CAPÍTULO 22

Aarão ensina o pai de Lamôni a respeito da Criação, da queda de Adão e do plano de redenção, por meio de Cristo—O rei e toda a sua casa são convertidos—Explica-se a divisão da terra entre os nefitas e os lamanitas. Aproximadamente 90–77 a.C.

  Ora, como Amon estava continuamente ensinando o povo de Lamôni, voltaremos à história de Aarão e seus irmãos; porque, tendo partido da terra de Midôni, ele foi aguiado pelo Espírito à terra de Néfi, até a casa do rei que governava toda a terra, bexceto a terra de Ismael; e era o pai de Lamôni.

  E aconteceu que, tendo entrado no palácio do rei com os seus irmãos e tendo-se inclinado diante do rei, disse-lhe: Eis, ó rei, que somos os irmãos de Amon, que alivraste da prisão.

  E agora, ó rei, se nos poupares a vida, seremos teus servos. E disse-lhes o rei: Levantai-vos, porque vos concederei a vida e não permitirei que sejais meus servos; insistirei, porém, em que me ensineis, porque minha mente ficou um tanto perturbada pela generosidade e grandeza das palavras de vosso irmão Amon; e desejo saber por que motivo não subiu ele de Midôni convosco.

  E Aarão disse ao rei: Eis que o Espírito do Senhor o chamou para outro lugar; ele foi para a terra de Ismael a fim de ensinar o povo de Lamôni.

  Disse-lhes então o rei: O que é isso que disseste sobre o Espírito do Senhor? Eis que é isso que me perturba.

  E, também, o que é isso que disse Amon: aSe vos arrependerdes, sereis salvos; e se não vos arrependerdes, sereis afastados no último dia?

  E Aarão, respondendo-lhe, disse: Crês tu que existe um Deus? E o rei respondeu: Sei que os amalequitas dizem existir um Deus e permiti-lhes construir santuários a fim de que se reunissem para adorá-lo. E se agora dizes que existe um Deus, eis que aacreditarei.

  E então, quando Aarão ouviu isso, alegrou-se-lhe o coração e ele disse: Eis que, tão certo como tu vives, ó rei, existe um Deus.

  E disse o rei: É Deus aquele aGrande Espírito que tirou nossos pais da terra de Jerusalém?

  10 E disse-lhe Aarão: Sim, ele é aquele Grande Espírito e acriou todas as coisas, tanto no céu como na Terra. Acreditas nisso?

  11 E ele disse: Sim, acredito que o Grande Espírito criou todas as coisas e desejo que me ensines a respeito de todas essas coisas; e eu aacreditarei em tuas palavras.

  12 E aconteceu que Aarão, quando viu que o rei acreditaria em suas palavras, começou a aler-lhe as escrituras, desde a criação de Adão: como criou Deus o homem a sua própria imagem e que Deus lhe deu mandamentos; e que, por causa da transgressão, o homem caiu.

  13 E Aarão explicou-lhe as escrituras, desde a acriação de Adão, expondo-lhe a queda do homem e seu estado carnal; e também o bplano de redenção que havia sido preparado cdesde a fundação do mundo, por meio de Cristo, para todos os que acreditassem em seu nome.

  14 E tendo o homem acaído, por si mesmo nada podia bmerecer; mas os sofrimentos e a morte de Cristo cexpiam seus pecados por meio da fé e do arrependimento e assim por diante; e ele rompe as ligaduras da morte, para que a dsepultura não seja vitoriosa e para que o aguilhão da morte seja consumido na esperança de glória; e Aarão explicou todas essas coisas ao rei.

  15 E aconteceu que, tendo Aarão explicado estas coisas ao rei, o rei disse: aQue deverei fazer para conseguir essa vida eterna da qual falaste? Sim, que deverei fazer para bnascer de Deus, arrancar este espírito iníquo de meu peito e receber o Espírito de Deus, a fim de encher-me de júbilo e não ser afastado no último dia? Eis que, disse ele, renunciarei a ctudo quanto possuo; sim, abandonarei o meu reino para poder receber essa grande alegria.

  16 Mas disse-lhe Aarão: Se adesejas isto, se te curvares diante de Deus, sim, se te arrependeres de todos os teus pecados e te curvares diante de Deus e invocares o seu nome com fé, acreditando que receberás, então obterás a besperança que desejas.

  17 E aconteceu que quando Aarão proferiu estas palavras, o rei acurvou-se diante do Senhor, de joelhos; sim, prostrou-se por terra e bclamou de todo o coração, dizendo:

  18 Ó Deus, Aarão disse-me que existe um Deus e, se existe um Deus e se tu és Deus, faze-mo saber; e abandonarei todos os meus pecados para conhecer-te, para que eu possa ser levantado dentre os mortos e salvo no último dia. E quando o rei disse essas palavras, caiu como que ferido de morte.

