CAPÍTULO 5

Néfi e Leí dedicam-se a pregar—Seus nomes levam-nos a moldar a vida pela de seus antepassados—Cristo redime aqueles que se arrependem—Néfi e Leí convertem muitos e são aprisionados e fogo circunda-os—Uma nuvem de escuridão encobre trezentas pessoas—A terra treme e uma voz ordena aos homens que se arrependam—Néfi e Leí conversam com anjos e a multidão é circundada por fogo. Aproximadamente 30 a.C.

  E aconteceu que, nesse mesmo ano, eis que aNéfi entregou a cadeira de juiz a um homem chamado Cezorã.

  Porque como suas leis e governos eram estabelecidos pela avoz do povo e os que bpreferiam o mal eram mais numerosos do que os que preferiam o bem, estavam, portanto, amadurecendo para a destruição, porque as leis haviam sido corrompidas.

  Sim, e não apenas isso; eles eram um povo obstinado, de tal modo que não podiam ser governados pela lei nem pela justiça, a não ser para sua destruição.

  E aconteceu que Néfi se cansara da iniqüidade deles; e arenunciou à cadeira de juiz e dedicou-se a pregar a palavra de Deus pelo resto de seus dias, o mesmo fazendo seu irmão, Leí, pelo resto de seus dias.

  Porque se lembraram das palavras que Helamã, seu pai, lhes dissera. E são estas as palavras:

  Eis que, meus filhos, eu desejo que vos lembreis de guardar os mandamentos de Deus; e quisera que declarásseis ao povo estas palavras. Eis que eu vos dei os nomes de nossos primeiros apais, que vieram da terra de Jerusalém; e assim fiz para que, quando vos lembrardes de vossos nomes, vos lembreis deles; e quando vos lembrardes deles, vos lembreis de suas obras; e quando vos lembrardes de suas obras, saibais que foi dito e também escrito que elas foram bboas.

  Portanto, meus filhos, desejo que pratiqueis o bem, a fim de que possa ser dito de vós e também escrito o mesmo que foi dito e escrito sobre eles.

  E agora, meus filhos, eis que desejo algo mais de vós; e esse desejo é que não façais estas coisas para vangloriar-vos, mas que façais estas coisas para ajuntar um atesouro no céu, sim, que é eterno e jamais desaparece; sim, para que tenhais o bprecioso dom da vida eterna, o qual, temos motivo para crer, foi concedido a nossos pais.

  Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos, meus filhos, das apalavras que o rei Benjamim disse a seu povo; sim, lembrai-vos de que nenhum outro caminho ou meio há pelo qual o homem possa ser salvo, a não ser por meio do bsangue expiatório de Jesus Cristo, que virá; sim, lembrai-vos de que ele vem para credimir o dmundo.

  10 E lembrai-vos também das apalavras que Amuleque disse a Zeezrom, na cidade de Amonia; pois ele disse-lhe que o Senhor certamente viria para redimir seu povo; que não viria, porém, redimi-los em seus pecados, mas redimi-los de seus pecados.

  11 E ele tem poder, recebido do Pai, para redimi-los de seus pecados por causa do arrependimento; portanto aenviou seus anjos para anunciarem as condições do arrependimento, que conduz ao poder do Redentor para a salvação de suas almas.

  12 E agora, meus filhos, lembrai-vos, lembrai-vos de que é sobre a arocha de nosso Redentor, que é Cristo, o Filho de Deus, que deveis construir os vossos balicerces; para que, quando o diabo lançar a fúria de seus ventos, sim, seus dardos no torvelinho, sim, quando todo o seu granizo e violenta ctempestade vos açoitarem, isso não tenha poder para vos arrastar ao abismo da miséria e angústia sem fim, por causa da rocha sobre a qual estais edificados, que é um alicerce seguro; e se os homens edificarem sobre esse alicerce, não cairão.

  13 E aconteceu que estas foram as palavras que Helamã disse a seus filhos; sim, aensinou-lhes muitas coisas que não estão escritas e também muitas coisas que estão escritas.

  14 E eles lembraram-se de suas palavras; e por isso, guardando os mandamentos de Deus, foram pregar a palavra de Deus a todo o povo de Néfi, começando pela cidade de Abundância;

  15 E dali para a cidade de Gide; e da cidade de Gide para a de Muleque;

  16 E de uma cidade a outra, até haverem pregado a todo o povo de Néfi que se achava na terra do sul; e de lá foram para a terra de Zaraenla, entre os lamanitas.

  17 E aconteceu que pregaram com grande poder, confundindo muitos dos adissidentes que se haviam separado dos nefitas, tanto que eles se adiantaram, confessaram seus pecados e foram batizados para o arrependimento; e imediatamente voltaram para os nefitas, a fim de remediar os males que lhes haviam causado.

  18 E aconteceu que Néfi e Leí pregaram aos lamanitas com grande poder e autoridade, porque haviam recebido poder e autoridade para afalar, sendo também inspirados quanto ao que deveriam dizer—

  19 Por conseguinte, falaram de tal maneira que encheram os lamanitas de assombro, aconvencendo-os de tal forma que oito mil lamanitas dos que se achavam na terra de Zaraenla e imediações receberam o batismo para o arrependimento e convenceram-se da iniqüidade das tradições de seus pais.

  20 E aconteceu que Néfi e Leí saíram de lá para ir à terra de Néfi.

  21 E aconteceu que foram capturados por um exército dos lamanitas e atirados na aprisão; sim, naquela mesma prisão em que Amon e seus irmãos haviam sido encarcerados pelos servos de Lími.

