CAPÍTULO 34

Amuleque testifica que a palavra que leva à salvação está em Cristo—A não ser que haja uma expiação, toda a humanidade perecerá—A totalidade da lei de Moisés aponta para o sacrifício do Filho de Deus—O plano eterno de redenção fundamenta-se na fé e no arrependimento—Orai por bênçãos materiais e espirituais—Esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para o encontro com Deus—Operai a vossa salvação com temor perante Deus. Aproximadamente 74 a.C.

  E então aconteceu que Alma, tendo proferido estas palavras, sentou-se no chão; e aAmuleque levantou-se e começou a ensinar-lhes, dizendo:

  Meus irmãos, penso ser impossível que ignoreis as coisas que foram ditas concernentes à vinda de Cristo, que ensinamos ser o Filho de Deus; sim, sei que aestas coisas vos foram amplamente ensinadas antes de vosso afastamento de nós.

  E como haveis desejado que meu amado irmão vos dissesse o que deveríeis fazer, devido a vossas aflições, ele vos disse algo para preparar-vos a mente; sim, e ele exortou-vos a terdes fé e paciência—

  Sim, a terdes fé suficiente para aplantar a palavra em vosso coração e assim testar sua excelência.

  E vimos que a grande pergunta que tendes em mente é se a palavra está no Filho de Deus ou se não haverá um Cristo.

  E vistes também que meu irmão vos provou em muitas ocasiões que a apalavra para a salvação está em Cristo.

  Meu irmão citou as palavras de Zenos e também as palavras de Zenoque, de que a redenção nos vem por meio do Filho de Deus; e ele também recorreu a Moisés para provar que estas coisas são verdadeiras.

  E agora, eis que eu próprio vos atestifico que estas coisas são verdadeiras. Eis que vos digo que sei que Cristo virá entre os filhos dos homens para tomar sobre si as transgressões de seu povo e que ele bexpiará os pecados do mundo; porque o Senhor Deus o disse.

  Pois é necessário que haja uma aexpiação; porque, de acordo com o grande bplano do Deus Eterno, deverá haver uma expiação; do contrário, toda a humanidade inevitavelmente perecerá; sim, todos são obstinados; sim, todos estão cdecaídos e perdidos e hão de perecer, a não ser que seja pela expiação que deve haver.

  10 Porque é necessário que haja um grande e último asacrifício; sim, não um sacrifício de homem nem de animal nem de qualquer tipo de ave; pois não será um sacrifício humano; deverá, porém, ser um bsacrifíciocinfinito e eterno.

  11 Ora, não há homem algum que possa sacrificar o seu sangue para expiar pecados de outrem. Ora, se um homem assassina, eis que a nossa lei, que é ajusta, tomará a vida de seu irmão? Digo-vos que não.

  12 A lei, porém, requer a vida daquele que cometeu o aassassinato; portanto, nada pode haver, a não ser uma expiação infinita, que seja suficiente para os pecados do mundo.

  13 Assim sendo, é necessário que haja um grande e último sacrifício; e aí haverá, ou melhor, é necessário que haja um afim para o derramamento de sangue; então será cumprida a blei de Moisés; sim, será totalmente cumprida, cada jota e til; e nada se omitirá.

  14 E eis que este é o asignificado total da blei, cada ponto indicando aquele grande e último csacrifício; e aquele grande e último sacrifício será o Filho de Deus, sim, infinito e eterno.

  15 E assim ele trará asalvação a todos os que acreditarem em seu nome, sendo a finalidade deste último sacrifício manifestar as entranhas da misericórdia, a qual sobrepuja a justiça e proporciona aos homens meios para que tenham fé para o arrependimento.

  16 E assim a amisericórdia pode satisfazer as exigências da bjustiça e envolve-os nos braços da segurança, enquanto que aquele que não exerce fé para o arrependimento está exposto às exigências de toda a lei da cjustiça; portanto, apenas para o que possui fé para o arrependimento tem efeito o grande e eterno dplano de redenção.

  17 Portanto permita Deus, meus irmãos, que comeceis a exercer vossa a para o arrependimento, que comeceis a binvocar seu santo nome, para que tenha misericórdia de vós.

  18 Sim, clamai a ele por misericórdia, porque ele é poderoso para salvar.

  19 Sim, humilhai-vos e continuai em oração a ele.

  20 Clamai a ele quando estiverdes em vossos campos, sim, por todos os vossos rebanhos.

  21  aClamai a ele em vossas casas, sim, por todos os de vossa casa, tanto de manhã como ao meio-dia e à noite.

