsamente e contra os que oprimem o empregado em seu salário, a viúva e o aórfão; e repelem o estrangeiro e não me temem, diz o Senhor dos Exércitos.

  Porque eu sou o Senhor, eu não mudo; por isso vós, filhos de Jacó, não sois consumidos.

  Desde os dias de vossos pais vos adesviastes de minhas ordenanças e não as guardastes; btornai-vos para mim e eu tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos. Vós, porém, dizeis: Em que havemos de tornar?

  Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos adízimos e nas bofertas.

  Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubastes a mim, vós, toda a nação.

  10 Trazei todos os adízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me então com isto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bbênção tal, que não haja espaço suficiente para recebê-la.

  11 E por vossa causa repreenderei o devorador e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa videira derrubará antes do tempo o seu fruto nos campos, diz o Senhor dos Exércitos.

  12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados, porque vós sereis uma terra aprazível, diz o Senhor dos Exércitos.

  13 Fortes foram vossas palavras contra mim, diz o Senhor. Contudo dizeis: Que temos falado contra ti?

  14 Vós dissestes: Inútil é servir a Deus; e que nos aproveita termos guardado as suas ordenanças e andado de luto diante do Senhor dos Exércitos?

  15 E agora, nós chamamos bem-aventurados os soberbos; sim, são exaltados os que praticam iniqüidades; sim, os que tentam a Deus são libertados.

  16 Então os que temiam ao Senhor afalavam freqüentemente uns com os outros e o Senhor atentava e ouvia; e um blivro de recordações foi escrito diante dele para os que temiam ao Senhor e lembravam-se de seu nome.

  17 E eles serão meus, diz o Senhor dos Exércitos, no dia em que eu areunir minhas jóias; e poupá-los-ei, assim como um homem poupa o filho que o serve.

  18 Então retornareis e adiscernireis o justo do ímpio; o que serve a Deus do que não o serve.