CAPÍTULO 41

Na ressurreição os homens levantam-se para um estado de felicidade eterna ou de miséria eterna—Iniqüidade nunca foi felicidade—Homens carnais estão sem Deus no mundo—Toda pessoa recebe novamente, na restauração, as características e os atributos adquiridos na mortalidade. Aproximadamente 74 a.C.

  E agora, meu filho, tenho algo a dizer sobre a restauração da qual se tem falado; pois eis que alguns adesvirtuaram as escrituras e se bdesencaminharam por essa razão. E eu percebo que tua mente também tem estado preocupada a esse respeito. Eis, porém, que eu te explicarei isto.

  Digo-te, meu filho, que o plano de restauração é imprescindível à justiça de Deus; pois é necessário que todas as coisas sejam restauradas em sua própria ordem. Eis que é imprescindível e justo, de acordo com o poder e ressurreição de Cristo, que a alma do homem seja restituída a seu corpo e que, ao corpo, sejam restituídas todas as suas apartes.

  E é imprescindível à ajustiça de Deus que os homens sejam bjulgados de acordo com suas cobras; e se suas obras foram boas nesta vida e se os desejos de seu coração foram bons, que sejam também no último dia drestituídos ao que é bom.

  E se suas obras são más, ser-lhes-ão arestituídas para o mal. Portanto todas as coisas serão restauradas em sua própria ordem; cada coisa na sua estrutura natural— bmortalidade elevada à imortalidade, ccorrupção à incorrupção—levantados da tumba para a felicidade dinfinita, a fim de herdarem o reino de Deus, ou para a miséria eterna, a fim de herdarem o reino do diabo; um de um lado, o outro de outro—

  Um, ressuscitado para a felicidade, de acordo com seu desejo de bem; ou para o bem, segundo seu desejo de retidão; e o outro, para o mal, segundo seu desejo de mal; porque assim como ele desejou praticar o mal no decorrer do dia, terá a recompensa do mal quando chegar a noite.

  E assim é do outro lado. Se ele se arrependeu de seus pecados e desejou retidão até o fim de seus dias, assim também será recompensado com retidão.

  aEstes são os remidos do Senhor; sim, aqueles que são retirados, que são libertados daquela interminável noite de trevas; e assim se mantêm ou caem, pois eis que são seus bpróprios árbitros para fazerem o bem ou o mal.

  Ora, os decretos de Deus são ainalteráveis; portanto o caminho está preparado, para que, todo aquele que quiser, possa trilhá-lo e ser salvo.

  E agora, meu filho, não te arrisques a mais auma ofensa contra teu Deus sobre esses pontos de doutrina, com os quais te arriscaste até aqui a cometer pecado.

  10 Não penses que por ter sido falado acerca de restauração, serás restituído do pecado para a felicidade. Eis que te digo que ainiqüidade nunca foi felicidade.

  11 E agora, meu filho, todos os homens que estão num estado anatural ou, em outras palavras, num estado bcarnal, encontram-se no fel da amargura e nos laços da iniqüidade; vivem csem Deus no mundo e seguiram caminhos contrários à natureza de Deus; por conseguinte, estão num estado contrário à natureza da felicidade.

  12 E agora, eis que o significado da palavra restauração é tirar uma coisa do estado natural e colocá-la em um estado antinatural ou colocá-la em estado oposto à sua natureza?

  13 Oh! meu filho, não é este o caso; mas o significado da palavra restauração é restituir o mal ao mal ou o carnal ao carnal ou o diabólico ao diabólico—o bom ao que é bom; o reto ao que é reto; o justo ao que é justo; o misericordioso ao que é misericordioso.

  14 Portanto, meu filho, sê misericordioso para com teus irmãos: age acom justiça, bjulga com retidão e pratica o cbem continuamente; e se fizeres todas estas coisas, receberás teu galardão; sim, a dmisericórdia ser-te-á restituída novamente; a justiça ser-te-á restituída novamente; um julgamento justo ser-te-á restituído novamente; e novamente serás recompensado com o bem.

  15 Porque o que de ti sair, a ti retornará e será restaurado. Portanto a palavra restauração condena o pecador mais plenamente e em nada o justifica.