CAPÍTULO 15

Milhões de jareditas são mortos em batalha—Siz e Coriântumr reúnem todo o povo para um combate mortal—O Espírito do Senhor cessa de lutar com eles—A nação jaredita é completamente destruída—Somente Coriântumr sobrevive.

  E aconteceu que quando se recuperou dos ferimentos, Coriântumr começou a lembrar-se das apalavras que Éter lhe dissera.

  E viu que quase dois milhões dos de seu povo já haviam sido mortos pela espada e seu coração começou a entristecer-se; sim, tinham sido mortos dois milhões de homens fortes e também suas esposas e filhos.

  Ele começou a arrepender-se do mal que havia feito; e começou a lembrar-se das palavras que haviam sido proferidas pela boca de todos os profetas e viu que se haviam cumprido, até então, em todos os pontos; e sua alma afligiu-se e recusou-se a ser consolada.

  E aconteceu que ele escreveu uma epístola a Siz, pedindo-lhe que poupasse o povo; e ele renunciaria ao reino em benefício da vida do povo.

  E aconteceu que quando Siz recebeu a epístola, escreveu outra epístola a Coriântumr, dizendo que caso ele se entregasse, de modo que pudesse matá-lo com sua própria espada, pouparia a vida do povo.

  E aconteceu que o povo não se arrependeu de suas iniqüidades; e o povo de Coriântumr estava cheio de furor contra o povo de Siz; e o povo de Siz estava cheio de furor contra o povo de Coriântumr; portanto o povo de Siz lutou contra o povo de Coriântumr.

  E quando Coriântumr viu que estava prestes a cair, tornou a fugir do povo de Siz.

  E aconteceu que chegou às águas de Ripliâncum que, por interpretação, quer dizer grande, ou que excede a tudo; portanto, quando chegaram a essas águas, armaram suas tendas; e Siz também armou suas tendas perto deles; e portanto, na manhã seguinte, foram combater.

  E aconteceu que travaram uma batalha muito sangrenta, na qual Coriântumr foi novamente ferido e desmaiou, em virtude da perda de sangue.

  10 E aconteceu que os exércitos de Coriântumr pressionaram os exércitos de Siz e venceram-nos, fazendo com que fugissem deles; e fugiram em direção ao sul e armaram suas tendas num lugar chamado Ogate.

  11 E aconteceu que o exército de Coriântumr armou suas tendas no monte Ramá; e era aquele mesmo monte no qual meu pai, Mórmon, aocultara para o Senhor os registros que eram sagrados.

  12 E aconteceu que reuniram, de toda a face da terra, todo o povo que não havia sido morto, com exceção de Éter.

  13 E aconteceu que Éter viu tudo o que o povo fez; e viu que os que eram a favor de Coriântumr se haviam unido ao exército de Coriântumr; e os que eram a favor de Siz se haviam unido ao exército de Siz.

  14 Portanto estiveram, pelo espaço de quatro anos, ajuntando o povo, a fim de reunir todos os que se achavam sobre a face da terra, para que recebessem toda a força que lhes fosse possível receber.

  15 E aconteceu que quando estavam todos reunidos, cada qual no exército que desejava, com as esposas e filhos—tanto homens como mulheres e crianças estando armados com armas de guerra, tendo escudos e acouraças e capacetes; e estando vestidos com roupas próprias para a guerra—marcharam uns contra os outros para batalhar; e lutaram durante todo aquele dia e ninguém venceu.

  16 E aconteceu que quando chegou a noite, estavam exaustos e retiraram-se para seus acampamentos; e depois de se haverem retirado para seus acampamentos, começaram a gemer e a lamentar a perda dos seus mortos; e tão altos foram seus gritos, seus gemidos e lamentos, que enchiam os ares.

  17 E aconteceu que na manhã seguinte voltaram a combater e grande e terrível foi aquele dia; não obstante, ninguém venceu; e quando chegou a noite, novamente encheram os ares com seus gritos e seus gemidos e seus lamentos pela perda de seus mortos.

  18 E aconteceu que Coriântumr escreveu nova epístola a Siz, pedindo-lhe que não voltasse a batalhar, mas que tomasse o reino e poupasse a vida do povo.

  19 Mas eis que o Espírito do Senhor havia deixado de lutar com eles e aSatanás dominava totalmente o coração do povo; porque haviam sido abandonados à dureza de seus corações e à cegueira de suas mentes, para que fossem destruídos; portanto voltaram a batalhar.

  20 E aconteceu que lutaram todo aquele dia e, quando chegou a noite, dormiram sobre suas espadas.

  21 E no dia seguinte lutaram até a noite chegar.

  22 E quando chegou a noite, estavam aembriagados de ira, da mesma forma que um homem se embriaga com vinho; e tornaram a dormir sobre suas espadas.

  23 E lutaram de novo no dia seguinte; e quando chegou a noite, haviam todos caído pela espada, à exceção de cinqüenta e dois do povo de Coriântumr e sessenta e nove do povo de Siz.

  24 E aconteceu que dormiram sobre suas espadas naquela noite e, na manhã seguinte, combateram outra vez e lutaram tenazmente com suas espadas e com seus escudos todo aquele dia.

  25 E quando chegou a noite, restavam trinta e dois do povo de Siz e vinte e sete do povo de Coriântumr.

  26 E aconteceu que comeram e dormiram e prepararam-se para morrer no dia seguinte. E eram homens grandes e fortes quanto à força dos homens.

  27 E aconteceu que lutaram pelo espaço de três horas e desmaiaram com a perda de sangue.

  28 E aconteceu que quando os homens de Coriântumr adquiriram força suficiente para caminhar, estavam a ponto de fugir para salvar a vida; mas eis que Siz se levantou e também seus homens; e ele jurou, em sua ira, que mataria Coriântumr ou pereceria pela espada.

  29 Portanto, perseguiu-os e, na manhã seguinte, alcançou-os; e novamente lutaram com a espada. E aconteceu que quando tinham atodos caído pela espada, salvo Coriântumr e Siz, eis que Siz desmaiou com a perda de sangue.

  30 E aconteceu que Coriântumr, depois de apoiar-se sobre a espada para descansar um pouco, cortou a cabeça de Siz.

  31 E aconteceu que depois de haver cortado a cabeça de Siz, Siz levantou-se sobre as mãos e caiu; e depois de haver feito um esforço para cobrar alento, morreu.

  32 E aconteceu que aCoriântumr caiu por terra e permaneceu como se estivesse morto.

  33 E o Senhor falou a Éter e disse-lhe: Vai. E ele foi e viu que as palavras do Senhor tinham sido todas cumpridas; e terminou seu aregistro (e a centésima parte não escrevi); e ocultou-o de um modo que o povo de Lími o encontrou.

  34 Ora, as últimas palavras que foram escritas por aÉter são as seguintes: Se o Senhor desejar que eu seja transladado ou que eu cumpra a vontade do Senhor na carne, não importa, contanto que eu seja salvo no reino de Deus. Amém.