CAPÍTULO 43

Alma e seus filhos pregam a palavra—Os zoramitas e outros dissidentes nefitas tornam-se lamanitas—Os lamanitas guerreiam os nefitas—Morôni arma os nefitas com armaduras defensivas—O Senhor revela a Alma a estratégia dos lamanitas—Os nefitas defendem seus lares, sua liberdade, suas famílias e religião—Os exércitos de Morôni e Leí cercam os lamanitas. Aproximadamente 74 a.C.

  E então aconteceu que os filhos de Alma andaram entre o povo para proclamar-lhes a palavra. E o próprio Alma não conseguiu descansar e fez o mesmo.

  Ora, nada mais diremos a respeito de suas pregações, a não ser que pregaram a palavra e a verdade segundo o espírito de profecia e revelação; e pregaram segundo a asanta ordem de Deus pela qual foram chamados.

  E agora retorno ao relato das guerras entre os nefitas e lamanitas, no décimo oitavo ano do governo dos juízes.

  Pois eis que aconteceu que os azoramitas se tornaram lamanitas; por conseguinte, no começo do décimo oitavo ano o povo nefita viu que os lamanitas avançavam contra eles; em vista disso prepararam-se para a guerra, sim, reuniram seus exércitos na terra de Jérson.

  E aconteceu que os lamanitas chegaram aos milhares e entraram na terra de Antiônum, que é a terra dos zoramitas; e um homem chamado Zeraemna era seu comandante.

  E então, como os amalequitas eram de natureza mais iníqua e mais propensos ao assassinato que os lamanitas, Zeraemna portanto nomeou capitães-chefes para os lamanitas; e eles eram todos amalequitas e zoramitas.

  Ora, ele assim procedeu com o objetivo de preservar o ódio que sentiam contra os nefitas, a fim de poder subjugá-los para realizar seus desígnios.

  Pois eis que seu desígnio era instigar a ira dos lamanitas contra os nefitas: e isto ele fez para conseguir grande poder sobre eles e também para adquirir poder sobre os nefitas, submetendo-os ao cativeiro.

  Ora, o desígnio dos nefitas era proteger suas terras e suas casas e suas aesposas e seus filhos, para poderem defendê-los das mãos de seus inimigos; e também conservar seus direitos e seus privilégios, sim, e também sua bliberdade, para poderem adorar a Deus segundo seus desejos.

  10 Porque eles sabiam que, se caíssem nas mãos dos lamanitas, todos os que aadorassem a Deus, o Deus vivo e verdadeiro em bespírito e em verdade, seriam destruídos pelos lamanitas.

  11 Sim, e eles sabiam também do extremo ódio dos lamanitas contra seus airmãos, o povo de Ânti-Néfi-Leí, conhecido por povo de Amon—e eles não queriam pegar em armas, sim, haviam feito um convênio e não desejavam quebrá-lo—portanto, se caíssem nas mãos dos lamanitas, seriam destruídos.

  12 E os nefitas não permitiriam que fossem destruídos; portanto, deram-lhes terras para sua herança.

  13 E o povo de Amon deu aos nefitas grande parte de seus bens para manutenção dos exércitos; e assim os nefitas foram compelidos, sozinhos, a resistir aos lamanitas, que eram uma combinação dos filhos de Lamã e Lemuel e dos filhos de Ismael; e de todos os dissidentes dos nefitas, que eram amalequitas e zoramitas, e dos adescendentes dos sacerdotes de Noé.

  14 Ora, esses descendentes eram quase tão numerosos quanto os nefitas; e assim foram os nefitas obrigados a contender com seus irmãos até o derramamento de sangue.

  15 E aconteceu que quando os exércitos dos lamanitas se haviam reunido na terra de Antiônum, eis que os exércitos dos nefitas estavam preparados para enfrentá-los na terra de Jérson.

  16 Ora, o comandante dos nefitas, ou melhor, o homem que havia sido designado para ser o capitão-chefe dos nefitas—ora, o capitão-chefe assumiu o comando de todos os exércitos dos nefitas—e chamava-se Morôni.

  17 E Morôni assumiu todo o comando e a direção de suas guerras. E tinha apenas vinte e cinco anos de idade quando foi designado capitão-chefe dos exércitos dos nefitas.

