CAPÍTULO 4

Dissidentes nefitas e os lamanitas unem forças e tomam a terra de Zaraenla—As derrotas dos nefitas ocorrem por causa de sua iniqüidade—A Igreja decai e o povo torna-se fraco, da mesma forma que os lamanitas. Aproximadamente 38–30 a.C.

  E aconteceu que no qüinquagésimo quarto ano houve muitas dissensões na igreja e houve também uma acontenda entre o povo, de modo que muito sangue foi derramado.

  E os rebeldes foram mortos e expulsos da terra e uniram-se ao rei dos lamanitas.

  E aconteceu que fizeram o possível para incitar os lamanitas a lutarem contra os nefitas; mas eis que os lamanitas estavam de tal forma amedrontados que não deram ouvidos às palavras desses dissidentes.

  Mas aconteceu que no qüinquagésimo sexto ano do governo dos juízes houve adissidentes que se passaram dos nefitas para os lamanitas; e conseguiram, com os outros, incitá-los à ira contra os nefitas; e passaram todo aquele ano preparando-se para a guerra.

  E no qüinquagésimo sétimo ano desceram para atacar os nefitas, principiando assim a obra de morte; sim, de tal forma que no qüinquagésimo oitavo ano do governo dos juízes conseguiram apoderar-se da terra de Zaraenla; sim, e também de todas as terras, até a terra que ficava próxima à terra de Abundância.

  E os nefitas e os exércitos de Moronia foram rechaçados para a terra de Abundância.

  E aí se fortificaram contra os lamanitas, desde o mar do oeste até o leste; e essa linha que haviam fortificado e guarnecido de tropas para a defesa da região norte tinha a extensão de um dia de viagem para um nefita.

  E assim, aqueles dissidentes dos nefitas, com o auxílio de um numeroso exército de lamanitas, apoderaram-se de todos os territórios dos nefitas que ficavam na terra do sul. E tudo isso ocorreu no qüinquagésimo oitavo e no qüinquagésimo nono ano do governo dos juízes.

  E aconteceu, no sexagésimo ano do governo dos juízes, que Moronia conseguiu ocupar, com seus exércitos, muitas partes da terra; sim, eles reconquistaram muitas cidades que haviam caído nas mãos dos lamanitas.

  10 E aconteceu que no sexagésimo primeiro ano do governo dos juízes conseguiram reconquistar a metade de todas as suas terras.

  11 Ora, essa grande perda dos nefitas e a terrível carnificina havida entre eles não teriam acontecido se não fosse pelas iniqüidades e abominações existentes em seu meio; sim, mesmo entre os que professavam pertencer à igreja de Deus.

  12 E foi pelo aorgulho de seu coração, por causa de suas imensas briquezas, sim, em virtude de oprimirem os cpobres, negando alimento aos que tinham fome e roupa aos que estavam nus, esbofeteando seus humildes irmãos, zombando de tudo quanto era sagrado, negando o espírito de profecia e de revelação, assassinando, roubando, mentindo, furtando, cometendo adultério, levantando-se em grandes contendas e desertando para a terra de Néfi, entre os lamanitas—

  13 E por causa dessa sua grande iniqüidade e avanglória pela própria força, foram abandonados a sua própria força; portanto não prosperaram, mas foram afligidos e perseguidos e expulsos pelos lamanitas até perderem quase todas as suas terras.

  14 Mas eis que Moronia pregou muitas coisas ao povo, por causa de sua iniqüidade; e também aNéfi e Leí, que eram os filhos de Helamã, pregaram muitas coisas ao povo, sim, e muitas coisas profetizaram-lhes, relativas a suas iniqüidades e ao que lhes adviria se não se arrependessem de seus pecados.

  15 E aconteceu que se arrependeram e, à medida que se arrependeram, começaram a prosperar.

  16 Pois Moronia, ao ver que eles se haviam arrependido, aventurou-se a conduzi-los de lugar em lugar e de cidade em cidade até reconquistarem a metade de suas propriedades e a metade de suas terras.

  17 E assim terminou o sexagésimo primeiro ano do governo dos juízes.

  18 E aconteceu que no sexagésimo segundo ano do governo dos juízes, Moronia já não conseguiu tomar territórios dos lamanitas.

  19 Por essa razão desistiram do propósito de reconquistar o restante de suas terras, porque tão numerosos eram os lamanitas que se tornou impossível aos nefitas sobrepujá-los; portanto Moronia empregou todos os seus exércitos para conservar as partes que haviam retomado.

  20 E aconteceu que, devido ao grande número de lamanitas, os nefitas ficaram com muito medo de serem dominados e pisados e mortos e destruídos.

  21 Sim, começaram a lembrar-se das profecias de Alma, bem como das palavras de Mosias; e viram que tinham sido um povo obstinado e que haviam rejeitado os mandamentos de Deus.

  22 E que haviam alterado e menosprezado as aleis de Mosias, ou seja, as que o Senhor o encarregara de dar ao povo; e viram que suas leis se haviam corrompido e que o povo se tornara iníquo, à semelhança dos lamanitas.

  23 E em virtude de sua iniqüidade, a igreja começou a adecair; e eles começaram a perder a crença no espírito de profecia e no espírito de revelação; e defrontaram-se com os julgamentos de Deus.

  24 E viram que se haviam tornado afracos como seus irmãos, os lamanitas, e que o bEspírito do Senhor não mais os preservava; sim, havia-se afastado deles, porque o Espírito do Senhor não habita em templos cimpuros

  25 Portanto o Senhor deixou de protegê-los com seu miraculoso e incomparável poder, porque haviam caído em um estado de adescrença e terrível iniqüidade; e viram que os lamanitas eram muito mais numerosos do que eles e que, a não ser que se bapegassem ao Senhor seu Deus, inevitavelmente pereceriam.

  26 Pois eis que viram ser a força dos lamanitas tão grande quanto a sua, homem por homem. E assim haviam caído nessa grande transgressão; sim, dessa maneira em apoucos anos haviam-se tornado fracos por causa de suas transgressões.