CAPÍTULO 26

Amon gloria-se no Senhor—Os fiéis são fortalecidos pelo Senhor e recebem conhecimento—Pela fé os homens podem trazer milhares de almas ao arrependimento—Deus tem todo o poder e compreende todas as coisas. Aproximadamente 90–77 a.C.

  Ora, estas são as palavras que Amon disse a seus irmãos: Meus irmãos e meus irmãos na fé, eis que vos digo que temos grandes razões para nos regozijarmos; porque poderíamos nós supor, quando apartimos da terra de Zaraenla, que Deus nos concederia tão grandes bênçãos?

  E agora pergunto: Quais as grandes bênçãos que ele nos concedeu? Podeis dizer?

  Eis que respondo por vós; pois nossos irmãos, os lamanitas, estavam em trevas, sim, no mais tenebroso abismo; aquantos deles, porém, foram levados a ver a maravilhosa luz de Deus! E esta é a bênção que nos foi concedida: que fomos transformados em binstrumentos nas mãos de Deus, para realizar esta grande obra.

  Eis que amilhares deles se regozijam e foram trazidos ao rebanho de Deus.

  Eis que o acampo estava maduro e abençoados sois por haverdes usado a bfoice e segado com vigor; sim, haveis trabalhado o dia todo e eis o número de vossos cfeixes! E serão recolhidos aos celeiros, para que não sejam desperdiçados.

  Sim, não serão abatidos pela tempestade no último dia; sim, nem perturbados pelos furacões; mas quando vier a atempestade, serão reunidos em seu lugar para que a tempestade não os possa atingir; sim, nem serão impelidos pelos ventos fortes para onde o inimigo queira levá-los.

  Mas eis que estão nas mãos do Senhor da acolheita e pertencem-lhe; e ele blevantá-los-á no último dia.

  Bendito seja o nome de nosso Deus! aCantemos em seu louvor, sim, demos bgraças a seu santo nome, porque ele pratica a justiça eternamente!

  Pois se não tivéssemos saído da terra de Zaraenla, estes nossos irmãos muito amados, que tanto nos têm amado, achar-se-iam ainda atormentados pelo aódio que nos tinham, sim, e teriam sido também estranhos a Deus.

  10 E aconteceu que tendo Amon pronunciado essas palavras, seu irmão Aarão censurou-o, dizendo: Temo, Amon, que tua alegria te leve à vanglória.

  11 Amon, porém, disse-lhe: Não me avanglorio de minha própria força nem de minha própria sabedoria; mas eis que minha balegria é completa, sim, meu coração transborda de alegria e regozijar-me-ei em meu Deus.

  12 Sim, sei que nada sou; quanto a minha força, sou débil; portanto não me avangloriarei de mim mesmo, mas gloriar-me-ei em meu Deus, porque com sua bforça posso fazer todas as coisas; sim, eis que fizemos muitos milagres nesta terra, pelo que louvaremos o seu nome para sempre.

  13 Eis que quantos milhares de nossos irmãos ele livrou das penas do ainferno! E eles foram levados a bcantar o amor que redime e isto graças ao poder de sua palavra que está em nós; não temos, portanto, motivo para regozijar-nos?

  14 Sim, temos motivos para louvá-lo para sempre, porque ele é o Deus Altíssimo e livrou nossos irmãos dos agrilhões do inferno.

  15 Sim, estavam envolvidos por trevas eternas e destruição, mas eis que ele os trouxe a sua aluz eterna, sim, à salvação eterna; e estão envolvidos pela incomparável generosidade de seu amor; sim, e fomos instrumentos em suas mãos para realizar esta grande e maravilhosa obra.

  16  aGloriemo-nos, portanto, sim, bgloriar-nos-emos no Senhor; sim, rejubilar-nos-emos, pois nossa alegria é completa; sim, louvaremos nosso Deus para sempre. Quem poderá gloriar-se demasiadamente no Senhor? Sim, quem poderá falar em demasia de seu grande poder e de sua cmisericórdia e de sua longanimidade para com os filhos dos homens? Eis que vos digo que não posso expressar nem a mínima parte do que sinto.

  17 Quem havia de supor que nosso Deus seria tão misericordioso a ponto de resgatar-nos de nosso estado terrível, pecador e corrompido?

  18 Eis que saímos com ira e muitas ameaças para adestruir a sua igreja.

  19 Oh! Então por que não nos entregou a uma terrível destruição? Sim, por que não deixou que a espada de sua justiça caísse sobre nós e nos condenasse ao desespero eterno?

  20 Oh! A minha alma quase se esvaece a este pensamento. Eis que ele não exerceu sua justiça sobre nós, mas em sua grande misericórdia fez-nos saltar esse sempiterno aabismo da morte e miséria, para a salvação de nossa alma.