  22 Sim, clamai a ele contra o poder de vossos inimigos.

  23 Sim, aclamai a ele contra o bdiabo, que é o inimigo de toda cretidão.

  24 Clamai a ele pelas colheitas de vossos campos, a fim de que, por meio delas, prospereis.

  25 Clamai pelos rebanhos de vossos campos, para que aumentem.

  26 Mas isto não é tudo; deveis abrir vossa alma em vossos aaposentos e em vossos lugares secretos e em vossos desertos.

  27 Sim, e quando não clamardes ao Senhor, deixai que se aencha o vosso bcoração, voltado continuamente para ele em oração pelo vosso bem-estar, assim como pelo bem-estar de todos os que vos rodeiam.

  28 E agora, meus amados irmãos, eis que vos digo que não penseis que isto é tudo; porque depois de haverdes feito todas estas coisas, se negardes ajuda aos anecessitados e aos nus e não visitardes os doentes e aflitos nem brepartirdes o vosso sustento, se o tendes, com os que necessitam—digo-vos, se não fizerdes qualquer destas coisas, eis que vossa coração é d e de nada vos vale e sois como os hipócritas que negam a fé.

  29 Portanto, se não vos lembrardes de ser acaridosos, sereis como o refugo que os refinadores põem fora (por não ter valor) e é pisado pelos homens.

  30 E agora, meus irmãos, eu quisera que, depois de haverdes recebido tantos testemunhos, vendo que as santas escrituras testificam estas coisas, produzísseis afrutos para o arrependimento.

  31 Sim, eu quisera que já não endurecêsseis vosso coração, pois eis que agora é o tempo e o adia de vossa salvação; e, portanto, se vos arrependerdes e não endurecerdes o coração, imediatamente terá efeito para vós o grande plano de redenção.

  32 Pois eis que esta vida é o tempo para os homens aprepararem-se para encontrar Deus; sim, eis que o dia desta vida é o dia para os homens executarem os seus labores.

  33 E agora, como vos disse antes, já que haveis tido tantos testemunhos, peço-vos, portanto, que não adeixeis o dia do barrependimento para o fim; porque depois deste dia de vida que nos é dado a fim de nos prepararmos para a eternidade, eis que, se não fizermos melhor uso de nosso tempo nesta vida, virá a cnoitedtenebrosa, durante a qual nenhum labor poderá ser executado.

  34 Não podereis dizer, quando fordes levados a essa terrível acrise: Arrepender-me-ei para retornar a meu Deus. Não, não podereis dizer isso; porque o mesmo espírito que possuir vosso corpo quando deixardes esta vida, esse mesmo espírito terá poder para possuir vosso corpo naquele mundo eterno.

  35 Pois eis que, se deixastes o dia do arrependimento para o dia da vossa morte, eis que vos tendes asubmetido ao espírito do diabo e ele vos bsela como seus; portanto o Espírito do Senhor se apartou de vós e não tem lugar em vós; e o diabo tem sobre vós todo o poder e este é o estado final dos iníquos.

  36 E isto eu sei, porque o Senhor disse que não habita em templos aimpuros, mas no coração dos bjustos ele habita; sim, e disse também que os justos se sentarão em seu reino para não mais sair; suas vestimentas, porém, deverão ser alvejadas pelo sangue do Cordeiro.

  37 E agora, meus amados irmãos, desejo que vos lembreis destas coisas e que aopereis a vossa salvação com temor perante Deus, e que não mais negueis a vinda de Cristo;

  38 Que não mais aluteis contra o Espírito Santo, mas que o recebais e tomeis sobre vós o bnome de Cristo; que vos humilheis até o pó e cadoreis a Deus em qualquer lugar em que estejais, em espírito e em verdade; que vivais rendendo dgraças diariamente pelas muitas misericórdias e bênçãos que ele vos concede.

  39 Sim, e eu também vos exorto, meus irmãos, a vigiardes e aorardes, para não serdes levados pelas btentações do diabo, de modo que ele não vos subjugue, para que não vos torneis seus súditos no último dia; pois eis que ele não vos recompensa com coisa calguma que seja boa.

  40 E agora, meus amados irmãos, quisera exortar-vos a terdes apaciência e a suportardes toda espécie de aflições; e a não bultrajardes aqueles que vos rejeitam devido a vossa extrema pobreza, para não vos tornardes pecadores como eles.

  41 Mas tende paciência e suportai essas aflições com a firme esperança de que um dia descansareis de todas as vossas aflições.