CAPÍTULO 9

O reino passa de um para outro por descendência, intrigas e assassinatos—Êmer viu o Filho da Retidão—Muitos profetas clamam arrependimento—Fome e serpentes venenosas flagelam o povo.

  E agora eu, Morôni, continuo meu registro. Portanto eis que aconteceu que por causa das acombinações secretas de Aquis e seus amigos, eis que eles derrubaram o reino de Ômer.

  Não obstante, o Senhor foi misericordioso para com Ômer e também para com seus filhos e filhas que não visaram a sua destruição.

  E o Senhor advertiu a Ômer, em um sonho, que partisse daquela terra; portanto Ômer partiu daquela terra com sua família e viajou muitos dias e passou pelo monte aSim e passou perto do lugar bonde os nefitas foram destruídos; e dali se dirigiu para o leste e chegou a um lugar que era chamado Ablom, no litoral, e lá armou sua tenda; e também seus filhos e filhas e toda a sua casa, exceto Jarede e sua família.

  E aconteceu que Jarede foi ungido rei do povo pelas mãos da iniqüidade; e deu sua filha por esposa a Aquis.

  E aconteceu que Aquis atentou contra a vida de seu sogro; e recorreu àqueles a quem havia feito jurar segundo os juramentos dos antigos; e eles conseguiram a cabeça de seu sogro, quando se achava no trono dando audiência ao povo.

  Pois tanto se espalhara esta iníqua e secreta sociedade, que havia corrompido o coração de todo o povo; portanto Jarede foi assassinado em seu trono e Aquis reinou em seu lugar.

  E aconteceu que Aquis começou a sentir ciúme de seu filho, de modo que o encerrou numa prisão e manteve-o com pouco ou nenhum alimento até ele morrer.

  E então o irmão daquele que morreu (e seu nome era Ninra) irou-se contra o pai por causa do que havia feito a seu irmão.

  E aconteceu que Ninra reuniu um pequeno grupo de homens e fugiu daquela terra e foi habitar com Ômer.

  10 E aconteceu que Aquis gerou outros filhos; e eles conquistaram o coração do povo, não obstante haverem jurado ao pai que praticariam toda sorte de iniqüidades, de acordo com o que ele desejasse.

  11 Ora, o povo de Aquis desejava riquezas, assim como Aquis desejava poder; portanto, os filhos de Aquis ofereceram-lhes dinheiro, conseguindo assim atrair para si a maior parte do povo.

  12 E entre Aquis e os filhos de Aquis principiou uma guerra que durou muitos anos, até a destruição de quase todo o povo do reino, sim, de todos, com exceção de trinta almas e daqueles que fugiram com a casa de Ômer.

  13 Portanto Ômer foi estabelecido novamente na terra de sua herança.

  14 E aconteceu que Ômer começou a envelhecer; não obstante, em sua velhice gerou a Êmer; e ele ungiu Êmer como rei, para reinar em seu lugar.

  15 E depois de haver ungido Êmer como rei, viveu em paz na terra pelo espaço de dois anos e morreu, tendo vivido grande número de dias que foram cheios de tristeza. E aconteceu que Êmer reinou em seu lugar e seguiu os passos de seu pai.

  16 E o Senhor novamente começou a retirar a maldição da terra; e a casa de Êmer prosperou grandemente sob o reinado de Êmer; e no espaço de sessenta e dois anos tornaram-se muito fortes, de modo que chegaram a ser imensamente ricos—

  17 Tendo toda espécie de frutas e de grãos e de sedas e de linho fino e de ouro e de prata e de coisas preciosas.

  18 E também toda espécie de gado, de bois e vacas e de carneiros e de porcos e de cabras e também muitas outras espécies de animais úteis para a alimentação do homem;

  19 E tinham também acavalos e jumentos; e havia elefantes e curelons e cumons; todos eles eram úteis para o homem, especialmente os elefantes e curelons e cumons.

  20 E assim derramou o Senhor suas bênçãos sobre esta terra, que era aescolhida entre todas as outras terras; e ordenou que aqueles que possuíssem a terra possuíssem-na para o Senhor, ou seriam bdestruídos quando amadurecessem em iniqüidade; porque sobre esses, diz o Senhor, derramarei a plenitude de minha ira.

  21 E Êmer julgou com retidão todos os seus dias e gerou muitos filhos e filhas; e gerou a Coriântum e ungiu Coriântum para reinar em seu lugar.

  22 E depois de haver ungido Coriântum para reinar em seu lugar, viveu quatro anos e viveu em paz na terra; sim, e até viu o aFilho da Retidão e regozijou-se e rejubilou-se em seu dia; e morreu em paz.

  23 E aconteceu que Coriântum seguiu os passos do pai e construiu muitas cidades poderosas e administrou o que era bom a seu povo durante todos os seus dias. E aconteceu que não teve filhos até ficar muito idoso.

  24 E aconteceu que sua esposa morreu com a idade de cento e dois anos. E aconteceu que em sua velhice Coriântum tomou para esposa uma jovem e gerou filhos e filhas; e viveu até a idade de cento e quarenta e dois anos.

  25 E aconteceu que gerou a Com e Com reinou em seu lugar; e ele reinou durante quarenta e nove anos e gerou a Hete; e ele também gerou outros filhos e filhas.

  26 E o povo tornara a espalhar-se por toda a face da terra e novamente começou a haver grande iniqüidade na face da terra; e Hete começou a abraçar outra vez os planos secretos da antigüidade, para destruir o pai.

  27 E aconteceu que ele destronou o pai, pois matou-o com sua própria espada; e reinou em seu lugar.

  28 E novamente surgiram profetas na terra, clamando-lhes arrependimento—que deviam preparar o caminho do Senhor ou uma grande maldição cairia sobre a face da terra; sim, haveria uma grande fome pela qual seriam destruídos, caso não se arrependessem.

  29 Mas o povo não acreditou nas palavras dos profetas e expulsou-os; e atiraram alguns em fossos e deixaram-nos morrer. E aconteceu que fizeram todas essas coisas de acordo com as ordens do rei, Hete.

  30 E aconteceu que começou a haver grande escassez na terra e os habitantes começaram a ser destruídos rapidamente por causa da escassez, porque não chovia sobre a face da Terra.

  31 E apareceram também serpentes venenosas na face da terra e envenenaram muita gente. E aconteceu que seus rebanhos começaram a fugir das serpentes venenosas em direção à terra do sul, que era chamada de aZaraenla pelos nefitas.

  32 E aconteceu que muitos deles morreram pelo caminho; não obstante, alguns fugiram para a terra do sul.

  33 E aconteceu que o Senhor fez com que as aserpentes já não os perseguissem, mas que obstruíssem o caminho para que o povo não pudesse passar, a fim de que todo aquele que tentasse passar perecesse vitimado pelas serpentes venenosas.

  34 E aconteceu que o povo seguiu a trilha dos animais e devorou a carcaça dos que tinham morrido pelo caminho, até devorar todos. Ora, quando o povo viu que iria perecer, começou a aarrepender-se de suas iniqüidades e clamar ao Senhor.

  35 E aconteceu que quando se ahumilharam suficientemente perante o Senhor, ele mandou chuvas sobre a face da terra; e o povo começou a reviver e principiou a haver frutos nas regiões do norte e em todos os países circunvizinhos. E o Senhor demonstrou-lhes o seu poder, livrando-os da fome.