  18 E aconteceu que ele enfrentou os lamanitas nas fronteiras de Jérson e seu povo estava armado com espadas e com cimitarras e com toda sorte de armas de guerra.

  19 E quando os exércitos dos lamanitas viram que o povo de Néfi, ou seja, que Morôni preparara seu povo com couraças e com escudos nos braços, sim, e também com escudos para proteger-lhes a cabeça e também estavam vestidos com roupas grossas—

  20 Ora, os do exército de Zeraemna não estavam preparados com tais coisas; tinham apenas suas espadas e suas cimitarras, seus arcos e suas flechas, suas pedras e suas fundas; e estavam anus, usando apenas uma pele que lhes cingia os lombos; sim, e estavam todos nus, menos os zoramitas e os amalequitas.

  21 Mas eles não estavam armados com couraças nem escudos—portanto ficaram com muito medo dos exércitos dos nefitas em vista de suas armaduras, apesar de serem muito mais numerosos que os nefitas.

  22 Eis que aconteceu que não ousaram marchar contra os nefitas nas fronteiras de Jérson; por conseguinte partiram da terra de Antiônum para o deserto e, viajando pelo deserto, seguiram até perto da cabeceira do rio Sidon, a fim de entrarem na terra de Mânti para tomarem posse da terra, porque não supunham que os exércitos de Morôni descobrissem para onde haviam ido.

  23 Mas aconteceu que tão logo partiram para o deserto, Morôni enviou espias ao deserto para vigiar seu acampamento; e Morôni também, tendo conhecimento das profecias de Alma, enviou-lhe alguns homens, pedindo-lhe que perguntasse ao Senhor aaonde os exércitos dos nefitas deveriam ir, a fim de defenderem-se dos lamanitas.

  24 E aconteceu que a palavra do Senhor veio a Alma e Alma informou aos mensageiros de Morôni que os exércitos dos lamanitas estavam marchando pelo deserto, para chegarem à terra de Mânti e principiarem a atacar a parte mais fraca do povo. E esses mensageiros levaram a mensagem a Morôni.

  25 Ora, Morôni, deixando uma parte de seu exército na terra de Jérson para que de nenhuma forma uma parte dos lamanitas entrasse naquela terra e se apoderasse da cidade, tomou a parte restante de seu exército e marchou para a terra de Mânti.

  26 E fez com que todo o povo daquela parte da terra se juntasse para combater os lamanitas, a fim de adefender suas terras e seu país, seus direitos e sua liberdade; por conseguinte, estavam preparados para a hora da chegada dos lamanitas.

  27 E aconteceu que Morôni fez com que seu exército se escondesse no vale próximo às margens do rio Sidon, que ficava situado a oeste do rio Sidon, no deserto.

  28 E Morôni espalhou espias por vários lugares, a fim de saber quando o exército lamanita chegaria.

  29 E então, como Morôni sabia da intenção dos lamanitas, que era destruir seus irmãos ou subjugá-los e torná-los escravos a fim de estabelecerem um reino para si próprios por toda a terra;

  30 E também sabendo ele que o único desejo dos nefitas era preservar suas terras e sua aliberdade e sua igreja, não considerou pecado, portanto, defendê-los por meio de estratagemas; assim descobriu, por intermédio de seus espias, qual o caminho que os lamanitas iriam seguir.

  31 Por essa razão dividiu o exército, levando uma parte para o vale e ocultando-a a leste e ao sul da colina de Ripla;

  32 E o restante ele ocultou no vale do oeste, a oeste do rio Sidon, e assim entrando pelas fronteiras da terra de Mânti.

  33 Dessa forma, havendo disposto o exército segundo seu desejo, estava ele preparado para enfrentá-los.

  34 E aconteceu que os lamanitas subiram pelo norte da colina onde se achava escondida uma parte do exército de Morôni.

  35 E assim que os lamanitas passaram pela colina de Ripla e entraram no vale e começaram a atravessar o rio Sidon, o exército que estava escondido ao sul da colina, comandado por um homem chamado aLeí, avançou e cercou os lamanitas na parte leste de sua retaguarda.

  36 E aconteceu que quando perceberam que os nefitas avançavam contra eles pela retaguarda, os lamanitas voltaram-se e começaram a lutar com o exército de Leí.

