CAPÍTULO 28

Os lamanitas são derrotados numa tremenda batalha—Dezenas de milhares são mortos—Os iníquos são condenados a um estado de miséria interminável; os justos obtêm uma felicidade sem fim. Aproximadamente 77–76 a.C.

  E então aconteceu que depois que o povo de Amon se estabeleceu na terra de aJérson e uma igreja foi também organizada na terra de Jérson e os exércitos dos nefitas foram colocados em vários lugares da terra de Jérson, sim, em todas as fronteiras da terra de Zaraenla; eis que os exércitos dos lamanitas haviam seguido seus irmãos ao deserto.

  E assim houve uma tremenda batalha; sim, uma batalha como ainda não se tinha visto entre todo o povo daquela terra, desde o tempo em que Leí havia deixado Jerusalém; sim, e dezenas de milhares de lamanitas foram mortos e dispersos.

  Sim, e também houve uma terrível matança entre o povo de Néfi; não obstante, os lamanitas foram arechaçados e dispersos e o povo de Néfi retornou a sua terra.

  E eis que esse foi um tempo em que se ouviu grande pranto e lamentações entre todo o povo de Néfi em toda a terra—

  Sim, o clamor de viúvas chorando pelos maridos e também de pais chorando pelos filhos e da filha pelo irmão, sim, do irmão pelo pai; e assim o grito de lamentação foi ouvido entre todos eles, lamentando a perda de seus parentes que haviam sido mortos.

  E seguramente esse foi um dia tristíssimo; sim, um tempo de sobriedade e um tempo de muito ajejum e oração.

  E assim terminou o décimo quinto ano em que os juízes governaram o povo de Néfi.

  E este é o relato de Amon e seus irmãos, de suas viagens na terra de Néfi, seus sofrimentos na terra, suas dores e suas aflições e sua aincomensurável alegria; e a acolhida e segurança dos irmãos na terra de Jérson. E agora possa o Senhor, o Redentor de todos os homens, abençoar-lhes a alma para sempre.

  E este é o relato das guerras e contendas entre os nefitas e também das guerras entre nefitas e lamanitas; e terminou o décimo quinto ano do governo dos juízes.

  10 E do primeiro ao décimo quinto ano houve a destruição de muitos milhares de vidas; sim, houve um terrível derramamento de sangue.

  11 E os corpos de muitos milhares jazem debaixo da terra, enquanto outros milhares se estão aputrefazendo, amontoados sobre a face da Terra; sim, e muitos milhares bchoram a perda de seus parentes, porque têm motivos para temer que estejam condenados a um estado de miséria sem fim, segundo as promessas do Senhor.

  12 Enquanto muitos milhares de outros, ainda que chorem sinceramente a perda de seus parentes, alegram-se e exultam na esperança e até sabem, segundo as apromessas do Senhor, que eles serão elevados para habitar à mão direita de Deus, num estado de felicidade sem fim.

  13 Vemos, assim, quão grande é a adesigualdade entre os homens por causa do pecado e da transgressão e do poder do diabo, que provém dos astutos bplanos por ele engendrados para enredar o coração dos homens.

  14 E assim vemos a grande necessidade que o homem tem de trabalhar com diligência nas avinhas do Senhor; e assim vemos a grande causa da tristeza, como também da alegria—tristeza devido à morte e destruição dos homens; e alegria por causa da bluz vivificante de Cristo.