CAPÍTULO 7

Oria reina em retidão—Em meio a usurpações e lutas, os reinos rivais de Sule e Coor são estabelecidos—Profetas condenam a iniqüidade e idolatria do povo, que então se arrepende.

  E aconteceu que Oria exerceu julgamento na terra, em retidão, todos os seus dias, que foram muitos.

  E gerou filhos e filhas; sim, gerou trinta e um, dos quais vinte e três eram homens.

  E aconteceu que também gerou a Quib em sua velhice. E aconteceu que Quib reinou em seu lugar; e Quib gerou a Corior.

  E quando Corior tinha trinta e dois anos, rebelou-se contra o pai e retirou-se e foi habitar na terra de Neor; e gerou filhos e filhas e eles tornaram-se muito formosos; portanto Corior atraiu muita gente para si.

  E quando reuniu um exército, subiu à terra de Moron, onde morava o rei; e fê-lo prisioneiro, em cumprimento às apalavras do irmão de Jarede de que seriam levados ao cativeiro.

  Ora, a terra de Moron, onde o rei habitava, ficava próxima da terra que é chamada Desolação pelos nefitas.

  E aconteceu que Quib viveu em cativeiro assim como seu povo, sob o domínio de seu filho Corior, até que ficou muito velho; não obstante, Quib gerou a Sule em sua velhice, enquanto se achava ainda no cativeiro.

  E aconteceu que Sule se irou contra seu irmão; e Sule ficou forte e tornou-se poderoso quanto à força humana; e foi igualmente poderoso em seus julgamentos.

  Portanto ele foi ao monte Efraim, onde fundiu minério do monte e fez espadas de aço para aqueles que havia levado consigo; e depois de os haver armado com espadas, retornou à cidade de Neor e atacou seu irmão Corior, tendo desta maneira conquistado o reino, que restituiu a seu pai, Quib.

  10 E então, em virtude do feito de Sule, o pai confiou-lhe o reino; portanto começou a reinar em lugar do pai.

  11 E aconteceu que julgava com justiça; e estendeu seu reino sobre toda a face da terra, porque o povo se tornara muito numeroso.

  12 E aconteceu que Sule também gerou muitos filhos e filhas.

  13 E Corior arrependeu-se dos muitos males que praticara; portanto Sule lhe deu poderes em seu reino.

  14 E aconteceu que Corior teve muitos filhos e filhas. E entre os filhos de Corior havia um cujo nome era Noé.

  15 E aconteceu que Noé se rebelou contra Sule, o rei, e também contra o pai, Corior, atraindo Coor, seu irmão, e também todos os seus irmãos e muitos do povo.

  16 E batalhou contra Sule, o rei, e obteve a terra de sua primeira herança; e tornou-se rei dessa parte da terra.

  17 E aconteceu que novamente batalhou contra Sule, o rei; e aprisionou-o e levou-o cativo para Moron.

  18 E aconteceu que quando estava prestes a executá-lo, os filhos de Sule entraram furtivamente na casa de Noé, durante a noite, e mataram-no; e arrombaram a porta da prisão e retiraram o pai e colocaram-no no trono, em seu próprio reino.

  19 Então o filho de Noé edificou o reino em seu lugar; não obstante, não mais conseguiram dominar Sule, o rei; e o povo que estava sob o reinado de Sule, o rei, prosperou grandemente e tornou-se forte.

  20 E o país foi dividido; e havia dois reinos: o reino de Sule e o reino de Coor, filho de Noé.

  21 E Coor, filho de Noé, fez com que seu povo batalhasse contra Sule, mas Sule derrotou-os e matou Coor.

  22 Ora, Coor tinha um filho chamado Ninrode; e Ninrode desistiu do reino de Coor em favor de Sule e obteve favor aos olhos de Sule; portanto Sule lhe concedeu muitos favores e ele fazia, no reino de Sule, o que desejava.

  23 E também, no reinado de Sule apareceram profetas entre o povo, os quais foram enviados pelo Senhor, profetizando que a iniqüidade e a aidolatria do povo estavam trazendo maldição sobre a terra; e que seriam destruídos, caso não se arrependessem.

  24 E aconteceu que o povo insultou os profetas e zombou deles. E aconteceu que o rei Sule julgou todos os que insultaram os profetas.

  25 E promulgou uma lei para toda a terra, que concedia aos profetas o direito de irem aonde lhes aprouvesse; e por essa razão o povo foi levado ao arrependimento.

  26 E em virtude de o povo haver-se arrependido de suas iniqüidades e idolatrias, o Senhor poupou-os e começaram novamente a prosperar na terra. E aconteceu que Sule gerou filhos e filhas em sua velhice.

  27 E não houve mais guerras nos dias de Sule; e ele lembrou-se das grandes coisas que o Senhor fizera por seus pais, trazendo-os, aatravés do grande mar, para a terra prometida; portanto ele julgou em retidão durante todos os seus dias.