CAPÍTULO 3

Gidiâni, chefe do bando de Gadiânton, exige que Laconeu e os nefitas se rendam e entreguem suas terras—Laconeu nomeia Gidgidôni capitão-chefe dos exércitos—Os nefitas reúnem-se em Zaraenla e Abundância para defenderem-se. Aproximadamente 16–18 d.C.

  E então aconteceu que no décimo sexto ano depois da vinda de Cristo, Laconeu, governador da terra, recebeu uma epístola do chefe e governador desse bando de ladrões; e estas foram as palavras escritas, dizendo:

  Laconeu, nobilíssimo e supremo governador da terra: Eis que te escrevo esta epístola elogiando-te amplamente por tua firmeza e também pela firmeza de teu povo em manter o que julgais ser vosso direito e liberdade; sim, resistis heroicamente, como se fôsseis protegidos pela mão de um deus na defesa de vossa liberdade e de vossos bens e de vosso país ou do que assim chamais.

  E causa-me lástima, nobilíssimo Laconeu, que sejas tão insensato e presunçoso a ponto de supores que possas resistir a tantos homens valentes como os que tenho sob meu comando e que, neste exato momento, estão de prontidão, esperando com grande ansiedade a palavra de ordem—Caí sobre os nefitas e destruí-os.

  E eu conheço-lhes o indomável espírito, tendo-os posto à prova no campo de batalha e sabendo de seu eterno ódio a vós, em virtude dos muitos males que lhes infligistes; eis que vos destruirão completamente se descerem contra vós.

  Por conseguinte escrevi esta epístola, selando-a com minhas próprias mãos, temendo pelo teu bem-estar, por causa de tua firmeza no que crês ser justo e de teu nobre espírito no campo de batalha.

  Em vista disso escrevo-te pedindo que entregueis vossas cidades, vossas terras e vossos bens a meu povo, para que ele não vos ataque com a espada e sejais destruídos.

  Ou, em outras palavras, entregai-vos a nós e uni-vos a nós e familiarizai-vos com nossas aobras secretas e tornai-vos nossos irmãos, para que sejais como nós—não nossos escravos, mas nossos irmãos e sócios em tudo o que possuímos.

  E eis que eu te ajuro com um juramento que, se isto fizerdes, não sereis destruídos; mas, se não o fizerdes, juro-te com um juramento que, no próximo mês, ordenarei aos meus exércitos que vos ataquem; e não se deterão nem vos pouparão, mas hão de matar-vos e deixarão cair a espada sobre vós até que sejais exterminados.

  E eis que eu sou Gidiâni; e sou governador desta asociedade secreta de Gadiânton; e sei que esta sociedade e suas obras são bboas; e datam de clongo tempo e foram transmitidas a nós.

  10 E escrevo-te esta epístola, Laconeu, esperando que nos entregueis vossas terras e vossas propriedades sem derramamento de sangue, a fim de que o meu povo, que dissentiu de vós em virtude de os haverdes iniquamente privado de seus direitos ao governo, possa recuperar seus direitos e governo; e a não ser que façais isso, eu vingarei os seus agravos. Sou Gidiâni.

  11 E então aconteceu que quando recebeu essa epístola, Laconeu muito se admirou com a ousadia de Gidiâni, exigindo a posse da terra dos nefitas e também ameaçando o povo de vingar os agravos daqueles que não haviam sofrido mal algum, a não ser o amal que eles haviam causado a si próprios, unindo-se a esses iníquos e abomináveis ladrões.

  12 Ora, eis que este Laconeu, o governador, era homem justo e não podia ser intimidado pelas exigências e ameaças de um aladrão; por conseguinte não deu atenção à epístola de Gidiâni, governador dos ladrões, mas fez com que seu povo clamasse ao Senhor pedindo forças para quando os ladrões descessem contra eles.

  13 Sim, ele enviou uma proclamação a todo o povo, para que reunissem suas mulheres e seus filhos, suas manadas e rebanhos e todos os seus bens, com exceção de suas terras, em um só lugar.

  14 E fez construir em derredor fortificações; e a força delas deveria ser muito grande. E fez com que exércitos, tanto dos nefitas como dos lamanitas, ou seja, de todos os que eram contados com os nefitas, fossem colocados como vigias em derredor, para protegê-los e livrá-los dos ladrões, dia e noite.

  15 Sim, disse-lhes ele: Como vive o Senhor, a não ser que vos arrependais de todas as vossas iniqüidades e clameis ao Senhor, de modo algum vos livrareis das mãos dos ladrões de Gadiânton.

  16 E tão grandes e maravilhosas foram as palavras e profecias de Laconeu, que causaram temor a todo o povo; e esforçaram-se com todo o empenho para agir segundo as palavras de Laconeu.

  17 E aconteceu que Laconeu designou capitães-chefes para todos os exércitos nefitas, a fim de dirigi-los quando os ladrões descessem do deserto contra eles.

  18 Então foi designado o principal dentre todos os capitães-chefes e comandante supremo dos exércitos nefitas; e seu nome era aGidgidôni.

  19 Ora, era costume entre todos os nefitas (salvo em tempos de iniqüidade) designar como seu capitão-chefe alguém que possuísse espírito de revelação e também de aprofecia; portanto esse Gidgidôni era um grande profeta entre eles, como também o era o juiz supremo.

  20 Disse, pois, o povo a Gidgidôni: Ora ao Senhor e subamos às montanhas e ao deserto para que possamos cair sobre os ladrões e destruí-los em suas próprias terras.

  21 Gidgidôni, porém, respondeu-lhes: aNão o permita o Senhor; porque se marchássemos contra eles, o Senhor nos bentregaria em suas mãos; portanto nos prepararemos no centro de nossas terras e reuniremos todos os nossos exércitos e não os atacaremos, mas esperaremos até que venham contra nós; por conseguinte, tão certo como vive o Senhor, ele os entregará em nossas mãos se assim procedermos.

  22 E aconteceu que quase no fim do décimo sétimo ano, a proclamação de Laconeu foi divulgada em toda a face da terra e eles, tomando seus cavalos e seus carros e seu gado e todos os seus rebanhos e suas manadas e seus grãos e todos os seus bens, dirigiram-se aos milhares e dezenas de milhares ao lugar determinado, a fim de reunirem-se para defenderem-se de seus inimigos.

  23 E a terra designada foi a terra de Zaraenla e a terra que ficava entre a terra de Zaraenla e a terra de Abundância, sim, até a linha que dividia a terra de Abundância da terra de Desolação.

  24 E houve muitos milhares de pessoas, que eram chamadas nefitas, que se reuniram nessa terra. Ora, Laconeu fez com que se reunissem na terra do sul, em virtude da grande maldição que havia caído sobre a aterra do norte.

  25 E fortificaram-se contra seus inimigos e habitaram em uma só terra, em um só grupo; e temiam as palavras proferidas por Laconeu, de modo que se arrependeram de todos os seus pecados; e oraram ao Senhor seu Deus para que os alivrasse de seus inimigos quando estes descessem para batalhar contra eles.

  26 E estavam extremamente aflitos por causa de seus inimigos. E Gidgidôni fez com que fabricassem aarmas de guerra de todo tipo e se fortalecessem com armaduras e com escudos e com broquéis, de acordo com suas instruções.