  21 E agora, meus irmãos, que ahomem natural existe que conheça essas coisas? Digo-vos que não existe quem bconheça essas coisas, a não ser o penitente.

  22 Sim, aquele que se aarrepende e exercita a b e faz boas obras e ora continuamente sem cessar—a esse é permitido conhecer os cmistérios de Deus; sim, e a esse será permitido revelar coisas nunca antes reveladas; sim, a esse será permitido levar milhares de almas ao arrependimento, assim como a nós nos foi permitido levar estes nossos irmãos ao arrependimento.

  23 E agora vos lembrais, meus irmãos, de que dissemos aos nossos irmãos na terra de Zaraenla que subiríamos à terra de Néfi, a fim de pregar a nossos irmãos, os lamanitas, e eles com desprezo zombaram de nós?

  24 Pois disseram-nos: Supondes que podeis levar os lamanitas a conhecerem a verdade? Supondes que podereis convencer os lamanitas da incorreção das atradições de seus pais, quando são um povo bobstinado, cujo coração se deleita no derramamento de sangue, cujos dias foram passados na mais vil iniqüidade, cujas sendas têm sido as sendas do transgressor desde o início? Agora, lembrai-vos, meus irmãos, de que foi deste modo que falaram.

  25 E disseram mais: Peguemos em armas contra eles para exterminá-los da terra juntamente com suas iniqüidades, para que não nos invadam e exterminem.

  26 Eis, porém, meus amados irmãos, que não viemos ao deserto com o propósito de destruir nossos irmãos, mas com o propósito de talvez salvar a alma de alguns deles.

  27 Ora, quando nosso coração se achava deprimido e estávamos para voltar, eis que o Senhor nos aconfortou e disse: Ide para o meio de vossos irmãos, os lamanitas, e suportai com bpaciência vossas caflições; e eu farei com que tenhais êxito.

  28 E agora, eis que viemos e permanecemos entre eles; e temos sido pacientes em nossos sofrimentos e padecido toda sorte de privações; sim, viajamos de casa em casa, contando com a misericórdia do mundo—não somente com a misericórdia do mundo, mas com a misericórdia de Deus.

  29 E entramos em suas casas e ensinamo-los; e ensinamo-los nas ruas; sim, e ensinamo-los sobre os montes; e também entramos em seus templos e suas sinagogas e ensinamo-los; e fomos rechaçados e escarnecidos e cuspidos e esbofeteados; e fomos apedrejados e amarrados com fortes cordas e lançados na prisão; e pelo poder e sabedoria de Deus, fomos novamente postos em liberdade.

  30 E padecemos toda espécie de sofrimentos; e tudo isso para que talvez pudéssemos ser o instrumento da salvação de alguma alma; e supúnhamos que nossa aalegria seria completa, se porventura conseguíssemos ser instrumento da salvação de alguns.

  31 Agora, eis que podemos olhar e ver os frutos de nosso trabalho; e são eles poucos? Eu vos digo: Não, são amuitos; sim, e podemos testemunhar a sinceridade deles por causa de seu amor a seus irmãos e também a nós.

  32 Pois eis que preferiram asacrificar a própria vida a tirar a vida de seus inimigos; e benterraram suas armas de guerra profundamente no solo, por causa de seu amor aos irmãos.

  33 E agora, eis que vos digo: Houve já tão grande amor em toda a terra? Eis que vos digo: Não, não houve, nem mesmo entre os nefitas.

  34 Porque eis que pegariam em armas contra seus irmãos; não se deixariam matar. Quantos destes, porém, sacrificaram a vida! E sabemos que foram ter com Deus por causa de seu amor e de seu ódio ao pecado.

  35 Ora, não temos razão para regozijar-nos? Sim, eu vos digo que, desde o começo do mundo, nunca existiu alguém que tivesse tão grandes razões para regozijar-se, como nós; sim, e minha alegria transborda, a ponto de gloriar-me em meu Deus; porque ele tem todo o apoder, toda a sabedoria e todo o entendimento; ele bcompreende todas as coisas e é um Ser cmisericordioso, que salva aqueles que se arrependem e acreditam em seu nome.

  36 Ora, se isso é vangloriar-se, eu então me vanglorio; porque isso é minha vida e minha luz, meu júbilo, minha salvação e minha redenção da eterna angústia. Sim, bendito é o nome de meu Deus que se lembrou deste povo, que é um aramo da árvore de Israel e que se havia perdido de seu tronco numa terra estranha; sim, digo eu, bendito seja o nome de meu Deus que se lembrou de nós, bperegrinos numa terra estranha.

  37 Agora, meus irmãos, vemos que Deus se lembra de todos os apovos, estejam na terra em que estiverem; sim, ele conta o seu povo e suas entranhas de misericórdia cobrem toda a Terra. Ora, esta é minha alegria e minha grande gratidão; sim, darei graças a meu Deus para sempre. Amém.