  37 E começou a matança em ambas as facções, porém foi mais terrível entre os lamanitas, porque sua anudez estava exposta aos violentos golpes dos nefitas que, com suas espadas e cimitarras, os feriam mortalmente quase a cada golpe.

  38 Enquanto isso, nas fileiras dos nefitas, apenas de vez em quando caía um homem pela espada e por perda de sangue, pois achavam-se protegidos nas partes mais vitais do corpo, ou seja, as partes mais vitais do corpo estavam protegidas dos golpes dos lamanitas por suas acouraças e seus escudos e seus capacetes; e assim os nefitas continuaram a espalhar a morte entre os lamanitas.

  39 E aconteceu que os lamanitas se apavoraram por causa da grande destruição entre eles e começaram a fugir em direção ao rio Sidon.

  40 E foram perseguidos por Leí e seus homens; e foram impelidos por Leí para as águas do Sidon e atravessaram as águas do Sidon. E Leí deteve seus exércitos na margem do rio Sidon, para que não o cruzassem.

  41 E aconteceu que Morôni e seu exército enfrentaram os lamanitas no vale, na outra margem do rio Sidon, e começaram a atacá-los e a matá-los.

  42 E os lamanitas novamente fugiram deles em direção à terra de Mânti e foram outra vez atacados pelos exércitos de Morôni.

  43 Ora, desta vez os lamanitas lutaram ferozmente, sim, nunca se soubera que os lamanitas houvessem lutado com tão grande força e coragem; não, nunca, desde o princípio.

  44 E foram movidos pelos azoramitas e amalequitas, que eram seus capitães-chefes e comandantes; e por Zeraemna, que era seu capitão-chefe, ou seja, seu principal chefe e comandante; sim, lutaram como dragões e muitos dos nefitas pereceram em suas mãos, sim, porque eles partiram em dois muitos dos seus capacetes e perfuraram muitas de suas couraças e cortaram os braços de muitos; e assim os lamanitas lutaram com raiva feroz.

  45 Não obstante, os nefitas eram movidos por uma causa melhor, porque não estavam alutando pela monarquia nem pelo poder, mas lutavam por seus lares e sua bliberdade, suas esposas e seus filhos e por tudo que possuíam; sim, por seus ritos de adoração e sua igreja.

  46 E faziam o que consideravam ser seu adever perante Deus; porque o Senhor lhes dissera, bem como a seus pais: bSe não fordes culpados da cprimeira ofensa nem da segunda, não vos deixareis matar pelas mãos de vossos inimigos.

  47 E novamente disse o Senhor: aDefendereis vossas famílias mesmo até o derramamento de sangue. Por esta razão estavam os nefitas lutando com os lamanitas, a fim de defenderem-se, defenderem suas famílias e suas terras, seu país e seus direitos e sua religião.

  48 E aconteceu que quando viram a ferocidade e a ira dos lamanitas, os homens de Morôni quiseram recuar e fugir deles. E Morôni, percebendo seu intento, enviou-lhes mensagens que lhes inspiraram o coração com estes pensamentos—sim, pensamentos sobre suas terras, sua liberdade, sim, sua libertação do cativeiro.

  49 E aconteceu que eles voltaram a atacar os lamanitas e aclamaram a uma só voz ao Senhor seu Deus por sua liberdade e sua libertação do cativeiro.

  50 E começaram a resistir aos lamanitas com vigor; e na mesma hora em que clamaram ao Senhor por sua liberdade, os lamanitas começaram a fugir deles; e fugiram até às águas do Sidon.

  51 Ora, os lamanitas eram mais numerosos, sim, mais que o dobro dos nefitas. Não obstante, foram perseguidos de tal forma que se juntaram em um só grupo, no vale às margens do rio Sidon.

  52 Assim, os exércitos de Morôni cercaram-nos, sim, pelos dois lados do rio, pois eis que a leste se achavam os homens de Leí.

  53 Assim, quando Zeraemna viu os homens de Leí a leste do rio Sidon e o exército de Morôni a oeste do rio Sidon e viu que estavam cercados pelos nefitas, o terror apoderou-se deles.

  54 Ora, Morôni, vendo seu terror, ordenou a seus homens que cessassem de derramar o sangue deles.