  19 E aconteceu que seus servos correram para contar à rainha tudo o que sucedera ao rei. E ela dirigiu-se para onde estava o rei; e quando o viu caído como se estivesse morto e também Aarão e seus irmãos ali parados como se fossem os causadores de sua queda, irou-se contra eles e ordenou que seus servos, ou seja, os servos do rei, os prendessem e matassem.

  20 Ora, os servos haviam presenciado o motivo da queda do rei; portanto não se atreviam a deitar as mãos em Aarão e seus irmãos; e intercederam à rainha, dizendo: Por que ordenas que matemos esses homens, quando eis que um deles é amais poderoso que nós todos? Cairemos, portanto, diante deles.

  21 Ora, quando a rainha viu o temor de seus servos, começou também a sentir grande temor de que algum mal lhe acontecesse. E ordenou aos servos que fossem chamar o povo, para que matassem Aarão e seus irmãos.

  22 Ora, quando Aarão viu a determinação da rainha, ele, conhecendo também a dureza de coração do povo, temeu que se reunisse uma multidão e daí resultassem grandes contendas e distúrbios entre eles; estendeu portanto a mão e levantou o rei, dizendo-lhe: Levanta-te. E ele pôs-se em pé, recuperando as forças.

  23 Ora, isso foi feito na presença da rainha e de muitos dos servos. E quando viram isso, ficaram muito admirados e começaram a temer. E o rei adiantou-se e começou a aensiná-los. E ensinou-os de tal modo que toda a sua casa se bconverteu ao Senhor.

  24 Ora, reunira-se uma multidão, por causa das ordens da rainha; e começou a haver grandes murmurações entre eles, por causa de Aarão e seus irmãos.

  25 Mas o rei adiantou-se e pregou-lhes. E tranqüilizaram-se em relação a Aarão e aos que com ele estavam.

  26 E aconteceu que o rei, vendo que o povo se tranqüilizara, fez com que Aarão e seus irmãos fossem para o meio da multidão e pregassem-lhes a palavra.

  27 E aconteceu que o rei enviou uma aproclamação por toda a terra, a todo o seu povo que vivia em toda a sua terra, que vivia em todas as regiões circunvizinhas, terra que confinava com o mar a leste e a oeste e que era dividida da terra de bZaraenla por uma estreita faixa de deserto que se estendia do mar do leste ao mar do oeste e contornava a costa e as fronteiras do deserto que ficava ao norte, perto da terra de Zaraenla, através das fronteiras de Mânti, à cabeceira do rio Sidon, correndo de leste para oeste—e assim estavam os lamanitas separados dos nefitas.

  28 Ora, os mais aindolentes dos lamanitas viviam no deserto e habitavam em tendas; e estavam espalhados pelo deserto a oeste, na terra de Néfi; sim, como também a oeste da terra de Zaraenla, beirando a costa; e a oeste, na terra de Néfi, no local da primeira herança de seus pais; e assim ao longo da costa.

  29 E também havia muitos lamanitas no leste, junto à costa, para onde os nefitas os haviam impelido. Desse modo os nefitas estavam quase rodeados pelos lamanitas; não obstante, os nefitas haviam-se apoderado de todas as regiões do norte da terra, que beiravam o deserto, na cabeceira do rio Sidon, de leste a oeste do lado do deserto; no norte, até chegar à terra a que deram o nome de aAbundância.

  30 E confinava com a terra a que chamavam aDesolação, a qual estava tão ao norte que adentrava a terra que havia sido povoada e destruída, de cujos bossos já falamos, que fora descoberta pelo povo de Zaraenla, tendo sido o local de seu cprimeiro desembarque.

  31 E daí subiram até o deserto do sul. E assim foi que a terra do norte se chamou aDesolação e a terra do sul se chamou Abundância, sendo ela o deserto que é cheio de todo tipo de animais selvagens de toda espécie, uma parte dos quais havia vindo da terra do norte à procura de alimento.

  32 E assim, a adistância entre o mar do leste e o mar do oeste, pela fronteira entre Abundância e a terra de Desolação, era o equivalente a um dia e meio de viagem para um nefita. E assim, a terra de Néfi e a terra de Zaraenla estavam quase que rodeadas por água, havendo uma pequena bfaixa de terra entre a terra do norte e a terra do sul.

  33 E aconteceu que os nefitas haviam povoado a terra de Abundância, desde o mar do leste até o mar do oeste; e assim os nefitas, em sua sabedoria, com seus guardas e seus exércitos, haviam confinado os lamanitas no sul, para que desse modo não mais ocupassem as terras ao norte e não invadissem a terra do norte.

  34 Portanto os lamanitas não podiam mais ter terras, a não ser na terra de Néfi e nos desertos a sua volta. Ora, nisto os nefitas foram prudentes—como os lamanitas eram seus inimigos, não sofreriam ataques por todos os lados e teriam também um país onde se refugiar, segundo seus desejos.

  35 E agora eu, depois de haver relatado isto, volto à história de Amon e Aarão, Ômner e Hímni e seus irmãos.