  22 E depois de haverem estado muitos dias na prisão, sem alimento, eis que lá entraram para tirá-los, a fim de matá-los.

  23 E aconteceu que Néfi e Leí foram envoltos como que por afogo, de modo que não se atreviam a deitar-lhes as mãos, com medo de ser queimados. Não obstante, Néfi e Leí não se queimavam; e achavam-se como se estivessem no meio do fogo e não se queimavam.

  24 E quando viram que estavam envoltos por um apilar de fogo e que não os queimava, seu coração encheu-se de coragem.

  25 Porque viram que os lamanitas não se atreviam a deitar-lhes as mãos; tampouco ousavam aproximar-se, permanecendo parados como se tivessem ficado mudos de espanto.

  26 E aconteceu que Néfi e Leí começaram a falar, dizendo: Não temais, pois eis que foi Deus quem vos manifestou esta maravilha, mostrando-vos assim que não podeis deitar-nos as mãos para matar-nos.

  27 E eis que quando disseram estas palavras, a terra tremeu fortemente e as paredes da prisão foram sacudidas, como se estivessem prestes a ruir por terra; mas eis que não caíram. E eis que os que se achavam na prisão eram lamanitas e dissidentes nefitas.

  28 E aconteceu que foram cobertos por uma nuvem de aescuridão e apoderou-se deles um grande terror.

  29 E aconteceu que se ouviu uma avoz que parecia vir de cima da nuvem de escuridão, dizendo: Arrependei-vos, arrependei-vos e não procureis mais destruir meus servos, os quais enviei para vos anunciar boas novas.

  30 E aconteceu que quando ouviram essa voz, notaram que não era uma voz de trovão nem uma voz de ruído tumultuoso, mas eis que era uma avoz mansa, de perfeita suavidade, semelhante a um sussurro que penetrava até o âmago da alma—

  31 E apesar da suavidade da voz, eis que a terra tremeu fortemente e as paredes da prisão tornaram a tremer, como se estivessem prestes a ruir por terra; e eis que a nuvem de escuridão que os havia coberto não se dissipou—

  32 E eis que novamente a voz se fez ouvir, dizendo: Arrependei-vos, arrependei-vos, porque o reino dos céus se aproxima; e não procureis mais destruir meus servos. E aconteceu que a terra tornou a tremer e as paredes tornaram a estremecer.

  33 E de novo, pela terceira vez, a voz se fez ouvir e disse-lhes palavras maravilhosas que não podem ser proferidas pelo homem; e as paredes tornaram a estremecer e a terra tremeu como se estivesse prestes a fender-se.

  34 E aconteceu que os lamanitas não podiam fugir, em virtude da nuvem de escuridão que os cobrira; sim, e também ficaram imobilizados devido ao temor que deles se apoderara.

  35 Ora, havia entre eles um nefita de nascimento, que já pertencera à igreja de Deus, mas havia-se separado deles.

  36 E aconteceu que ele se voltou e eis que viu, através da nuvem de escuridão, os semblantes de Néfi e Leí; e eis que abrilhavam intensamente, como semblantes de anjos. E viu que eles erguiam os olhos para o céu; e pareciam estar falando ou elevando a voz a algum ser que contemplavam.

  37 E aconteceu que esse homem bradou à multidão que se voltasse e olhasse. E eis que receberam força para voltar-se e olhar; e viram a face de Néfi e de Leí.

  38 E perguntaram ao homem: Ora, o que significa tudo isto e com quem conversam esses homens?

  39 Ora, o nome do homem era Aminadabe. E Aminadabe disse-lhes: Conversam com os anjos de Deus.

  40 E aconteceu que os lamanitas lhe perguntaram: aO que faremos para que esta nuvem de escuridão que nos cobre seja removida?

  41 E Aminadabe respondeu-lhes: Deveis aarrepender-vos e clamar à voz até que tenhais b em Cristo, sobre quem vos ensinaram Alma, Amuleque e Zeezrom; e quando fizerdes isso, a nuvem de escuridão que vos cobre será removida.

  42 E aconteceu que todos começaram a clamar à voz daquele que havia sacudido a terra; sim, clamaram até que a nuvem de escuridão se dissipou.

  43 E aconteceu que quando olharam ao redor e viram que a nuvem de escuridão que os cobria se dissipara, eis que perceberam estar aenvoltos, sim, cada alma, por um pilar de fogo.

  44 E Néfi e Leí achavam-se no meio deles; sim, estavam envoltos, sim, como se estivessem no meio de um fogo ardente; contudo não lhes causava dano nem incendiava as paredes da prisão; e encheram-se daquela aalegria que é inexplicável e gloriosa.

  45 E eis que o aSanto Espírito de Deus desceu do céu e penetrou-lhes o coração; e encheram-se, como que de fogo, e puderam bdizer palavras maravilhosas.

  46 E aconteceu que ouviram uma voz, sim, uma voz agradável, semelhante a um sussurro, dizendo:

  47  aPaz, paz seja convosco em virtude de vossa fé em meu Bem-Amado que era desde a fundação do mundo.

  48 E então, quando ouviram isto, levantaram os olhos, procurando descobrir de onde vinha a voz; e eis que viram os acéus abertos; e anjos desceram dos céus e ministraram entre eles.

  49 E cerca de trezentas almas viram e ouviram essas coisas; e foi-lhes ordenado que se fossem e não se maravilhassem nem duvidassem.

  50 E aconteceu que saíram, pregando e anunciando por todas as regiões circunvizinhas todas as coisas que tinham ouvido e visto, fazendo com que a maior parte dos lamanitas se convencesse delas em virtude da grandeza das evidências que haviam recebido.

  51 E todos os que se aconvenceram abandonaram suas armas de guerra, bem como seu ódio e as tradições de seus pais.

  52 E aconteceu que devolveram aos nefitas as terras de sua herança.